A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Reajuste salarial e Incorporação das gratificações ao salário dos professores estaduais do magistério paulista.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Reajuste salarial e Incorporação das gratificações ao salário dos professores estaduais do magistério paulista."— Transcrição da apresentação:

1 Reajuste salarial e Incorporação das gratificações ao salário dos professores estaduais do magistério paulista

2 Objetivos Trazer alguns elementos que possibilitem subsidiar a construção de uma proposta de valorização dos salários do magistério estadual paulista

3 Campanha Salarial Pautas relacionadas Luta pela Incorporação das Gratificações (Funcionários ativos e inativos) Luta por Reajuste Luta pelo Piso Nacional Luta pelo novo Plano de Cargos e Salário

4 Elementos para Análise Orçamento: PPA, LDO, LOA LRF Evolução da Receita: ICMS Evolução da despesa com Pessoal Evolução do Quadro do Magistério: Ativos e Inativos Tabela Salarial

5 Orçamento Global 2007 A Receita Corrente total do governo prevista no orçamento é de cerca de R$ 77 bi, ou 6,2% maior que a RC de A despesa prevista do Poder Executivo é de 78,6 bilhões, representando 92,5% da despesa total prevista para 2007.

6 Orçamento da Educação A Secretaria da Educação do ESP, em 2007, prevê uma dotação orçamentária fixada para o exercício de R$ 12 bi. A Folha de Pessoal da Secretaria da Educação é de R$ , o que representa 31,4% do total da Despesa com Pessoal do Poder Executivo. A despesa com pessoal prevista é apenas 3,1% maior que a de 2006, sendo que o crescimento vegetativo da folha de pessoal é de cerca de 2,4% ao ano.

7 Orçamento da Educação

8 Evolução do Orçamento da Educação

9 Comprometimento da Receita Corrente Liquida (RLC) com Despesa de Pessoal Limite Máximo (incisos I, II e III, art. 20 da LRF) - 49,00% Limite Prudencial (§ único, art. 22 da LRF) - 46,55%

10 Orçamento de 2007 Existe um espaço para aumento de gastos com pessoal- dentro do limite prudencial da LRF - de 8,36% (= 10,76% -2,4% crescimento vegetativo da folha), o que representa cerca de R$ 2.7 bilhões. Mas todos os servidores estão brigando por uma fatia deste bolo.

11 Arrecadação O ICMS é a maior fonte de receita do governo, representando 86,4% do total. No primeiro quadrimestre de 2007, a arrecadação do ICMS atingiu o valor de 14,4 bilhões de reais, um crescimento real de 7,0% em relação ao primeiro quadrimestre de A LOA 2007 prevê um aumento da arrecadação do ICMS da ordem de 6,8% em relação ao orçado em 2006.

12 Arrecadação de ICMS milhões de reais de abril/2007

13 Incorporação das gratificações Para o professor individual não tem um impacto significativo nos primeiros níveis, mas tem na carreira (ver tabela salarial). Tem o mérito de tornar mais claro para o professor qual é o seu salário médio Tem efeito positivo futuro sobre a massa salarial recebida na aposentadoria. Ao incorporar as gratificações recebidas, estes valores se tornam salário base passando a incidir sobre ele as vantagens pessoais, como qüinqüênio e sexta-parte

14 Legislação Salarial SEE-SP.Plano de Cargos e Salários (L.C. 836/97) Lei Complementar 874/00 (GTE-Ativos) Lei Complementar 901/01 (Gratificação Geral) Lei Complementar 923/02 ( Reajuste 5%) Lei Complementar 958/04 (correções Plano de Carreira de 1998) Leis Complementar 975/05 e 977/05 (Reajuste e Gratificação, respectivamente).

15 Composição do Salário A remuneração dos professores ativos é composta pelos seguintes valores: Salário base Prêmio de valorização Gratificação de trabalho educacional Gratificação geral e gratificação de atividade do magistério. Considerando como referência o piso salarial da categoria, o Professor de Educação Básica I, jornada de 24 horas semanais, temos a seguinte situação:

16 Incorporação dessas gratificações Elevaria o salário base de R$ 668,09 para R$ 915,50 Representaria um reajuste de 37,03% Para não distrocer a Tabela Salarial o reajuste deve serdado deforma linear

17 Tabela Salarial 1 * Variação sobre a antiga remuneração e não sobre o salário base, onde o aumento é de 37%

18 Tabela Salarial 2

19 Aplicando-se a estes valores uma estimativa anual de crescimento vegetativo da folha de pagamento de 2,4%, teremos ao final de 2007, a seguinte estimativa:

20 Para estimar o impacto das incorporações das gratificações, é necessário realizar o cálculo em duas etapas, considerando primeiramente os ativos e depois os inativos. Isto porque o impacto financeiro é diferenciado, uma vez que os aposentados não recebem as gratificações de trabalho educacional (GTE) e por atividade do magistério (GAM). Assim, ao incorporar as gratificações aos salários dos ativos, a aplicação do percentual de 37,03% sobre os salários base terá impacto financeiro diferenciado sobre a folha de pagamento, em relação aos aposentados.

21 As quatro gratificações recebidas pelos integrantes do magistério ativo da rede estadual representem cerca de 23% do total da folha dos ativos ou R$ 1,53 bi. Isso quer dizer que dos R$ 6,67 bi estimados para pagamento dos ativos, R$ 5,14 bi se referem ao salário base, qüinqüênios e sexta- parte. Logo, é sobre este último valor que devem ser aplicados os 37,03% de reajuste, perfazendo um novo valor de R$ 7,04 bilhões.

22 O impacto da incorporação das gratificações aos salários do magistério ativo será o resultado da folha reajustada em 37,03% (R$7,04 bi) menos a folha total prevista (R$ 6,67). Assim o impacto da incorporação é de R$ 368 milhões/ano. Já no caso dos aposentados, que não recebem a GTE e a GAM, o impacto do reajuste linear sobre a folha é de cerca de 22,38% (37,03% - outras gratificações), elevando a folha para R$ 2,9 bilhões, contra os 2,37 previstos. O que equivale a um impacto de R$ 530 milhões/ ano.

23 Totalizando as duas folhas de pagamento (ativos e aposentados), temos o valor final de impacto da incorporação das gratificações em R$ 898 milhões/ano O que equivale a uma aumento de 11% na folha de pagamento da educação prevista no orçamento, que passaria de R$ 9,0 bilhões (c/aumento vegetativo) para R$ 9,94 bilhões. Este valor está acima do crescimento real do ICMS, de cerca de 7% conforme os dados do 1 quadrimestre. Mas dentro do limite prudencial da LRF: 10,26% (8,36%). A folha passaria dos R$ 27,16 bi para R$ 28,06 bi, chegando a uma relação entre RCL/DP de 43,42%, portanto ainda abaixo do limite prudencial.

24 Possibilidade de aumento global da folha considerando os limites fiscais da LRF O aumento com a incorporação elevaria o Gasto c/ Pessoal total em R$ 898 milhões, deixando a relação RCL/DP em 43,42% contra os atuais 42,03%. Este aumento representa apenas 10,75% da margem total, sobrando ainda cerca de R$ 2 bi para serem negociado com outras categorias

25 Reajuste salarial 1 Desde a implantação do atual plano de carreira, de fevereiro de 1998 até fevereiro de 2007, a inflação apurada pelo ICV-DIEESE foi de 85,75%. No entanto, o salário base da categoria foi reajustado em apenas 36,91%. Para recuperar o poder aquisitivo dos salários fixados em fevereiro de 1998, seria necessário um reajuste salarial de 35,68% (Considerando como referência o piso salarial do Professor de Educação Básica I, com jornada de 24 horas semanais, nível I).

26 Reajuste salarial 2

27 Reajuste Salarial 3 considerando apenas o Salário Base

28 Reajuste salarial 4 Salário Base PEB I 24h Salário Base c/ incorporação da gratificação Piso Nacional Nível médio 30h Piso 40h do DIEESE

29 Conclusões A incorporação da gratificação deve elevar o salário base em cerca de 37%, passando para R$ 915,50. O impacto da incorporação sobre a despesa de pessoal Estado é de R$ 898 milhões ou 11 % sobre o total da folha da SEE-SP prevista para Para atingir o salário mínimo do DIEESE – 1.620,6 em maio – é preciso um aumento de 77% sobre o «novo» salário base.


Carregar ppt "Reajuste salarial e Incorporação das gratificações ao salário dos professores estaduais do magistério paulista."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google