A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A comunicação da Tecnologia Educação Tecnológica Fátima Pais.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A comunicação da Tecnologia Educação Tecnológica Fátima Pais."— Transcrição da apresentação:

1 A comunicação da Tecnologia Educação Tecnológica Fátima Pais

2 Normalizar, consiste em definir, unificar e simplificar de forma qualitativa e quantitativa todos os materiais, objectos e elementos que se utilizam em actividades repetitivas, essencialmente no âmbito da ciência, da técnica e da economia. Norma, é uma especificação técnica ou outro documento de domínio público, que serve para executar uma qualquer operação técnica, de forma a que toda s as pessoas a entendam. A Comunicação da tecnologia Normalização

3 Interessa-nos especialmente nesta disciplina a normalização no desenho técnico. Assim, é importante saber que se encontram normalizados: Os formatos O modo de dobrar as folhas de desenho; As linhas e a sua utilização As letras e algarismos As legendas A cotagem A representação das vistas Os cortes e as secções As escalas As esquadrias A Comunicação da tecnologia Normalização formatos das folhas de papel

4 A Comunicação da Tecnologia Normalização formatos das folhas de papel Os formatos das folhas de papel a utilizar em desenho técnico pertencem à série A. Esta série tem como base o formato A 0 cuja área é 1 m 2. O formato imediatamente inferior é o formato A 1, cuja área é de 0,5 m 2. Assim podemos obter os vários formatos da série A por subdivisão do formato A 0 :

5 A Comunicação da Tecnologia Normalização Dobragem Uma vez executado, os desenhos devem ser arquivados, de modo a poderem ser utilizados de novo, sempre que seja necessário. Normalmente procura-se que o desenho dobrado tenha as dimensões do formato A 4, ficando a legenda no frontispício do desenho dobrado, perfeitamente visível.

6 A Comunicação da Tecnologia Normalização Lápis e minas Minas brandas (brand) 7B6B5B4B3B2BB Minas médias Hard brand) HBF Minas duras (hard) H2H3H4H5H6H7H8H9H Lápis12345 Minas3BHBF2H4H As minas dos lápis e lapiseiras são da mesma natureza, são constituídas por uma mistura de grafite e certas substâncias aglutinantes, sendo normalmente a mina tanto mais branda e negra quanto maior for a percentagem de grafite. Escala de dureza das minas

7 A Comunicação da Tecnologia Normalização Tipos de linhas e espessuras dos traços Espessura dos traçosMedida de espessura em milímetros Grosso1,41,00,70,50,350,25 Médio1,00,70,50,350,250,18 fino0,70,50,350,250,180,13

8 A Comunicação da Tecnologia Normalização Aplicação das linhas

9 A Comunicação da Tecnologia Normalização Escalas 2:15:110:1 A escala é a relação entre uma determinada dimensão no desenho e a correspondente dimensão real do objecto representado. A escala pode ser de redução ou de ampliação, conforma as dimensões do desenho são menores ou maiores do que as dimensões reais. Exemplo: Quando empregamos a escala 1:10, isto significa que 1 Cm no papel, corresponde a 10 Cm na realidade. Além destas considera-se ainda a escala 1:1 que corresponde à representação em tamanho natural a qual deve ser usada, sempre que possível, por dar mais directamente as dimensões do objecto. NOTA: Deve utilizar-se dois pontos, e não um traço inclinado para separar os dois termos da escala. Deve pois escrever-se, por exemplo, 1:50 e não 1/50.

10 1:2,51:51:10 1:201:501:100 1:201:500 1:1000 1:201:5 0001: :201: : A Comunicação da Tecnologia Normalização Escalas

11 A Comunicação da Tecnologia Normalização Legendas Quando se executa um desenho, há geralmente necessidade de fazer constar do próprio desenho certo número de indicações que interessem à sua identificação: Identificação e designação do objecto representado no desenho; Identificação dos responsáveis pela execução do desenho ( responsável pelo desenho, autores do projecto e do desenho, etc.) Identificação da pessoa ou entidade para quem foi executado o desenho, Informações gerais relativas às características do desenho (escalas, tolerâncias, datas, etc); Referenciação de alterações que venham a ser introduzidas no desenho. Para simplicidade de quem consulta o desenho, as várias indicações referidas devem estar agrupadas de forma análoga, constituindo um conjunto que se designa por legenda do desenho.

12 A Comunicação da Tecnologia Normalização Legendas

13 A Comunicação da Tecnologia Normalização Cotagem Para que um desenho possa ser executado a partir de um desenho técnico, é necessário que este nos informe das medidas dos objectos. Designa-se por cotagem as informações inscritas no desenho e representadas por linhas, setas, símbolos e valores. Estes valores ou cotas, correspondem às dimensões reais dos objectos representados. Elementos de cotagem: Linhas de chamada; Linhas de cota; Setas; Números de cota (valor da medida); Letras e símbolos; Linhas de referência ou de anotações.

14 A Comunicação da Tecnologia Normalização Cotagem Linhas de chamada; Linhas de cota; Setas; Números de cota (valor da medida); Letras e símbolos; Linhas de referência ou de anotações. Elementos de cotagem:

15 A Comunicação da Tecnologia Normalização Cotagem

16 A Comunicação da Tecnologia Normalização Projecções ortogonais Os objectos técnicos ao serem imaginados pelos seus criadores, têm de ser representados no papel a fim de serem elementos de uma comunicação. Normalmente são peças com volume ( a três dimensões) que têm de ser representados num plano a duas dimensões). Existem regras para fazer esta representação, a que se chamam SISTEMA DE PROJECÇÕES ORTOGONAIS. Este sistema baseia-se na projecção ortogonal da peça em três planos perpendiculares – Triedo. Situando um objecto simples no triedo e fazendo passar linhas imaginárias pelos vértices do objecto, estas projectar-se-ão nos planos originando as suas vistas: Alçado principal, Alçado lateral e planta.

17 A Comunicação da Tecnologia Normalização Projecções ortogonais

18


Carregar ppt "A comunicação da Tecnologia Educação Tecnológica Fátima Pais."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google