A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Oração do Terço. DOUTRINA IGREJA Bem aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos Céus. Bem aventurados os que choram, porque serão consolados.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Oração do Terço. DOUTRINA IGREJA Bem aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos Céus. Bem aventurados os que choram, porque serão consolados."— Transcrição da apresentação:

1 Oração do Terço

2 DOUTRINA IGREJA Bem aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos Céus. Bem aventurados os que choram, porque serão consolados. Bem aventurados os mansos, porque herdarão a terra. Bem aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados. Bem aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.

3 Ano C- XXXII Domingo do Tempo Comum Animada pelos 4º e 5º anos da Catequese

4 Vamos entrando na casa de Deus, (2x) Vamos fazer a festa com Jesus. (2x) Vinde, amigos, vinde, Vinde à casa de Deus. (2x)

5 Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Ámen! A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a Comunhão do Espírito Santo estejam convosco. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo. Irmãos, para celebrar dignamente os Santos Mistérios reconheçamos que somos pecadores (momento de silêncio)

6 Confessemos os nossos pecados: Confesso a Deus Todo-Poderoso e a vós, irmãos, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, actos e omissões, (batendo no peito) por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos Anjos e Santos, e a vós, irmãos, que rogueis por mim a Deus, Nosso Senhor. Deus Todo-Poderoso tenha compaixão de nós perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Ámen!

7 Senhor, tende piedade de nós. Cristo, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós.

8 Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens por Ele amados. Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória.

9 Senhor Jesus Cristo, Filho Unigénito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai: Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós; Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica; Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. Só Vós sois o Santo;

10 só Vós, o Senhor; só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo; com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Ámen

11 ORAÇÃO COLECTA Deus eterno e misericordioso, afastai de nós toda a adversidade, para que, sem obstáculos do corpo ou do espírito, possamos livremente cumprir a vossa vontade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amem.

12 2 Mac 7, 1-2.9-14 «O Rei do universo ressuscitar-nos-á para a vida eterna»

13 LEITURA I 2 Mac 7, 1-2.9-14 Leitura do Segundo Livro dos Macabeus Naqueles dias, foram presos sete irmãos, juntamente com a mãe, e o rei da Síria quis obrigá-los, à força de golpes de azorrague e de nervos de boi, a comer carne de porco proibida pela Lei judaica.

14 LEITURA I 2 Mac 7, 1-2.9-14 Um deles tomou a palavra em nome de todos e falou assim ao rei: «Que pretendes perguntar e saber de nós? Estamos prontos para morrer, antes que violar a lei de nossos pais». Prestes a soltar o último suspiro, o segundo irmão disse: «Tu, malvado, pretendes arrancar-nos a vida presente, mas o Rei do universo ressuscitar-nos-á para a vida eterna, se morrermos fiéis às suas leis».

15 LEITURA I 2 Mac 7, 1-2.9-14 Depois deste começaram a torturar o terceiro. Intimado a pôr fora a língua, apresentou-a sem demora e estendeu as mãos resolutamente, dizendo com nobre coragem: «Do Céu recebi estes membros e é por causa das suas leis que os desprezo, pois do Céu espero recebê-los de novo». O próprio rei e quantos o acompanhavam estavam admirados com a força de ânimo do jovem,

16 LEITURA I 2 Mac 7, 1-2.9-14 que não fazia nenhum caso das torturas. Depois de executado este último, sujeitaram o quarto ao mesmo suplício. Quando estava para morrer, falou assim: «Vale a pena morrermos às mãos dos homens, quando temos a esperança em Deus de que Ele nos ressuscitará; mas tu, ó rei, não ressuscitarás para a vida». Palavra do Senhor. Graças a Deus

17

18 Refrão: Salmo 16 (17), 1.5-6.8b.15 (R. cf. 15b) Refrão: Senhor, ficarei saciado, quando surgir a vossa glória, Senhor ficarei saciado.

19 2 Tes 2, 16 – 3, 5 «O Senhor vos torne firmes em toda a espécie de boas obras e palavras»

20 LEITURA II 2 Tes 2, 16 – 3, 5 Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo aos Tessalonicenses Irmãos: Jesus Cristo, nosso Senhor, e Deus, nosso Pai, que nos amou e nos deu, pela sua graça, eterna consolação e feliz esperança, confortem os vossos corações e os tornem firmes em toda a espécie de boas obras e palavras.

21 LEITURA II 2 Tes 2, 16 – 3, 5 Entretanto, irmãos, orai por nós, para que a palavra do Senhor se propague rapidamente e seja glorificada, como acontece no meio de vós. Orai também, para que sejamos livres dos homens perversos e maus, pois nem todos têm fé. Mas o Senhor é fiel: Ele vos dará firmeza e vos guardará do Maligno.

22 LEITURA II 2 Tes 2, 16 – 3, 5 Quanto a vós, confiamos inteiramente no Senhor que cumpris e cumprireis o que vos mandamos. O Senhor dirija os vossos corações, para que amem a Deus e aguardem a Cristo com perseverança. Palavra do Senhor. Graças a Deus

23 AclamaçãoAleluia. Jesus Cristo é o Primogénito dos mortos. A Ele a glória e o poder pelos séculos dos séculos.

24 Lc 20, 27-38 «Não é um Deus de mortos, mas de vivos»

25 EVANGELHO Lc 20, 27-38 O Senhor esteja convosco, Ele está no meio de Nós. Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo segundo S. Lucas Gloria a Vós, Senhor!

26 EVANGELHO Lc 20, 27-38 Naquele tempo, aproximaram-se de Jesus alguns saduceus – que negam a ressurreição – e fizeram-lhe a seguinte pergunta: «Mestre, Moisés deixou-nos escrito: Se morrer a alguém um irmão, que deixe mulher, mas sem filhos, esse homem deve casar com a viúva, para dar descendência a seu irmão. Ora havia sete irmãos. O primeiro casou-se e morreu sem filhos.

27 EVANGELHO Lc 20, 27-38 O segundo e depois o terceiro desposaram a viúva; e o mesmo sucedeu aos sete, que morreram e não deixaram filhos. Por fim, morreu também a mulher. De qual destes será ela esposa na ressurreição, uma vez que os sete a tiveram por mulher?». Disse- lhes Jesus: Os filhos deste mundo casam- se e dão-se em casamento. Mas aqueles que forem dignos de tomar parte na vida futura e na ressurreição dos mortos,

28 EVANGELHO Lc 20, 27-38 nem se casam nem se dão em casamento. Na verdade, já não podem morrer, pois são como os Anjos, e, porque nasceram da ressurreição, são filhos de Deus. E que os mortos ressuscitam, até Moisés o deu a entender no episódio da sarça ardente, quando chama ao Senhor o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacob.

29 EVANGELHO Lc 20, 27-38 Não é um Deus de mortos, mas de vivos, porque para Ele todos estão vivos». Palavra da salvação. Gloria a Vós, Senhor.

30

31 Nos tempos mais antigos os Israelitas não acreditavam numa outra vida. Lemos no livro de Jób: O homem é como uma flor que desabrocha e murcha, uma sombra que foge sem parar... Para a árvore há uma esperança: cortada, pode ainda reverdecer e deitar novos rebentos...Mas o homem ao morrer, acaba. (Jó. 14;2,7e10) No seculo 2 AC nasceu o tema e a crença na ressurreição dos mortos.

32 O segundo livro de Macabeus descreve que um peditório foi enviado ao templo de Jerusalém como acto de expiação pelos mortos. No tempo de Jesus, não existia consenso relativamente à ressurreição dos mortos entre fariseus e saduceus. Os fariseus acreditavam na existência dos anjos e na vida após a morte, mas os saduceus não.

33 Os saduceus colocaram a Jesus a pergunta acerca da condição do matrimónio no céu. A dúvida dos saduceus rege-se pelo falso pressuposto de que a vida futura é continuação desta vida. Não faria sentido que nos fizesse morrer para depois nos restituir o mesmo corpo, a mesma vida. No céu, a relação entre marido e mulher não continua, já que o propósito pelo qual o matrimónio foi instituído deixa de existir-

34 o nascimento de novas vidas. Como o feto no ventre da mãe não pode imaginar o mundo que a espera, assim a pessoa não pode imaginar como será a vida com Deus. É um mistério que não foi revelado, não porque o Senhor queira aumentar o suspense e a surpresa, mas simplesmente porque a nossa mente não o pode entender.

35 No episódio da sarça-ardente, Yahweh diz a Moisés, Eu Sou o Deus de Abraão, de Isaac e de Jacob. Ao citar os nomes dos que morreram seis séculos antes, Yahweh revela que, os patriarcas permanecem para sempre junto dEle, ao garantir-lhes a ressurreição e a vida eterna. No Novo Testamento, a ideia da ressurreição torna-se mais clara. Jesus fala-nos do juízo final.

36 Toda a teologia cristã está assente na crença da ressurreição dos mortos e na recompensa ou no castigo eterno. Precisamente, a profissão de fé da Santa Igreja termina com a declaração da nossa fé na ressurreição dos mortos. A mãe natureza ensina-nos que a morte é para um outro nascimento. Uma semente que se lança na terra morre, mas nasce uma planta. O ovo, para um comodista, é para comer,

37 mas para uma realista é um pato em potência. A morte é a passagem duma porta. Quando estamos aqui, dentro da igreja, vemos poucas coisas. Mas quando passamos a porta para fora há muitas coisas para ver. A ressurreição de Cristo oferece o facto que não há duas vidas- a presente e a futura- mas uma única que continua de duas formas diferentes. Não podemos imaginar como será a vida com Deus, mas a fé dá-nos a certeza de que,

38 depois da morte, o homem continua a viver como anjos. Um bom cristão organiza a sua vida tendo em vista a vida eterna. Rezamos a nossa Mãe pedindo rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte Assim Seja!

39 «Não é um Deus de mortos, mas de vivos»

40

41 Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra De todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigénito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; Gerado, não criado, consubstancial ao Pai. Por Ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação

42 desceu dos céus (Faz-se inclinação) E encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria. e Se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras; e subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai.

43 De novo há-de vir em sua glória, para julgar os vivos e os mortos; e o seu reino não terá fim. Creio no Espírito Santo. Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele que falou pelos Profetas.

44 Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica. Professo um só batismo Para remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos, e vida do mundo que há-de vir. Ámen.

45

46 Irmãs e irmãos em Cristo: Apresentemos a Deus as nossas súplicas por nós próprios e pela Igreja e em favor de todos os homens, dizendo com humildade: Ouvi-nos, Senhor. Pela nossa Diocese e suas comunidades, pelos fiéis que creem na ressurreição e pelos que têm plena confiança no Senhor, oremos, irmãos. Ouvi-nos, Senhor.

47 Pelos que trabalham pela concórdia entre as nações, pelos que sofrem por amor da lei de Deus e pelos que não têm liberdade religiosa, oremos, irmãos. Ouvi-nos, Senhor. Pelas vítimas da violência e da guerra, pelos que sentem a solidão e a tristeza e pelos que creem na fidelidade do Senhor, oremos, irmãos. Ouvi-nos, Senhor.

48 Pelos esposos que se amam um ao outro, pelos que deixaram morrer o seu amor e pelos jovens que escolheram o celibato, oremos, irmãos. Ouvi-nos, Senhor. Pelos que entre nós sabem aceitar os outros, pelos que cumprem os mandamentos do Senhor e pelos que amam a Cristo nos mais pobres, oremos, irmãos. Ouvi-nos, Senhor. (Outras intenções: factos relevantes da vida paroquial; defuntos das nossas famílias...).

49 Senhor, que inspirastes aos sete irmãos Macabeus uma tão grande fé na vida eterna, concedei aos fiéis da santa Igreja a graça de testemunharem, neste mundo, a ressurreição de vosso Filho Jesus Cristo. Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Ámen.

50

51 Um girassol florido no jardim Buscando a luz do sol sorriu para mim Eu também sou um pequeno girassol Procuro a luz de Deus e sou feliz assim Tenho mil sementes de amor pra te dar Tenho mil sementes de ternura… Tenho mil sementes de carinho…

52 Orai, Irmãos para que o meu e vosso sacrifício seja aceite por Deus Pai todo-poderoso. Todos: receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para honra e glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja

53 (Todos de pé) ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS Olhai, Senhor, com benevolência para o sacrifício que Vos apresentamos, a fim de participarmos com sincera piedade no memorial da paixão do vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amen.

54 Prefácio V. O Senhor esteja convosco. R. Ele está no meio de nós. V. Corações ao alto. R. O nosso coração está em Deus. V. Dêmos graças ao Senhor nosso Deus. R. É nosso dever, é nossa salvação.

55 Senhor, Pai santo, Deus eterno e omnipotente, é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação dar-Vos graças, sempre e em toda a parte, por Cristo nosso Senhor. Compadecido dos errados caminhos dos homens, dignou-Se nascer da Virgem Maria; com a sua morte na cruz, livrou- nos da morte eterna; com a sua ressurreição, deu-nos a vida imortal.

56 Por isso, com os Anjos e os Arcanjos e todos os coros celestes, proclamamos a vossa glória, cantando numa só voz.

57

58 Sac. Vós, Senhor, sois verdadeiramente santo, sois a fonte de toda a santidade. Reunidos na vossa presença, em comunhão com toda a igreja, ao celebrarmos o dia santíssimo em que o Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho Unigénito, colocou à direita da vossa glória a nossa frágil natureza humana unida á sua divindade, humildemente vos suplicamos: Santificai estes dons, derramando sobre eles o Vosso Espírito, de modo a que se convertam para nós, no Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.

59 (Todos ajoelham) Na hora em que Ele se entregava, para voluntariamente sofrer a morte, tomou o pão e, dando graças, partiu-o e deu-o aos seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu Corpo que será entregue por vós.

60 De igual modo, no fim da Ceia, tomou o cálice e, dando graças, deu-o aos seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu Sangue o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos, para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de mim.

61 Mistério da Fé! Anunciamos, Senhor, a vossa morte, proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

62 Sac. Celebrando agora, Senhor, o memorial da morte e ressurreição de vosso Filho nós Vos oferecemos o pão da vida e o cálice da salvação e Vos damos graças porque nos admitistes à vossa presença para Vos servir nestes santos mistérios. Humildemente Vos suplicamos que, participando no Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos, pelo Espírito Santo, num só corpo.

63 Lembrai-Vos, Senhor, da vossa Igreja, dispersa por toda a terra, e tornai-a perfeita na caridade em comunhão com o Papa Francisco, e o nosso Patriarca D. Manuel Clemente, os bispos auxiliares e todos aqueles que estão ao serviço do vosso povo. Lembrai-Vos também dos nossos irmãos que adormeceram na esperança da ressurreição, e de todos aqueles que na vossa misericórdia partiram deste mundo:

64 admiti-os na luz da vossa presença. Tende misericórdia de nós, Senhor, e dai- nos a graça de participar na vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, São José seu esposo, os bem-aventurados Apóstolos e todos os Santos que desde o princípio do mundo viveram na vossa amizade, para cantarmos os vossos louvores, por Jesus Cristo, vosso Filho.

65 Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória agora e para sempre… Ámen.

66

67 Pai Nosso, que estais nos céus, santificado seja o Vosso nome. Venha a nós o Vosso Reino. Seja feita a Vossa vontade, assim na Terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje. Perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal.

68 Sac. Livrai-nos de todo o mal, Senhor, e dai ao mundo a paz em nossos dias, para que, ajudados pela vossa misericórdia, sejamos sempre livres do pecado e de toda a perturbação, enquanto esperamos a vinda gloriosa de Jesus Cristo nosso Salvador. Vosso é o reino e o poder e a glória para sempre.

69 Sac. Senhor Jesus Cristo, que dissestes aos vossos Apóstolos. Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz: não olheis aos nossos pecados mas à Fé da vossa Igreja e dai-lhe a união e a paz, segundo a Vossa vontade. Vós que sois Deus com o Pai na unidade do Espírito Santo. Amem. A paz do Senhor esteja sempre convosco. O amor de Cristo nos uniu. Sac. Saudai-vos na paz de Cristo.

70

71 CORDEIRO DE DEUS, QUE TIRAIS O PECADO DO MUNDO. TENDE PIEDADE DE NÓS, CORDEIRO DE DEUS, QUE TIRAIS O PECADO DO MUNDO. TENDE PIEDADE DE NÓS, CORDEIRO DE DEUS, QUE TIRAIS O PECADO DO MUNDO. DAI-NOS A PAZ,

72 Sac. Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo. Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo

73

74 Uma sementinha de trigo caiu ao chão e brotou Caiu ao chão e brotou! Foi crescendo, foi crescendo e Em pão da vida se tornou. Vou comer deste Pão para ser feliz e amar o irmão! Este Pão, é Jesus, que vou receber nesta comunhão! É Jesus, meu amigo e meu companheiro: está sempre comigo!

75

76 Tu és o sol do novo amanhecer. Tu és farol da vida renascer. Maria, Maria, és poema de amor, és minha Mãe e Mãe do meu Senhor! Hoje quero acordar e te ver junto a mim, quero hoje cantar poemas de amor sem fim. Com a luz do teu olhar vou semear a esperança, pelo tempo vou voar, sentir que sou criança. Teu carinho e ternura abraçam todo mundo, teu sorriso de candura, certeza de amor profundo.

77 Tu és o sol do novo amanhecer. Tu és farol da vida renascer. Maria, Maria, és poema de amor, és minha Mãe e Mãe do meu Senhor! Hoje quero acordar e te ver junto a mim, quero hoje cantar poemas de amor sem fim. Teu carinho e ternura abraçam todo mundo, teu sorriso de candura, certeza de amor profundo.

78 Oração depois da comunhão Nós Vos damos graças, Senhor, pelo alimento celeste que recebemos e imploramos da vossa misericórdia que, pela acção do Espírito Santo, perseverem na vossa graça os que receberam a força do alto. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amem.

79

80 Sac. O Senhor esteja convosco. Ele está no meio de nós. Sac. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo. Ámen. Sac. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

81 Guiado pela mão com Jesus eu vou e sigo como ovelha que encontrou pastor. Guiado pela mão com Jesus eu vou, aonde ele vai. (bis) Se Jesus me diz: amigo, deixa tudo e vem comigo. Como posso resistir ao seu amor? Se Jesus me diz: amigo, deixa tudo e vem comigo. Minha mão porei na sua e irei com Ele

82 Alexandra Filipa

83

84 Ficha técnica : Eucaristia Celebrada por : Fr. Jacob Puthiyaparampil Animada por : Grupo Jovens Seguindo os teus Passos 4 º e 5 º Ano da Catequese Projeção por : Joshua Oliveira Realização : A. Alberto Sousa Imagens recolhidas : Via Google Projeção disponível : www. mcccastanheira. blogspot. pt www. mcccastanheira


Carregar ppt "Oração do Terço. DOUTRINA IGREJA Bem aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos Céus. Bem aventurados os que choram, porque serão consolados."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google