A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Os Frutos do Espirito Santo: 1.Caridade 2.Gozo 3.Paz 4.Paciência 5.Benignidade 6.Bondade 7.Longanimidade Doutrina Cristã 8. Mansidão 9. Fé 10. Modéstia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Os Frutos do Espirito Santo: 1.Caridade 2.Gozo 3.Paz 4.Paciência 5.Benignidade 6.Bondade 7.Longanimidade Doutrina Cristã 8. Mansidão 9. Fé 10. Modéstia."— Transcrição da apresentação:

1

2 Os Frutos do Espirito Santo: 1.Caridade 2.Gozo 3.Paz 4.Paciência 5.Benignidade 6.Bondade 7.Longanimidade Doutrina Cristã 8. Mansidão 9. Fé 10. Modéstia 11. Continência 12. Castidade

3 Vigília SS Pedro e Paulo

4 Iremos com alegria para a casa do Senhor, Iremos com alegria para a casa do Senhor!

5 Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém! A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a Comunhão do Espírito Santo estejam convosco. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo. Irmãos, para celebrar dignamente os Santos Mistérios reconheçamos que somos pecadores (momento de silêncio)

6 Confessemos os nossos pecados: Confesso a Deus Todo-Poderoso e a vós, irmãos, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, atos e omissões, (batendo no peito) por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos Anjos e Santos, e a vós, irmãos, que rogueis por mim a Deus, Nosso Senhor. Deus Todo-Poderoso tenha compaixão de nós perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Ámen!

7 Senhor, tende piedade de nós. Cristo, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós.

8 Solista: Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens por Ele amados. Glória a Deus, na terra e nos céus, Glória, Gloria, Paz na Terra. Senhor Deus, Rei dos Céus, Deus Pai Todo-Poderoso, nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos glorificamos, nós Vos damos graças, por Vossa imensa glória.

9 Glória a Deus, na terra e nos céus, Glória, Glória, Paz na Terra. Senhor Jesus Cristo, Filho Unigénito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai: Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós; Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica; Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós.

10 Gl ó ria a Deus, na terra e nos céus, Gl ó ria, Gl ó ria, Paz na Terra Só Vós sois o Santo; só Vós, sois o Senhor; só Vós, o Altíssimo, Jesus Cristo; com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Ámen! A  –A  –A  -Ámen!

11 ORAÇÃO COLECTA Senhor, que nos encheis de santa alegria na solenidade dos apóstolos São Pedro e São Paulo, concedei à vossa Igreja que se mantenha sempre fiel à doutrina daqueles que foram o fundamento da sua fé. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amén.

12 Actos 12, 1-11 «Agora sei realmente que o Senhor me libertou das mãos de Herodes»

13 LEITURA I Actos 12, 1-11 Leitura dos Actos dos Apóstolos Naqueles dias, o rei Herodes começou a perseguir alguns membros da Igreja. Mandou matar à espada Tiago, irmão de João, e, vendo que tal procedimento agradava aos judeus, mandou prender também Pedro. Era nos dias dos Ázimos. Mandou-o prender e meter na cadeia, entregando-o à guarda de quatro piquetes de quatro soldados cada um, com a intenção de o fazer comparecer perante o povo, depois das festas da Páscoa. Enquanto Pedro era guardado na prisão, a Igreja orava instantemente a Deus por ele. Na noite anterior ao dia em que Herodes pensava fazê-lo comparecer, Pedro dormia entre dois soldados, preso a duas correntes, enquanto as sentinelas, à porta, guardavam a prisão. De repente, apareceu o Anjo do Senhor e uma luz iluminou a cela da cadeia. O Anjo acordou Pedro, tocando-lhe no ombro, e disse-lhe: «Levanta-te depressa». E as correntes caíram-lhe das mãos. Então o Anjo disse-lhe: «Põe o cinto e calça as sandálias». Ele assim fez. Depois acrescentou: «Envolve-te no teu manto e segue-me». Pedro saiu e foi-o seguindo, sem perceber a realidade do que estava a acontecer por meio do Anjo; julgava que era uma visão. Depois de atravessarem o primeiro e o segundo posto da guarda, chegaram à porta de ferro, que dá para a cidade, e a porta abriu-se por si mesma diante deles. Saíram, avançando por uma rua, e subitamente o Anjo desapareceu. Então Pedro, voltando a si, exclamou: «Agora sei realmente que o Senhor enviou o seu Anjo e me libertou das mãos de Herodes e de toda a expectativa do povo judeu». Palavra do Senhor. Pedro, juntamente com João, olhou fixamente para ele e disse-lhe: «Olha para nós». O coxo olhava atentamente para Pedro e João, esperando receber deles alguma coisa. Pedro disse-lhe: «Não tenho ouro nem prata, mas dou-te o que tenho: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda». E, tomando-lhe a mão direita, levantou-o. Nesse instante fortaleceram-se-lhe os pés e os tornozelos, levantou-se de um salto, pôs-se de pé e começou a andar; depois entrou com eles no templo, caminhando, saltando e louvando a Deus. Toda a gente o viu caminhar e louvar a Deus e, sabendo que era aquele que costumava estar sentado, a mendigar, à Porta Formosa do templo, ficaram cheios de admiração e assombro pelo que lhe tinha acontecido. Palavra do Senhor.

14 LEITURA I Actos 12, 1-11 de quatro soldados cada um, com a intenção de o fazer comparecer perante o povo, depois das festas da Páscoa. Enquanto Pedro era guardado na prisão, a Igreja orava instantemente a Deus por ele. Na noite anterior ao dia em que Herodes pensava fazê-lo comparecer, Pedro dormia entre dois soldados, preso a duas correntes, enquanto as sentinelas, à porta, guardavam a prisão. De repente, apareceu o Anjo do Senhor e uma luz iluminou a cela da cadeia. O Anjo acordou Pedro, tocando-lhe no ombro, e disse-lhe: «Levanta-te depressa». E as correntes caíram-lhe das mãos. Então o Anjo disse-lhe: «Põe o cinto e calça as sandálias». Ele assim fez. Depois acrescentou: «Envolve-te no teu manto e segue-me». Pedro saiu e foi-o seguindo, sem perceber a realidade do que estava a acontecer por meio do Anjo; julgava que era uma visão. Depois de atravessarem o primeiro e o segundo posto da guarda, chegaram à porta de ferro, que dá para a cidade, e a porta abriu-se por si mesma diante deles. Saíram, avançando por uma rua, e subitamente o Anjo desapareceu. Então Pedro, voltando a si, exclamou: «Agora sei realmente que o Senhor enviou o seu Anjo e me libertou das mãos de Herodes e de toda a expectativa do povo judeu». Palavra do Senhor. Pedro, juntamente com João, olhou fixamente para ele e disse-lhe: «Olha para nós». O coxo olhava atentamente para Pedro e João, esperando receber deles alguma coisa. Pedro disse-lhe: «Não tenho ouro nem prata, mas dou-te o que tenho: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda». E, tomando-lhe a mão direita, levantou-o. Nesse instante fortaleceram-se-lhe os pés e os tornozelos, levantou-se de um salto, pôs-se de pé e começou a andar; depois entrou com eles no templo, caminhando, saltando e louvando a Deus. Toda a gente o viu caminhar e louvar a Deus e, sabendo que era aquele que costumava estar sentado, a mendigar, à Porta Formosa do templo, ficaram cheios de admiração e assombro pelo que lhe tinha acontecido. Palavra do Senhor.

15 LEITURA I Actos 12, 1-11 preso a duas correntes, enquanto as sentinelas, à porta, guardavam a prisão. De repente, apareceu o Anjo do Senhor e uma luz iluminou a cela da cadeia. O Anjo acordou Pedro, tocando-lhe no ombro, e disse-lhe: «Levanta-te depressa». E as correntes caíram-lhe das mãos. Então o Anjo disse-lhe: «Põe o cinto e calça as sandálias». Ele assim fez. Depois acrescentou: «Envolve-te no teu manto e segue-me». Pedro saiu e foi-o seguindo, sem perceber a realidade do que estava a acontecer por meio do Anjo; julgava que era uma visão. Depois de atravessarem o primeiro e o segundo posto da guarda, chegaram à porta de ferro, que dá para a cidade, e a porta abriu-se por si mesma diante deles. Saíram, avançando por uma rua, e subitamente o Anjo desapareceu. Então Pedro, voltando a si, exclamou: «Agora sei realmente que o Senhor enviou o seu Anjo e me libertou das mãos de Herodes e de toda a expectativa do povo judeu». Palavra do Senhor. Pedro, juntamente com João, olhou fixamente para ele e disse-lhe: «Olha para nós». O coxo olhava atentamente para Pedro e João, esperando receber deles alguma coisa. Pedro disse-lhe: «Não tenho ouro nem prata, mas dou-te o que tenho: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda». E, tomando-lhe a mão direita, levantou-o. Nesse instante fortaleceram-se-lhe os pés e os tornozelos, levantou-se de um salto, pôs-se de pé e começou a andar; depois entrou com eles no templo, caminhando, saltando e louvando a Deus. Toda a gente o viu caminhar e louvar a Deus e, sabendo que era aquele que costumava estar sentado, a mendigar, à Porta Formosa do templo, ficaram cheios de admiração e assombro pelo que lhe tinha acontecido. Palavra do Senhor.

16 LEITURA I Actos 12, 1-11 «Põe o cinto e calça as sandálias». Ele assim fez. Depois acrescentou: «Envolve-te no teu manto e segue-me». Pedro saiu e foi-o seguindo, sem perceber a realidade do que estava a acontecer por meio do Anjo; julgava que era uma visão. Depois de atravessarem o primeiro e o segundo posto da guarda, chegaram à porta de ferro, que dá para a cidade, e a porta abriu-se por si mesma diante deles. Saíram, avançando por uma rua, e subitamente o Anjo desapareceu. Então Pedro, voltando a si, exclamou: «Agora sei realmente que o Senhor enviou o seu Anjo e me libertou das mãos de Herodes e de toda a expectativa do povo judeu». Palavra do Senhor. Pedro, juntamente com João, olhou fixamente para ele e disse-lhe: «Olha para nós». O coxo olhava atentamente para Pedro e João, esperando receber deles alguma coisa. Pedro disse-lhe: «Não tenho ouro nem prata, mas dou-te o que tenho: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda». E, tomando-lhe a mão direita, levantou-o. Nesse instante fortaleceram-se-lhe os pés e os tornozelos, levantou-se de um salto, pôs-se de pé e começou a andar; depois entrou com eles no templo, caminhando, saltando e louvando a Deus. Toda a gente o viu caminhar e louvar a Deus e, sabendo que era aquele que costumava estar sentado, a mendigar, à Porta Formosa do templo, ficaram cheios de admiração e assombro pelo que lhe tinha acontecido. Palavra do Senhor.

17 LEITURA I Actos 12, 1-11 Depois de atravessarem o primeiro e o segundo posto da guarda, chegaram à porta de ferro, que dá para a cidade, e a porta abriu-se por si mesma diante deles. Saíram, avançando por uma rua, e subitamente o Anjo desapareceu. Então Pedro, voltando a si, exclamou: «Agora sei realmente que o Senhor enviou o seu Anjo e me libertou das mãos de Herodes e de toda a expectativa do povo judeu». Palavra do Senhor. Pedro, juntamente com João, olhou fixamente para ele e disse-lhe: «Olha para nós». O coxo olhava atentamente para Pedro e João, esperando receber deles alguma coisa. Pedro disse-lhe: «Não tenho ouro nem prata, mas dou-te o que tenho: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda». E, tomando-lhe a mão direita, levantou-o. Nesse instante fortaleceram-se-lhe os pés e os tornozelos, levantou-se de um salto, pôs-se de pé e começou a andar; depois entrou com eles no templo, caminhando, saltando e louvando a Deus. Toda a gente o viu caminhar e louvar a Deus e, sabendo que era aquele que costumava estar sentado, a mendigar, à Porta Formosa do templo, ficaram cheios de admiração e assombro pelo que lhe tinha acontecido. Palavra do Senhor.

18 LEITURA I Actos 12, 1-11 «Agora sei realmente que o Senhor enviou o seu Anjo e me libertou das mãos de Herodes e de toda a expectativa do povo judeu». Palavra do Senhor. Graças a Deus!

19

20 Salmo 33 (34), (R. 5b)Refrão: O Senhor libertou-me de toda a ansiedade.

21 2 Tim 4, «Já me está preparada a coroa da justiça»

22 LEITURA II 2 Tim 4, Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo a Timóteo Caríssimo: Eu já estou oferecido em libação e o tempo da minha partida está iminente. Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé. E agora já me está preparada a coroa da justiça, que o Senhor, justo juiz, me há-de dar naquele dia; e não só a mim, mas a todos aqueles que tiverem esperado com amor a sua vinda. O Senhor esteve a meu lado e deu-me força, para que, por meu intermédio, a mensagem do Evangelho fosse plenamente proclamada e todos os pagãos a ouvissem; e eu fui libertado da boca do leão. O Senhor me livrará de todo o mal e me dará a salvação no seu reino celeste. Glória a Ele pelos séculos dos séculos. Amen. Palavra do Senhor.

23 LEITURA II 2 Tim 4, E agora já me está preparada a coroa da justiça, que o Senhor, justo juiz, me há-de dar naquele dia; e não só a mim, mas a todos aqueles que tiverem esperado com amor a sua vinda. O Senhor esteve a meu lado e deu-me força, para que, por meu intermédio, a mensagem do Evangelho fosse plenamente proclamada e todos os pagãos a ouvissem; e eu fui libertado da boca do leão. O Senhor me livrará de todo o mal e me dará a salvação no seu reino celeste. Glória a Ele pelos séculos dos séculos. Amen. Palavra do Senhor.

24 LEITURA II 2 Tim 4, e eu fui libertado da boca do leão. O Senhor me livrará de todo o mal e me dará a salvação no seu reino celeste. Glória a Ele pelos séculos dos séculos. Amém. Palavra do Senhor. Graças a Deus!

25 Aclamação Canto aleluias ao Senhor, Canto aleluias ao Senhor Canto aleluias, Canto aleluias, Canto aleluias ao Senhor Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

26 Mt 16, «Tu és Pedro e dar-te-ei as chaves do reino dos Céus»

27 EVANGELHO Mt 16, O Senhor esteja convosco, Ele está no meio de Nós. Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo segundo S. Mateus Glória a Vós, Senhor!

28 EVANGELHO Mt 16, Naquele tempo, Jesus foi para os lados de Cesareia de Filipe e perguntou aos seus discípulos: «Quem dizem os homens que é o Filho do homem?». Eles responderam: «Uns dizem que é João Baptista, outros que é Elias, outros que é Jeremias ou algum dos profetas». Jesus perguntou: «E vós, quem dizeis que Eu sou?». Então, Simão Pedro tomou a palavra e disse: «Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo». Jesus respondeu-lhe: «Feliz de ti, Simão, filho de Jonas, porque não foram a carne e o sangue que to revelaram, mas sim meu Pai que está nos Céus. Também Eu te digo: Tu és Pedro; sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos Céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos Céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos Céus». Palavra da salvação.

29 EVANGELHO Mt 16, «E vós, quem dizeis que Eu sou?». Então, Simão Pedro tomou a palavra e disse: «Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo». Jesus respondeu-lhe: «Feliz de ti, Simão, filho de Jonas, porque não foram a carne e o sangue que to revelaram, mas sim meu Pai que está nos Céus. Também Eu te digo: Tu és Pedro; sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos Céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos Céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos Céus». Palavra da salvação.

30 EVANGELHO Mt 16, Tu és Pedro; sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos Céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos Céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos Céus». Palavra da salvação. Gloria a Vós senhor!

31

32 Jesus escolheu Pedro, um pescador iletrado, filho de João e irmão de André, como líder dos apóstolos e a “rocha” firme, sobre a qual edificou a Sua Igreja. Recebendo o convite para ser apóstolo de Jesus, deixou os seus bens: o barco e a rede, e a sua família. Foi o único apóstolo a andar sobre o mar e a cortar a orelha dum soldado romano sem ter sido castigado. Foi o primeiro apóstolo a reconhecer publicamente Jesus como o “Filho do Deus vivo”. Esta resposta deixou Jesus muito feliz e pronunciou uma bênção especial; segundo os evangelhos, apenas Pedro recebeu esta bênção. "Bendito sejas Simão, filho de João". É a ele que Jesus entrega o poder de “ligar e desligar”, que diz hoje respeito à doutrina e conduta ética, segundo as quais se declara o permitido e o proibido. Apesar de ter sido chamado uma vez por Jesus de Satanás, os Actos dos Apóstolos descrevem-no a curar milagrosamente em nome de Jesus um coxo à Porta Maravilhosa do Templo de Jerusalém. Pedro foi o primeiro a pregar a ressurreição de Jesus e foi ele quem convocou o primeiro concílio. Além disso escreveu duas epístolas. Pedro, quando foi posto na prisão pela terceira vez, o rei Herodes planeou matá-lo na altura da páscoa tal como tinha crucificado Jesus e martirizado Tiago. Assim como o Pai libertou Jesus da morte, o anjo do Senhor libertou-o da prisão. Jesus previu apenas o destino dum apóstolo, Pedro, que iria glorificar Deus pela sua morte tal como Jesus tinha glorificado ao Pai. “Estenderás as tuas mãos”, significa a crucificação. Uma lenda antiga narra que ele foi crucificado de cabeça para baixo em Roma pelo Imperador Nero, porque não se achou digno de morrer tal como o Senhor tinha sido crucificado. Sobre a sua sepultura foi erigida a Catedral de São Pedro em Roma. São Paulo, fariseu fanático e doutor de Judaísmo, foi miraculosamente convertido no ano 36 e foi escolhido para ser o "apóstolo dos gentios" por mais de 30 anos. Escreveu 14 epístolas, fez muitas viagens missionárias e foi detido na prisão nos últimos dias da sua vida em Caiseria em Roma. A seguir a Jesus, Paulo é a pessoa mais importante no Novo testamento. 13 dos 27 livros do Novo Testamento são-lhe atribuídos e mais de metade dos capítulos dos Actos dos Apóstolos narra a sua conversão e a sua atividade apostólica na pregação do evangelho. Poucos meses antes de morrer fez um balanço de toda a sua vida. “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” Ele tinha a certeza de que Deus lhe daria esta coroa justa no dia em que fosse acolhido nas moradas celestes. A grandeza de Paulo é a sua paixão intensa pela Boa Nova de Jesus e o seu desejo de o proclamar. Ele é o homem da sabedoria, do entusiasmo e da rectidão, e Pedro é o homem da simplicidade, da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

33 Foi o primeiro apóstolo a reconhecer publicamente Jesus como o “Filho do Deus vivo”. Esta resposta deixou Jesus muito feliz e pronunciou uma bênção especial; segundo os evangelhos, apenas Pedro recebeu esta bênção. "Bendito sejas Simão, filho de João". É a ele que Jesus entrega o poder de “ligar e desligar”, que diz hoje respeito à doutrina e conduta ética, segundo as quais se declara o permitido e o proibido. Apesar de ter sido chamado uma vez por Jesus de Satanás, os Actos dos Apóstolos descrevem-no a curar milagrosamente em nome de Jesus um coxo à Porta Maravilhosa do Templo de Jerusalém. Pedro foi o primeiro a pregar a ressurreição de Jesus e foi ele quem convocou o primeiro concílio. Além disso escreveu duas epístolas. Pedro, quando foi posto na prisão pela terceira vez, o rei Herodes planeou matá-lo na altura da páscoa tal como tinha crucificado Jesus e martirizado Tiago. Assim como o Pai libertou Jesus da morte, o anjo do Senhor libertou-o da prisão. Jesus previu apenas o destino dum apóstolo, Pedro, que iria glorificar Deus pela sua morte tal como Jesus tinha glorificado ao Pai. “Estenderás as tuas mãos”, significa a crucificação. Uma lenda antiga narra que ele foi crucificado de cabeça para baixo em Roma pelo Imperador Nero, porque não se achou digno de morrer tal como o Senhor tinha sido crucificado. Sobre a sua sepultura foi erigida a Catedral de São Pedro em Roma. São Paulo, fariseu fanático e doutor de Judaísmo, foi miraculosamente convertido no ano 36 e foi escolhido para ser o "apóstolo dos gentios" por mais de 30 anos. Escreveu 14 epístolas, fez muitas viagens missionárias e foi detido na prisão nos últimos dias da sua vida em Caiseria em Roma. A seguir a Jesus, Paulo é a pessoa mais importante no Novo testamento. 13 dos 27 livros do Novo Testamento são-lhe atribuídos e mais de metade dos capítulos dos Actos dos Apóstolos narra a sua conversão e a sua atividade apostólica na pregação do evangelho. Poucos meses antes de morrer fez um balanço de toda a sua vida. “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” Ele tinha a certeza de que Deus lhe daria esta coroa justa no dia em que fosse acolhido nas moradas celestes. A grandeza de Paulo é a sua paixão intensa pela Boa Nova de Jesus e o seu desejo de o proclamar. Ele é o homem da sabedoria, do entusiasmo e da rectidão, e Pedro é o homem da simplicidade, da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

34 Apesar de ter sido chamado uma vez por Jesus de Satanás, os Actos dos Apóstolos descrevem-no a curar milagrosamente em nome de Jesus um coxo à Porta Maravilhosa do Templo de Jerusalém. Pedro foi o primeiro a pregar a ressurreição de Jesus e foi ele quem convocou o primeiro concílio. Além disso escreveu duas epístolas. Pedro, quando foi posto na prisão pela terceira vez, o rei Herodes planeou matá-lo na altura da páscoa tal como tinha crucificado Jesus e martirizado Tiago. Assim como o Pai libertou Jesus da morte, o anjo do Senhor libertou-o da prisão. Jesus previu apenas o destino dum apóstolo, Pedro, que iria glorificar Deus pela sua morte tal como Jesus tinha glorificado ao Pai. “Estenderás as tuas mãos”, significa a crucificação. Uma lenda antiga narra que ele foi crucificado de cabeça para baixo em Roma pelo Imperador Nero, porque não se achou digno de morrer tal como o Senhor tinha sido crucificado. Sobre a sua sepultura foi erigida a Catedral de São Pedro em Roma. São Paulo, fariseu fanático e doutor de Judaísmo, foi miraculosamente convertido no ano 36 e foi escolhido para ser o "apóstolo dos gentios" por mais de 30 anos. Escreveu 14 epístolas, fez muitas viagens missionárias e foi detido na prisão nos últimos dias da sua vida em Caiseria em Roma. A seguir a Jesus, Paulo é a pessoa mais importante no Novo testamento. 13 dos 27 livros do Novo Testamento são-lhe atribuídos e mais de metade dos capítulos dos Actos dos Apóstolos narra a sua conversão e a sua atividade apostólica na pregação do evangelho. Poucos meses antes de morrer fez um balanço de toda a sua vida. “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” Ele tinha a certeza de que Deus lhe daria esta coroa justa no dia em que fosse acolhido nas moradas celestes. A grandeza de Paulo é a sua paixão intensa pela Boa Nova de Jesus e o seu desejo de o proclamar. Ele é o homem da sabedoria, do entusiasmo e da rectidão, e Pedro é o homem da simplicidade, da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

35 o rei Herodes planeou matá-lo na altura da páscoa tal como tinha crucificado Jesus e martirizado Tiago. Assim como o Pai libertou Jesus da morte, o anjo do Senhor libertou-o da prisão. Jesus previu apenas o destino dum apóstolo, Pedro, que iria glorificar Deus pela sua morte tal como Jesus tinha glorificado ao Pai. “Estenderás as tuas mãos”, significa a crucificação. Uma lenda antiga narra que ele foi crucificado de cabeça para baixo em Roma pelo Imperador Nero, porque não se achou digno de morrer tal como o Senhor tinha sido crucificado. Sobre a sua sepultura foi erigida a Catedral de São Pedro em Roma. São Paulo, fariseu fanático e doutor de Judaísmo, foi miraculosamente convertido no ano 36 e foi escolhido para ser o "apóstolo dos gentios" por mais de 30 anos. Escreveu 14 epístolas, fez muitas viagens missionárias e foi detido na prisão nos últimos dias da sua vida em Caiseria em Roma. A seguir a Jesus, Paulo é a pessoa mais importante no Novo testamento. 13 dos 27 livros do Novo Testamento são-lhe atribuídos e mais de metade dos capítulos dos Actos dos Apóstolos narra a sua conversão e a sua atividade apostólica na pregação do evangelho. Poucos meses antes de morrer fez um balanço de toda a sua vida. “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” Ele tinha a certeza de que Deus lhe daria esta coroa justa no dia em que fosse acolhido nas moradas celestes. A grandeza de Paulo é a sua paixão intensa pela Boa Nova de Jesus e o seu desejo de o proclamar. Ele é o homem da sabedoria, do entusiasmo e da rectidão, e Pedro é o homem da simplicidade, da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

36 Uma lenda antiga narra que ele foi crucificado de cabeça para baixo em Roma pelo Imperador Nero, porque não se achou digno de morrer tal como o Senhor tinha sido crucificado. Sobre a sua sepultura foi erigida a Catedral de São Pedro em Roma. São Paulo, fariseu fanático e doutor de Judaísmo, foi miraculosamente convertido no ano 36 e foi escolhido para ser o "apóstolo dos gentios" por mais de 30 anos. Escreveu 14 epístolas, fez muitas viagens missionárias e foi detido na prisão nos últimos dias da sua vida em Caiseria em Roma. A seguir a Jesus, Paulo é a pessoa mais importante no Novo testamento. 13 dos 27 livros do Novo Testamento são-lhe atribuídos e mais de metade dos capítulos dos Actos dos Apóstolos narra a sua conversão e a sua atividade apostólica na pregação do evangelho. Poucos meses antes de morrer fez um balanço de toda a sua vida. “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” Ele tinha a certeza de que Deus lhe daria esta coroa justa no dia em que fosse acolhido nas moradas celestes. A grandeza de Paulo é a sua paixão intensa pela Boa Nova de Jesus e o seu desejo de o proclamar. Ele é o homem da sabedoria, do entusiasmo e da rectidão, e Pedro é o homem da simplicidade, da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

37 anos. Escreveu 14 epístolas, fez muitas viagens missionárias e foi detido na prisão nos últimos dias da sua vida em Caiseria em Roma. A seguir a Jesus, Paulo é a pessoa mais importante no Novo testamento. 13 dos 27 livros do Novo Testamento são-lhe atribuídos e mais de metade dos capítulos dos Actos dos Apóstolos narra a sua conversão e a sua atividade apostólica na pregação do evangelho. Poucos meses antes de morrer fez um balanço de toda a sua vida. “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” Ele tinha a certeza de que Deus lhe daria esta coroa justa no dia em que fosse acolhido nas moradas celestes. A grandeza de Paulo é a sua paixão intensa pela Boa Nova de Jesus e o seu desejo de o proclamar. Ele é o homem da sabedoria, do entusiasmo e da rectidão, e Pedro é o homem da simplicidade, da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

38 Poucos meses antes de morrer fez um balanço de toda a sua vida. “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” Ele tinha a certeza de que Deus lhe daria esta coroa justa no dia em que fosse acolhido nas moradas celestes. A grandeza de Paulo é a sua paixão intensa pela Boa Nova de Jesus e o seu desejo de o proclamar. Ele é o homem da sabedoria, do entusiasmo e da rectidão, e Pedro é o homem da simplicidade, da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

39 da compaixão e da iniciativa. Os dois tiveram os nomes trocados após uma forte experiência que tiveram com Cristo nas suas vidas. Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão da fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós.

40 S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! Como cidadão romano, pela lei romana, São Paulo não devia ser crucificado e por isso foi decapitado em Roma, no local das três fontes, e a catedral de São Paulo foi edificada no lugar onde foi sepultado. S. Pedro e S. Paulo: Rogai por nós. Assim seja!

41 «E tu, poderás responder á pergunta: tu amas-Me?». á pergunta: tu amas-Me?».

42

43 Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra De todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigénito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; Gerado, não criado, consubstancial ao Pai. Por Ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação

44 desceu dos céus (Faz-se inclinação) E encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria. e Se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras; e subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai.

45 De novo há-de vir em sua glória, para julgar os vivos e os mortos; e o seu reino não terá fim. Creio no Espírito Santo. Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele que falou pelos Profetas.

46 Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica. Professo um só batismo Para remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos, e vida do mundo que há-de vir. Amén.

47

48 I rmãs e irmãos: Na Vigília da solenidade dos santos Apóstolos Pedro e Paulo, apresentemos a Deus Pai as nossas súplicas pelas necessidades de todo o mundo, dizendo cheios de esperança: Aumentai, Senhor, a nossa fé. Pela santa Igreja fundada sobre Pedro, para que ela sinta, no meio das dificuldades deste mundo, a força de Deus que a conduz à salvação, oremos, irmãos. Aumentai, Senhor, a nossa fé.

49 Pelo Papa Francisco, sucessor do apóstolo São Pedro, para que confirme na fé os seus irmãos e seja sinal da unidade da Igreja, oremos, irmãos. Aumentai, Senhor, a nossa fé. Pelos bispos e presbíteros mais idosos, e por todos os que estiveram ao serviço do povo de Deus, para que Jesus Cristo os assista e lhes dê força, oremos, irmãos. Aumentai, Senhor, a nossa fé.

50 Por todos os que, a exemplo de São Paulo, anunciam o Evangelho de Jesus, para que Ele os livre de todo o mal, oremos, irmãos. Aumentai, Senhor, a nossa fé. Pelos perseguidos por causa da sua fé, para que a oração perseverante da Igreja lhes obtenha a paz e a liberdade, oremos, irmãos. Aumentai, Senhor, a nossa fé.

51 Pela nossa comunidade (paroquial), para que viva na paz e na concórdia e bendiga a Deus, que está nos céus, oremos, irmãos. Aumentai, Senhor, a nossa fé.

52 Deus, clemente e cheio de compaixão, atendei o povo que Vos suplica e, por intercessão dos apóstolos São Pedro e São Paulo, concedei-nos o que humildemente Vos pedimos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amém.

53

54 Há um barco esquecido na praia Já não leva ninguém a pescar É o barco de André e de Pedro Que partiram pra não mais voltar Quantas vezes partiram seguros Enfrentando os perigos do mar Era chuva, era noite, era escuro Mas os dois precisavam pescar De repente aparece Jesus Pouco a pouco se acende uma luz É preciso pescar diferente Que o povo já sente que o tempo chegou E partiram sem mesmo pensar Nos perigos de profetizar Há um barco esquecido na praia Um barco esquecido na praia Um barco esquecido na praia

55 Orai, Irmãos para que o meu e vosso sacrifício seja aceite por Deus Pai todo-poderoso. Todos: receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para honra e glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja

56 (Todos de pé) ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS Fazei, Senhor, que a oração dos santos Apóstolos acompanhe a oferta que trazemos ao vosso altar e nos una intimamente a Vós ao celebrarmos este divino sacrifício. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amém.

57 Prefácio V. O Senhor esteja convosco. R. Ele está no meio de nós. V. Corações ao alto. R. O nosso coração está em Deus. V. Dêmos graças ao Senhor nosso Deus. R. É nosso dever, é nossa salvação.

58 Senhor, Pai santo, Deus eterno e omnipotente, é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação dar-Vos graças, sempre e em toda a parte. Vós nos concedeis a alegria de celebrar hoje a festa dos santos apóstolos Pedro e Paulo: Pedro, que foi o primeiro a confessar a fé em Cristo, e Paulo, que a ilustrou com a sua doutrina; Pedro, que estabeleceu a Igreja nascente entre os filhos de Israel, e Paulo, que anunciou o Evangelho a todos os povos; ambos trabalharam, cada um segundo a sua graça, para formar a única família de Cristo; agora, associados na mesma coroa de glória, recebem do povo fiel a mesma veneração. Por isso, com todos os Anjos e Santos, proclamamos a vossa glória, cantando numa só voz:

59 Evangelho a todos os povos; ambos trabalharam, cada um segundo a sua graça, para formar a única família de Cristo; agora, associados na mesma coroa de glória, recebem do povo fiel a mesma veneração. Por isso, com todos os Anjos e Santos, proclamamos a vossa glória, cantando numa só voz:

60

61 O Senhor é Santo o Senhor é Santo O Senhor é Santo, O céu e a terra proclama vossa glória hossana hossana hossana, Bendito o que vem em nome do Senhor, hossana hossana hossana O Senhor é Santo …..

62 Sac: Vós, Senhor, sois verdadeiramente santo, sois a fonte de toda a santidade. Reunidos na vossa presença, em comunhão com toda a Igreja, ao celebrarmos o primeiro dia da semana, em que Nosso Senhor Jesus Cristo ressuscitou dos mortos, humildemente Vos suplicamos: (Todos ajoelham) Santificai estes dons, derramando sobre eles o Vosso Espírito, de modo a que se convertam para nós, no Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.

63 Na hora em que Ele Se entregava, para voluntariamente sofrer a morte, tomou o pão e, dando graças, partiu-o e deu-o aos seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu Corpo que será entregue por vós.

64 De igual modo, no fim da Ceia, tomou o cálice e, dando graças, deu-o aos seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu Sangue o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos, para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de mim.

65 Mistério da Fé! Anunciamos, Senhor, a vossa morte, proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

66 Sac. Celebrando agora, Senhor, o memorial da morte e ressurreição de vosso Filho nós Vos oferecemos o pão da vida e o cálice da salvação e Vos damos graças porque nos admitistes à vossa presença para Vos servir nestes santos mistérios. Humildemente Vos suplicamos que, participando no Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos, pelo Espírito Santo, num só corpo.

67 Lembrai-Vos, Senhor, da vossa Igreja, dispersa por toda a terra, e tornai-a perfeita na caridade em comunhão com o Papa Francisco, e o nosso Patriarca Manuel, os bispos auxiliares e todos aqueles que estão ao serviço do vosso povo. Lembrai-Vos também dos nossos irmãos que adormeceram na esperança da ressurreição, e de todos aqueles que na vossa misericórdia partiram deste mundo:

68 admiti-os na luz da vossa presença. Tende misericórdia de nós, Senhor, e dai- nos a graça de participar na vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, São José seu esposo, os bem-aventurados Apóstolos e todos os Santos que desde o princípio do mundo viveram na vossa amizade, para cantarmos os vossos louvores, por Jesus Cristo, vosso Filho.

69 Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória agora e para sempre… Amén.

70

71 Pai Nosso, que estais nos céus, santificado seja o Vosso nome. Venha a nós o Vosso Reino. Seja feita a Vossa vontade, assim na Terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje. Perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal.

72 Sac. Livrai-nos de todo o mal, Senhor, e dai ao mundo a paz em nossos dias, para que, ajudados pela vossa misericórdia, sejamos sempre livres do pecado e de toda a perturbação, enquanto esperamos a vinda gloriosa de Jesus Cristo nosso Salvador. Vosso é o reino e o poder e a glória para sempre.

73 Sac. Senhor Jesus Cristo, que dissestes aos vossos Apóstolos. Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz: não olheis aos nossos pecados mas à Fé da vossa Igreja e dai-lhe a união e a paz, segundo a Vossa vontade. Vós que sois Deus com o Pai na unidade do Espírito Santo. Amén. A paz do Senhor esteja sempre convosco. O amor de Cristo nos uniu. Sac. Saudai-vos na paz de Cristo.

74

75 CORDEIRO DE DEUS, QUE TIRAIS O PECADO DO MUNDO. TENDE PIEDADE DE NÓS, CORDEIRO DE DEUS, QUE TIRAIS O PECADO DO MUNDO. TENDE PIEDADE DE NÓS, CORDEIRO DE DEUS, QUE TIRAIS O PECADO DO MUNDO. DAI-NOS A PAZ,

76 Sac. Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo. Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma só palavra e serei salvo

77

78 Deus está aqui, Deus está aqui, Deus está, Deus está Na palavra proclamada, que alimenta a nossa vida, aqui junto de nós, Deus está No corpo e sangue de Jesus, que nos deixou como sinal. no seu amor por nós, Deus está Por todos nós aqui presentes, como unidade reunida. consolidar a fé, Deus está

79

80 Jesus como eu sou feliz, teu amor só me faz crescer meu senhor eu estou aqui e com meu amor quero agradecer – BIS Jesus como eu sou feliz, tua voz faz-me caminhar meu senhor tu és minha luz e com tua luz quero iluminar - BIS

81 Oração depois da comunhão Senhor, que nos alimentastes com este sacramento, concedei-nos a graça de vivermos de tal modo na vossa Igreja que, assíduos à fracção do pão e ao ensino dos Apóstolos, sejamos um só coração e uma só alma, solidamente enraizados no vosso amor. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amém.

82

83 Sac. O Senhor esteja convosco. Ele está no meio de nós. Sac. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém. Sac. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

84 Fortes na fé, anunciamos o poder da vida, Fortes na fé, anunciamos que Jesus é Deus Fortes na fé, Fortes na fé, acreditamos que ele reinará

85

86 Ficha técnica: Eucaristia Celebrada por: Fr.Jacob Puthiyaparampil Animada por: Grupo Coral Dominical Projecção : Edgar Ribeiro Realização : A. Alberto Sousa Imagens recolhidas: Via Google Projeção disponível :www.mcccastanheira.blogspot.ptwww.mcccastanheira


Carregar ppt "Os Frutos do Espirito Santo: 1.Caridade 2.Gozo 3.Paz 4.Paciência 5.Benignidade 6.Bondade 7.Longanimidade Doutrina Cristã 8. Mansidão 9. Fé 10. Modéstia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google