A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ações Estratégicas na Atenção Básica Jorge Harada – COSEMS-SP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ações Estratégicas na Atenção Básica Jorge Harada – COSEMS-SP."— Transcrição da apresentação:

1 Ações Estratégicas na Atenção Básica Jorge Harada – COSEMS-SP

2 Voltando no tempo.... Estado autoritário, controlador, centralizador Sistema de Saúde Fragmentado Restrição de acesso Sem participação da sociedade nas políticas públicas

3 SUS Conquista da sociedade Movimento social que avança apesar do contexto neoliberal e de globalização econômica em nível mundial

4 NOB 91 NOAS 01 NOB 96NOB 93 NOAS 02 PACTO pela SAÚDE

5 Pacto pela Vida – Agenda comum Saúde do idoso Mortalidade materna e infantil Câncer de colo de útero e de mama Fortalecer capacidade de respostas às doenças emergentes e endemias - dengue, hanseníase, tuberculose, influenza e malária Fortalecimento da Atenção Básica Promoção da saúde

6 Saúde Mental Saúde do Trabalhador Saúde da pessoa com deficiência Atenção integral a pessoas em situação de violência Saúde do adulto (incrementados na agenda de 2008) Pacto pela Vida – Agenda comum

7 SUS Princípios: Universalidade Integralidade Eqüidade

8 Eqüidade Igualdade

9 Integralidade Atenção Básica Média Complexidade Alta Complexidade Redes de atenção à saúde

10 Mínimo x Básico Conotação de menor de menos Beira a desproteção social Pressupõe supressão ou cortes de atendimento Fundamental, principal, primordial, essencial Pré-requisito para o exercício da cidadania Requer investimentos sociais de qualidade

11 Atenção Básica e PSF Estratégia consolidada no país ESF é uma estratégia da Atenção Básica. Necessidade de aperfeiçoar e implementar o modelo

12 Atenção à Saúde na AB Resolutivo Integralidade do cuidado Acolhimento Humanização Vínculo trabalhador-paciente Adscrição Populacional Territorialização

13 Respeito às realidades locais – critérios para o desenho dos territórios Contexto sócio-econômico e cultural Território vivo Fatores de risco e de proteção Vulnerabilidades Dados epidemiológicos Distribuição de equipamentos de saúde Protagonistas no processo

14 Integralidade Recuperação Proteção Promoção Saúde

15 Promoção da saúde Não é de responsabilidade exclusiva do setor de saúde, sendo necessária uma atuação intersetorial e interdisciplinar.

16 Integralidade Linhas de Cuidado Protocolo Clínico e de Regulação Apoio Matricial Clinica Ampliada Núcleos de Apoio à Saúde da Família Redes de Atenção à Saúde

17 Integralidade Dimensão Técnica Administrativa Financeira Política

18 Integralidade Do homem como ser pleno no âmbito: Físico Psíquico Social Espiritual

19 Desafios Educação em Saúde formação profissional Lógica de mercado e não das necessidades da população Educação Permanente

20 Universidade e Centros de Pesquisa Ensino, assistência, pesquisa e extensão universitária Graduação e Pós-Graduação inseridos e integrados no contexto dos serviços e da política do SUS Com as dificuldades, deficiências e limites Com a realidade e as qualidades destes serviços Necessidade de preceptoria adequada Formação de acordo com a necessidade do serviço e da população e não segundo a lógica de mercado.

21 Desafios Gestão do Trabalho Plano de Cargos, Carreira e Salários Desprecarização Mesa de Negociação Trabalhador como ser crítico, ator e autor do processo

22 Desafio Insumos Equipamentos Gestão Ciência e tecnologia

23 Ser humano cidadão Ter consciência de deveres e direitos Participar de forma ativa na sociedade Exercer controle no Estado e na sociedade Co-gestão Deve atuar em nível individual e coletivo Controle Social e Participação Social

24 Áreas de ação na atenção básica Clínica – escuta, sujeito integral/família Comunidade – grupos vulneráveis, intersetorialidade: escolas, CRAS, entre outros Macro-política – defesa e implementação do sistema, legislação, determinantes sociais da saúde Movimento de sujeitos profissionais e usuários do SUS – foco: integralidade, efetividade

25 Gestão e suas competências Gestão do Conhecimento Gestão do cuidado Gestão do Sistema

26 Desafios Intersetorialidade Interdisciplinaridade Participação social Gestão

27 Pacto em Defesa do SUS Repolitização do SUS Movimento que retoma a Reforma Sanitária Brasileira Promoção da Cidadania como estratégia de mobilização social e de um processo civilizatório Consolidação do processo democrático no país

28

29 GLOBALIZAÇÃO PARTEINDIVIDUAL ECONÔMICO X TODO X COLETIVO X HUMANO

30


Carregar ppt "Ações Estratégicas na Atenção Básica Jorge Harada – COSEMS-SP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google