A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Filisteus Amom Moabe Edom Egito Pérsia Assíria Babilônia Grécia Hititas Ferezeus Amorreus Heveus Jebuseus Cananeus Amalequitas Midianitas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Filisteus Amom Moabe Edom Egito Pérsia Assíria Babilônia Grécia Hititas Ferezeus Amorreus Heveus Jebuseus Cananeus Amalequitas Midianitas."— Transcrição da apresentação:

1

2 Filisteus Amom Moabe Edom Egito Pérsia Assíria Babilônia Grécia Hititas Ferezeus Amorreus Heveus Jebuseus Cananeus Amalequitas Midianitas

3 De novo os israelitas fizeram o que o Senhor reprova, e durante sete anos ele os entregou nas mãos dos midianitas. Os midianitas dominaram Israel; por isso os israelitas fizeram para si esconderijos nas montanhas, nas cavernas e nas fortalezas. Sempre que os israelitas faziam as suas plantações, os midianitas, os amalequitas e outros povos da região a leste deles as invadiam. Acampavam na terra e destruíam as plantações ao longo de todo o caminho, até Gaza, e não deixavam nada vivo em Israel, nem ovelhas nem gado nem jumentos. Eles subiam trazendo os seus animais e suas tendas, e vinham como enxames de gafanhotos; era impossível contar os homens e os seus camelos. Invadiam a terra para devastá-la. Por causa de Midiã, Israel empobreceu tanto que os israelitas clamaram por socorro ao Senhor. Juízes 6:1-6

4 A opressão midianita A mão punitiva do Senhor pesou sobre Israel mais uma vez, por causa de sua transgressão. Dessa vez, o inimigo usado por Deus foram os midianitas. Abraão casou-se com outra mulher, chamada Quetura. Ela lhe deu os seguintes filhos: Zinrã, Jocsã, Medã, Midiã, Isbaque e Suá. (...) Abraão deixou tudo o que tinha para Isaque. Mas para os filhos de suas concubinas deu presentes; e, ainda em vida, enviou-os para longe de Isaque, para a terra do Oriente. (Gênesis 25:1-6) Os midianitas eram nômades, e tiveram como aliados nessa invasão os amalequitas e os povos do Oriente. Os camelos deram aos inimigos uma grande vantagem: uma força de combate rápida e de longo alcance, que deixou os israelitas com medo.

5 A opressão midianita A tribo de Manassés foi a mais afetada, mas também as de Aser, Zebulom, Naftali e Efraim. É surpreendente a ausência de Issacar, visto que seu território também foi afetado. Os inimigos atacavam como gafanhotos, devastando tudo o que encontravam. O roubo dos rebanhos, colheitas e frutos de Israel representava invernos longos e sofridos. Não era seguro habitar em cidades abertas, por isso eles foram forçados a se esconder.

6 Quando os israelitas clamaram ao Senhor por causa de Midiã, ele lhes enviou um profeta, que disse: "Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: Tirei vocês do Egito, da terra da escravidão. Eu os livrei do poder do Egito e das mãos de todos os seus opressores. Expulsei-os e dei a vocês a terra deles. E também disse a vocês: Eu sou o Senhor, o seu Deus; não adorem os deuses dos amorreus, em cuja terra vivem, mas vocês não me deram ouvidos ". Juízes 6:7-10

7 A opressão midianita As palavras do profeta foram semelhantes às do anjo do Senhor em Boquim (Jz 2:1-5). Os israelitas mais uma vez precisaram chegar ao fundo do poço para retornarem a Deus. Quanto sofrimento teriam evitado se tivessem confiado no Senhor. Voltar-se para Deus não deve ser o último recurso; devemos buscar a sua ajuda diariamente. Isto não quer dizer que a vida será fácil. Haverá lutas, mas o Senhor nos dará forças para superá-las. Não espere até o último momento, busque a Deus em primeiro lugar em qualquer situação.

8 Então o Anjo do Senhor veio e sentou-se sob a grande árvore de Ofra, que pertencia ao abiezrita Joás. Gideão, filho de Joás, estava malhando o trigo num tanque de prensar uvas, para escondê-lo dos midianitas. Juízes 6:11 Tanque de prensar uvas, ou lagar

9 O chamado de Gideão A malhação do trigo usualmente era feita por um trenó debulhador puxado por bois em uma área exposta, de maneira que o vento carregasse a palha e a separasse do grão. Gideão estava improvisando no lagar, longe das vistas dos ladrões. Isso também era um indicativo da pequenez da colheita.

10 Então o anjo do Senhor apareceu a Gideão e lhe disse: "O Senhor está com você, poderoso guerreiro". "Ah, Senhor", Gideão respondeu, "se o Senhor está conosco, por que aconteceu tudo isso? Onde estão todas as suas maravilhas que os nossos pais nos contam quando dizem: Não foi o Senhor que nos tirou do Egito? Mas agora o Senhor nos abandonou e nos entregou nas mãos de Midiã". O Senhor se voltou para ele e disse: "Com a força que você tem, vá libertar Israel das mãos de Midiã. Não sou eu quem o está enviando? "Ah, Senhor", respondeu Gideão, "como posso libertar Israel? Meu clã é o menos importante de Manassés, e eu sou o menor da minha família". "Eu estarei com você", respondeu o Senhor, "e você derrotará todos os midianitas como se fossem um só homem". Juízes 6:12-24

11 E Gideão prosseguiu: "Se de fato posso contar com o teu favor, dá-me um sinal de que és tu que está falando comigo. Peço-te que não vás embora até que eu volte e traga minha oferta e a coloque diante de ti". E o Senhor respondeu: "Esperarei até você voltar". Gideão foi para casa, preparou um cabrito, e com uma arroba de farinha fez pães sem fermento. Pôs a carne num cesto e o caldo numa panela, trouxe-os para fora e ofereceu-os a ele sob a grande árvore. E o Anjo de Deus lhe disse: "Apanhe a carne e os pães sem fermento, ponha-os sobre esta rocha e derrame o caldo". Gideão assim o fez. Juízes 6:12-24

12 Com a ponta do cajado que estava em sua mão, o Anjo do Senhor tocou a carne e os pães sem fermento. Fogo subiu da rocha, consumindo a carne e os pães. E o Anjo do Senhor desapareceu. Quando Gideão viu que era o Anjo do Senhor, exclamou: "Ah, Senhor Soberano! Vi o Anjo do Senhor face a face! " Disse-lhe, porém, o Senhor: "Paz seja com você! Não tenha medo. Você não morrerá". Gideão construiu ali um altar em honra do Senhor e lhe deu este nome: O Senhor é Paz. Até hoje o altar está em Ofra dos abiezritas. Juízes 6:12-24

13 O chamado de Gideão A teofania foi em forma humana, o que levou Gideão a pensar que tratava-se de um profeta, e não de um anjo. O anjo diz que Gideão era um homem valente, mas ele se mostra inadequado e fraco. É exatamente quando o homem toma consciência da sua própria fraqueza e das dificuldades da situação que o Senhor o toma e o usa. O homem que confia em sua própria força não pedirá a graça de Deus, e não lhe dará glória pela vitória. O Senhor não viu Gideão como ele era, mas como ele poderia ser: forte, resoluto e corajoso.

14 O chamado de Gideão Gideão questionou Deus sobre os problemas que ele e a nação enfrentavam e a aparente falta de ajuda divina. A queixa de Gideão era compartilhada pela maioria de seus conterrâneos: o Senhor os havia abandonado; Seus feitos maravilhosos eram do passado, e não do presente. Mas foi o povo que trouxe a calamidade sobre si, quando decidiu desobedecer ao Senhor. É fácil omitir a responsabilidade pessoal e colocar a culpa em Deus e em outras pessoas. Mas isso não resolve os problemas, apenas nos afasta do Senhor, e leva-nos à rebelião e à reincidência. Quando chegam as dificuldades, devemos olhar primeiro para o nosso interior. Nossa primeira atitude deve ser a confissão de pecados.

15 O chamado de Gideão Assim como Gideão, somos chamados a servir a Deus em diversas áreas. Embora o Senhor nos prometa as ferramentas e as condições necessárias, sempre inventamos desculpas. Não se esquive de servir ao Senhor. Pelo contrário, dedique-se a fazer a vontade de Deus. Há poder na certeza do chamado do Senhor. Há poder maior ainda na certeza da comunhão com Deus. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos. (Mateus 28:19-20)

16 O chamado de Gideão Gideão sabia que não poderia se apresentar a Deus de mãos vazias, por isso ofereceu uma oferta. A oferta foi um cabrito cozido e pães feitos com uma arroba (ou um efa) de farinha (aproximadamente 15 kg). Numa época de escassez, essa era uma dádiva considerável.

17 Naquela mesma noite o Senhor lhe disse: "Separe o segundo novilho do rebanho de seu pai, aquele de sete anos de idade. Despedace o altar de Baal, que pertence a seu pai, e corte o poste sagrado que está ao lado do altar. Depois faça um altar para o Senhor, para o seu Deus, no topo desta elevação. Ofereça o segundo novilho em holocausto com a madeira do poste sagrado que você irá cortar". Assim Gideão chamou dez dos seus servos e fez como o Senhor lhe ordenara. Mas, com medo da sua família e dos homens da cidade, fez tudo de noite, e não durante o dia. De manhã, quando os homens da cidade se levantaram, lá estava demolido o altar de Baal, com o poste sagrado ao seu lado, cortado, e com o segundo novilho sacrificado no altar recém-construído! Juízes 6:25-32

18 Perguntaram uns aos outros: "Quem fez isso? " Depois de investigar, concluíram: "Foi Gideão, filho de Joás". Os homens da cidade disseram a Joás: "Traga seu filho para fora. Ele deve morrer, pois derrubou o altar de Baal e quebrou o poste sagrado que ficava ao seu lado". Joás, porém, respondeu à multidão hostil que o cercava, "Vocês vão defender a causa de Baal? Estão tentando salvá-lo? Quem lutar por ele será morto pela manhã! Se Baal fosse realmente um deus, poderia defender-se quando derru- baram o seu altar". Por isso naquele dia chamaram Gide- ão de "Jerubaal", dizendo: "Que Baal dispute com ele, pois derrubou o altar de Baal". Juízes 6:25-32

19 Gideão assume o chamado A primeira coisa que Gideão precisou fazer após receber o chamado de Deus foi destruir o altar de Baal na sua casa (seu pai parece ser o guarda do santuário de Baal, que servia a toda a comunidade). Gideão correu grande risco ao seguir a lei de Deus que proibia ídolos (Êxodo 20:1-5). Segundo a lei de Deus, os idólatras deveriam ser apedrejados até a morte (Dt 13:6-11), mas aqui eram eles quem queriam matar Gideão. Quando começamos alguma coisa para o Senhor, é possível que sejamos criticados pelas mesmas pessoas que deveriam nos apoiar. Jerubaal significa que Baal possa acrescentar.

20 Gideão assume o chamado Joás disse que aqueles homens não deviam lutar por Baal, pois se Baal fosse realmente um deus, ele poderia vingar-se sozinho. Se esse conselho fosse seguido pelos devotos das religiões do mundo, e até pelos cristãos, o mundo teria sido poupado de muita tortura, de muito derramamento de sangue e de muita miséria. A defesa que Joás fez de seu filho foi, possivelmente, o primeiro passo na direção da sua própria reabilitação.

21 Nesse meio tempo, todos os midianitas, amalequitas e outros povos que vinham do leste uniram os seus exércitos, atravessaram o Jordão e acamparam no vale de Jezreel. Então o Espírito do Senhor apoderou-se de Gideão, e ele, com toque de trombeta, convocou os abiezritas para segui-lo. Enviou mensageiros a todo o Manassés, chamando-o às armas, e também a Aser, a Zebulom e a Naftali, que também subiram ao seu encontro. Juízes 6:33-35 O Espírito do Senhor tornou-se encarnado em Gideão, o qual, então, tornou-se uma extensão do Senhor. Assim equipado, Gideão estava pronto para a imensa tarefa que o aguardava.

22 E Gideão disse a Deus: "Quero saber se vais libertar Israel por meu intermédio, como prometeste. Vê, colocarei uma porção de lã na eira. Se o orvalho molhar apenas a lã e todo o chão estiver seco, saberei que tu libertarás Israel por meu intermédio, como prometeste". E assim aconteceu. Gideão levantou-se logo cedo no dia seguinte, torceu a lã e encheu uma tigela de água do orvalho. Disse ainda Gideão a Deus: "Não se acenda a tua ira contra mim. Deixa-me fazer só mais um pedido. Permite-me fazer mais um teste com a lã. Desta vez faze ficar seca a lã e o chão coberto de orvalho". E Deus assim fez naquela noite. Somente a lã estava seca; o chão estava todo coberto de orvalho. Juízes 6:36-40

23 Gideão assume o chamado A fé de Gideão não era constante. Demonstra-se aqui a imensa paciência do Senhor. Gideão possuía todos os meios, mas ainda assim hesitou. Ele retardou sua obediência a Deus porque desejava ainda mais provas. O medo costuma fazer com que esperemos por mais confirmações quando deveríamos tomar uma atitude. Hoje em dia, o maior meio de orientação de Deus é a Sua Palavra. Diferente de Gideão, temos a Bíblia completa e revelada. Se você deseja maior orientação, não peça sinais; estude as Escrituras Sagradas. Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra. (2 Timóteo 3:16-17)

24 De madrugada Jerubaal, isto é, Gideão, e todo o seu exército acampou junto à fonte de Harode. O acampamento de Midiã estava ao norte deles, no vale, perto do monte Moré. E o Senhor disse a Gideão: "Você tem gente demais, para eu entregar Midiã nas suas mãos. A fim de que Israel não se orgulhe contra mim, dizendo que a sua própria força o libertou, anuncie, pois, ao povo que todo aquele que estiver tremendo de medo poderá ir embora do monte Gileade". Então vinte e dois mil homens partiram, e ficaram apenas dez mil. Mas o Senhor tornou a dizer a Gideão: "Ainda há gente demais. Juízes 7:1-8

25 Desça com eles à beira dágua, e eu separarei os que ficarão com você. Se eu disser: Este irá com você, ele irá; mas, se eu disser: Este não irá com você, ele não irá". Assim Gideão levou os homens à beira dágua, e o Senhor lhe disse: "Separe os que beberem a água lambendo-a como faz o cachorro, daqueles que se ajoelharem para beber". O número dos que lamberam a água levando-a com as mãos à boca foi de trezentos homens. Todos os demais se ajoelharam para beber. O Senhor disse a Gideão: "Com os trezentos homens que lamberam a água livrarei vocês e entregarei os midianitas nas suas mãos. Mande para casa todos os outros homens". Gideão mandou os israelitas para as suas tendas, mas reteve os trezentos. E estes ficaram com as provisões e as trombetas dos que partiram. O acampamento de Midiã ficava abaixo deles, no vale. Juízes 7:1-8

26 Gideão assume o chamado Números não são garantia de vitória; é a presença do Senhor que garante o sucesso. Os primeiros a serem liberados foram o medrosos, pois o medo é contagioso. E dois terços do exército de Gideão já estava com medo. Os 300 beberam a água enquanto permaneciam alertas, preparados para qualquer emergência. As bênçãos não podem tirar o nosso estado de alerta nem nos deixar vulneráveis.

27 Naquela noite o Senhor disse a Gideão: "Levante-se, e desça ao acampamento, pois vou entregá-lo nas suas mãos. Se você está com medo de atacá-los, desça ao acampamento com o seu servo Pura e ouça o que estiverem dizendo. Depois disso você terá coragem para atacar". Então ele e o seu servo Pura desceram até os postos avançados do acampamento. Os midianitas, os amalequitas e todos os outros povos que vinham do leste haviam se instalado no vale; eram numerosos como nuvens de gafanhotos. Assim como não se pode contar a areia da praia, também não se podia contar os seus camelos. Juízes 7:9-15 A Fonte de Harode ficava ao pé do Monte Gilboa. A menos de 8 quilômetros ao norte ficava o acampamento dos midianitas, junto ao Monte Moré.

28 Gideão chegou bem no momento em que um homem estava contando seu sonho a um amigo. "Tive um sonho", dizia ele. "Um pão de cevada vinha rolando dentro do acampamento midianita, e atingiu a tenda com tanta força que ela tombou e se desmontou". Seu amigo respondeu: "Não pode ser outra coisa senão a espada de Gideão, filho de Joás, o israelita. Deus entregou os midianitas e todo o acampamento nas mãos dele". Quando Gideão ouviu o sonho e a sua interpreta- ção, adorou a Deus. Voltou para o acampamento de Israel e gritou: "Levantem-se! O Senhor entregou o acam- pamento midianita nas suas mãos". Juízes 7:9-15

29 Confirmação da vitória A fé de Gideão era fraca e inconstante, e precisou de uma nova oportunidade para ser fortalecida. Os esmorecimentos de Gideão são próprios da natureza humana, todos estamos sujeitos a temores internos. Os sonhos eram de grande importância naquela época, especialmente se o sonhador era pessoa de posição ou de autoridade, pois acreditava-se que os deuses falavam através de sonhos. O pão de cevada representava o agricultor pobre de Israel, cuja colheita principal era a cevada. A tenda era o símbolo de uma comunidade nômade, como a dos midianitas. Para destruir o acampamento, seria mais viável um pão mofado, estragado e duro do que o pão fresco e macio.

30 Dividiu os trezentos homens em três companhias, pôs nas mãos de todos eles trombetas e jarros vazios, com tochas dentro. E ele lhes disse: "Observem-me. Façam o que eu fizer. Quando eu chegar à extremidade do acampamento, façam o que eu fizer. Quando eu e todos os que estiverem comigo tocarmos as nossas trombetas ao redor do acampamento, toquem as suas, e gritem: Pelo Senhor e por Gideão! Gideão e os cem homens que o acompanhavam chegaram aos postos avançados do acampamento pouco depois da meia noite, assim que foram trocadas as sentinelas. Juízes 7:16-22

31 Tocaram as suas trombetas e quebraram os jarros que tinham nas mãos; as três companhias tocaram as trombetas e despedaçaram os jarros. Empunhando as tochas com a mão esquerda e as trombetas com a direita, gritaram: "À espada, pelo Senhor e por Gideão! Cada homem mantinha a sua posição em torno do acampamento, e todos os midianitas fugiam correndo e gritando. Quando as trezentas trombetas soa- ram, o Senhor fez que em todo o acam- pamento os homens se voltassem uns contra os outros com as suas espadas. Mas muitos fugiram para Bete-Sita, na direção de Zererá, até a fronteira de Abel-Meolá, perto de Tabate. Juízes 7:16-22

32 Confirmação da vitória Os israelitas fizeram tanto barulho quanto foi possível, sob a direção de Gideão, para gerar uma atmosfera de confusão generalizada. 1.Sopro violento de trombetas. 2.Despedaçamento de 300 cântaros. 3.Um grito de guerra em uníssono. 4.Mais trombetas. Foi aterrorizante este ato para os inimigos, que acharam tratar-se de um grande exército. Muitos estavam dormindo (por volta de 22 horas), acordaram assustados, pensando que o inimigo já esta- va no arraial, e começaram a lutar a esmo no escuro. O barulho deve ter assustado ainda os camelos e os outros animais, que geraram ainda mais confusão.

33 Confirmação da vitória O exército de Gideão venceu a batalha sem precisar lutar. Eles nunca teriam vencido na sua própria força. O Senhor queria mostrar que a vitória não depende a força ou do número de pessoas, mas da obediência e do compromisso com Ele.

34 Os israelitas de Naftali, de Aser e de todo o Manassés foram convocados, e perseguiram os midianitas. Gideão enviou mensageiros a todos os montes de Efraim, dizendo: "Desçam para atacar os midianitas e cerquem as águas do Jordão à frente deles até Bete-Bara". Foram, pois, convocados todos os homens de Efraim, e eles ocuparam as águas do Jordão até Bete-Bara. Eles prenderam dois líderes midianitas, Orebe e Zeebe. Mataram Orebe na rocha de Orebe, e Zeebe no tanque de prensar uvas de Zeebe. E, depois de perseguir os midianitas, trouxeram a cabeça de Orebe e a de Zeebe a Gideão, que estava do outro lado do Jordão. Juízes 7:23-25

35 Confirmação da vitória Os que antes estavam com medo se encheram de coragem ao ouvir o relato da vitória de Gideão. Também foram convocados os homens de Efraim, que tinham sido excluídos da primeira convocação. Orebe significa corvo e Zeebe lobo.

36 Os efraimitas perguntaram então a Gideão: "Por que você nos tratou dessa forma? Por que não nos chamou quando foi lutar contra Midiã? " E o criticaram duramente. Ele, porém, lhes respondeu: "Que é que eu fiz, em comparação com vocês? O resto das uvas de Efraim não são melhores do que toda a colheita de Abiezer? Deus entregou os líderes midianitas Orebe e Zeebe nas mãos de vocês. O que pude fazer não se compara com o que vocês fizeram? " Diante disso, acalmou- -se a indignação deles contra Gideão. Juízes 8:1-3

37 Fim do domínio midianita A tribo de Efraim foi a mais poderosa das tribos nos primeiros anos da conquista de terra. Seu território foi um dos poucos que foi totalmente conquistado. Além disso, os dois santuários mais importantes da época, Betel e Siló, ficavam sob seu domínio. Eles queriam participar da vitória por causa do espólio. A resposta calma desvia a fúria, mas a palavra ríspida desperta a ira. (Provérbios 15:1)

38 Gideão e seus trezentos homens, já exaustos, continuaram a perseguição, chegaram ao Jordão e o atravessaram. Em Sucote, disse ele aos homens dali: "Peço-lhes um pouco de pão para as minhas tropas; os homens estão cansados, e eu ainda estou perseguindo os reis de Midiã, Zeba e Zalmuna". Os líderes de Sucote, porém, disseram: "Ainda não estão em seu poder Zeba e Zalmuna? Por que deveríamos dar pão às suas tropas? "É assim? ", replicou Gideão. "Quando o Senhor entregar Zeba e Zalmuna em minhas mãos, rasgarei a carne de vocês com espinhos e espinheiros do de- serto. Dali subiu a Peniel e fez o mesmo pedido aos homens de Peniel, mas eles responderam como os de Sucote. Aos ho- mens de Peniel ele disse: "Quando eu vol- tar triunfante, destruirei esta fortaleza". Juízes 8:4-9

39 Fim do domínio midianita Sucote e Penuel estavam em território mais exposto, e temeram pela vingança dos midianitas. As palavras ásperas de Gideão, comparadas com a resposta branda aos efraimitas, revelam sua reação à esta traição. Penuel (ou Peniel) foi o local do encontro sobrenatural de Jacó com o anjo que mudou o seu nome para Israel. Zeba significa sacrifício e Zalmuna retirou sua hospitalidade. Devido aos nossos medos, muitas vezes não reconhecemos a presença de Deus nas outras pessoas e perdemos a vitória que Ele quer nos dar. Deus prevalecerá com ou sem você, portanto, apresse- se para ajudar os que estão engajados na causa dEle. Disponha-se a dar suporte com tempo, dinheiro, talentos e orações.

40 Ora, Zeba e Zalmuna estavam em Carcor, e com eles cerca de quinze mil homens. Estes foram todos os que sobraram dos exércitos dos povos que vinham do leste, pois cento e vinte mil homens que portavam espada tinham sido mortos. Gideão subiu pela rota dos nômades, a leste de Noba e Jogbeá, e atacou de surpresa o exército. Zeba e Zalmuna, os dois reis de Midiã, fugiram, mas ele os perseguiu e os capturou; derrotando também o exército. Depois Gideão, filho de Joás, voltou da batalha pela subida de Heres. Ele capturou um jovem de Sucote e o interrogou, e o jovem escreveu para Gideão os nomes dos setenta e sete líderes e autoridades da cidade. Gideão foi então a Sucote e disse aos homens de lá: "Aqui estão Zeba e Zalmuna, acerca dos quais vocês zombaram de mim, dizendo: Ainda não estão em seu poder Zeba e Zalmuna? Por que deveríamos dar pão aos seus homens exaustos? " Juízes 8:10-21

41 Gideão prendeu os líderes da cidade de Sucote, castigando-os com espinhos e espinheiros do deserto; derrubou a fortaleza de Peniel e matou os homens daquela cidade. Então perguntou a Zeba e a Zalmuna: "Como eram os homens que vocês mataram em Tabor? " "Eram como você", responderam, "cada um tinha o porte de um príncipe". Gideão prosseguiu: "Aqueles homens eram meus irmãos, filhos de minha própria mãe. Juro pelo nome do Senhor que, se vocês tivessem poupado a vida deles, eu não mataria vocês". E Gideão voltou- se para Jéter, seu filho mais velho, e lhe disse: "Mate-os! " Jéter, porém, teve medo e não desembainhou a espada, pois era muito jovem. Mas Zeba e Zalmuna disseram: "Venha, mate-nos você mesmo. Isso exige coragem de homem". Então Gideão avançou e os matou, e tirou os enfeites do pescoço dos camelos deles. Juízes 8:10-21

42 Fim do domínio midianita Gideão estava possuído pelo Espírito de Deus, o próprio Deus agia através dele, e por isso ele podia executar a vingança de Deus. Os padrões violentos dessa época não são mais os do Novo Testamento. Os ornamentos dos camelos eram em forma de lua crescente, usados largamente pelos povos árabes, até os dias de hoje.

43 Os israelitas disseram a Gideão, "Reine sobre nós! você, seu filho e seu neto, pois você nos libertou das mãos de Midiã". "Não reinarei sobre vocês", respondeu-lhes Gideão, "nem meu filho reinará sobre vocês. O Senhor reinará sobre vocês." Juízes 8:22-23

44 Últimos anos de Gideão Não se sabe qual seria a delegação que fez o convite do reinado para Gideão. A poderosa e orgulhosa tribo de Efraim provavelmente não estava entre eles. Numa crise aguda, a ação corajosa de um único indivíduo mantivera íntegros os recursos das tribos e desviara o desastre. O sentimento de gratidão era tal que se ofereceu um trono ao libertador. A resposta de Gideão é um modelo de nobre desprendimento, pois reconhecia o fato essencial de que a nação tinha um rei, bastava que Ele fosse reconhecido. Seu rei era Javé, o qual era tudo pra eles, e muito mais do que os reis das demais nações eram para seus súditos. Deus precisa ser o rei da nossa vida.

45 E prosseguiu: "Só lhes faço um pedido: que cada um de vocês me dê um brinco da sua parte dos despojos". (Os ismaelitas costumavam usar brincos de ouro.) Eles responderam: "De boa vontade os daremos a você! " Então estenderam uma capa, e cada homem jogou sobre ela um brinco tirado de seus despojos. O peso dos brincos de ouro chegou a vinte quilos e meio, sem contar os enfeites, os pendentes e as roupas de púrpura que os reis de Midiã usavam e os colares que estavam no pescoço de seus camelos. Gideão usou o ouro para fazer um manto sacerdotal, que ele colocou em sua cidade, em Ofra. Todo o Israel prostituiu-se, fazendo dele objeto de adoração; e veio a ser uma armadilha para Gideão e sua família. Assim Midiã foi subjugado pelos israelitas, e não tornou a erguer a cabeça. Durante a vida de Gideão a terra desfrutou paz quarenta anos. Juízes 8:24-28

46 Últimos anos de Gideão O homem que havia liderado tão magnificamente agora estabelece um exemplo deplorável de auto- homenagem, que faz a nação toda pecar. Talvez seja mais fácil honrar a Deus em uma emergência do que no dia-a-dia rotineiro, o que exige um tipo diferente de coragem. Gideão passou no teste da adversidade, mas falhou no teste da prosperidade. Talvez ele não tivesse a intenção pecaminosa (assim como Arão quando fez o bezerro de ouro), mas suas atitudes foram contrárias aos mandamentos de Deus.

47 Jerubaal, filho de Joás, retirou-se e foi para casa, onde ficou morando. Teve setenta filhos, todos gerados por ele, pois tinha muitas mulheres. Sua concubina, que morava em Siquém, também lhe deu um filho, a quem ele deu o nome de Abimeleque. Gideão, filho de Joás, morreu em idade avançada e foi sepultado no túmulo de seu pai, Joás, em Ofra dos abiezritas. Logo depois que Gideão morreu, os israelitas voltaram a prostituir-se com os baalins, cultuando-os. Ergueram Baal-Berite como seu deus, e não se lembraram do Senhor, do seu Deus, que os tinha livrado das mãos dos seus inimigos em redor. Também não foram bondosos com a família de Jerubaal, isto é, Gideão, reconhecendo todo o bem que ele tinha feito por Israel. Juízes 8:29-35 Ruínas do templo de Baal-Berite (Jz 8:33)

48 Últimos anos de Gideão As muitas mulheres de Gideão indica que ele vivia em grande prosperidade, numa situação bem diferente daquela em que ele descrevia sua família como sendo a mais pobre de Manassés. Um grande harém era um acessório comum da monarquia, mas os seus efeitos na história dos reis de Israel sempre foram desastrosos. O nome dado a Abimeleque (o rei é pai) pode indicar que Gideão ainda suspirava pela honraria que havia recusado. Baal-Berite significa Baal, o senhor da aliança. A aliança que Deus fez para Israel foi deturpada e transformada em idolatria.


Carregar ppt "Filisteus Amom Moabe Edom Egito Pérsia Assíria Babilônia Grécia Hititas Ferezeus Amorreus Heveus Jebuseus Cananeus Amalequitas Midianitas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google