A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap2 BD.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap2 BD."— Transcrição da apresentação:

1 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap2 BD

2 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap2 2.1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Nível de abstração Modelo de Dados – Coletânea de conceitos que podem ser utilizados para descrever a estrutura de um banco de dados Detalhes que não interessam a estes usuários não aparecem Modelo 1 Modelo 2 ≠

3 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap2 Estrutura de um Banco de Dados 2.1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias BANCODEDADOSBANCODEDADOS Tipos de Dados Relacionamentos Restrições META- DADOS

4 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap Categorias de Modelos de Dados 2.1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Alto Nível ou Conceitual Usuário Final Conceitos : Entidade (objeto do mundo real) Atributo (propriedade) Relacionamento (interação entre entidades)

5 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap Categorias de Modelos de Dados 2.1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Baixo Nível ou Físicos de Dados Profissional de TI Conceitos : Modo de Armazenamento (formato, ordenamento) Caminhos de acesso Tabelas, Colunas e Linhas

6 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap Esquemas, Instâncias e Estado do BD 2.1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Diagrama do Esquema Componente do Esquema META- DADOS ?

7 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap Esquemas, Instâncias e Estado do BD 2.1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Nos dados A todo momento Diagrama de Esquema Novas Versões Alterações : Instâncias : Estado : Vazio Populado / Carregado

8 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap Arquitetura de 3 Esquemas 2.2 Arquitetura do SGBD e Independência dos Dados Esquema Interno Esquema Conceitual Visão Externa Visão Externa... NÍVEL EXTERNO NÍVEL CONCEITUAL NÍVEL INTERNO Mapeamento externo/conceitual Mapeamento Conceitual/interno

9 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap Independência de Dados 2.2 Arquitetura do SGBD e Independência dos Dados Esquema Interno Esquema Conceitual Visão Externa Visão Externa... Quando alteramos o esquema em um nível, o esquema no próximo nível permanece inalterado. Exemplos Lógica : Uma nova propriedade Física : Uma nova estrutura de acesso

10 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap Linguagens do SGBD 2.3 Linguagens e Interfaces de Bancos de Dados DDL – Linguagem de definição de dados : Usado pelo DBA para definir os esquemas SDL – Linguagem de definição de armazenamento : Usado para a definição do esquema interno VDL – Linguagem de definição da visão : Usado para especificar visões do usuario e seus mapeamentos DML – Linguagem de manipulação de dados : Usado para manipulações típicas, inclusão, exclusão, recuperação e alteração.

11 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap Interfaces de SGBD 2.3 Linguagens e Interfaces de Bancos de Dados Baseadas em menus : Apresenta uma lista de menus que conduzem através da formulação de uma solicitação. Baseadas em formulários : Os usuários podem preencher as entradas do formulário.

12 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap Interfaces de SGBD 2.3 Linguagens e Interfaces de Bancos de Dados Interfaces gráficas : Exibe um esquema para o usuário na forma de diagramas. A consulta e construida manipulando o diagrama. Linguagem natural : Solicitações escritas em inglês, ou em outro idioma. Esta solicitação e interpretada e caso seja válida decodificada para o SGBD.

13 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap Interfaces de SGBD 2.3 Linguagens e Interfaces de Bancos de Dados Para usuários leigos : Aplicações desenvolvidas por analistas e programadores

14 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap Interfaces de SGBD 2.3 Linguagens e Interfaces de Bancos de Dados Para o DBA : Ambiente onde o DBA pode colocar em prática todos os detalhes técnicos definidos nos modelos, usandos comandos ou opções do software

15 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap2 2.4 Ambiente do Sistema de Banco de Dados Módulos de Componentes Do SGBD

16 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap Utilitários do Sistema de Banco de Dados 2.4 Ambiente do Sistema de Banco de Dados Carga (loading) : Carrega para dentro do banco os dados armazenados, com padrão definido, em arquivos no computador. Cópia (backup) : Cria uma cópia de segurança do(s) banco(s), geralmente em fitas. Reorganização de arquivos : Reorganiza os arquivos (tabelas) do banco de dados de uma forma diferente, para melhorar o desempenho

17 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap Utilitários do Sistema de Banco de Dados 2.4 Ambiente do Sistema de Banco de Dados Monitoramento do desempenho : Monitora a utilização dos recursos utilizados pelo SGBD, mostrando estatísticas para o DBA

18 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap2 Software de comunicação: Utiliza os recursos disponíveis na rede Ferramentas, Ambientes de Aplicações e Facilidades de Comunicações 2.4 Ambiente do Sistema de Banco de Dados Ferramentas: DbDesigner, PowerDesigner, etc... Ambientes de desenvolvimento: PowerBuilder, Delphi, etc...

19 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap2 2.5 Classificação dos SGBDs Modelo de Dados : Relacional x Objetos Hierárquico ou modelo de dados em rede, usado por sistemas antigos SGBD Relacional-Objeto

20 Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap2 2.5 Classificação dos SGBDs Monousuário xMultiusuário


Carregar ppt "Bancos de Dados Prof. André Luiz Souza Navathe-Cap2 BD."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google