A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

E CONOMIA DA A RGENTINA Isabela Castanho Nº 13 Mariana Monteiro Nº23 8 A.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "E CONOMIA DA A RGENTINA Isabela Castanho Nº 13 Mariana Monteiro Nº23 8 A."— Transcrição da apresentação:

1 E CONOMIA DA A RGENTINA Isabela Castanho Nº 13 Mariana Monteiro Nº23 8 A

2 E CONOMIA Apesar da grave crise econômica pela qual a Argentina passou no início da década, atualmente a economia do país apresenta inflação moderada, recordes no superávit comercial e recuperação dos investimentos.

3 S ETOR P RIMÁRIO A economia Argentina é baseada principalmente na agricultura e na pecuária. A produtividade da agricultura Argentina está entre as mais altas do mundo. O país é um grande produtor e exportador de cereais, sendo o seu principal produto o trigo. A exportação de produtos derivados da pecuária, como a carne de gado e a lã, é de grande importância para a economia argentina. As técnicas de refrigeração e de processamento da carne são referências positivas do setor.

4 S ETOR SECUNDÁRIO A expansão da indústria argentina ocorreu a partir dos anos 90 graças ao fortalecimento do MERCOSUL. Apesar de a economia permanecer centrada na produção agropecuária, atualmente a indústria argentina é responsável por aproximadamente 35% do Produto Interno Bruto (2006). As indústrias alimentícias, têxtil, química, petroquímica, de veículos, metalúrgicas e de aço são as principais no país. No fim dos anos 90 houve uma forte queda na produção industrial, prenúncio da crise do início da década. O modelo econômico adotado a partir de 2002 possibilitou a volta do crescimento da indústria de forma ininterrupta.

5 S ETOR TERCIÁRIO A Argentina é o país mais visitado da América do Sul e o quarto mais visitada da América. Segundo dados oficiais da Organização Mundial de Turismo, o país recebeu mais de 5,3 milhões de turistas estrangeiros em 2010, o que representou cerca de milhões de dólares de renda. Os turistas estrangeiros vêm principalmente de Brasil, Chile, Peru, Colômbia, México, Bolívia, Equador, Uruguai, Venezuela, Paraguai e de países europeus, como Espanha, Itália, França, Alemanha, Reino Unido e Suíça. O vasto território da Argentina é dotado de grande interesse turístico. A valorização da moeda local, após a desvalorização ocorrida em 2002, favoreceu a chegada de um grande número de turistas estrangeiros, tornando o país mais acessível comercialmente no início de Com o aumento dos custos para viajar ao exterior, muitos argentinos também se voltaram para o turismo interno.

6 S ETOR TERCIÁRIO Em 2006, o setor respondeu por 7,41% do PIB do país,embora note-se que a saída de residentes argentinos com fins turísticos supere as entradas e equivalha a 12% do Os estrangeiros veem a Argentina como uma área sem conflitos armados, terrorismo e crises sanitárias. Buenos Aires se destaca como o principal centro para os turistas estrangeiros e domésticos (5,25 milhões em 2007).Eles são atraídos por uma cidade populosa, cosmopolita e com ampla infraestrutura. Entre outras características, o tango é uma das principais razões para a visita à capital argentina.

7 S ETOR TERCIÁRIO A Argentina, junto a Brasil, Paraguai e Uruguai, forma parte do Mercado Comum do Sul (Mercosul) e da União de Nações Sul-Americanas O desenvolvimento do Mercosul fez com que o Brasil se tornasse o principal parceiro do comércio exterior argentino, comprando quase um terço das exportações. Nos últimos quinze anos, as exportações argentinas aumentaram mais de quatro vezes entre 2002 e 2006 cresceu apenas cerca de 80%.

8 C RISTINA K IRSCHNER GARANTE QUE A RGENTINA HONRARÁ PAGAMENTO DE DÍVIDA Buenos Aires, 3 out (EFE).- A presidente argentina, Cristina Kirchner, voltou a garantir nesta quinta-feira que o país cumprirá seus compromissos de pagamento de dívida apesar ao guerra judicial com fundos de investimentos americanos, que reivindica milionários valores. Em um ato na província de San Juan, no norte da Argentina, a presidente garantiu que o país não ficará de "braços cruzados" diante das decisões judiciais e honrará tudo com que se comprometeu, a respeito da dívida soberana. "Ontem escutei uma frase do presidente dos Estados Unidos se referindo a oposição ao seu governo. Ele disse textualmente que querem levar o país à falência. E eu digo: um setor do Poder Judiciário dos EUA quer levar a Argentina à falência e não querem nos permitir pagar a dívida", disse Cristina. O Parlamento argentino aprovou o mês passado uma lei para reabrir a troca da dívida soberana, passivos que são alvos de processos milionários contra o país. Esta operação ficou impedira por lei após a última reestruturação, concretizada em Argentina declarou a moratória por dívidas de US$ 100 bilhões em dívidas no fim de O governo procura conseguir a aceitação de 7% dos credores que não aderiram as trocas de 2005 e para reestruturar a dívida com remissão de dívida de 65%, em juros e prazos de pagamento estendidos. Entre que rejeitaram as trocas estão grandes fundos de investimento que processaram a argentina, cobrando pagamento em dinheiro. Em agosto passado, a Justiça de Nova York obrigou a realização do pagamento de 100% da dívida reivindicada. A execução da sentença, no entanto, ficou em suspenso devido apelação da Argentina, na Corte Suprema dos Estados Unidos.

9 G ALERIA DE IMAGENS Cataratas do Iguaçu Bariloche

10 Árvores de Pedra


Carregar ppt "E CONOMIA DA A RGENTINA Isabela Castanho Nº 13 Mariana Monteiro Nº23 8 A."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google