A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Os Frutos do Espirito Santo: 1.Caridade 2.Gozo 3.Paz 4.Paciência 5.Benignidade 6.Bondade 7.Longanimidade Doutrina Cristã 8. Mansidão 9. Fé 10. Modéstia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Os Frutos do Espirito Santo: 1.Caridade 2.Gozo 3.Paz 4.Paciência 5.Benignidade 6.Bondade 7.Longanimidade Doutrina Cristã 8. Mansidão 9. Fé 10. Modéstia."— Transcrição da apresentação:

1

2 Os Frutos do Espirito Santo: 1.Caridade 2.Gozo 3.Paz 4.Paciência 5.Benignidade 6.Bondade 7.Longanimidade Doutrina Cristã 8. Mansidão 9. Fé 10. Modéstia 11. Continência 12. Castidade

3 Vigília SS Pedro e Paulo

4 QUE ALEGRIA QUANDO ME DISSERAM: «VAMOS PARA A CASA DO SENHOR!» OS NOSSOS PASSOS SE DETÊM ÀS TUAS PORTAS, JERUSALÉM.

5 Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amén! A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a Comunhão do Espírito Santo estejam convosco. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo. Irmãos, para celebrar dignamente os Santos Mistérios reconheçamos que somos pecadores (momento de silêncio)

6 Confessemos os nossos pecados: Confesso a Deus Todo-Poderoso e a vós, irmãos, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, atos e omissões, (batendo no peito) por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos Anjos e Santos, e a vós, irmãos, que rogueis por mim a Deus, Nosso Senhor. Deus Todo-Poderoso tenha compaixão de nós perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Ámen!

7 Senhor, tende piedade de nós. Cristo, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós.

8 Solista: Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens por Ele amados. Glória a Deus, na terra e nos céus, Glória, Gloria, Paz na Terra. Senhor Deus, Rei dos Céus, Deus Pai Todo-Poderoso, nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos glorificamos, nós Vos damos graças, por Vossa imensa glória.

9 Glória a Deus, na terra e nos céus, Glória, Glória, Paz na Terra. Senhor Jesus Cristo, Filho Unigénito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai: Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós; Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica; Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós.

10 Gl ó ria a Deus, na terra e nos céus, Gl ó ria, Gl ó ria, Paz na Terra Só Vós sois o Santo; só Vós, sois o Senhor; só Vós, o Altíssimo, Jesus Cristo; com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Ámen! A  –A  –A  -Ámen!

11 ORAÇÃO COLECTA Senhor nosso Deus, que, por meio dos apóstolos São Pedro e São Paulo, comunicastes à vossa Igreja os primeiros ensinamentos da fé, concedei-nos, por sua intercessão, o auxílio necessário para chegarmos à salvação eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amén.

12 I Actos 3, 1-10 «Dou-te o que tenho: em nome de Jesus, levanta-te e anda»

13 LEITURA I I Actos 3, 1-10 Leitura dos Actos dos Apóstolos Pedro e João subiam ao templo para a oração das três horas da tarde. Trouxeram então um homem, coxo de nascença, que colocavam todos os dias à porta do templo, chamada Porta Formosa, para pedir esmola aos que entravam. Ao ver Pedro e João, que iam a entrar no templo, pediu-lhes esmola. Pedro, juntamente com João, olhou fixamente para ele e disse-lhe: «Olha para nós». O coxo olhava atentamente para Pedro e João, esperando receber deles alguma coisa. Pedro disse-lhe: «Não tenho ouro nem prata, mas dou-te o que tenho: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda». E, tomando-lhe a mão direita, levantou-o. Nesse instante fortaleceram-se-lhe os pés e os tornozelos, levantou-se de um salto, pôs-se de pé e começou a andar; depois entrou com eles no templo, caminhando, saltando e louvando a Deus. Toda a gente o viu caminhar e louvar a Deus e, sabendo que era aquele que costumava estar sentado, a mendigar, à Porta Formosa do templo, ficaram cheios de admiração e assombro pelo que lhe tinha acontecido. Palavra do Senhor.

14 LEITURA I I Actos 3, 1-10 Pedro, juntamente com João, olhou fixamente para ele e disse-lhe: «Olha para nós». O coxo olhava atentamente para Pedro e João, esperando receber deles alguma coisa. Pedro disse- lhe: «Não tenho ouro nem prata, mas dou- te o que tenho: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda». E, tomando-lhe a mão direita, levantou-o. Nesse instante fortaleceram-se-lhe os pés e os tornozelos, levantou-se de um salto, pôs-se de pé e começou a andar; depois entrou com eles no templo, caminhando, saltando e louvando a Deus. Toda a gente o viu caminhar e louvar a Deus e, sabendo que era aquele que costumava estar sentado, a mendigar, à Porta Formosa do templo, ficaram cheios de admiração e assombro pelo que lhe tinha acontecido. Palavra do Senhor.

15 LEITURA I I Actos 3, 1-10 Nesse instante fortaleceram-se-lhe os pés e os tornozelos, levantou-se de um salto, pôs-se de pé e começou a andar; depois entrou com eles no templo, caminhando, saltando e louvando a Deus. Toda a gente o viu caminhar e louvar a Deus e, sabendo que era aquele que costumava estar sentado, a mendigar, à Porta Formosa do templo, ficaram cheios de admiração e assombro pelo que lhe tinha acontecido. Palavra do Senhor.

16 LEITURA I I Actos 3, 1-10 ficaram cheios de admiração e assombro pelo que lhe tinha acontecido. Palavra do Senhor. Graças a Deus!

17

18 Salmo 18 A (19 A), (R. 5a)Refrão: A sua mensagem ressoou por toda a terra.

19 Gal 1, «Deus destinou-me desde o seio materno»

20 LEITURA II Gal 1, Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Gálatas Eu vos declaro, irmãos: O Evangelho anunciado por mim não é de inspiração humana, porque não o recebi ou aprendi de nenhum homem, mas por uma revelação de Jesus Cristo. Certamente ouvistes falar do meu proceder outrora no judaísmo e como perseguia terrivelmente a Igreja de Deus e procurava destruí-la. Fazia mais progressos no judaísmo do que muitos dos meus compatriotas da mesma idade, por ser extremamente zeloso das tradições dos meus pais. Mas quando Aquele que me destinou desde o seio materno e me chamou pela sua graça, Se dignou revelar em mim o seu Filho para que eu O anunciasse aos gentios, decididamente não consultei a carne e o sangue, nem subi a Jerusalém para ir ter com os que foram Apóstolos antes de mim; mas retirei-me para a Arábia e depois voltei novamente a Damasco. Três anos mais tarde, subi a Jerusalém para ir conhecer Pedro e fiquei junto dele quinze dias. Não vi mais nenhum dos Apóstolos, a não ser Tiago, irmão do Senhor. – O que vos escrevo, diante de Deus o afirmo: não estou a mentir. – Palavra do Senhor.

21 LEITURA II Gal 1, Judaísmo e como perseguia terrivelmente a Igreja de Deus e procurava destruí-la. Fazia mais progressos no judaísmo do que muitos dos meus compatriotas da mesma idade, por ser extremamente zeloso das tradições dos meus pais. Mas quando Aquele que me destinou desde o seio materno e me chamou pela sua graça, Se dignou revelar em mim o seu Filho para que eu O anunciasse aos gentios, decididamente não consultei a carne e o sangue, nem subi a Jerusalém para ir ter com os que foram Apóstolos antes de mim; mas retirei-me para a Arábia e depois voltei novamente a Damasco. Três anos mais tarde, subi a Jerusalém para ir conhecer Pedro e fiquei junto dele quinze dias. Não vi mais nenhum dos Apóstolos, a não ser Tiago, irmão do Senhor. – O que vos escrevo, diante de Deus o afirmo: não estou a mentir. – Palavra do Senhor.

22 LEITURA II Gal 1, que eu O anunciasse aos gentios, decididamente não consultei a carne e o sangue, nem subi a Jerusalém para ir ter com os que foram Apóstolos antes de mim; mas retirei-me para a Arábia e depois voltei novamente a Damasco. Três anos mais tarde, subi a Jerusalém para ir conhecer Pedro e fiquei junto dele quinze dias. Não vi mais nenhum dos Apóstolos, a não ser Tiago, irmão do Senhor. – O que vos escrevo, diante de Deus o afirmo: não estou a mentir. – Palavra do Senhor.

23 LEITURA II Gal 1, Não vi mais nenhum dos Apóstolos, a não ser Tiago, irmão do Senhor. – O que vos escrevo, diante de Deus o afirmo: não estou a mentir. – Palavra do Senhor. Graças a Deus!

24 AclamaçãoAleluia Senhor, que sabeis tudo, bem sabeis que Vos amo.

25 Jo 21, «Apascenta os meus cordeiros, apascenta as minhas ovelhas»

26 EVANGELHO Jo 21, O Senhor esteja convosco, Ele está no meio de Nós. Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo segundo S. João Glória a Vós, Senhor!

27 EVANGELHO Jo 21, Quando Jesus Se manifestou aos seus discípulos junto ao mar de Tiberíades, depois de comerem, perguntou a Simão Pedro: «Simão, filho de João, tu amas-Me mais do que estes?». Ele respondeu-Lhe: «Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo». Disse-lhe Jesus: «Apascenta os meus cordeiros». Voltou a perguntar-lhe segunda vez: «Simão, filho de João, tu amas-Me?». Ele respondeu-Lhe: «Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo». Disse-lhe Jesus: «Apascenta as minhas ovelhas». Perguntou-lhe pela terceira vez: «Simão, filho de João, tu amas-Me?». Pedro entristeceu-se por Jesus lhe ter perguntado pela terceira vez se O amava e respondeu-Lhe: «Senhor, Tu sabes tudo, bem sabes que Te amo». Disse-lhe Jesus: «Apascenta as minhas ovelhas. Em verdade, em verdade te digo: Quando eras mais novo, tu mesmo te cingias e andavas por onde querias; mas quando fores mais velho, estenderás a mão e outro te cingirá e te levará para onde não queres». Jesus disse isto para indicar o género de morte com que Pedro havia de dar glória a Deus. Dito isto, acrescentou: «Segue-Me». Palavra da salvação.

28 EVANGELHO Jo 21, Voltou a perguntar-lhe segunda vez: «Simão, filho de João, tu amas-Me?». Ele respondeu-Lhe: «Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo». Disse-lhe Jesus: «Apascenta as minhas ovelhas». Perguntou-lhe pela terceira vez: «Simão, filho de João, tu amas-Me?». Pedro entristeceu-se por Jesus lhe ter perguntado pela terceira vez se O amava e respondeu-Lhe: «Senhor, Tu sabes tudo, bem sabes que Te amo». Disse-lhe Jesus: «Apascenta as minhas ovelhas. Em verdade, em verdade te digo: Quando eras mais novo, tu mesmo te cingias e andavas por onde querias; mas quando fores mais velho, estenderás a mão e outro te cingirá e te levará para onde não queres». Jesus disse isto para indicar o género de morte com que Pedro havia de dar glória a Deus. Dito isto, acrescentou: «Segue-Me». Palavra da salvação.

29 EVANGELHO Jo 21, e respondeu-Lhe: «Senhor, Tu sabes tudo, bem sabes que Te amo». Disse-lhe Jesus: «Apascenta as minhas ovelhas. Em verdade, em verdade te digo: Quando eras mais novo, tu mesmo te cingias e andavas por onde querias; mas quando fores mais velho, estenderás a mão e outro te cingirá e te levará para onde não queres». Jesus disse isto para indicar o género de morte com que Pedro havia de dar glória a Deus. Dito isto, acrescentou: «Segue-Me». Palavra da salvação.

30 EVANGELHO Jo 21, Jesus disse isto para indicar o género de morte com que Pedro havia de dar glória a Deus. Dito isto, acrescentou: «Segue-Me». Palavra da salvação. Gloria a Vós, Senhor!

31

32 «E tu, poderás responder á pergunta: tu amas-Me?». á pergunta: tu amas-Me?».

33 Jesus escolheu Pedro, um pescador iletrado, filho de João e irmão de André, como líder dos apóstolos e a “rocha” firme, sobre a qual edificou a Sua Igreja. Recebendo o convite para ser apóstolo de Jesus, deixou os seus bens: o barco e a rede, e a sua família. Foi o único apóstolo a andar sobre o mar e a cortar a orelha dum soldado romano sem ter sido castigado. Foi o primeiro apóstolo a reconhecer publicamente Jesus como o “Filho do Deus vivo”. Esta resposta deixou Jesus muito feliz e pronunciou uma bênção especial; segundo os evangelhos, apenas Pedro recebeu esta bênção. "Bendito sejas Simão, filho de João". É a ele que Jesus entrega o poder de “ligar e desligar”, que diz hoje respeito à doutrina e conduta ética, segundo as quais se declara o permitido e o proibido. Apesar de ter sido chamado uma vez por Jesus de Satanás, os Actos dos Apóstolos descrevem-no a curar milagrosamente em nome de Jesus um coxo à Porta Maravilhosa do Templo de Jerusalém. Pedro foi o primeiro a pregar a ressurreição de Jesus e foi ele quem convocou o primeiro concílio. Além disso escreveu duas epístolas. Pedro, quando foi posto na prisão pela terceira vez, o rei Herodes planeou matá-lo na altura da páscoa tal como tinha crucificado Jesus e martirizado Tiago. Assim como o Pai libertou Jesus da morte, o anjo do Senhor libertou-o da prisão. Jesus previu apenas o destino dum apóstolo, Pedro, que iria glorificar Deus pela sua morte tal como Jesus tinha glorificado ao Pai. “Estenderás as tuas mãos”, significa a crucificação. Uma lenda antiga narra que ele foi crucificado de cabeça para baixo em Roma pelo Imperador Nero, porque não se achou digno de morrer tal como o Senhor tinha sido crucificado. Sobre a sua sepultura foi erigida a Catedral de São Pedro em Roma. São Paulo, fariseu fanático e doutor de Judaísmo, foi miraculosamente convertido no ano 36 e foi escolhido para ser o "apóstolo dos gentios" por mais de 30 anos. Escreveu 14 epístolas, fez muitas viagens missionárias e foi detido na prisão nos últimos dias da sua vida em Caiseria em Roma. A seguir a Jesus, Paulo é a pessoa mais importante no Novo testamento. 13 dos 27 livros do Novo Testamento são-lhe atribuídos e mais de metade dos capítulos dos Actos dos Apóstolos narra a sua conversão e a sua atividade apostólica na pregação do evangelho. Poucos meses antes de morrer fez um balanço de toda a sua vida. “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” Ele tinha a certeza de que Deus lhe daria esta coroa justa no dia em que fosse acolhido nas moradas celestes. A grandeza de Paulo é a sua paixão intensa pela Boa Nova de Jesus e o seu desejo de o proclamar. Ele é o homem da sabedoria, do entusiasmo e da rectidão, e Pedro é o homem da simplicidade, da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

34 Foi o primeiro apóstolo a reconhecer publicamente Jesus como o “Filho do Deus vivo”. Esta resposta deixou Jesus muito feliz e pronunciou uma bênção especial; segundo os evangelhos, apenas Pedro recebeu esta bênção. "Bendito sejas Simão, filho de João". É a ele que Jesus entrega o poder de “ligar e desligar”, que diz hoje respeito à doutrina e conduta ética, segundo as quais se declara o permitido e o proibido. Apesar de ter sido chamado uma vez por Jesus de Satanás, os Actos dos Apóstolos descrevem-no a curar milagrosamente em nome de Jesus um coxo à Porta Maravilhosa do Templo de Jerusalém. Pedro foi o primeiro a pregar a ressurreição de Jesus e foi ele quem convocou o primeiro concílio. Além disso escreveu duas epístolas. Pedro, quando foi posto na prisão pela terceira vez, o rei Herodes planeou matá-lo na altura da páscoa tal como tinha crucificado Jesus e martirizado Tiago. Assim como o Pai libertou Jesus da morte, o anjo do Senhor libertou-o da prisão. Jesus previu apenas o destino dum apóstolo, Pedro, que iria glorificar Deus pela sua morte tal como Jesus tinha glorificado ao Pai. “Estenderás as tuas mãos”, significa a crucificação. Uma lenda antiga narra que ele foi crucificado de cabeça para baixo em Roma pelo Imperador Nero, porque não se achou digno de morrer tal como o Senhor tinha sido crucificado. Sobre a sua sepultura foi erigida a Catedral de São Pedro em Roma. São Paulo, fariseu fanático e doutor de Judaísmo, foi miraculosamente convertido no ano 36 e foi escolhido para ser o "apóstolo dos gentios" por mais de 30 anos. Escreveu 14 epístolas, fez muitas viagens missionárias e foi detido na prisão nos últimos dias da sua vida em Caiseria em Roma. A seguir a Jesus, Paulo é a pessoa mais importante no Novo testamento. 13 dos 27 livros do Novo Testamento são-lhe atribuídos e mais de metade dos capítulos dos Actos dos Apóstolos narra a sua conversão e a sua atividade apostólica na pregação do evangelho. Poucos meses antes de morrer fez um balanço de toda a sua vida. “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” Ele tinha a certeza de que Deus lhe daria esta coroa justa no dia em que fosse acolhido nas moradas celestes. A grandeza de Paulo é a sua paixão intensa pela Boa Nova de Jesus e o seu desejo de o proclamar. Ele é o homem da sabedoria, do entusiasmo e da rectidão, e Pedro é o homem da simplicidade, da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

35 Apesar de ter sido chamado uma vez por Jesus de Satanás, os Actos dos Apóstolos descrevem-no a curar milagrosamente em nome de Jesus um coxo à Porta Maravilhosa do Templo de Jerusalém. Pedro foi o primeiro a pregar a ressurreição de Jesus e foi ele quem convocou o primeiro concílio. Além disso escreveu duas epístolas. Pedro, quando foi posto na prisão pela terceira vez, o rei Herodes planeou matá-lo na altura da páscoa tal como tinha crucificado Jesus e martirizado Tiago. Assim como o Pai libertou Jesus da morte, o anjo do Senhor libertou-o da prisão. Jesus previu apenas o destino dum apóstolo, Pedro, que iria glorificar Deus pela sua morte tal como Jesus tinha glorificado ao Pai. “Estenderás as tuas mãos”, significa a crucificação. Uma lenda antiga narra que ele foi crucificado de cabeça para baixo em Roma pelo Imperador Nero, porque não se achou digno de morrer tal como o Senhor tinha sido crucificado. Sobre a sua sepultura foi erigida a Catedral de São Pedro em Roma. São Paulo, fariseu fanático e doutor de Judaísmo, foi miraculosamente convertido no ano 36 e foi escolhido para ser o "apóstolo dos gentios" por mais de 30 anos. Escreveu 14 epístolas, fez muitas viagens missionárias e foi detido na prisão nos últimos dias da sua vida em Caiseria em Roma. A seguir a Jesus, Paulo é a pessoa mais importante no Novo testamento. 13 dos 27 livros do Novo Testamento são-lhe atribuídos e mais de metade dos capítulos dos Actos dos Apóstolos narra a sua conversão e a sua atividade apostólica na pregação do evangelho. Poucos meses antes de morrer fez um balanço de toda a sua vida. “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” Ele tinha a certeza de que Deus lhe daria esta coroa justa no dia em que fosse acolhido nas moradas celestes. A grandeza de Paulo é a sua paixão intensa pela Boa Nova de Jesus e o seu desejo de o proclamar. Ele é o homem da sabedoria, do entusiasmo e da rectidão, e Pedro é o homem da simplicidade, da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

36 o rei Herodes planeou matá-lo na altura da páscoa tal como tinha crucificado Jesus e martirizado Tiago. Assim como o Pai libertou Jesus da morte, o anjo do Senhor libertou-o da prisão. Jesus previu apenas o destino dum apóstolo, Pedro, que iria glorificar Deus pela sua morte tal como Jesus tinha glorificado ao Pai. “Estenderás as tuas mãos”, significa a crucificação. Uma lenda antiga narra que ele foi crucificado de cabeça para baixo em Roma pelo Imperador Nero, porque não se achou digno de morrer tal como o Senhor tinha sido crucificado. Sobre a sua sepultura foi erigida a Catedral de São Pedro em Roma. São Paulo, fariseu fanático e doutor de Judaísmo, foi miraculosamente convertido no ano 36 e foi escolhido para ser o "apóstolo dos gentios" por mais de 30 anos. Escreveu 14 epístolas, fez muitas viagens missionárias e foi detido na prisão nos últimos dias da sua vida em Caiseria em Roma. A seguir a Jesus, Paulo é a pessoa mais importante no Novo testamento. 13 dos 27 livros do Novo Testamento são-lhe atribuídos e mais de metade dos capítulos dos Actos dos Apóstolos narra a sua conversão e a sua atividade apostólica na pregação do evangelho. Poucos meses antes de morrer fez um balanço de toda a sua vida. “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” Ele tinha a certeza de que Deus lhe daria esta coroa justa no dia em que fosse acolhido nas moradas celestes. A grandeza de Paulo é a sua paixão intensa pela Boa Nova de Jesus e o seu desejo de o proclamar. Ele é o homem da sabedoria, do entusiasmo e da rectidão, e Pedro é o homem da simplicidade, da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

37 Uma lenda antiga narra que ele foi crucificado de cabeça para baixo em Roma pelo Imperador Nero, porque não se achou digno de morrer tal como o Senhor tinha sido crucificado. Sobre a sua sepultura foi erigida a Catedral de São Pedro em Roma. São Paulo, fariseu fanático e doutor de Judaísmo, foi miraculosamente convertido no ano 36 e foi escolhido para ser o "apóstolo dos gentios" por mais de 30 anos. Escreveu 14 epístolas, fez muitas viagens missionárias e foi detido na prisão nos últimos dias da sua vida em Caiseria em Roma. A seguir a Jesus, Paulo é a pessoa mais importante no Novo testamento. 13 dos 27 livros do Novo Testamento são-lhe atribuídos e mais de metade dos capítulos dos Actos dos Apóstolos narra a sua conversão e a sua atividade apostólica na pregação do evangelho. Poucos meses antes de morrer fez um balanço de toda a sua vida. “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” Ele tinha a certeza de que Deus lhe daria esta coroa justa no dia em que fosse acolhido nas moradas celestes. A grandeza de Paulo é a sua paixão intensa pela Boa Nova de Jesus e o seu desejo de o proclamar. Ele é o homem da sabedoria, do entusiasmo e da rectidão, e Pedro é o homem da simplicidade, da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

38 anos. Escreveu 14 epístolas, fez muitas viagens missionárias e foi detido na prisão nos últimos dias da sua vida em Caiseria em Roma. A seguir a Jesus, Paulo é a pessoa mais importante no Novo testamento. 13 dos 27 livros do Novo Testamento são-lhe atribuídos e mais de metade dos capítulos dos Actos dos Apóstolos narra a sua conversão e a sua atividade apostólica na pregação do evangelho. Poucos meses antes de morrer fez um balanço de toda a sua vida. “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” Ele tinha a certeza de que Deus lhe daria esta coroa justa no dia em que fosse acolhido nas moradas celestes. A grandeza de Paulo é a sua paixão intensa pela Boa Nova de Jesus e o seu desejo de o proclamar. Ele é o homem da sabedoria, do entusiasmo e da rectidão, e Pedro é o homem da simplicidade, da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

39 Poucos meses antes de morrer fez um balanço de toda a sua vida. “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” Ele tinha a certeza de que Deus lhe daria esta coroa justa no dia em que fosse acolhido nas moradas celestes. A grandeza de Paulo é a sua paixão intensa pela Boa Nova de Jesus e o seu desejo de o proclamar. Ele é o homem da sabedoria, do entusiasmo e da rectidão, e Pedro é o homem da simplicidade, da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

40 da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

41 S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós. Assim seja!

42

43 Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra De todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigénito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; Gerado, não criado, consubstancial ao Pai. Por Ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação

44 desceu dos céus (Faz-se inclinação) E encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria. e Se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras; e subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai.

45 De novo há-de vir em sua glória, para julgar os vivos e os mortos; e o seu reino não terá fim. Creio no Espírito Santo. Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele que falou pelos Profetas.

46 Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica. Professo um só batismo Para remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos, e vida do mundo que há-de vir. Amén.

47

48 I rmãs e irmãos: Na Vigília da solenidade dos santos Apóstolos Pedro e Paulo, apresentemos a Deus Pai as nossas súplicas pelas necessidades de todo o mundo, dizendo cheios de esperança: Aumentai, Senhor, a nossa fé. Pela santa Igreja fundada sobre Pedro, o humilde pescador da Galileia, para que se renove na fé e alcance a unidade, oremos, irmãos. Aumentai, Senhor, a nossa fé.

49 Pelo Papa Francisco, sucessor de São Pedro, para que apascente as ovelhas do Senhor para que apascente as ovelhas do Senhor e ame a Cristo com todo o coração, oremos, irmãos. Aumentai, Senhor, a nossa fé. Pelos ministros da Igreja e pelos fiéis, para que não busquem, neste mundo, ouro e prata, mas os dons que Jesus Cristo lhes oferece, oremos, irmãos. Aumentai, Senhor, a nossa fé.

50 Por todos aqueles que anunciam o Evangelho, para que o façam resplandecer diante dos homens, como o fez o apóstolo Paulo no seu tempo, oremos, irmãos. Aumentai, Senhor, a nossa fé. Pelos governantes de todas as nações, para que promovam a paz e a justiça e o bem-estar dos cidadãos dos seus países, oremos, irmãos. Aumentai, Senhor, a nossa fé.

51 Pela nossa comunidade (paroquial), para que persevere fiel à sã doutrina e ao testemunho recebido dos Apóstolos, oremos, irmãos. Aumentai, Senhor, a nossa fé.

52 Deus eterno e omnipotente, que, pelo Baptismo da água e do Espírito, nos fizestes renascer para a vida eterna, confirmai-nos na fé dos Apóstolos Pedro e Paulo e fazei-nos tomar parte no banquete do Reino. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amém.

53

54 Uma espiga dourada p'lo sol, cacho de uvas que um homem cortou, se convertem p'ra nós em pão e vinho de amor, no Corpo e Sangue do Senhor. Comungamos a mesma comunhão, somos trigo do mesmo semeador, um moinho, a vida nos tritura com dor, Deus nos faz Eucaristia no amor

55 Orai, Irmãos para que o meu e vosso sacrifício seja aceite por Deus Pai todo-poderoso. Todos: receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para honra e glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja

56 (Todos de pé) ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS Ao celebrarmos com alegria, Senhor, a festa dos apóstolos São Pedro e São Paulo, apresentamos as nossas ofertas ao vosso altar e, reconhecendo a pobreza dos nossos méritos, esperamos da vossa bondade a alegria da salvação. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amém.

57 Prefácio V. O Senhor esteja convosco. R. Ele está no meio de nós. V. Corações ao alto. R. O nosso coração está em Deus. V. Dêmos graças ao Senhor nosso Deus. R. É nosso dever, é nossa salvação.

58 Senhor, Pai santo, Deus eterno e omnipotente, é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação dar-Vos graças, sempre e em toda a parte. Vós nos concedeis a alegria de celebrar hoje a festa dos santos apóstolos Pedro e Paulo: Pedro, que foi o primeiro a confessar a fé em Cristo, e Paulo, que a ilustrou com a sua doutrina; Pedro, que estabeleceu a Igreja nascente entre os filhos de Israel, e Paulo, que anunciou o Evangelho a todos os povos; ambos trabalharam, cada um segundo a sua graça, para formar a única família de Cristo; agora, associados na mesma coroa de glória, recebem do povo fiel a mesma veneração. Por isso, com todos os Anjos e Santos, proclamamos a vossa glória, cantando numa só voz:

59 que anunciou o Evangelho a todos os povos; ambos trabalharam, cada um segundo a sua graça, para formar a única família de Cristo; agora, associados na mesma coroa de glória, recebem do povo fiel a mesma veneração. Por isso, com todos os Anjos e Santos, proclamamos a vossa glória, cantando numa só voz:

60

61 Sac: Vós, Senhor, sois verdadeiramente santo, sois a fonte de toda a santidade. Reunidos na vossa presença, em comunhão com toda a Igreja, ao celebrarmos o primeiro dia da semana, em que Nosso Senhor Jesus Cristo ressuscitou dos mortos, humildemente Vos suplicamos: (Todos ajoelham) Santificai estes dons, derramando sobre eles o Vosso Espírito, de modo a que se convertam para nós, no Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.

62 Na hora em que Ele Se entregava, para voluntariamente sofrer a morte, tomou o pão e, dando graças, partiu-o e deu-o aos seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu Corpo que será entregue por vós.

63 De igual modo, no fim da Ceia, tomou o cálice e, dando graças, deu-o aos seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu Sangue o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos, para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de mim.

64 Mistério da Fé! Anunciamos, Senhor, a vossa morte, proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

65 Sac. Celebrando agora, Senhor, o memorial da morte e ressurreição de vosso Filho nós Vos oferecemos o pão da vida e o cálice da salvação e Vos damos graças porque nos admitistes à vossa presença para Vos servir nestes santos mistérios. Humildemente Vos suplicamos que, participando no Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos, pelo Espírito Santo, num só corpo.

66 Lembrai-Vos, Senhor, da vossa Igreja, dispersa por toda a terra, e tornai-a perfeita na caridade em comunhão com o Papa Francisco, e o nosso Patriarca Manuel, os bispos auxiliares e todos aqueles que estão ao serviço do vosso povo. Lembrai-Vos também dos nossos irmãos que adormeceram na esperança da ressurreição, e de todos aqueles que na vossa misericórdia partiram deste mundo:

67 admiti-os na luz da vossa presença. Tende misericórdia de nós, Senhor, e dai- nos a graça de participar na vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, São José seu esposo, os bem-aventurados Apóstolos e todos os Santos que desde o princípio do mundo viveram na vossa amizade, para cantarmos os vossos louvores, por Jesus Cristo, vosso Filho.

68 Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória agora e para sempre… Amén.

69

70 Pai Nosso, que estais nos céus, santificado seja o Vosso nome. Venha a nós o Vosso Reino. Seja feita a Vossa vontade, assim na Terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje. Perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal.

71 Sac. Livrai-nos de todo o mal, Senhor, e dai ao mundo a paz em nossos dias, para que, ajudados pela vossa misericórdia, sejamos sempre livres do pecado e de toda a perturbação, enquanto esperamos a vinda gloriosa de Jesus Cristo nosso Salvador. Vosso é o reino e o poder e a glória para sempre.

72 Sac. Senhor Jesus Cristo, que dissestes aos vossos Apóstolos. Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz: não olheis aos nossos pecados mas à Fé da vossa Igreja e dai-lhe a união e a paz, segundo a Vossa vontade. Vós que sois Deus com o Pai na unidade do Espírito Santo. Amén. A paz do Senhor esteja sempre convosco. O amor de Cristo nos uniu. Sac. Saudai-vos na paz de Cristo.

73

74 CORDEIRO DE DEUS, QUE TIRAIS O PECADO DO MUNDO. TENDE PIEDADE DE NÓS, CORDEIRO DE DEUS, QUE TIRAIS O PECADO DO MUNDO. TENDE PIEDADE DE NÓS, CORDEIRO DE DEUS, QUE TIRAIS O PECADO DO MUNDO. DAI-NOS A PAZ,

75 Sac. Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo. Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma só palavra e serei salvo

76

77 Como o Senhor nos amou, jamais alguém pode amar, P’lo caminho da justiça nos ensina a caminhar Quando estamos reunidos e partilhamos Seu pão Ele nos dá o Seu amor e a Sua paz É o Meu Corpo: tomai e comei. É o Meu Sangue: tomai e bebei: Porque Eu sou a vida, porque eu sou o amor. Ó Senhor faz-nos viver no Teu amor.

78 Como o Senhor nos amou, jamais alguém pode amar, Em tudo o que nos legou manifesta o Seu amor. Quem comer a Minha carne e beber o Meu sangue, Permanecerá em mim e Eu nele. É o Meu Corpo: tomai e comei. É o Meu Sangue: tomai e bebei: Porque Eu sou a vida, porque eu sou o amor. Ó Senhor faz-nos viver no Teu amor.

79

80 Senhor, graças Vos dou por toda a luz. Graças vos dou por todo o amor. Pelo céu, pela terra mil graças Vos dou, Senhor. Senhor, graças por esta refeição, por este Vinho e este Pão e por todos os homens de quem nós somos irmãos.

81 Oração depois da comunhão Senhor, que iluminastes os vossos fiéis com os ensinamentos dos Apóstolos, fortalecei-nos sempre com estes sacramentos celestes. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amén.

82

83 Sac. O Senhor esteja convosco. Ele está no meio de nós. Sac. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amén. Sac. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

84 AVE MARIA, MÃE DA IGREJA, SANTA MARIA, MINHA MÃE. (2) Tu és a estrela, Tu és a verdade. Tu és caminho que leva à eternidade.

85

86 Ficha técnica: Eucaristia Celebrada por: Fr.Jacob Puthiyaparampil Animada por: Grupo Coral do Momento Projecção : Luís Dias Realização : A. Alberto Sousa Imagens recolhidas: Via Google Projeção disponível :www.mcccastanheira.blogspot.ptwww.mcccastanheira


Carregar ppt "Os Frutos do Espirito Santo: 1.Caridade 2.Gozo 3.Paz 4.Paciência 5.Benignidade 6.Bondade 7.Longanimidade Doutrina Cristã 8. Mansidão 9. Fé 10. Modéstia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google