A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IntroduçãoResultados Metodologia Efeito da fertilização nitrogenada sobre a emissão de NO e N 2 O em solos cultivados com milho na região dos Cerrados.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IntroduçãoResultados Metodologia Efeito da fertilização nitrogenada sobre a emissão de NO e N 2 O em solos cultivados com milho na região dos Cerrados."— Transcrição da apresentação:

1 IntroduçãoResultados Metodologia Efeito da fertilização nitrogenada sobre a emissão de NO e N 2 O em solos cultivados com milho na região dos Cerrados de Goiás-Brasil Êrika Fernandes 1, Alessandra Kozovits 1 e Mercedes C. Bustamante 1 1 Departamento de Ecologia, Universidade de Brasília - Brasil Nas últimas duas décadas a expansão da agricultura no Centro- Oeste do Brasil ocorreu com a substituição de extensas áreas de Cerrado pelo cultivo de milho, soja, feijão e algodão, com a utilização de variedades altamente produtivas, mecanização intensiva e fertilizantes químicos, especialmente os nitrogenados cujo consumo aumentou de para Toneladas entre os anos de 1990 e O modelo de produção industrial implantado em áreas originalmente sob vegetação de Cerrado está associado a alterações no funcionamento do ecossistema em diferentes escalas, desde sua estrutura físico-química e microbiológica até a interface de trocas de matéria e energia entre solo e atmosfera, podendo contribuir com o aumento na emissão de gases traço. Os picos de NO mensurados no cultivo comercial após a primeira (3,9 ng cm -2 h -1 ) e a segunda fertilização em cobertura (8,8 ng cm -2 h -1 ) foram significativamente maiores que os mensurados após o plantio com fertilização no sulco (0,4 ng cm -2 h -1 ) e após a colheita (0,5 ng cm -2 h -1 ), enquanto que os fluxos mensurados antes do plantio (2,7 ng cm -2 h -1 ) foram semelhantes aos mensurados após a primeira fertilização em cobertura (Figura 1). No cultivo experimental, após a fertilização em cobertura foi registrado incremento significativo nos picos do tratamento 2 (7,9 ng cm -2 h - 1 ) e do tratamento 3 (6,0 ng cm -2 h -1 ) em relação a aqueles mensurados no tratamento controle (0,5 ng cm -2 h -1 ). Nas demais fases da cultura os tratamentos não apresentaram diferenças entre si (Figura 2). Os valores de fluxo de N 2 O mensurados mantiveram-se próximos ao limite de detecção do equipamento, observando-se discretos incrementos nos fluxos apenas após as fertilizações em cobertura, no cultivo comercial (1,1 ng cm -2 h -1 ) e no experimental (3,2 ng cm -2 h -1 ). Conclusões Este trabalho objetivou mensurar o efeito da fertilização nitrogenada sobre emissões de NO e N 2 O em solos de Cerrado cultivados com milho. Objetivo Localização dos sítios de estudos: Cultivo comercial - Fazenda Dom Bosco (Cristalina–GO-Brasil), distante 100 km de Brasília-DF, 16º 18 Latitude Sul e 47º 30 Longitude Oeste. Cultivo experimental – Fazenda Dois J1 (Rio Verde–GO-Brasil), distante 600 km de Brasília-DF, 17 5 de Latitude Sul e de Longitude Oeste. Determinação do fluxo de gases: as medidas de NO e N 2 O foram realizadas pelo acúmulo do gás em câmaras de PVC de 8,3 L. Os fluxos de NO foram mensurados em campo por quimioluminescência (NoxBox, Scintrex, LMA-3). Para determinação dos fluxos de N 2 O foram coletadas amostras de ar com seringas de nylon, nos tempo 0, 10, 20 e 30 minutos, que em laboratório foram analisadas por cromatografia gasosa (Shimadzu GC-14A). Os fluxos de NO dependem da quantidade e da forma do nitrogênio adicionada no solo via fertilização e tendem a estabilizar no tempo. Os fluxos de N 2 O, nas condições estudadas, são fracamente influenciados pela fertilização nitrogenada. F igura 2 - Fluxos de NO (ng cm -2 h -1 ), do solo para a atmosfera, mensurados durante o período de cultivo experimental de milho. Figura 1 - Fluxos de NO (ng cm -2 h -1 ), do solo para a atmosfera, mensurados durante o período de cultivo comercial de milho. Tabela 1 – Datas das coletas, práticas de cultivo, período da cultura, fertilizações nitrogenadas aplicadas, quantidades de N (kg ha -1 ) aplicadas e forma de aplicação dos fertilizantes nos cultivos comercial e experimental de milho. DAE = Dias após a emergência MAP = Fosfato mono-amônico T1, T2 e T3 = tratamentos 1, 2 e 3 Sítios estudados Datas das coletas Práticas de cultivoPeríodo da cultura Fertilização nitrogenada (kg N ha -1 ) Forma da aplicação do fertilizante Cultivo comercial de milho 28/08/ /09/ /09/ /10/ /02/ dia antes do plantio 3 dias após o plantio + fert 1 dia após a 1ª fertilização 1 dia após a 2ª fertilização 3 dias após a colheita Sem cultura Germinação 16 DAE 30 DAE Sem cultura - 33,7 103,2 18,4 - MAP (sulco) uréia (cobertura) - Cultivo experimental de milho 10/11/ /12/ /02/ /04/ dia após o plantio + fert 3 dias após a fertilização Sem prática de cultivo 5 dias após a colheita Germinação 22 DAE Frutificação Sem cultura T1 = 0,0 T2 = 9,0 T3 = 9,0 T1 = 00,0 T2 = 22,5 T3 = 45,0 - Sem aplicação uréia (sulco) Sem aplicação uréia (cobertura) -


Carregar ppt "IntroduçãoResultados Metodologia Efeito da fertilização nitrogenada sobre a emissão de NO e N 2 O em solos cultivados com milho na região dos Cerrados."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google