A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

COGERAÇÃO SEGMENTO DA INDÚSTRIA TÊXTIL NO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, agosto 2006.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "COGERAÇÃO SEGMENTO DA INDÚSTRIA TÊXTIL NO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, agosto 2006."— Transcrição da apresentação:

1 COGERAÇÃO SEGMENTO DA INDÚSTRIA TÊXTIL NO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, agosto 2006

2 INDICE O CENÁRIO MUNDIAL DA ENERGIA INDÚSTRIA TÊXTIL COGERAÇÃO E CUSTOS ENERGÉTICOS CROWN COGERAÇÃO INVESTIMENTOS – PRÓPRIO OU EXTERNO IMPLEMENTAÇÃO DE COGERAÇÃO

3 1.PREÇO DO BARRIL DE PETRÓLEO SOBE A CADA DIA EM FUNÇÃO DO AUMENTO DA DEMANDA E INSTABILIDADE DOS PAISES PRODUTORES. 2.RISCO DE RACIONAMENTO ELÉTRICO NO BRASIL EM FUNÇÃO DO INVESTIMENTO ESCASSO EM GERAÇÃO NOS ÚLTIMOS ANOS CRESCENTE IMPORTANCIA DA EFICIENCIA ENERGETICA CENARIO ENERGÉTICO

4 ALTOS CONSUMOS ENERGÉTICOS ENERGIA ELÉTRICA GÁS OU ÓLEO BPF OPERAÇÃO EM REGIME CONTÍNUO: 24 HORAS/DIA, 5 OU 7 DIAS SEMANA NECESSIDADE DE CONFIABILIDADE DE FORNECIMENTO ENERGÉTICO A INDUSTRIA TEXTIL

5 DEMANDA DE 500-4000 KW CONSUMO 300.000–2.000.000 kWh/mês ALTA INCIDENCIA FISCAL DO ICMS: 30% DE ALIQUOTA. 300-400 R$/MWh ENERGIA ELÉTRICA

6 ALTA DEMANDA DE VAPOR PARA USO DIRETO OU AGUA QUENTE CONSUMO ELEVADO DE GAS OU OLEO BPF ENERGIA TÉRMICA

7 PRODUÇAO COMBINADA DE ELETRICIDADE E ENERGIA TERMICA: O grupo gerador aciona um alternador que gera energia elétrica O escape do grupo gerador (400-500 ºC) pode ser aproveitada para gerar vapor em uma caldeira de recuperação ou ar quente diretamente no processo. O sistema de arrefecimento gera água a 90 C em média, que pode ser usada no processo ou alimentar um chiller a absorção movido por água quente. FUNDAMENTOS DA COGERAÇÃO

8 MEDIÇAO PROTEÇOES E DISJUNTOR Rede ElétricaRede Gás Natural FÁBRICA REDE DE VAPOR OU ÁGUA QUENTE DA FÁBRICA E.R.M. ESQUEMA DE FUNCIONAMENTO SEM COGERAÇÃO Caldeira a gas

9 MEDIÇAO PROTEÇOES E DISJUNTOR Rede ElétricaRede Gás Natural FÁBRICA Caldeira de recuperação REDE DE VAPOR DA FÁBRICA E.R.M. 90°C GASES ESCAPE 500°C AGUA QUENTE ESQUEMA DE FUNCIONAMENTO COM COGERAÇÃO 80°C Caldeira de gas Existente 180°C PROCESSO ATMOSFERA AUTOCONSUMO

10 Gas Natural 100% Agua quente 15% Calor em gases de útil 25% escape 32% Energia Mecânica 43% Elétrica útil 42% Perdas por radiação e refrigeração 10% Perdas em gases de escape 7% Perdas do gerador 1% Rendimento Elétrico Equivalente 75,6% COGERAÇÃO COM MOTORES MOVIDOS A GÁS NATURAL

11 MAIOR EFICIÊNCIA ENERGÉTICA MAIOR INDEPENDÊNCIA ENERGÉTICA ALTA RECUPERAÇÃO TÉRMICA PARA VAPOR, AGUA QUENTE, AGUA GELADA REDUÇAO DE CUSTOS FISCAIS: 30% ICMS SOBRE ENERGIA ELETRICA COGERAÇÃO - BENEFÍCIOS

12 EXEMPLOS

13 ENERGIA ELÉTRICA: –Demanda 2000 kW –Consumo 1.000.000 kWh/mês –Tarifa A3A –Custo 340.000 R$/ mês 340 R$/MWh INDUSTRIA TEXTIL ENERGIA TERMICA: –Demanda de vapor 2,5 t: –Consumo de gas natural industrial: 120.000 m3/mês –Custo mensal: 93.000 R$/mês 0,77 R$/m3

14 SIMULAÇÃO DE UM CASO DE COGERAÇÃO NA INDÚSTRIA TÊXTIL CONSUMO DE ELETRICIDADE ATUAL A3A HOROSAZONAL VERDE Demanda ponta 1.900 kW Consumo Horas ponta 100.000 kWh/mês Consumo Horas Fora ponta 898.820 kWh/mês Consumo total 998.820 kWh/mês Horas de funcionamento ano 7.416 h/ano CUSTO ATUAL ENERGIA ELÉTRICA (com ICMS) sem pis,cofins 4.068.966 R$/ano TARIFA MÉDIA COM ICMS339 R$/MWh CONSUMO DE VAPOR E GÁS NATURAL SEM COGERAÇÃO Vazao de vapor média3263Kg/h Consumo anual de gas natural para vapor1.877.299m3/ano Consumo mensal de gas156.393 m3/mês Custo gas natural anual (com ICMS)(Industrial) e sem pis, cofins1.274.289 R$/ano Preço medio de gas natural (com ICMS)0,679 R$/m3 INDUSTRIA TEXTIL

15 COGERAÇAO Potencia Útil da planta (máxima)1667 kWe Consumo de gas4386 kWt Produção anual de eletricidade11.266.690 kWh/an o Consumo anual de gas em cogeração29.643.492 kWh/an o Produçao de vapor da caldeira de recuperação1444 Kg/h CUSTO DE ENERGIA COM COGERAÇÃO HS VERDE A3A (C/ICMS, sem PIS/COFINS) TOTAL (com ICMS) 553.673R$/ano Preço médio de compra770R$/MWh INDUSTRIA TEXTIL

16 CUSTO DE GAS COM COGERAÇÃO (Tarifa Cogeração) Consumo de gas cogeracao (bruto)2.974.191m3/ano Ganho em consumo de gás natural1.045.469m3 gas/ano Consumo mensal para a caldeira e processo69.271m3/mês Consumo mensal para a cogeração 247.849m3/mês Custo anual gas cogeracao (com ICMS) e sem pis, cofins 1.417.627R$/ano Preço médio de compra para cogeraçãocom ICMS e sem Pis/cofins0,477R$/m3 Custo anual novo Gas Industrial com cogeração, sem pis/cofins611.181R$/ano Preço médio de compra GAS Industrial com ICMS, sem pis/cofins0,735R$/m3 INDUSTRIA TEXTIL

17 CALCULO DE GANHOS GANHO ELÉTRICO (com ICMS) 3.515.294 R$ GANHO TÉRMICO EM CONSUMO DE GAS663.109 R$/ano CUSTO DE GAS MOTORES1.417.627 R$/ano CUSTO DE MANUTENCAO522.933 R$/ano GANHO LIQUIDO com ICMS2.237.842 R$/ano INVESTIMENTO (INCLUSO ISS, ICMS; sem PIS, COFINS)3.400.000 R$ PAY-BACK 1,52 anos TIR84% INDUSTRIA TEXTIL

18 CUSTOS ANUAIS (R$/ano) ATUALCOM COGERAÇAO Compra de eletricidade4.068.966 553.573 Compra de Gas Processo1.274.289611.181 Compra Gas Cogeração01.417.627 Manutenção0522.933 TOTAL5.343.2553.105.314 GANHO ANUAL 2.237.941R$ INVESTIMENTO4.000.000 R$ PAY-BACK1,79 anos RESUMO FINANCEIRO COGERAÇÃO

19 CRONOGRAMA TÍPICO DE UM PROJETO DE COGERAÇÃO 1 ano Estudo de Viabilidade Pedido de Ofertas ContrataçãoFinanciamentoStart upTrâmites Administrativos Construção Engenharia

20 A CROWN INDÚSTRIA E COMÉRCIO INICIOU NO ANO PASSADO O CONSUMO DE GÁS NATURAL EM SUA UNIDADE INDUSTRIAL EM PARACAMBI, PARA ALIMENTAR A SUA CALDEIRA, SUBSTITUINDO O DIESEL. COMO CONSUMIDORA INTENSIVA DE ENERGIA ELÉTRICA, SUA CONTA FINAL É MUITO ELEVADA. CASE DA CROWN

21 Em visita a Crown, apresentamos o fundamento da cogeração e coletamos os dados básicos que permitiram realização de um estudo de viabilidade e a apresentação de uma oferta. Com a cogeração, um grupo gerador gera a energia elétrica consumida na fábrica e com o escape do grupo gera vapor em uma caldeira de recuperação. ESTUDO DE VIABILIDADE

22 A DECISÃO DO INVESTIMENTO NA COGERAÇÃO PRÓPRIO OU EXTERNO PRÓPRIO – TIR E PAY BACK E PLANO ESTRATÉGICO EXTERNO – CONDIÇÕES, GARANTIAS, PREMISSAS E GANHO COMPARTILHADO INVESTIMENTO

23 Se é viável, possibilidade de um investidor externo construir a cogeração e vender a energia elétrica e térmica gerada na planta GN Serviços apresentou uma oferta neste molde, que foi aprovada e está sendo executada:redução dos custos energéticos sem risco TERCEIRIZAÇÃO DO INVESTIMENTO: GÁS NATURAL SERVIÇOS

24 INDEPENDÊNCIA ENERGÉTICA AUMENTO DE EFICIENCIA ENERGETICA: REDUÇÃO DOS CUSTOS ENERGÉTICOS EM ATÉ 50%. POSSIBILIDADE DE TERCEIRIZAÇAO DO INVESTIMENTO: AGENTE EXTERNO ASSUME O RISCO EM TROCA DE COMPARTILHAR OS GANHOS. CONCLUSÃO: BENEFICIOS COGERAÇAO

25 Júlio Cesar B. Nunes Manuel Florez Lonjas Brasil Ltda. www.lonjasbrasil.com.br Telefone 22635142 E-mail: juliobn@lonjasbrasil.com.br juliobn@lonjasbrasil.com.brOBRIGADO


Carregar ppt "COGERAÇÃO SEGMENTO DA INDÚSTRIA TÊXTIL NO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, agosto 2006."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google