A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

COGERAÇÃO SEGMENTO DA INDÚSTRIA TÊXTIL NO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, agosto 2006.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "COGERAÇÃO SEGMENTO DA INDÚSTRIA TÊXTIL NO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, agosto 2006."— Transcrição da apresentação:

1 COGERAÇÃO SEGMENTO DA INDÚSTRIA TÊXTIL NO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, agosto 2006

2 INDICE O CENÁRIO MUNDIAL DA ENERGIA INDÚSTRIA TÊXTIL COGERAÇÃO E CUSTOS ENERGÉTICOS CROWN COGERAÇÃO INVESTIMENTOS – PRÓPRIO OU EXTERNO IMPLEMENTAÇÃO DE COGERAÇÃO

3 1.PREÇO DO BARRIL DE PETRÓLEO SOBE A CADA DIA EM FUNÇÃO DO AUMENTO DA DEMANDA E INSTABILIDADE DOS PAISES PRODUTORES. 2.RISCO DE RACIONAMENTO ELÉTRICO NO BRASIL EM FUNÇÃO DO INVESTIMENTO ESCASSO EM GERAÇÃO NOS ÚLTIMOS ANOS CRESCENTE IMPORTANCIA DA EFICIENCIA ENERGETICA CENARIO ENERGÉTICO

4 ALTOS CONSUMOS ENERGÉTICOS ENERGIA ELÉTRICA GÁS OU ÓLEO BPF OPERAÇÃO EM REGIME CONTÍNUO: 24 HORAS/DIA, 5 OU 7 DIAS SEMANA NECESSIDADE DE CONFIABILIDADE DE FORNECIMENTO ENERGÉTICO A INDUSTRIA TEXTIL

5 DEMANDA DE KW CONSUMO – kWh/mês ALTA INCIDENCIA FISCAL DO ICMS: 30% DE ALIQUOTA R$/MWh ENERGIA ELÉTRICA

6 ALTA DEMANDA DE VAPOR PARA USO DIRETO OU AGUA QUENTE CONSUMO ELEVADO DE GAS OU OLEO BPF ENERGIA TÉRMICA

7 PRODUÇAO COMBINADA DE ELETRICIDADE E ENERGIA TERMICA: O grupo gerador aciona um alternador que gera energia elétrica O escape do grupo gerador ( ºC) pode ser aproveitada para gerar vapor em uma caldeira de recuperação ou ar quente diretamente no processo. O sistema de arrefecimento gera água a 90 C em média, que pode ser usada no processo ou alimentar um chiller a absorção movido por água quente. FUNDAMENTOS DA COGERAÇÃO

8 MEDIÇAO PROTEÇOES E DISJUNTOR Rede ElétricaRede Gás Natural FÁBRICA REDE DE VAPOR OU ÁGUA QUENTE DA FÁBRICA E.R.M. ESQUEMA DE FUNCIONAMENTO SEM COGERAÇÃO Caldeira a gas

9 MEDIÇAO PROTEÇOES E DISJUNTOR Rede ElétricaRede Gás Natural FÁBRICA Caldeira de recuperação REDE DE VAPOR DA FÁBRICA E.R.M. 90°C GASES ESCAPE 500°C AGUA QUENTE ESQUEMA DE FUNCIONAMENTO COM COGERAÇÃO 80°C Caldeira de gas Existente 180°C PROCESSO ATMOSFERA AUTOCONSUMO

10 Gas Natural 100% Agua quente 15% Calor em gases de útil 25% escape 32% Energia Mecânica 43% Elétrica útil 42% Perdas por radiação e refrigeração 10% Perdas em gases de escape 7% Perdas do gerador 1% Rendimento Elétrico Equivalente 75,6% COGERAÇÃO COM MOTORES MOVIDOS A GÁS NATURAL

11 MAIOR EFICIÊNCIA ENERGÉTICA MAIOR INDEPENDÊNCIA ENERGÉTICA ALTA RECUPERAÇÃO TÉRMICA PARA VAPOR, AGUA QUENTE, AGUA GELADA REDUÇAO DE CUSTOS FISCAIS: 30% ICMS SOBRE ENERGIA ELETRICA COGERAÇÃO - BENEFÍCIOS

12 EXEMPLOS

13 ENERGIA ELÉTRICA: –Demanda 2000 kW –Consumo kWh/mês –Tarifa A3A –Custo R$/ mês 340 R$/MWh INDUSTRIA TEXTIL ENERGIA TERMICA: –Demanda de vapor 2,5 t: –Consumo de gas natural industrial: m3/mês –Custo mensal: R$/mês 0,77 R$/m3

14 SIMULAÇÃO DE UM CASO DE COGERAÇÃO NA INDÚSTRIA TÊXTIL CONSUMO DE ELETRICIDADE ATUAL A3A HOROSAZONAL VERDE Demanda ponta kW Consumo Horas ponta kWh/mês Consumo Horas Fora ponta kWh/mês Consumo total kWh/mês Horas de funcionamento ano h/ano CUSTO ATUAL ENERGIA ELÉTRICA (com ICMS) sem pis,cofins R$/ano TARIFA MÉDIA COM ICMS339 R$/MWh CONSUMO DE VAPOR E GÁS NATURAL SEM COGERAÇÃO Vazao de vapor média3263Kg/h Consumo anual de gas natural para vapor m3/ano Consumo mensal de gas m3/mês Custo gas natural anual (com ICMS)(Industrial) e sem pis, cofins R$/ano Preço medio de gas natural (com ICMS)0,679 R$/m3 INDUSTRIA TEXTIL

15 COGERAÇAO Potencia Útil da planta (máxima)1667 kWe Consumo de gas4386 kWt Produção anual de eletricidade kWh/an o Consumo anual de gas em cogeração kWh/an o Produçao de vapor da caldeira de recuperação1444 Kg/h CUSTO DE ENERGIA COM COGERAÇÃO HS VERDE A3A (C/ICMS, sem PIS/COFINS) TOTAL (com ICMS) R$/ano Preço médio de compra770R$/MWh INDUSTRIA TEXTIL

16 CUSTO DE GAS COM COGERAÇÃO (Tarifa Cogeração) Consumo de gas cogeracao (bruto) m3/ano Ganho em consumo de gás natural m3 gas/ano Consumo mensal para a caldeira e processo69.271m3/mês Consumo mensal para a cogeração m3/mês Custo anual gas cogeracao (com ICMS) e sem pis, cofins R$/ano Preço médio de compra para cogeraçãocom ICMS e sem Pis/cofins0,477R$/m3 Custo anual novo Gas Industrial com cogeração, sem pis/cofins R$/ano Preço médio de compra GAS Industrial com ICMS, sem pis/cofins0,735R$/m3 INDUSTRIA TEXTIL

17 CALCULO DE GANHOS GANHO ELÉTRICO (com ICMS) R$ GANHO TÉRMICO EM CONSUMO DE GAS R$/ano CUSTO DE GAS MOTORES R$/ano CUSTO DE MANUTENCAO R$/ano GANHO LIQUIDO com ICMS R$/ano INVESTIMENTO (INCLUSO ISS, ICMS; sem PIS, COFINS) R$ PAY-BACK 1,52 anos TIR84% INDUSTRIA TEXTIL

18 CUSTOS ANUAIS (R$/ano) ATUALCOM COGERAÇAO Compra de eletricidade Compra de Gas Processo Compra Gas Cogeração Manutenção TOTAL GANHO ANUAL R$ INVESTIMENTO R$ PAY-BACK1,79 anos RESUMO FINANCEIRO COGERAÇÃO

19 CRONOGRAMA TÍPICO DE UM PROJETO DE COGERAÇÃO 1 ano Estudo de Viabilidade Pedido de Ofertas ContrataçãoFinanciamentoStart upTrâmites Administrativos Construção Engenharia

20 A CROWN INDÚSTRIA E COMÉRCIO INICIOU NO ANO PASSADO O CONSUMO DE GÁS NATURAL EM SUA UNIDADE INDUSTRIAL EM PARACAMBI, PARA ALIMENTAR A SUA CALDEIRA, SUBSTITUINDO O DIESEL. COMO CONSUMIDORA INTENSIVA DE ENERGIA ELÉTRICA, SUA CONTA FINAL É MUITO ELEVADA. CASE DA CROWN

21 Em visita a Crown, apresentamos o fundamento da cogeração e coletamos os dados básicos que permitiram realização de um estudo de viabilidade e a apresentação de uma oferta. Com a cogeração, um grupo gerador gera a energia elétrica consumida na fábrica e com o escape do grupo gera vapor em uma caldeira de recuperação. ESTUDO DE VIABILIDADE

22 A DECISÃO DO INVESTIMENTO NA COGERAÇÃO PRÓPRIO OU EXTERNO PRÓPRIO – TIR E PAY BACK E PLANO ESTRATÉGICO EXTERNO – CONDIÇÕES, GARANTIAS, PREMISSAS E GANHO COMPARTILHADO INVESTIMENTO

23 Se é viável, possibilidade de um investidor externo construir a cogeração e vender a energia elétrica e térmica gerada na planta GN Serviços apresentou uma oferta neste molde, que foi aprovada e está sendo executada:redução dos custos energéticos sem risco TERCEIRIZAÇÃO DO INVESTIMENTO: GÁS NATURAL SERVIÇOS

24 INDEPENDÊNCIA ENERGÉTICA AUMENTO DE EFICIENCIA ENERGETICA: REDUÇÃO DOS CUSTOS ENERGÉTICOS EM ATÉ 50%. POSSIBILIDADE DE TERCEIRIZAÇAO DO INVESTIMENTO: AGENTE EXTERNO ASSUME O RISCO EM TROCA DE COMPARTILHAR OS GANHOS. CONCLUSÃO: BENEFICIOS COGERAÇAO

25 Júlio Cesar B. Nunes Manuel Florez Lonjas Brasil Ltda. Telefone


Carregar ppt "COGERAÇÃO SEGMENTO DA INDÚSTRIA TÊXTIL NO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, agosto 2006."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google