A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Slide 1 Gestão do Fluxo e Lead Times Na Gestão do Fluxo, o PCP e a Produção devem se preocupar com os seguintes aspectos: administração do recurso gargalo;

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Slide 1 Gestão do Fluxo e Lead Times Na Gestão do Fluxo, o PCP e a Produção devem se preocupar com os seguintes aspectos: administração do recurso gargalo;"— Transcrição da apresentação:

1 Slide 1 Gestão do Fluxo e Lead Times Na Gestão do Fluxo, o PCP e a Produção devem se preocupar com os seguintes aspectos: administração do recurso gargalo; balanceamento de linha; gerenciamento do lead time; controle dos estoques em processamento; controle de produção.

2 Slide 2 Gestão do Fluxo e Lead Times Para garantir que os recursos de produção sejam utilizados de forma racional, sem desperdícios e com a máxima simplicidade possível, devemos utilizar, individualmente ou em conjunto, as seguintes técnicas: passar do layout funcional para o layout de fluxo; sincronização das operações, redução de filas; balanceamento de linhas; redução do tempo de transporte; redução do tempo de setup.

3 Slide 3 Gestão do Fluxo e Lead Times O objetivo do Gerenciamento do Lead Time é eliminar ou reduzir o tempo relativo as atividades que não agregam valor ao produto e, para isso, é necessário entender que o lead time é composto basicamente de: tempo de espera para o material ser processado; tempo de setup do posto de trabalho; tempo de processamento; tempo de espera para o material ser movimentado; tempo de movimentação.

4 Slide 4 Gestão do Fluxo e Lead Times

5 Slide 5 Gestão do Fluxo e Lead Times Para entendermos a vantagem de produzir no modelo por fluxo, vamos acompanhar os lead times obtidos na fabricação de uma peça com quatro operações, através dos estágios que permitem sua implantação, partindo de um layout funcional, que é o mais freqüente de existir. Os estágios são: produção funcional (job shop); produção sobreposta (overlapping operation); produção por fluxo (flow shop);

6 Slide 6 Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção Funcional Exercício: Considere a necessidade de se produzir um lote de 200 peças com quatro operações e os seguintes tempos operacionais: Produção Funcional

7 Slide 7 Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção Funcional

8 Slide 8 O lead time de produção é calculado pela seguinte fórmula: LT = ΣQ + ΣS + ( L x ΣP) + ΣW + ΣM Podemos acompanhar os progressos na redução do lead time através de um parâmetro de controle que chamaremos de IAV - Indicador de Agregação de Valor que, para este sistema de produção pode ser calculado pela fórmula: IAV LT L x ΣP = Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção Funcional

9 Slide 9 Para o nosso produto teremos o seguinte lead time: LT = ΣQ + ΣS + ( L x ΣP) + ΣW + ΣM LT = (200 x 9) LT = 4800 min Para o nosso produto teremos o seguinte IAV: IAV = (L x ΣP) / LT IAV = (200 x 9) / 4800 IAV = (1800) / 4800 = 0,375 IAV = 37,5% Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção Funcional

10 Slide 10 Conclusões: Neste exemplo estamos simplificando a prática ao considerar apenas um produto na linha, quando o normal seria haver um grande número de produtos e modelos variados, com diferentes operações competindo entre si pelo uso de máquinas, homens e instalações; Vimos que 62,5% do tempo de manufatura é dispendido em atividades que não agregam valor. Existem estudos que comprovam que neste tipo de produção 90% do lead time é dispendido em filas e espera. Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção Funcional

11 Slide 11 Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção Sobreposta Produção Sobreposta Neste sistema, não é necessário que uma operação seja integralmente finalizada para ser transferida à próxima operação. Com isso, podemos aumentar sensivelmente o valor de IAV reduzindo o lead time porque o sistema permite a sobreposição de várias atividades produtivas, em graus que podem ser determinados pelo PCP.

12 Slide 12 Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção Sobreposta A questão básica a ser definida é a determinação do tamanho do lote de transferência e quantos lotes serão necessários. Obviamente, poderá haver no mínimo dois lotes e no máximo, lotes unitários de número igual ao tamanho da ordem original.

13 Slide 13 Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção Sobreposta Para este sistema de produção o lead time de produção será calculado pela seguinte fórmula: LT(n) = LAxP1 + LAxP LAxPm-1 + LxPm + (m-1)xM + S1 onde:n é o número de lotes de transferência LA é o tamanho do lote de transferência m é o número de operações do processo P1...Pm são os tempos padrões de cada operação M é o tempo de movimentação S1 é o tempo de setup da primeira operaçâo O IAV - Indicador de Agregação de Valor será calculado pela mesma fórmula utilizada para a produção funcional.

14 Slide 14 Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção Sobreposta Exercício: Veja como ficam os indicadores de LT e IAV se subdividirmos em dois lotes de 100 peças os dados de produção do exercício que fizemos para a produção funcional.

15 Slide 15 O lead time para este sistema será calculado por: LT(2) = LAxP1 + LAxP2 + LAxP3 + LxP4 + 3xM + S1 Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção Sobreposta Portanto, o lead time será: LT(2) = LAxP1 + LAxP2 + LAxP3 + LxP4 + 3xM + S1 LT(2) = LAx(P1 + P2 + P3) + LxP4 + 3xM + S1 LT(2) = 100x(1,5+2,0+2,5) + 200x3,0 + 3x LT(2) = 1335 min

16 Slide 16 O IAV para este número de lotes passará a ser de: IAV = (L x ΣP) / LT(2) IAV = (LAx(P1 + P2 + P3) + LxP4) / LT(2) IAV = 1200 / 1335 IAV = 0,899 IAV = 89,9% Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção Sobreposta

17 Slide 17 Se criarmos 4 (quatro) lotes de transferência de 50 (cinquenta) peças por lote, teremos: LT(4) = LAxP1 + LAxP2 + LAxP3 + LxP4 + 3xM + S1 LT(4) = LAx(P1 + P2 + P3) + LxP4 + 3xM + S1 LT(4) = 50x(1,5+2,0+2,5) + 200x3,0 + 3x LT(4) = 1035 min O IAV para este número de lotes passará a ser de: IAV = (LAx(P1 + P2 + P3) + LxP4) / LT(4) IAV = 900 / 1035 IAV = 0,869 IAV = 86,9%

18 Slide 18 Se criarmos 20 (vinte) lotes de transferência de 10 (dez) peças por lote, teremos: LT(20) = LAxP1 + LAxP2 + LAxP3 + LxP4 + 3xM + S1 LT(20) = LAx(P1 + P2 + P3) + LxP4 + 3xM + S1 LT(20) = 10x(1,5+2,0+2,5) + 200x3,0 + 3x LT(20) = 795 min O IAV para este número de lotes passará a ser de: IAV = (LAx(P1 + P2 + P3) + LxP4) / LT(20) IAV = 660 / 795 IAV = 0,83 IAV = 83,0% Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção Sobreposta

19 Slide 19 Conclusões: Este sistema só será viável se houver um ou poucos modelos usuários da mesma linha de produção e, acima de tudo, se ocorrer efetivo desenvolvimento relativo a melhorias do processo produtivo para redução das parcelas que não agregam valor. Uma das técnicas utilizadas nesse processo de melhoramento é a tecnologia de grupo, o qual possibilita a existência de similaridades entre vários modelos. Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção Sobreposta

20 Slide 20 Se para os 20 (vinte) lotes de transferência, eliminarmos o tempo de movimentação e reduzirmos em 20 minutos o tempo de setup, teremos: LT(20) = LAxP1 + LAxP2 + LAxP3 + LxP4 + 3xM + S1 LT(20) = LAx(P1 + P2 + P3) + LxP4 + 3xM + S1 LT(20) = 10x(1,5+2,0+2,5) + 200x3,0 + 3x LT(20) = 730 min O IAV para este número de lotes passará a ser de: IAV = (LAx(P1 + P2 + P3) + LxP4) / LT(20) IAV = 660 / 730 IAV = 0,904 IAV = 90,4%

21 Slide 21 Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção Funcional Considere a necessidade de se produzir um lote de 200 peças com quatro operações e os seguintes tempos operacionais: Exercício:

22 Slide 22 Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção Funcional

23 Slide 23 Gestão do Fluxo e Lead Times

24 Slide 24 Gestão do Fluxo e Lead Times: Produção por Fluxo Produção por Fluxo É uma extensão da produção por sobreposição onde o lote de transferência é unitário, ou seja, quando ocorrer a máxima sobreposição de operações. Todos os pré-requisitos e cálculos existentes para a produção por sobreposição, se aplicam a produção por fluxo.

25 Slide 25 Gestão do Fluxo e Lead Times: Transporte Considerações: A redução do tamanho dos lotes de transferência cria um maior número de lotes, o que tende a aumentar o tempo dispendido no transporte, que não agrega valor. Para se minimizar os custos advindos desta atividade, sempre que possível, devemos: reduzir a distância entre máquinas; utilizar os espaços tridimensionalmente; evitar cruzamentos de rotas; tirar proveito da força da gravidade para movimentação; utilizar mecanismos de transporte; implantar layout por fluxo e células de manufatura em U;

26 Slide 26 Gestão do Fluxo e Lead Times: Setup Considerações: O setup é a adaptação de um sistema produtivo a uma mudança de processamento, que pode representar desde uma pequena regulagem/ajustagem com o equipamento em funcionamento até uma paralisação do mesmo, para troca de ferramentas e dispositivos. O setup pode existir para recuperação das condições de uso (troca/afiação de ferramentas por desgaste) ou para alteração de produto, que implica na exigência de novas ferramentas, dispositivos e calibres.

27 Slide 27 O tempo de setup influencia o dimensionamento do tamanho do lote de produção e o tempo do ciclo de processo. Tempos elevados de preparo das máquinas constituem a maior barreira à redução dos lotes de produção e garantir fluxos nivelados da produção. As atividades de setup não agregam valor ao produto e, por essa razão, devem ser reduzidas o máximo possível. Podemos classificar as atividades de setup em: internas: atividades que só podem ser feitas com a máquina parada; externas: atividades que não dependem do estado do equipamento; Gestão do Fluxo e Lead Times: Setup

28 Slide 28 Para se reduzir os tempos de setup, devemos: converter as atividades em atividades externas, sempre que possível; eliminar processos de ajustagem dentro do setup; utilizar tecnologia para posicionamento e troca de ferramentas e dispositivos (servo-mecanismos, sensores, mecanismos de elevação e suporte); utilizar os conceitos de Tecnologia de Grupo para formação de famílias de peças, já na fase de projeto, de tal forma que peças similares possam compartilhar os mesmos dispositivos; implantar jornadas diferenciadas para o pessoal responsável por manutenção e setup; eliminar o setup quando possível. Gestão do Fluxo e Lead Times: Setup

29 Slide 29 Podemos ter um indicador de setup que o relacione com o tempo de ciclo de produção de um certo produto ou item: Gestão do Fluxo e Lead Times: Setup IS Tc S = Onde:IS é o indíce de setup S é o tempo de setup Tc é o tempo de ciclo Este indicador mede o percentual que o setup possui no tempo de ciclo de fabricação do produto ou item.


Carregar ppt "Slide 1 Gestão do Fluxo e Lead Times Na Gestão do Fluxo, o PCP e a Produção devem se preocupar com os seguintes aspectos: administração do recurso gargalo;"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google