A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Assessoria Econômica da FEDERASUL Crédito Imobiliário de Risco nos EUA e o Impacto na Economia Brasileira.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Assessoria Econômica da FEDERASUL Crédito Imobiliário de Risco nos EUA e o Impacto na Economia Brasileira."— Transcrição da apresentação:

1 Assessoria Econômica da FEDERASUL Crédito Imobiliário de Risco nos EUA e o Impacto na Economia Brasileira

2 2 Crédito Imobiliário de Risco (Subprime) Definição –Crédito concedido a pessoas que apresentam um histórico de dificuldades de pagamentos nos EUA. –Incidem taxas de juros mais elevadas (10-12% a.a.), devido ao maior risco envolvido nas operações de crédito. Perfil do tomador de Empréstimo subprime –Histórico de crédito ruim; –Baixa renda e poucas garantias.

3 3 Crédito Imobiliário de Risco (Subprime) Montante –Crescimento acelerado das hipotecas subprime nos EUA Envolvia cerca de US$ 1,3 trilhão em 2007; US$ 650 bilhões, em 2006, e US$ 150 bilhões, em –Os empréstimos subprime estimularam a bolha imobiliária ( ).

4 4 Crédito Imobiliário de Risco (Subprime) Causas da crise no mercado hipotecário dos EUA –Aumento da inadimplência no segmento subprime Cresceu de 13% em 2006, para 16% em outubro de 2007 e 25% em maio de –Por quê? Elevação das taxas de juros básica –de 1% em 2005 para 5,25% em 2007; –80% dos empréstimos subprime estão atrelados a taxas flutuantes. Queda dos preços dos imóveis a partir de 2006 –Fim do efeito-riqueza. Regulação ineficiente.

5 5 Crédito Imobiliário de Risco (Subprime) Disseminação –Bancos emprestam o dinheiro das hipotecas do tipo subprime e transformam este crédito em títulos que vendem a investidores (securitização) Vários investidores (nacionais e internacionais) se dispuseram a comprar estes títulos de maior risco –O crescimento da inadimplência dos empréstimos subprime leva o banco a não pagar os títulos e isto leva a uma crise de liquidez que se espalha para todo o sistema financeiro.

6 6 Impacto sobre a Economia Brasileira Real Fatores Tranqüilizadores Externos –Redução da taxa básica de juros nos EUA de 5,25% para 2% entre setembro de 2007 e abril de 2008; –Pacote de US$ 700 bilhões para comprar ativos podres dos bancos; –Ação coordenada dos Bancos Centrais dos EUA, União Européia e Japão para garantir a liquidez.

7 7 Impacto sobre a Economia Brasileira Real Fatores Tranqüilizadores Internos –Indicadores Econômicos Sólidos Reservas internacionais acima de US$ 200 bilhões; Superávit comercial (estimado em US$ 24 bilhões) e entrada de IDE (US$ 35 bilhões), em 2008; Taxa de câmbio flutuante (minimiza as perdas de reservas). –Bancos brasileiros não investiram em títulos lastreados em hipotecas norte-americanas.

8 8 Impacto sobre a Economia Brasileira Real Mecanismos de Transmissão –Retração dos fluxos de capitais Afeta investimentos no país realizados com poupança externa (recursos mais escassos e mais caros) –Impacto sobre a balança comercial Queda do preço das exportações (especialmente de commodities); Desvalorização do real em relação ao dólar.


Carregar ppt "Assessoria Econômica da FEDERASUL Crédito Imobiliário de Risco nos EUA e o Impacto na Economia Brasileira."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google