A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Direcção Nacional de Energia Eléctrica António Belsa da Costa (DNEE) Evolução do Sector Eléctrico Angolano.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Direcção Nacional de Energia Eléctrica António Belsa da Costa (DNEE) Evolução do Sector Eléctrico Angolano."— Transcrição da apresentação:

1 Direcção Nacional de Energia Eléctrica António Belsa da Costa (DNEE) Evolução do Sector Eléctrico Angolano

2 Direcção Nacional de Energia Eléctrica 2 Assuntos a tratar Diagnóstico / Caracterização do Sector Enquadramento Institucional Perspectivas de Futuro Plano de Acção no Horizonte de 2013 – 2017 Participação do sector privado Interligação com países da SADC

3 3 Elevados custos do Sistema Elevada subsidiação e desequilíbrio financeiro Sistemas de informação insuficientes Insuficiência de valências Dependência do capital público Caracterização da Procura e da Oferta 3

4 Crescimento energético 4 4 KWH/HABITANTE/ANO MW MW PAÍSES EMERGENTESPAÍSES DESENVOLVIDOS ANGOLA ÁFRICA Em 2017 atingiremos a média africana Em 2025 será atingida a meta dos Países Emergentes

5 Sistema Norte Sistema Centro Sistema Sul Sistemas Eléctricos 5 Soyo M Zombo M’B Congo N´Zeto Uíge Kapari Cazenga Viana Lucala Cambambe Malanje Capanda Gabela W. Kungo Lauca Luachimo Dundo Fucauma N’Zagi Maludi Lucapa Saurimo Chicapa Luena Chiumbe Dala Camenongue Lumeje Leua Benguela LobitoBiópio Lomaum Cacombo N´Gove A. Catumbela Huambo Kuito Benguela Namibe Tombwa Lubango Matala Xangongo Menongue Cuito Cuanavale Jamba Ya Oma Jamba Ya Mina LesteCabinda Belize Cabinda Lândana

6 Os mecanismos de automatização são insuficientes e afectam a qualidade e a eficiência nas tomadas de decisão. Gestão Integrada do Sistema Eléctrico (Dificuldades) 6  Regulação de tensão;  Sobre tensões em caso de disparo;  Maiores dificuldades de reposição de serviço;  Instabilidade do Sistema.  Cartografia desactualizada;  Falta de Diagramas de carga em tempo real;  Deficiente Licenciamentos das instalações de produção, transporte, distribuição e utilização.

7 Escassa mão de obra qualificada, não permite satisfazer as necessidades do sector  Acréscimo na complexidade da exploração do Sistema Eléctrico; Escassez de valências Dependência do Capital Público 7  Sector em regime totalmente regulado o que implica Acesso limitado; Preço regulado em todos os segmentos da cadeia.  Elevado peso do estado no sector. Três grandes organizações estatais, ENE, EDEL e GAMEK;

8 Direcção Nacional de Energia Eléctrica 8 Assuntos a tratar Diagnóstico / Caracterização do Sector Enquadramento Institucional Perspectivas de Futuro Acções no Horizonte de 2013 – 2017 Participação do sector privado Interligação com países da SADC

9 Política e Estratégia de Segurança Energética – aprovada por Decreto Presidencial nº 256/11 de 29 de Setembro 9 A curto prazo – Concretização dos projectos em curso para a reabilitação e o reforço imediato das infra-estruturas; Lançamento do Programa Nacional de Electrificação Rural A longo prazo – Forte crescimento do Parque de geração (dos actuais 1 GW para 9 GW em 2025); potenciação das energia renováveis Interligação dos sistemas isolados – criação da Rede Nacional de Transporte Expansão da electrificação – cobertura de 50% a 60 % da população em 2025 Actuação significativa ao nível das tarifas (actualmente apenas cobrem 20% dos custos do Sistema) Reforço das valências dos operadores do Sector Eléctrico

10 Direcção Nacional de Energia Eléctrica Assuntos a tratar Diagnóstico / Caracterização do Sector Enquadramento Institucional Perspectivas de Futuro Plano de Acção no Horizonte de 2013 – 2017 Participação do sector privado Interligação com países da SADC 10

11 Eixos de actuação estratégica ( ) Reorganização das Empresas do Sector Eléctrico Reabilitar e adicionar capacidade de produção Reabilitar e expandir a rede de transporte Reabilitar e expandir a rede de distribuição Melhorar o modelo de facturação e cobrança da electricidade Reforçar e desenvolver as competências do sector Rever o modelo de subsidiação da electricidade Captar investimento privado para produção eléctrica Reforçar o licenciamento das Instalações Eléctricas 11 Criar um sistema de Informação integrado

12 Reorganização das Empresas do Sector Eléctrico 12 Produção Transporte Distribuição ENE GAMEK EDEL Empresas Privadas Municípa- lidades Situação Actual Empresa Pública de Produção Empresas Privadas Concessões Futuro Empresa Pública de Transporte (também responsável pela operação do Sistema National de Electricidade) Empresa Pública de Distribuição

13 No âmbito das infra-estruturas, com base nos pressupostos, foi feita uma avaliação da carteira de investimentos a desenvolver no quinquénio (2013 – 2017), que totaliza um valor de USD 22,92 mil milhões. Plano Quinquenal ( ) 13 Projectos Prioritários Projectos Estruturantes Sector Energético 14,57 Valores em (Mil milhões de US$) Electrificação RURAL (Sedes Municipais e Comunais) 22,92 5,02 3,33

14 Impacto das acções de curto prazo ** Operacionalização Novos grupos Novas centrais térmicas (395 MW) CTCC Soyo (600 MW) Reabilitação e modernização de Cambambe (90 MW) Reabilitação da CT Cazenga (138 MW) Outros (136 MW *) MW até 2014 Capacidade para Capacidade em 2012 * - AH Lomaum, AH Luachimo, CT Lobito, CT Biópio ** - Não inclui 229 MW de potência contratada 14

15 Impacto do plano de longo prazo 1044 Capacidade para Novas centrais Alteamento e 2ª central Cambambe (780 MW) Laúca (2067 MW) Caculo-Cabaça (2051 MW) Jamba Ya Mina, Jamba Ya Oma (245 MW) MW até 2017 Capacidade para Capacidade existente em

16 Direcção Nacional de Energia Eléctrica Assuntos a tratar Diagnóstico / Caracterização do Sector Enquadramento Institucional Perspectivas de Futuro Plano de Acção no Horizonte de Participação do sector privado 16

17 17 7 Centrais térmicas em Luanda (360 MW): 340 MW em serviço; 12 Centrais térmicas em diferentes províncias (235 MW): 140 MW em serviço; 5 Centrais em reabilitação no Cazenga (141 MW): 50 MW em serviço. Reforço da Capacidade Térmica (Medida Intercalar) Obras em curso Cadernos de encargos em preparação para pôr a concurso 400 MW Térmicos em Luanda; Cadernos de encargos em preparação para pôr a concurso 170 MW Térmicos na Províncias. Centrais Térmicas a concurso Luanda Cabinda Dundo Lobito Huambo Lubango Namibe Menongue Ondjiva Satisfação da procura e factor de estabilidade dos sistemas eléctricos

18 Novas Centrais Térmicas 18 ProvínciasPT (MW)Situação em Dez 2012 Luanda MW em serviço Namibe2010 MW em serviço Huila8040 MW em serviço Cabinda40Montagem Huambo15Montagem Benguela4820 MW em serviço Lunda Norte30Montagem Cunene10Montagem Kuando Kubango10Em serviço

19 19 Projectos Estruturantes (Produção) AH Caculo Cabaça (2.100 MW): Estudos de Viabilidade Concluídos AH Cambambe 2 (700 MW): Obra em curso CCC GN Soyo (520 MW): Obra em curso AH Laúca (2.067 MW): Obra em curso AH Jamba Ya Oma (75 MW): Estudo Base Concluído AH Jamba Ya Mina (180 MW): Estudo Base Concluído

20 20 Projectos Estruturantes (Produção)

21 LT 220 kV Lomaum – Biópio – Benguela Sul. Em curso Sistema associado ao GOVE - Concluído Programa de Expansão das Redes de Distribuição de Luanda. Em curso Programa de Reabilitação e Expansão das Redes de Distribuição nas Províncias. Em curso Sistema associado ao CCC Soyo. Em curso Sistema associado a Central 2 de Cambambe. Em concurso Sistema associados ao AH Laúca e Caculo Cabaça. Em Projecto Interligação Centro – Sul e Sistema Regional Leste. Em Projecto 21 Projectos Estruturantes (Rede de Transporte)

22 Direcção Nacional de Energia Eléctrica Assuntos a tratar Diagnóstico / Caracterização do Sector Enquadramento Institucional Perspectivas de Futuro Plano de Acção no Horizonte de 2013 – 2017 Participação do sector privado Interligação com países da SADC 22

23 Participação do sector privado

24 AH Chicapa 1 com a operação do Projecto dos diamantes em Catoca (16 MW) AH Mabubas (25 MW) em operação AH Lomaún (50 MW) no estágio final Construção do parque Eólico de Tombwa (100 MW) Construção do AH Cacombo (24 MW), no rio Catumbela Construção de sete mini hídricas Estudo do AH Keve, por uma empresa privada Programa Hidro-térmico, com 5 Centrais de Biomassa e 6 Mini Hidricas no eixo Benguela-Huambo (500 MW) Construção do AH Chicapa 2 (18 MW) para aumentar o fornecimento à cidade de Saurimo e do Projecto dos diamantes de Catoca Participação do sector privado 24

25 Direcção Nacional de Energia Eléctrica Assuntos a tratar Diagnóstico / Caracterização do Sector Enquadramento Institucional Perspectivas de Futuro Plano de Acção no Horizonte de 2013 – 2017 Participação do sector privado Interligação com países da SADC 25

26 Interligação com a República Democrática do Congo (RDA) Aproveitamento Hidroeléctrico do Inga LT 220 kV Inga - Cabinda Interligação com países da SADC 26 NAMIBIA Baynes Lubango Xangongo Interligação com a Namíbia Participação no AH Baynes LT 220 kV Baynes - Xangongo Cabinda Inga RDA Noqui Matadi ANGOLA Namibe

27 Reabilitação e expansão da rede de transporte 27

28 28 Grato pela vossa atenção


Carregar ppt "Direcção Nacional de Energia Eléctrica António Belsa da Costa (DNEE) Evolução do Sector Eléctrico Angolano."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google