A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Patrícia Ruiz Spyere Disciplina de Endodontia. Cohen; Burns A Endodontia é o campo da Odontologia que estuda a morfologia da cavidade pulpar, a fisiologia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Patrícia Ruiz Spyere Disciplina de Endodontia. Cohen; Burns A Endodontia é o campo da Odontologia que estuda a morfologia da cavidade pulpar, a fisiologia."— Transcrição da apresentação:

1 Patrícia Ruiz Spyere Disciplina de Endodontia

2 Cohen; Burns A Endodontia é o campo da Odontologia que estuda a morfologia da cavidade pulpar, a fisiologia e a patologia da polpa dental, bem como a prevenção e o tratamento das alterações pulpares e de suas repercussões sobre os tecidos periapicais Soares, Goldberg, 2002 Endodontia Patrícia Ruiz Spyere

3 Tratamento Conservador Tratamento Radical Terapia Endodôntica Patrícia Ruiz Spyere

4 Tratamento Conservador Proteção pulpar Pulpotomia Proteção pulpar Pulpotomia Terapia Endodôntica Patrícia Ruiz Spyere

5 Proteção pulpar Terapia Endodôntica Patrícia Ruiz Spyere Indireta Tratamento Conservador Procedimentos res- tauradores Procedimentos res- tauradores

6 Tratamento Conservador Proteção pulpar Terapia Endodôntica Patrícia Ruiz Spyere Direta Indireta Exposições peque- nas e acidentais Ausência de contaminação Paciente jovem Exposições peque- nas e acidentais Ausência de contaminação Paciente jovem Procedimentos res- tauradores Procedimentos res- tauradores

7 Tratamento Conservador Terapia Endodôntica Patrícia Ruiz Spyere Proteção pulpar Pulpotomia Proteção pulpar Pulpotomia Proteção pulpar

8 Tratamento Conservador Terapia Endodôntica Patrícia Ruiz Spyere Proteção pulpar Pulpotomia Proteção pulpar Pulpotomia Remoção da polpa coronária Remoção da polpa coronária

9 Tratamento Conservador Terapia Endodôntica Patrícia Ruiz Spyere Proteção pulpar Pulpotomia Proteção pulpar Pulpotomia Remoção da polpa coronária Remoção da polpa coronária Não é tratamento definitivo Não é tratamento definitivo

10 Tratamento Conservador Terapia Endodôntica Patrícia Ruiz Spyere Proteção pulpar Pulpotomia Proteção pulpar Pulpotomia Remoção da polpa coroná- ria Remoção da polpa coroná- ria Não é tratamento defini- tivo Urgências Não é tratamento defini- tivo Urgências

11 Tratamento Conservador Terapia Endodôntica Patrícia Ruiz Spyere Proteção pulpar Pulpotomia Proteção pulpar Pulpotomia Remoção da polpa coroná- ria Remoção da polpa coroná- ria Não é tratamento defini- tivo Urgências Não é tratamento defini- tivo Urgências Apicogênese

12 Tratamento Conservador Terapia Endodôntica Patrícia Ruiz Spyere Proteção pulpar Pulpotomia Proteção pulpar Pulpotomia Remoção da polpa coroná- ria Remoção da polpa coroná- ria Não é tratamento defini- tivo Urgências Não é tratamento defini- tivo Urgências Apicogênese Manutenção da polpa radicular para permitir a completa formação radicular Manutenção da polpa radicular para permitir a completa formação radicular

13 Tratamento Conservador Tratamento Radical Terapia Endodôntica Patrícia Ruiz Spyere Proteção pulpar Pulpotomia Proteção pulpar Pulpotomia Biopulpectomia Desinfecção do conteúdo necrótico Biopulpectomia Desinfecção do conteúdo necrótico

14 E N D O D O N T I A DIAGNÓSTICO ABERTURA CORONÁRIA PREPARO BIOMECÂNICO FASE DE DESINFECÇÃO OBTURAÇÃO PROSERVAÇÃO SUCESSO Patrícia Ruiz Spyere

15 HISTOFISIOLOGIA PULPAR HISTOFISIOLOGIA PULPAR Patrícia Ruiz Spyere

16 Polpa Dental Polpa coronária Polpa radicular Forame apical Corno pulpar CARVALHO; FIGUEIREDO, 1999 Patrícia Ruiz Spyere

17 Complexo Dentina-Polpa Polpa dental Patrícia Ruiz Spyere

18 Polpa Dental Origem Patrícia Ruiz Spyere

19 SOUZA, 2001 Mesenquimal Papila dentária Polpa dental - Origem SOUZA, 2001 Patrícia Ruiz Spyere

20 Polpa Dental Componentes Patrícia Ruiz Spyere

21 Polpa dental - Componentes Células Matriz extracelular Fibras Vasos sanguíneos Vasos linfáticos Nervos Células Matriz extracelular Fibras Vasos sanguíneos Vasos linfáticos Nervos CAWSON et al., 1997 BARBOSA, 1999 Patrícia Ruiz Spyere

22 Células colunares dispostas em paliçada, localizadas na periferia Células colunares dispostas em paliçada, localizadas na periferia ODONTOBLASTOS Polpa dental – Componentes celulares Componentes celulares SOUZA, 2001 Patrícia Ruiz Spyere

23 ODONTOBLASTOS Polpa dental – Componentes celulares Forma e arranjo variam de acordo com a localização – atividade metabólica - Coronária e cervical: cilíndricas altas - Médio: cilíndricas baixas - Apical: cúbicas Forma e arranjo variam de acordo com a localização – atividade metabólica - Coronária e cervical: cilíndricas altas - Médio: cilíndricas baixas - Apical: cúbicas CARVALHO; FIGUEIREDO, 1999 Patrícia Ruiz Spyere

24 ODONTOBLASTOS Polpa dental – Componentes celulares Constituição: Corpo celular Prolongamentos celulares (fibrilas de Tomes) - 0,5 – 1,0 mm ( BYERS; SAGAYA, 1995 ) Constituição: Corpo celular Prolongamentos celulares (fibrilas de Tomes) - 0,5 – 1,0 mm ( BYERS; SAGAYA, 1995 ) OLGART; BERGENHOLTZ, 2006 Patrícia Ruiz Spyere

25 ODONTOBLASTOS Polpa dental – Componentes celulares Altamente diferenciados, especializados na produção de dentina dentina primária, secundária e terciária Estímulos fisiológicos Estímulos moderados: cárie incipiente de esmalte, cárie de progressão lenta, preparos cavitários rasos Altamente diferenciados, especializados na produção de dentina dentina primária, secundária e terciária Estímulos fisiológicos Estímulos moderados: cárie incipiente de esmalte, cárie de progressão lenta, preparos cavitários rasos BJ ØRNDAL; DARVANN 1999 Patrícia Ruiz Spyere

26 Células predominantes na polpa Células fusiformes ou estreladas, prolongamentos Grande quantidade de organelas Células predominantes na polpa Células fusiformes ou estreladas, prolongamentos Grande quantidade de organelas Síntese e secreção de componentes da matriz extracelular e fibras Envelhecimento - fibrócito Síntese e secreção de componentes da matriz extracelular e fibras Envelhecimento - fibrócito FIBROBLASTOS Polpa dental – Componentes celulares MOLERI; MOREIRA; RABELLO, 2004 Patrícia Ruiz Spyere

27 SOUZA, 2001 ODONTOBLASTOS FIBROBLASTOS Polpa dental – Componentes celulares Patrícia Ruiz Spyere

28 Semelhantes aos fibroblastos Células de reserva Capacidade de diferenciação em odontoblastos, fibroblastos Localizadas ao redor dos vasos sanguíneos Diminuem com a idade Semelhantes aos fibroblastos Células de reserva Capacidade de diferenciação em odontoblastos, fibroblastos Localizadas ao redor dos vasos sanguíneos Diminuem com a idade CÉLULAS MESENQUIMAIS INDIFERENCIADAS Polpa dental – Componentes celulares MOLERI; MOREIRA; RABELLO, 2004 Patrícia Ruiz Spyere

29 Linfócitos T, Macrófagos, Células dendríticas (Células apresentadoras de antígenos - APCs) CÉLULAS DO SISTEMA IMUNE Polpa dental – Componentes celulares JONTEL et al., 1998 Patrícia Ruiz Spyere

30 Meio de transporte para nutrição Proteoglicanas e água Feixes de fibras, fibras nervosas, vasos sanguíneos e elementos celulares Meio de transporte para nutrição Proteoglicanas e água Feixes de fibras, fibras nervosas, vasos sanguíneos e elementos celulares MATRIZ EXTRACELULAR Polpa dental - Componentes Componentes extracelulares MOLERI; MOREIRA; RABELLO, 2004 Patrícia Ruiz Spyere

31 Fibras colágenas: arcabouço do tecido pulpar - Colágeno tipo I (60%) - Maior concentração próximo ao ápice, dispostas paralelamente - Pequena quantidade em polpas jovens - Resposta pulpar inversamente relacionada com sua presença Fibras reticulares (von Korff): em torno dos vasos - Colágeno tipo III Fibras elásticas: paredes dos vasos - Escassas Fibras colágenas: arcabouço do tecido pulpar - Colágeno tipo I (60%) - Maior concentração próximo ao ápice, dispostas paralelamente - Pequena quantidade em polpas jovens - Resposta pulpar inversamente relacionada com sua presença Fibras reticulares (von Korff): em torno dos vasos - Colágeno tipo III Fibras elásticas: paredes dos vasos - Escassas TRAMA FIBRILAR Polpa dental – Componentes extracelulares MOLERI; MOREIRA; RABELLO, 2004 Patrícia Ruiz Spyere

32 Ricamente vascularizada Sistema microcirculatório - Arteríolas, capilares, vênulas Ricamente vascularizada Sistema microcirculatório - Arteríolas, capilares, vênulas VASCULARIZAÇÃO Polpa dental – Componentes extracelulares PÉCORA Patrícia Ruiz Spyere

33 Tipo terminal - anastomoses VASCULARIZAÇÃO Polpa dental – Componentes extracelulares Fluxo sanguíneo na polpa coronária é quase o dobro da região radicular Vasos linfáticos – drenagem e direcionamento das APCs até os linfonodos regionais Fluxo sanguíneo na polpa coronária é quase o dobro da região radicular Vasos linfáticos – drenagem e direcionamento das APCs até os linfonodos regionais OLGART, BERGENHOLTZ, 2006 Patrícia Ruiz Spyere

34 INERVAÇÃO Polpa dental – Componentes extracelulares Corpos celulares no gânglio trigeminal Terminações nervosas livres (nociceptores) Corpos celulares no gânglio trigeminal Terminações nervosas livres (nociceptores) Patrícia Ruiz Spyere

35 INERVAÇÃO Polpa dental – Componentes extracelulares NÄRHI, 2006 Maioria das terminações está situada na interface dentina-polpa da polpa coronária Maioria das terminações está situada na interface dentina-polpa da polpa coronária SOUZA, 2001 Patrícia Ruiz Spyere

36 INERVAÇÃO Polpa dental – Componentes extracelulares Patrícia Ruiz Spyere

37 INERVAÇÃO Fibras mielínicas (tipo A) Localização periférica Raschkow Algumas penetram nos túbulos dentinários ( µm) Polpa dental – Componentes extracelulares OLGART; BERGENHOLTZ, 2006 Patrícia Ruiz Spyere

38 INERVAÇÃO Fibras mielínicas (tipo A) Respondem a estímulos hidrodinâmicos aplicados na dentina Dor aguda, pulsátil, rápida Sensibilidade dentinária Ativação mecânica da fibras tipo A Teoria hidrodinâmica da dor (GYSI, 1900) Polpa dental – Componentes extracelulares OLGART; BERGENHOLTZ, 2006 Patrícia Ruiz Spyere

39 Teoria hidrodinâmica da dor Polpa dental – Componentes extracelulares NÄRHI, 2006 Estímulo na dentina Alta força capilar nos finos túbulos dentinários Fluxo hidrodinâmico do fluido dos túbulos dentinários para fora Distorção mecânica na área da junção dentino-pulpar Estimulação das fibras tipos A Dor Patrícia Ruiz Spyere

40 INERVAÇÃO Fibras amielínicas (tipo C) Localização profunda Limiar de excitação alto Estímulos mais fortes (térmicos ou mecânicos in- tensos) e mediadores inflamatórios (bradicinina e histamina) Dor difusa, mais lenta Mantêm a integridade por mais tempo Polpa dental – Componentes extracelulares NÄRHI, 2006 ; MOLERI; MOREIRA; RABELLO, 2004 Patrícia Ruiz Spyere

41 Polpa Dental Camadas Topográficas Polpa Dental Camadas Topográficas Patrícia Ruiz Spyere

42 SOUZA, 2001 Camada odontoblástica Camada subodontoblástica ou pobre em células (Weil) Camada rica em células Região central Polpa dental – Camadas Topográficas BARBOSA, 1999; MOLERI, MOREIRA, RABELLO, 2004; SOUZA, 2001 Patrícia Ruiz Spyere

43 Polpa Dental Funções Patrícia Ruiz Spyere

44 Formadora Produção de dentina Nutritiva Vascularização Líquido para as estruturas orgânicas dos tecidos mineralizados Defensiva Formação de dentina reacional ou reparadora Sensibilidade dolorosa Sistema de defesa celular Sensorial Resposta aos estímulos nocivos da dor Formadora Produção de dentina Nutritiva Vascularização Líquido para as estruturas orgânicas dos tecidos mineralizados Defensiva Formação de dentina reacional ou reparadora Sensibilidade dolorosa Sistema de defesa celular Sensorial Resposta aos estímulos nocivos da dor Polpa dental - Funções CARVALHO; FIGUEIREDO, 1999 Patrícia Ruiz Spyere

45 Polpa Dental Aspectos Fisiológicos Polpa Dental Aspectos Fisiológicos Patrícia Ruiz Spyere

46 Invasão de micro-organismos Reparo MECANISMOS DE PROTEÇÃO Intervenção profissional Condições fisiológicas Ausência de micro-organismos BARREIRAS Eliminação da infecção Dano Polpa dental Polpa dental – Aspectos Fisiológicos Patrícia Ruiz Spyere

47 Semelhantes aos demais tecidos conjuntivos, características peculiares: Confinamento entre paredes resistentes de dentina Circulação do tipo terminal Deposição contínua de dentina Túbulos dentinários – vias de comunicação Confinamento entre paredes resistentes de dentina Circulação do tipo terminal Deposição contínua de dentina Túbulos dentinários – vias de comunicação Polpa dental – Aspectos Fisiológicos CARVALHO; FIGUEIREDO, 1999 Patrícia Ruiz Spyere

48 Diminuição do volume da polpa Diminuição dos componentes celulares Aumento da trama fibrilar Degeneração de fibras nervosas Remodelação da rede vascular Calcificações Diminuição do volume da polpa Diminuição dos componentes celulares Aumento da trama fibrilar Degeneração de fibras nervosas Remodelação da rede vascular Calcificações Modificações com a idade Diminuição da capacidade de reparação Polpa dental – Aspectos Fisiológicos CARVALHO; FIGUEIREDO, 1999 Patrícia Ruiz Spyere

49 Modificações com a idade Polpa dental – Aspectos Fisiológicos CASTELLUCCI, 1996 Diminuição do volume pulpar Patrícia Ruiz Spyere

50 OLGART; BERGENHOLTZ, 2006 Remodelação da rede vascular Modificações com a idade Polpa dental – Aspectos Fisiológicos Patrícia Ruiz Spyere

51 FIBROSE CALCIFICAÇÕES ALTERAÇÕES REGRESSIVAS Polpa dental – Aspectos Fisiológicos Modificações com a idade Patrícia Ruiz Spyere

52


Carregar ppt "Patrícia Ruiz Spyere Disciplina de Endodontia. Cohen; Burns A Endodontia é o campo da Odontologia que estuda a morfologia da cavidade pulpar, a fisiologia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google