A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O USO DO SOLO E AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS Eduardo de Sá Mendonça Viçosa – Junho - 2006 UFV UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE SOLOS I Seminário.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O USO DO SOLO E AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS Eduardo de Sá Mendonça Viçosa – Junho - 2006 UFV UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE SOLOS I Seminário."— Transcrição da apresentação:

1 O USO DO SOLO E AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS Eduardo de Sá Mendonça Viçosa – Junho UFV UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE SOLOS I Seminário Internacional Sobre Mudanças Climáticas e Seus Impactos na Agricultura

2 UFV Solo x 10 9 a x 10 9 t de C Vegetação 600 x 10 9 t de C Oceanos x 10 9 t de C Atmosfera 750 x 10 9 t de C (IPCC, 1990; Eswaran et al., 1993;Sombroek et al., 1993; Zech et al., 1997) Mudanças Climáticas CO 2 da atmosfera aumento taxa de 7 x 106 g C ano -1

3 CO 2 : 31% CH 4 : 151% N 2 O: 17% 100 anos – temperatura (80% CO 2 ) Fontes de emissão de C-CO 2 pela agricultura Queima de combustíveis fósseis; Calagem; Mudanças no uso da terra Desmatamento com queimadas de florestas; Agricultura – oxidação do C orgânico do solo a CO 2 ; ação conjunta do manejo do solo e do baixo aporte de material orgânico ao solo. Seqüestro de C Estoques de C nas áreas sob cultivo; Práticas de manejo mitigadoras da emissão de C; UFV EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA

4 Latossolos: representatividade aproximadamente 40% do território brasileiro (cerca de km2) UFV (Andrade et al., 2005) C Stock x Land Use A Horizon B Horizon

5 Histograms of organic carbon stocks in Latosols from different regions in Brazil UFV

6 ESTOQUES DE CARBONO E SISTEMAS DE MANEJO adição de resíduos vegetais + Compostos orgânicos ENTRADA SAÍDA Decomposição Matéria Orgânica Estoques de C Sistemas com menor revolvimento do solo Sistemas com aporte constante de resíduos vegetais Sistemas com adubação orgânica UFV

7 COMPARTIMENTOS DE CARBONO Mais sensíveis ao manejo ATIVOLENTOPASSIVO Mutuamente dependentes Fatores climáticos, edáficos e antrópicos Dinâmicos Como estimar Métodos físicos e químicos: - BMS (ativo) - MO particulada e o C FL (lento) - SH(passivo) Modelos de Simulação C orgânico total – alterações lentas C pluricompartimental UFV

8 TAMANHO DOS COMPARTIMENTOS Fatores Controladores Ativo (Bio/Lab) Padrão de decomposição Aporte de Resíduos Clima Manejo Lento e Passivo (COM e FOM) Mineralogia Textura Ação do Manejo Natureza química dos Comp. Org. UFV

9 CENTURY - SUBMODELO C (Parton et al., 1987) L/N Textura M = multiplicador para o efeitos da temperatura e umidade M M UFV

10 DOIS EXPERIMENTOS 1. Sistemas de preparo do solo Plantio direto Arado de disco Grade pesada+arado de disco Grade pesada Área sob Floresta Atlântica Estimar a contribuição dos sistemas de manejo na emissão ou seqüestro de C-CO 2 ARGISSOLO VERMELHO-AMARELO UFV 2. Sistemas de Adubação Testemunha (sem adubação) Adubação mineral 1 – 250 kg de Adubação mineral kg de AO –14 Mg ha -1 composto orgânico Adubação mineral 1 + Adubação orgânica Adubação mineral2 + Adubação orgânica (Leite et al., 2002, 2003)

11 UFV PD: plantio direto, AD: arado de disco, GPAD: grade pesada + arado de disco, GP: grade pesada; FA: floresta atlântica. (Leite et al., 2002, 2003)

12 0: testemunha; AM1: 250 kg ha -1 de kg N ha -1 em cobertura; AM2: 500 kg ha -1 de kg N ha -1 em cobertura. UFV

13 0: testemunha; AM1: 250 kg ha -1 de kg N ha -1 em cobertura; AM2: 500 kg ha -1 de kg N ha -1 em cobertura; AO: adubo orgânico, 40 m 3 ha -1. UFV Mg ha -1 ano -1 Carbono Nitrogênio

14 Estoques dos compartimentos de C e N totais em sistemas de preparo PD: plantio direto, AD: arado de disco, GPAD: grade pesada + arado de disco, GP: grade pesada; FA: floresta atlântica. UFV

15 Estoques dos compartimentos de C e N totais em sistemas de adubação na camada 0-20 cm 0: testemunha; AM1: 250 kg ha -1 de kg N ha -1 em cobertura; AM2: 500 kg ha -1 de kg N ha -1 em cobertura; AO: adubo orgânico, 40 m 3 ha -1. UFV

16 Estimativa de emissão de C-CO 2 TRM: tempo de residência médio, PD: plantio direto, AD: arado de disco, ADGP: arado de disco + grade pesada, GP: grade pesada. TRM: tempo de residência médio. 0: testemunha; AM1: 250 kg ha -1 de kg N ha -1 em cobertura;. AM2: 500 kg ha -1 de kg N ha -1 em cobertura; AO: adubo orgânico, 40 m 3 ha -1. UFV

17 Anos COT (Mg ha -1 ) C Lento (Mg ha -1 ) C Passivo (Mg ha -1 ) C Ativo (Mg ha -1 ) Impacto do Preparo do Solo sobre os Estoques de C PD: plantio direto; AD: arado de discos; GPAD: grade pesada + arado de disco; GP: grade pesada UFV

18 Comentários Finais Os sistemas de manejo estão acarretando degradação do solo e conseqüente redução dos estoques de COT. O aumento dos estoques de COT e NT no SPD foram restritos à camada superficial, o que indica a necessidade de adoção de culturas de elevado aporte de resíduos. Os SPD e convencionais atuaram como fonte de C-CO 2 para a atmosfera. Indicando que sistemas de produção sustentáveis que envolvam culturas em rotação com plantas de cobertura com elevado aporte de resíduos, aliados a preparos conservacionistas, devem ser adotados para que o solo possa agir como dreno, contribuindo para mitigar as emissões de C-CO 2 para a atmosfera. UFV

19 Comentários Finais A presença da adubação orgânica aumentou os estoques de COT e NT, em relação aos sistemas com adubação mineral ou mesmo sem adubação, o que a coloca como estratégia de manejo essencial à conservação do solo e sustentabilidade dos sistemas agrícolas em solos tropicais. O Modelo Century é um instrumento a ser testado para estimar a dinâmica da matéria orgânica em solos tropicais e o impacto de sistemas de manejo e das variações climáticas sobre os estoques de C e N no sistema solo-planta. UFV

20 OBRIGADO PELA ATENÇÃO UFV Eduardo de Sá Mendonça - Departamento de Solos


Carregar ppt "O USO DO SOLO E AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS Eduardo de Sá Mendonça Viçosa – Junho - 2006 UFV UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE SOLOS I Seminário."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google