A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Loyola University Maryland Perspectivas atuais para o setor sucroalcooleiro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Loyola University Maryland Perspectivas atuais para o setor sucroalcooleiro."— Transcrição da apresentação:

1 Loyola University Maryland Perspectivas atuais para o setor sucroalcooleiro

2 RECEITA US$ 36 BILHÕES 3% Exportação de açúcar Mercado interno de açúcar Mercado interno de etanol carburante Exportação de etanol Bioeletricidade Outros usos Fonte: Unica SETOR SUCROENERGÉTICO RECEITA - SAFRA 2012/2013

3 MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA MUNDO (%) 1ª Fonte de Energia Renovável do País Fonte: Balanço Energético Brasileiro BEN (2012), Agência Internacional de Energia: World Energy Outlook 2012 e Key World Energy Statistics 2012 e Eurostat (2013). Elaboração: UNICA

4 CRESCIMENTO ACELERADO DA FROTA FLEX BRASILEIRA Fonte: UNICA. Projeção de crescimento

5 Consumo Total 15,7 Oferta de etanol 29,4 Capacidade de produção de gasolina e consumo de GNV 20,0 Capacidade produção de etanol (> 30 bilhões de litros) 4,3 Importação de combustível? Produção de gasolina? Produção de etanol? CONSUMO DE COMBUSTÍVEL NO BRASIL (CICLO OTTO) Em bilhões de litros (gasolina equivalente) Importação de combustível Gasolina + GNV Fonte: UNICA. 25,3

6 Fonte: Legislação RFS. Elaboração: UNICA MANDATO FEDERAL DE CONSUMO DE COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS Volume de biocombustíveis a ser consumido anualmente (bilhões de litros) Questões relevantes: blend wall, revisão do mandado (RFS-2)

7 REGULAMENTAÇÃO DA UNIÃO EUROPÉIA 10% da energia renovável no setor de transporte em 2020 sem metas específicas para as diferentes fontes de energia renovável e sem objetivos intermediários. Fonte: baseado no 27 NRAP. Elaboração: UNICA Estimativa de produção e comercialização de etanol no National Renewable Action Plans (EU 27) Questões relevantes: redução da mistura (etanol de 1ª geração e tarifa de importação)

8 Aspectos da Bioeletricidade da Cana de Açúcar – situação em 2012 Autossuficiência na safra: todas as mais de 400 usinas do setor sucroenergético Venda de excedentes de energia elétrica: em torno de 160 usinas Cogeração: Bagaço e palha na Caldeira Mais da ½ de Portugal ou 6% do Brasil Autossuficiência 1 Bolívia + 1 Paraguai (3% do Brasil) Venda de excedentes 1 Uruguai + 1 Jamaica (3% do Brasil) Fonte: MME e UNICA (2013) e The World Factbook (2012) MW médios MW médios MW médios

9 Fonte: Nivalde J. de Castro et. al. baseado em dados da CCEE e EPE. COMPLEMENTARIEDADE DA BIOELETRICIDADE

10 Bioeletricidade: considerações Qual será a participação da bioeletricidade na matriz energética? mais de três Belo Monte em energia ou duas Itaipu em capacidade instalada Realizado 2012: só MW médios Chegaremos a 2, 3, 4 mil MW médios ? Política setorial de longo prazo Estímulo para investir em bioeletricidade, etanol e açúcar Fonte: UNICA e EPE (2013).

11 Fonte: FO.Licht, LMC, Secex e estimativa UNICA. Nota: o volume de açúcar consumido no mercado doméstico Inclui o açúcar contido nos produtos industrializados destinados à exportação. PROJEÇÕES PARA AÇÚCAR Para suprir o mercado doméstico e manter 50% de participação no mercado mundial, teremos de ampliar nossa produção em 15,7 milhões de toneladas de açúcar 15,7 MT

12 Qual volume de cana-de-açúcar seria necessário para atender a demanda projetada para 2020?

13 Açúcar: atendimento do consumo doméstico, totalizando 13,7 milhões toneladas em 2020; manutenção da participação do País no mercado mundial; Etanol: atendimento de 50% da frota de ciclo Otto (hoje este % é de ~36%), dada a frota projetada; Crescimento gradativo das exportações até alcançar o volume previsto pelo RFS em 2020 (13,2 bilhões de litros); Consumo de 2 e 5 bilhões de litros para etanol outros fins em 2015 e 2020, respectivamente. Fonte: UNICA. Nota: valores da safra 2012/13 preliminares ~8% a.a. Aprox. 100 novas unidades CANA-DE-AÇÚCAR NECESSÁRIA PARA ATENDER A DEMANDA PREVISTA

14 O Brasil pode aumentar a produção de cana- de-açúcar de maneira ambientalmente sustentável e economicamente viável?

15 4,6 0,5% Milhões de hectares USO DA TERRA NO BRASIL Fonte: ICONE, IBGE (PAM 2010 e Censo Agropecuário 2006), MMA, INPE (Terra Class), Agricultural Land Use and Expansion Model Brazil Ag-LUE-BR (Gerd Sparovek, ESALQ/USP), Elaboração: ÚNICA e Cosan; Nota: TIs = Terras Indígenas. Outras Áreas de Vegetação Nativa incluem Reserva Legal (RLs) Área TotalVegetação NativaAgricultura e pastagensOutros usos % 65%30%5% Pastagem Agricultura Cana-de-açúcar 9,5 1% 60 7% % Cana-de-açúcar PARA ETANOL

16 ZONEAMENTO AGROECOLÓGICO DA CANA NO BRASIL 1.Exclui o cultivo da cana-de- açúcar nos biomas mais sensíveis – ex. Amazônia e Pantanal 2.Exclui a expansão da produção sobre qualquer tipo de vegetação nativa (cerrado, campos, etc.) 3. Autoriza a expansão da cana em 64,7 milhões de hectares, o equivalente a 7,5% do território brasileiro. Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (2009). Orienta decisões dos órgãos ambientais para o licenciamento e condiciona o financiamento público de novas usinas a seu cumprimento.

17 Elaboração: CTC Mil litros/hectare CANA-DE-AÇÚCAR PARA ETANOL: GANHOS DE PRODUTIVIDADE NA ÚLTIMA DÉCADA 7,1

18 Elaboração: CTC MELHORIAS NA TECNOLOGIA EXISTENTE 24,5 Mil litros/hectare

19 Elaboração: UNICA. Nota: safra 2013/14 estimada. Número de novas unidades produtoras na região Centro-Sul Número de unidades produtoras fechadas Perda da capacidade de moagem estimada em: 48 milhões de toneladas Moagem de cana-de-açúcar na safra 2012/2013: 120 milhões de toneladas ? Unidades produtoras da região Centro-Sul: novas e fechadas

20 MEDIDAS APROVADAS RECENTEMENTE I.Retorno da mistura de 25% do etanol anidro à gasolina a partir de 1º de maio Desde outubro/2011 percentual de mistura fora reduzido para 20% II.Novas linhas de crédito para estocagem Taxa efetiva de juros de 7,7% a.a. Penhor cedular e/ou alienação fiduciária do produto estocado na proporção de 1 litro em garantia para o valor do saldo devedor correspondente a 1 litro III.Desoneração do PIS/COFINS sobre a venda no mercado interno de etanol (independentemente de sua especificação - anidro ou hidratado - e do destino - combustível ou outros fins) IV.Prorrogação do Prorenova Linha de financiamento do BNDES para renovação e ampliação do canavial, prorrogada até dezembro de 2013 Taxa de juros diferenciada e impactos positivos sobre produtividade agrícola

21 Fonte: Controle Mutuo CTC. EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA PRODUTIVIDADE AGRÍCOLA DA REGIÃO CENTRO-SUL Ton cana/ha Crise de preço Envelhecimento e redução nos tratos Crise de preço e crédito Recuperação

22 No entanto, outras medidas são imprescindíveis em prol de um novo ciclo de investimentos

23 IMPORTAÇÃO DE GASOLINA PELO BRASIL Fonte: ANP, Secex, BACEN. Elaboração: UNICA. Nota: conversão de US$/litro para R$/litro considerou taxa de câmbio venda – média do mês. Mês Gasolina importada pelo Brasil Preço líquido na refinaria R$/litro (b) Prejuízo Volume (m³)Valor (mil US$ FOB)R$/litro (a) R$/litroR$ jan/ ,311,16-0, fev/ ,321,16-0, mar/ ,481,16-0, abr/ ,601,16-0, mai/ ,721,17-0, jun/ ,701,16-0, jul/ ,461,26-0, ago/ ,511,26-0, set/ ,471,26-0, out/ ,571,26-0, nov/ ,691,26-0, dez/ ,651,26-0, ,541,21-0, jan/ ,501,26-0, fev/ ,441,34-0, mar/ ,491,34-0, abr/ ,551,34-0, mai/ ,561,34-0,

24 PARTICIPAÇÃO DA CIDE SOBRE O PREÇO MÉDIO DA GASOLINA C NA BOMBA Fonte: legislação vigente. ~ 14% CIDE/preço de bomba 0%

25 Fonte: UNICA. Nota: valores deflacionados para abril/2013 utilizando o IGP-DI ETANOL ANIDRO CARBURANTE: EVOLUÇÃO DOS PREÇOS RECEBIDOS PELOS PRODUTORES

26 Readequação da tributação sobre o etanol e sobre a gasolina Transparência na política de formação de preços da gasolina no longo prazo Diretriz de longo prazo sobre o papel do etanol na matriz de combustíveis Incentivos à bioeletricidade EXPANSÃO DO SETOR SUCROENERGÉTICO DEPENDERÁ SOBRETUDO DO MERCADO DOMÉSTICO DE ETANOL CARBURANTE

27 PARA ONDE VAMOS? A partir de 2015, não será possível aumentar a produção apenas expandindo a oferta de cana-de-açúcar. A capacidade ociosa da indústria será eliminada, exigindo investimento em novas unidades e/ou aumento da capacidade nas usinas em operação O crescimento deverá ser fundamentado em novos ganhos de eficiência e produtividade, tanto em termos incrementais quanto estruturais, com o surgimento de tecnologias de ruptura O ritmo e a direção que será dada ao crescimento do setor nos próximos anos dependerá dos sinais de mercado e das políticas públicas associadas ao etanol, no âmbito internacional e, principalmente, no mercado doméstico.


Carregar ppt "Loyola University Maryland Perspectivas atuais para o setor sucroalcooleiro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google