A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CLARISSA DEBIAZI ZOMER Acad. Arquitetura e Urbanismo RICARDO RÜTHER PhD - Orientador www.labsolar.ufsc.br Edifícios Solares: Integração de Sistemas Solares.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CLARISSA DEBIAZI ZOMER Acad. Arquitetura e Urbanismo RICARDO RÜTHER PhD - Orientador www.labsolar.ufsc.br Edifícios Solares: Integração de Sistemas Solares."— Transcrição da apresentação:

1 CLARISSA DEBIAZI ZOMER Acad. Arquitetura e Urbanismo RICARDO RÜTHER PhD - Orientador Edifícios Solares: Integração de Sistemas Solares Fotovoltaicos Interligados à Rede Elétrica Pública em Edificações Urbanas INTRODUÇÃO A atual crise energética enfrentada pelo país faz com que cada vez mais sejam buscadas novas alternativas para geração de energia, a fim de auxiliar na redução da sobrecarga das concessionárias. Uma das tecnologias mais promissoras é a fotovoltaica, que converte diretamente a luz do sol em energia elétrica. Esta tecnologia é vista como um grande potencial para o Brasil, uma vez que o país possui uma ótima incidência de radiação solar. A UFSC vem incentivando a difusão da tecnologia fotovoltaica através da implementação de sistemas solares integrados à edificação e interligados à rede elétrica pública, em algumas edificações do campus universitário. Esse tipo específico de sistema fotovoltaico é particularmente interessante, pois, além de auxiliar na diminuição do pico de carga da rede, não ocupa área extra, uma vez que pode substituir ou se sobrepor a elementos de revestimento. Este projeto consiste na implantação de um sistema de 10 kW, integrado na edificação do Centro de Eventos da UFSC. O modelo de painel escolhido é um laminado flexível, baseado em silício amorfo, de fácil aplicação e integração à arquitetura. OBJETIVOS O trabalho tem por objetivo: -Difundir a utilização de fontes alternativas de energia, tornando visíveis seus benefícios tanto ambientais quanto energéticos; -Demonstrar a eficiência das placas solares fotovoltaicas incorporadas às edificações como meio de redução da demanda energética, propondo a instalação destas, não somente como elemento gerador de energia, mas também como um elemento estético ou de revestimento da edificação; -Utilizar uma fonte de energia renovável e próxima ao ponto de consumo, de forma integrada à edificação. METODOLOGIA A instalação será composta por 80 painéis fotovoltaicos flexíveis de silício amorfo, baseado em filmes finos. O sistema ocupará uma área de 172,92 m², o que corresponde a 7,6% da área total de cobertura da edificação. Os painéis serão colocados na cobertura do prédio, voltados para o norte e com inclinação de 29 . R E S U L T A D O S CONCLUSÕES -A instalação de painéis fotovoltaicos integrados às edificações e interligados à rede elétrica depende somente da redução de custos desta tecnologia para se tornar economicamente competitiva com fontes convencionais de geração de energia, com redução considerável nos impactos ambientais causados pela geração convencional. -A sua utilização elimina as perdas por transmissão e distribuição ocasionadas pela geração convencional de energia, fazendo com que aumente a eficiência energética da edificação e diminua a sobrecarga da rede elétrica pública. -Somente com a aplicação intensiva desta tecnologia é que os volumes de produção necessários para que seja atingida uma redução de custos considerável serão atingidos; é objetivo deste trabalho difundir esta tecnologia promissora para que ela venha a obter escala de mercado. -A difusão desta tecnologia poderá tornar nossa sociedade menos dependente dos sistemas convencionais de geração de energia e de seus impactos adversos. Bolsa CNPq – Projeto Integrado de Pesquisa Projeto financiado pela FINEP Versão preliminar do Atlas Fotovoltaico do Brasil, mostrando a média anual do total diário da geração de energia elétrica (kWh) por kWp de potência nominal instalada, para sistemas solares fotovoltaicos interligados à rede elétrica pública utilizando a tecnologia de filmes finos de a-Si, orientados para o norte geográfico e com inclinação igual à latitude local. A irradiação solar em Florianópolis tem uma grande variação ao longo do ano, porém, mantém- se na média anual entre 4,5 a 4,7 kWh/m². Essa irradiação é capaz de produzir algo em torno de 4 kWh/kWp/dia. Estima-se que o sistema fotovoltaico do prédio do Centro de Eventos irá gerar cerca de kWh de energia elétrica por ano. Estudos mostram que se fossem utilizadas placas em toda a área disponível na cobertura, a estimativa de geração de energia seria cerca de kWh/ano. Laboratório de Eficiência Energética em Edificações Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil MESES RADIAÇÃO SOLAR DISPONIVEL (kWh/m²/mês) JAN 5,134 FEV5,046 MAR4,832 ABR4, 332 MAI4,068 JUN3,250 JUL3,232 AGO3,566 SET3,532 OUT4,112 NOV5,118 DEZ5,408 MÉDIA ANUAL 4,303 MESES GERAÇÃO PREVISTA (kWh/mês) JAN1466,76 FEV1348,61 MAR1380,48 ABR1197,71 MAI1162,21 JUN898,56 JUL923,37 AGO1018,79 SET976,53 OUT1174,78 NOV1415,02 DEZ1545,04 GERAÇAO ANUAL 14507,86 kWh/ano Vista frontal do Centro Eventos Vista Lateral do Centro de Eventos Atlas de Radiação Solar do Brasil, mostrando a média anualdo toatl diário de radiação global no plano horizontal.


Carregar ppt "CLARISSA DEBIAZI ZOMER Acad. Arquitetura e Urbanismo RICARDO RÜTHER PhD - Orientador www.labsolar.ufsc.br Edifícios Solares: Integração de Sistemas Solares."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google