A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

26º. CONGRESSO BRASILEIRO DE RADIODIFUSÃO. AGENDA CONFERÊNCIA MUNDIAL DE RADIOCOMUNICAÇÕES 2012 Revisão do Regulamento de Rádio, tratado internacional.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "26º. CONGRESSO BRASILEIRO DE RADIODIFUSÃO. AGENDA CONFERÊNCIA MUNDIAL DE RADIOCOMUNICAÇÕES 2012 Revisão do Regulamento de Rádio, tratado internacional."— Transcrição da apresentação:

1 26º. CONGRESSO BRASILEIRO DE RADIODIFUSÃO

2 AGENDA CONFERÊNCIA MUNDIAL DE RADIOCOMUNICAÇÕES 2012 Revisão do Regulamento de Rádio, tratado internacional de uso do espectro e órbitas de satélite DIVIDENDO DIGITALNOVAS TECNOLOGIASSERVIÇOS AUXILIARESCONCLUSÕES

3

4 DIVIDENDO DIGITAL: Itens da conferência 698MHz 806MHz 470MHz 37 CANAIS DIVIDENDO CANAIS DIVIDENDO 2 DIVIDENDO 790MHz 694MHz 862MHz 470MHz WRC WRC 2007 e WRC WRC 2012 e WRC 2015

5 DIVIDENDO DIGITAL: No Brasil  Gratuita  Ampla cobertura  Identidade nacional  Conteúdo regional e local  Meio confiável de acesso a todos Distribuição TVD Atual Geradoras: 513 RTVs Primárias: Geradoras: 174 RTVs: 48 Distribuição TV Analógica RTVs Secundária: 4.555

6 DIVIDENDO DIGITAL: Na Conferência  Especificidades da radiodifusão brasileira não tem paralelo no mundo;  Nota de rodapé evidenciando a exceção regional (WRC07)  Processo de implantação em andamento. QUESTIONAMENTOS Representatividade dos dados utilizados para estimativa de demanda Aumento de tráfego não implica em aumento de espectro

7 DIVIDENDO DIGITAL: Análise das discussões  Cenário de convivência é muito mais complexo do que o inicialmente previsto;  A efetiva mitigação de interferência depende de ações do telespectador e não da operadora;  Interferência proporcional ao número de estações;  Necessário considerar todos os elementos de recepção; 1. Necessidade de alteração em uma série de relatórios e recomendações; 2. Novos modelos de interferência para interferências oriundas de dentro da área de serviço; 3. Caracterização do efeito cumulativo; MOTIVAÇÕES DECISÕES

8 DIVIDENDO DIGITAL: Na próxima conferência  Replanejamento do espectro;  Processo formal para a identificação de novas faixas para banda larga móvel;  Validação de critérios de compartilhamento para o 2º dividendo digital na Europa. JTG Radiodi- fusão Terres- tres Cientí- ficos Satélite

9

10 NOVAS TECNOLOGIAS: Caracterização  Potência limitada  Operação não licenciada  Telemetria  Implante médico  Controle remoto  Controle industrial  Sensores e radares  Alarme e detecção de movimento  Circuito fechado de TV

11 NOVAS TECNOLOGIAS: Caracterização  Conhecimento do ambiente operacional e geográfico;  Uso oportunístico;  Ajuste autônomo e dinâmico dos parâmetros de operação e dos protocolos;  Iniciativas para uso da tecnologia para IMT;  Reconfiguração do terminal.

12 NOVAS TECNOLOGIAS: Regras de compartilhamento  Endereçou os requisitos, características técnicas, desempenho e benefícios;  Estudos de aplicabilidade e condições técnicas em novas aplicações;  Avaliação dos riscos decorrentes do uso oportunístico;  Avançar no desenvolvimento de relatórios e recomendações. IEEE ETSI ISO/IEC NOVAS TECNO- LOGIAS

13

14 SERVIÇOS AUXILIARES: Desafios  Relatórios com requisitos técnicos;  Análise global de faixas;  Mudanças tecnológicas;  Uso em grandes eventos;  Oportunidades de uso mais eficiente do espectro baseada na digitalização

15 SERVIÇOS AUXILIARES: Na conferência  Pouca preparação;  Esforços insuficientes para harmonização internacional;  Choque de interesses com as aspirações de outros serviços terrestres;  Ação restrita aos Grupo de Estudo sem alteração do RR.

16

17 CONCLUSÕES: Brasil  É a plataforma de comunicação de massa mais relevante;  Está em expansão;  Gerenciamento do espectro pode ameaçar a evolução tecnológica do setor.  Harmonização internacional não deve se sobrepor as necessidades nacionais;  Necessidade de se trabalhar em cima de previsões realistas e dados reais.

18 PRÓXIMOS PASSOS  Processo continuado e não é um evento isolado;  Necessidade de ação proativa do setor;  O dividendo digital em países nos quais a TV aberta é pouco relevante não podem servir de modelo para o Brasil. NO BRASILNA UIT  Caracterização das demandas de espectro nacionais;  Tecnologias cognitivas demandam novos modelos de análise;  Desenvolvimento da banda larga móvel não deve acontecer em detrimento de outros serviços.

19

20 26º. CONGRESSO BRASILEIRO DE RADIODIFUSÃO


Carregar ppt "26º. CONGRESSO BRASILEIRO DE RADIODIFUSÃO. AGENDA CONFERÊNCIA MUNDIAL DE RADIOCOMUNICAÇÕES 2012 Revisão do Regulamento de Rádio, tratado internacional."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google