A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PDTSP – VPPLR/VPAAS, ENSP 9 de fevereiro, 2010 Salão Internacional da ENSP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PDTSP – VPPLR/VPAAS, ENSP 9 de fevereiro, 2010 Salão Internacional da ENSP."— Transcrição da apresentação:

1 PDTSP – VPPLR/VPAAS, ENSP 9 de fevereiro, 2010 Salão Internacional da ENSP

2 2001: Criação do Programa de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica em Saúde Pública (PDTSP) e do Programa de Desenvolvimento Tecnológico em Insumos em Saúde (PDTIS); Apresentados pela Presidência e aprovados pelo Conselho Deliberativo da Fiocruz em 2001 e plenárias dos IV e V Congressos Internos, em 2002 e 2005; Ambos os programas integraram os Planos Quadrienais da Fiocruz e Diretrizes para a Formulação do Plano Quadrienal objetivo central do PDTSP: o fomento às atividades de pesquisa e desenvolvimento voltadas essencialmente para a inovação tecnológica no campo da saúde pública, nas dimensões coletiva e individual, promovendo a melhora substancial do desempenho do Sistema Único de Saúde - SUS.

3 Até 2008, seis Redes foram constituídas pelo PDTSP: Rede PDTSP-Dengue Rede PDTSP-SUS Rede Campus Fiocruz da Mata Atlântica Rede Recursos Hídricos Rede Cidades Saudáveis: saúde, ambiente e desenvolvimento Rede de Pesquisa Clínica

4

5 Alguns aspectos que podem ter contribuído para que as propostas apresentassem impacto limitado: 1) curto prazo e pequeno investimento por projeto (média de R$100 mil e prazo de 18 a 24 meses para execução); 2) a atuação em rede se deu principalmente por temas, não foram constituídas redes naturais de trabalho, nas quais grupos de pesquisadores se integram de forma sinérgica com um mesmo objeto; 3) embora tenha sido freqüente a participação de serviços e gestores do SUS nos projetos, ela se dá principalmente pela facilitação da execução dos projetos; 4) questões operacionais: demora na transferência de recursos, morosidade dos processos de aquisição de insumos e equipamentos e limitações de recursos humanos; 5) a dificuldade de transferência tecnológica foi destacada em alguns relatórios das Redes Dengue e SUS, parcialmente atribuída à necessidade de mudança de atitudes e hábitos nos serviços, o que pode requerer tempo, capacitação e investimentos.

6 Nome do Projeto CoordenadorUnidade Avaliação das ações inter setoriais em saúde e desenvolvimento social em Manguinhos – Rio de Janeiro Rosana MagalhãesENSP - Deptº de Ciências Sociais Uma proposta de Habitat Saudável em comunidade vizinha ao Campus Fiocruz da Mata Atlântica Simone Cynamon CohenENSP - Deptº de Saneamento e Saúde Ambiental Abordagem ecossistêmica para o desenvolvimento de indicadores e cenários de sustentabilidade ambiental e de saúde na cidade de Manaus/AM Carlos Machado de Freitas Leandro Luiz Giatti ENSP ILMD Cidades Saudáveis: Saúde, Inovação Tecnológica e Desenvolvimento Urbano na área de implantação do Complexo Petroquímico de Itaboraí – Comperi/RJ Rosely Magalhães de OliveiraENSP – Deptº de Endemias/Núcleo de Inovação Tecnológica Produção Compartilhada de Conhecimentos para a Promoção da Saúde: Ciência e Tecnologia para a Formação Cidadã de Jovens em Territórios Urbanos Vulneráveis Marcelo Firpo de Souza PortoENSP – Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana Manguinhos - diagnóstico histórico-urbano- sanitário. Subsídios para políticas públicas sustentáveis em saúde Renato da Gama-Rosa CostaCOC – Deptº de Patrimônio Histórico

7 CódNome do ProjetoCoordenadorUnidade PCL 01 Estudo aberto randomisado para avaliação de segurança e eficácia da azitromicina em comprimidos para tratamento de leishmaniose cutânea comparado ao tratamento convencional com antimimoniato de N- metil-glucamina Ana RabelloCPqRR PCL 02 Efeito do tratamento com selênio na progressão da cardiopatia na doença de Chagas: ensaio clínico em pacientes crônicos Tânia Cremonini de Araújo Jorge IOC PCL 03 Estudo da eficácia, anti-retroviral, tolerância e outras interações medicamentosas do análogo não- nucleosídeo e Favirenz associado à Rifampicina no tratamento de pacientes com AIDS e tuberculose Valéria Rolla IPEC PCL 04 Avaliação da eficácia do Kit EIE-Recombinate-Chagas- Bio-Manguinhos em doadores de sangue da Fundação HEMOPE, com teste confirmatório para Doença de Chagas. Yara GomesCPqAM PCL05 Avaliação do uso da Imunoglobulina humana em recém-nascidos com anemia hemolítica por aloimunização Rh (D): ensaio clínico randomizado e análise de impacto econômico Maria Elisabeth Lopes Moreira IFF PCL06 Avaliação de tecnologias de triagem e diagnóstico de fibrose cística (FC) para o Sistema Único de Saúde (SUS) Maria Virginia DutraIFF PCL07 Validação de protocolos clínicos para evidenciar marcadores prognósticos para a rede de assistência ao paciente pediátrico critico Zina MariaIFF PCL09 Fortalecimento da infra-estrutura da Fiocruz para o desenho, execução e avaliação de pesquisas clínicas Margareth PortelaENSP

8 ProjetoCoordenadorUnidade Promoção da saúde nas Instituições de Saúde da Rede Pública de São Gonçalo/RJ e Duque de Caxias/RJ: Sensibilizações sobre resiliência como enfrentamento da violência na infância e adolescência. Simone Gonçalves de Assis ENSP/ CLAVES Estratégias educativas e inovações tecnológicas desenvolvidas com profissionais do Programa Saúde da Família do Município de Petrópolis/RJ: uma experiência de qualificação para identificação e avaliação dos efeitos dos agrotóxicos na saúde. Rosane Curi de Souza ENSP Material didático para os Docentes do Curso Técnico de ACS: Melhoria da qualidade na atenção básica. Maria Valéria Morosini EPSJV Desenvolvimento e enraizamento das perspectivas da integralidade, da humanização e do direito no contexto da atenção ao planejamento familiar: desafios conceituais e práticos colocados aos profissionais de saúde e aos gestores do SUS. Claudia Bonan Jannotti IFF Estudos populacionais e controle de vetores do dengueLeda Narcisa RegisCPqAM

9 As áreas de atuação são definidas a partir de documentos norteadores, da Política Nacional de Saúde, Atenção Básica, Atenção à Saúde e Tecnologia e Inovação em Saúde, do PPA do Governo Federal, Agenda Nacional de Prioridades de Pesquisa, Conferência Latino-Americana de Pesquisa e Inovação para a Saúde e Diagnóstico de Situação de Saúde no Brasil -2007, Plano Quadrienal da Fiocruz, entre outros. Conselho Consultivo: Composto por gestores e pesquisadores da Fiocruz, também representantes de associações e sociedades científicas e civis, outras representações do Ministério da Saúde. Atribuições: 1) identificação das demandas e oportunidades de atuação da Fiocruz e possíveis parceiros, colaboradores, fontes de financiamento de outras instituições a partir das necessidades estabelecidas; 2) identificação das formas de apoio do PDTSP aos projetos e redes; 3) acompanhamento, monitoramento e avaliação.

10 Forma de organização das Redes Convite a participação vs. edital competitivo Processos coletivos de gestão, planejamento, financiamento, execução, monitoramento, avaliação e publicação Avaliações contínuas vs. anuais Coordenação das Redes por grupo gestor

11 Compor uma carteira de projetos de pesquisa clínica. Deve ter caráter indutor a partir das eleições de prioridades do Conselho Consultivo do PDTSP, sendo pelo mesmo Conselho avaliadas as demandas de pesquisadores ou outras origens; Conceder suporte financeiro inicial ou parcial, para a condução dos projetos e avaliar/buscar parcerias e fontes de co-financiamento; Oferecer estrutura de apoio a projetos de pesquisa clínica, incluindo os ensaios clínicos; Um Comitê gestor tem a função de acompanhar, monitorar e avaliar os projetos e a Rede; Perspectiva de crescimento em curto/médio prazo.

12 Grupo Técnico: grupo de profissionais com expertise em coordenação de pesquisa clínica, incluindo ensaios clínicos, será responsável por atividades de suporte à pesquisa como coordenação e monitorias dos estudos, elaboração de protocolos, bases de dados e procedimentos operacionais, acompanhamento de projetos, treinamentos de equipes, estruturação de centros e interpretação de resultados, assessoria jurídica e assessoria de comunicação; Atividade em formato de consórcio, com participação de profissionais das várias Unidades, desenvolvendo atividades relacionadas às suas competências, no atendimento ao conjunto de demandas de todos os projetos; Plataforma do PDTSP, mas não restrita aos projetos financiados pelo PDTSP.

13 Justificativas para a criação da Rede TEIAS : O projeto TEIAS-Escola Manguinhos já foi submetido a avaliações de relevância e pertinência, vem de parceria com gestores e tem co-financiamento, aspectos que atendem ao novo modelo PDTSP. Fatores favoráveis: Fortalecimento do componente de pesquisa e inovação, acompanhando os componentes de promoção e atenção à saúde e os componentes sociais; Possibilidade de inclusão de outros territórios; Adequação ao modelo de gestão PDTSP: objetivos, organização e orçamento serão avaliados na primeira reunião do Conselho Consultivo

14 RedeMetaOrçamento Recursos Humanos bolsas PVBolsas Tec-Tec Pesquisa Clínica Implantação da plataforma Formação de monitores Cursos de Boas Práticas Clínicas Continuidade e finalização dos projetos em andamento Inclusão de cinco novos projetos , Cidades Saudáveis Evento de encerramento dos projetos Edição de livro com os produtos ,00-- TEIAS Implantação ,0004 Nova Rede Implantação ,0004 Transferência Tecnológica) Uma roda de negociação para cada projeto – cinco projetos (reuniões com gestores) ,00-- Gerência Gerência de projetos Reuniões, oficinas, insumos ,0001 Total ,

15


Carregar ppt "PDTSP – VPPLR/VPAAS, ENSP 9 de fevereiro, 2010 Salão Internacional da ENSP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google