A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Incidência de fibrilação atrial em pós-operatório de cirurgia de revascularização do miocárdio Autor: Eliakin Radke¹ Co-Autores: Daniele Barbosa Marchioli¹.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Incidência de fibrilação atrial em pós-operatório de cirurgia de revascularização do miocárdio Autor: Eliakin Radke¹ Co-Autores: Daniele Barbosa Marchioli¹."— Transcrição da apresentação:

1 Incidência de fibrilação atrial em pós-operatório de cirurgia de revascularização do miocárdio Autor: Eliakin Radke¹ Co-Autores: Daniele Barbosa Marchioli¹ Renan Macedo Coimba¹ Rui M. S. Almeida² ( 1) Acadêmicos do curso de medicina da UNIOESTE (²) Professor da disciplina de Cardiologia do curso de medicina da unioeste e coordenador da Liga de Ciências Cardiovasculares de Oeste do Paraná – LACCOP. Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE Liga de Ciências Cardiovasculares do Oeste do Paraná - LACCOP

2 Fibrilação Atrial •Não possui etiologia bem definida; •Dispersão da refratariedade atrial ; •Formação de substrato pró-arrítmico.

3 Fibrilação Atrial •Incidência 20% a 40%; (Oliveira DC, Silva DJM, Silva RF e cols. 2010) •Pico nos 3 primeiros dias de pós-operatório; (Oliveira e cols. 2007) •Morbidade;

4 Objetivo •Perfil clínico; •Fatores preditivos; •Período de Internação hospitalar.

5 Material e métodos •105 prontuários de pacientes submetidos a CRM; •Período de março de 2009 a agosto de 2011; •Faixa etária entre 39 e 79 anos; •80,95% sexo masculino.

6 Resultados •Incidência de fibrilação atrial no pós-operatório de CRM foi de 14,3%; •Pico nos 2º e 3º dias (53,3%); •Idade média de 66,33 anos; •80% era do sexo masculino.

7 Resultados •Número de enxertos: - Grupo 1 (FA): 3,30 enxertos - Grupo 2 (restante): 3,37 enxertos •Tempo de circulação extracorpórea (CEC): - Grupo 1: 75,20 minutos - Grupo 2: 73,86 minutos

8 Resultados •Internação hospitalar - Grupo 1: 3,50 a 15,60 dias - Grupo 2: 3,40 a 12,80 dias •Mortalidade geral não relacionada à FA: 1,90%

9 Discussão •Reconhecimento do grupo de risco; •Incidência de acidente vascular encefálico isquêmico, taquicardia ventricular e fibrilação ventricular; •Medidas profiláticas.

10 Conclusão •Predominância no gênero masculino e idosos; •Tempo de internação significativo.

11 Bibliografia •Oliveira e cols. Fibrilação atrial no pós-operatório de cirurgia de revascularização do miocárdio: características do perfil clínico associado a óbitos hospitalares. Arquivo brasileiro de cardiologia 2007; 89(1): 16-21; •Oliveira DC, Silva DJM, Silva RF e cols. Fibrilação atrial no pós-operatório de cirurgia de revascularização do miocárdio: da prevenção à morbimortalidade. Registro de mundo real. Revista brasileira de Clínica Médica 2010;8(2):90-3; • Geovanini e cols. Fibrilação atrial no pós operatório de cirurgia cardíaca: quem deve receber a quimioprofilaxia? •Creswall LL, Schuessler RB, Rosenbloom M, Cox JL. Hazardsof postoperative atrial arrhythmias. Ann Thoracic Surg. 1993; 56(3): •Goette A, Juenemann G, Peters B, Klein HU, Roessner A, Huth C, et al. Determinants and consequences atrial fibrosis in patients undergoing open heart surgery. Cardiovascular Res. 2002; 54: 6-390


Carregar ppt "Incidência de fibrilação atrial em pós-operatório de cirurgia de revascularização do miocárdio Autor: Eliakin Radke¹ Co-Autores: Daniele Barbosa Marchioli¹."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google