A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tecnologias de Computação Móvel na COPEL, em Apoio às Funções de Cadastro, Fiscalização, Manutenção e Operação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tecnologias de Computação Móvel na COPEL, em Apoio às Funções de Cadastro, Fiscalização, Manutenção e Operação."— Transcrição da apresentação:

1 Tecnologias de Computação Móvel na COPEL, em Apoio às Funções de Cadastro, Fiscalização, Manutenção e Operação

2 1 – GD-INSP Inspeção de Redes de Distribuição

3 •Software desenvolvido para funcionar em plataforma móvel (PDA – WINCE). •Possui interface gráfica, possibilitando ao usuário a utilização de mapas, figuras, diagramas unifilares, etc. •Possui intercomunicabilidade com os sistemas de Geoprocessamento e Gerência de Manutenção. GD-INSP Inspeção de redes pela Manutenção

4 •Automatizar o retorno das informações recolhidas durante a inspeção para o sistema GDMAN (Gerência de Manutenção). •Evitar o retrabalho de digitação e possíveis erros na transcrição da anotações feitas em pranchas de papel. •Possibilitar o retorno de informações gráficas para o WEBGEO. •Possibilitar o retorno de informações cadastrais para o GD_Redes. Objetivo

5 •Geração de pranchas do alimentador a ser inspecionado. Para isto utiliza-se o WEBGEO. •Transferência das pranchas para o PDA. •Execução da Inspeção. •Descarga dos dados no computador de mesa. •Envio de dados para o GDMAN. •Envio de dados para o WEBGEO. •Envio de dados para o GD_REDES. Processo

6 Iniciando uma Inspeção 1.Tela Inicial2.Aplicativo aberto3.Manipulação de OES

7 Criando e Ativando uma Inspeção 1.Criando uma OES2.Gerir uma OES3.Ativando uma OES

8 Incluindo Tarefas 1. Tela PS2. Inclusão de tarefas3. Tarefas no PS

9 Atribuindo Materiais 1. Tela Materiais2. Materiais PS3. PS Inspecionado

10 Atualização de Feições Gráficas Botões da Função

11 Atualização de Feições Gráficas Feições de PSAtributos de PSReferenciais

12 2 – GD-COMPS Compartilhamento de Estruturas

13 Objetivo - Regularizar distorções na quantidade de pontos de fixação consideradas para efeito de faturamento do compartilhamento de estruturas. - Garantir a confiabilidade das informações de Iluminação Pública, de tal forma que sejam computadas corretamente na fatura de energia a ser cobrada das Prefeituras Municipais. - Garantir que todo o montante de energia consumida pela Iluminação Pública seja considerada nos estudos elétricos.

14 GD-COMPS Levantamento da Iluminação Pública e de Empresas que compartilham postes da Copel e Tela inicialTela de CompartilhamentoTela de Iluminação Pública

15 Uma vez terminada a inspeção, esta deverá ser exportada para o sistema Webgeo. COMPS  WEBGEO

16 3 – GD-FIS Inspeção de Linhas de Distribuição Utilizando Computadores de Mão

17 GD-FIS Fiscalização de Redes “Antes o fiscal atualizava o projeto manualmente. Os dados de materiais e mão-de-obra realizados eram anotados na prancha e posteriormente lançados nos sistemas” Retrabalho para atualização dos sistemas Dificuldade no levantamento de dados. Possibilidade de não coletar todas as informações necessárias.

18 Objetivo O fiscal de obras poderá, em campo: 1- Atualizar os projetos desenvolvidos no sistema GD-Projetos, de acordo com o que foi efetivamente construído. 2 - Executar a Medição dos Serviços executados e dos Materiais aplicados na obra. 3 - Executar a Vistoria da Obra (Avaliação de Empreiteira). 4 - Atualizar a base cadastral.

19 •Gerar o polígono na área onde será executada a fiscalização. Para isto utiliza-se o sistema GD_Projetos. •Importar o polígono para o Pen Tablet. •Execução a Fiscalização da Obra. •Devolver os dados para o ambinete do GD_Projetos. •Atualizar a base cadastral - GD_Redes. Processo

20 Aplicativo: GD-Projetos

21 Aplicativo: GD-FIS (Tela do Pen Tablet)

22 Aplicativo: GD-FIS Alterações efetuadas pelo Fiscal (Tela do Pen Tablet)

23 Materiais e mão-de-obra previstos por estrutura no GD-Obras Quantidades apontadas pelo fiscal no campo e lançadas no GD-Obras através do Pen Computer Fiscalização de Redes

24

25 1. Executar a Medição dos Serviços executados e dos Materiais aplicados na obra. 2. Executar a Vistoria da Obra (Avaliação de Empreiteira). 3. Agilizar a atualização e a qualidade dos dados cadastrais da rede elétrica de distribuição. Gd-Fis Benefícios

26 BENEFÍCIOS decorrentes do uso da computação móvel nos aplicativos citados BENEFÍCIOS decorrentes do uso da computação móvel nos aplicativos citados: 1. Facilidade de uso (sistema com interface amigável). 2. Disponibilidade das Normas Técnicas Copel e do Manuais de Instrução Técnica. 3. Padronização de dados e desenho. 4. Facilidade na atualização dos dados (não requer digitação). 5. Maior agilidade na atualização da base cadastral. 6. Aumento de produtividade das equipes. 7. Confiabilidade sobre os dados coletados. 8. Evitar retrabalho na digitação de informações colhidas em campo, garantindo autenticidade da informação. 9. Redução de custos (deslocamentos, retrabalho). 10. Motivação das equipes. 11. Satisfação dos usuários.

27 4 – Operação do Sistema Elétrico de Distribuição

28 Sistema de Operação da Distribuição – SOD

29 SISTEMA DE COMUNICAÇÃO DE DADOS Servidor de Mensagens Short Message INTERNET Rede QNC (Global) COPEL - COD OPERAÇÃO P- II 300 Mhz 128Mb Windows NT Qtracs BR Mapas Cliente QT BR BRASILSAT II VIATURA COPEL CENTRAL AUTOTRAC ANTENA AUTOTRAC Modem COPEL x BKP COS TRUNKING (Região Urbana de Curitiba)

30 OBRIGADO! Marcelo Strapação Antonio Molinari Pinto Contato: (041)


Carregar ppt "Tecnologias de Computação Móvel na COPEL, em Apoio às Funções de Cadastro, Fiscalização, Manutenção e Operação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google