A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dia Internacional contra as Monoculturas de Árvores 21 de setembro de 2008.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dia Internacional contra as Monoculturas de Árvores 21 de setembro de 2008."— Transcrição da apresentação:

1 Dia Internacional contra as Monoculturas de Árvores 21 de setembro de 2008

2

3 As monoculturas de árvores provocam graves impactos nas comunidades onde são instaladas: - esgotam as fontes e cursos de água locais - destroem amplas superfícies de floresta - grandes empresas nacionais e estrangeiras ocupam enormes áreas de terras que serviam de sustento a populações locais

4

5 - destroem a vegetação local provocando assim a desaparição dos animais que dela dependem - geram poucos empregos, em condições de trabalho ruins, em geral através de subempreiteiros - as mulheres sofrem impactos que afetam especificamente a elas

6

7 - afetam a saúde das pessoas pelas mudanças nos ecossistemas locais, pelo uso maciço de agrotóxicos e pela desaparição de plantas medicinais - dão lugar a grandes incêndios que colocam em risco a vida das pessoas - resultam em graves violações aos direitos humanos: ameaças, torturas, terror, mortes...

8 ocupação do território…

9 Ocupam grandes extensões de terra que poderiam ser usadas para a produção de alimentos pelas famílias que esperam a reforma agrária. Brasil As empresas madeireiras são ruins: chegam, cortam as melhores árvores, tiram a madeira e vão embora. As empresas plantadoras são piores: chegam, cortam as melhores árvores, tiram a madeira, queimam o restante, plantam suas árvores, e ficam! Malásia Expulsaram todas as pessoas que habitam nas áreas a ser plantadas e derrubaram as casas e até as escolas. Argentina

10 destruição de florestas…

11 Antes podíamos viver decentemente da floresta, mas a empresa a cortou para plantar suas árvores de borracha. Camarões Os rios estão secando; as árvores, a natureza, se acabam; os animais fogem, com isso que semeiam derrubam tudo. Isto está só eucalipto. Equador É penosa a forma em que estão cortando nossa floresta. Destruída para sempre. Como vamos sobreviver se não há mais floresta. Indonésia

12 impactos na água...

13 Os rios secaram onde crescem as plantações. Lembro lugares onde as pessoas podiam tomar banho quando eu era criança, agora estão secos. Suazilândia Começou a secar a água e os povoadores ficaram sem poder plantar arroz. Um de cada vez, foram vendendo suas terras e indo embora. Tailândia Passei toda minha vida aqui e jamais tinha faltado a água até que instalaram todas estas plantações. Uruguai

14 impactos sobre a biodiversidade…

15 Exploraram as madeiras que tínhamos, canalizaram e secaram os lamaçais; os animais não têm alimentos, as aves vão embora por falta de fruta. Colômbia A companhia cortou tudo, agora não há árvores, nem animais nem vegetais. Antes havia florestas e muitos animais selvagens; podíamos encontrar vegetais, medicinas, resinas, raízes, peixes, frutas. Camboja

16 impactos sobre a biodiversidade…

17 Antes havia caça por aqui e outros animais da floresta, mas agora já não tem nada, os rios estavam cheios e tinha peixes para pescar. Equador A floresta era muito importante para nós. Coletávamos fungos, brotos de bambu, insetos e ervas para nos alimentar. Tinha água, animais e pássaros. As plantações de eucalipto não deram benefícios para nós, lá não tinha nada para comer. Tailândia

18 impactos diferenciados sobre as mulheres…

19 Com as plantações, nós, as mulheres, nos sentíamos ameaçadas, não podíamos ir aos cultivos sozinhas, e mantínhamos nossas filhas em casa, trancafiadas, não podiam sair a lugar nenhum e como plantinhas sem sol secavam. Equador Com a substituição da floresta pela plantação de eucalipto perdemos alimentos: frutos, pescaria e caça. Também esgotaram rios e córregos, que eram lugares de encontro para as mulheres e de troca dos saberes femininos. Brasil

20 impactos diferenciados sobre as mulheres…

21 A água escasseia desde que os eucaliptos foram plantados. Antes para regar as lavouras fazíamos poços pouco profundos. Agora temos que cavar mais fundo e trazemos a água para consumo doméstico, para nosso gado, aves e cabras de muito longe. Isso faz com que o trabalho das mulheres seja ainda mais duro. África do Sul Antes eu ia à floresta sozinha ou com minha filha. Agora tenho medo de esbarrar com o pessoal da empresa e só tenho coragem de ir se vou com outras pessoas. Camboja

22 o trabalho nas plantações…

23 Com a mecanização da colheita teve milhares de demissões. Cada máquina substituiu 14 trabalhadores. Brasil Nas plantações de borracha somos tratados como escravos, trabalhamos 12 horas, todos os dias do ano, inclusive os feriados. Carregamos em nossos ombros mais de 60 quilos e só recebemos a metade se não completamos a quantia estabelecida. Liberia A maioria dos trabalhadores é recrutada por subempreiteiros, com baixos salários, insegurança no trabalho, sem benefícios sociais e com dificuldades para sindicalizar- nos. África do Sul

24 impactos na saúde…

25 Sempre vêm os problemas de estômago e de visão, alguns de nós já não enxergamos. O pólen do pinheiro faz uma espuma amarela na água e isso nos faz mal. Chile Praguicidas proibidos em muitas partes do mundo, como o Paraquat e o Endosulfan, são responsáveis por casos de envenenamento agudo e de várias mortes no trabalho nas plantações de dendezeiros. Malásia Com as plantações perdemos a floresta, perdemos as ervas, aumentou a malária, a diarréia, os parasitas. Camarões

26 plantações e direitos humanos…

27 Assassinaram, torturaram, fizeram sumir pessoas, destruíram e queimaram moradias, expulsaram a todas as comunidades. Quando voltamos tudo estava semeado com dendezeiros. Colômbia Chegou um pessoal que violava e matava. Alguns quiseram ir embora logo em seguida, vendendo a terra a qualquer preço para a empresa plantadora. Equador

28 plantações e direitos humanos…

29 O Estado chileno se colocou a serviço das empresas florestais e enquanto a polícia reprime, tortura e mata; o poder judiciário criminaliza a luta Mapuche. Chile A vida na plantação de dendezeiros é escravidão. Recebemos salários muito baixos, o trabalho é duro, temos doenças respiratórias, cegueira, tuberculose, mortes e a sindicalização é impossível. Camarões

30 incêndios…

31 Neste ano foram incendiados mais de hectares de plantações. Morreram 3 pessoas e 30 foram feridas. Nos incêndios do ano passado morreram mais de 20 pessoas. África do Sul A terra rachada e os incêndios são constantes nas áreas de plantações. Venezuela

32 incêndios…

33 Nas plantações de pinheiros secou tudo e houve incêndios. Uma mulher morreu queimada, estava sozinha, tentou apagar o fogo com galhos e as chamas a rodearam. Equador Para as empresas a queimada é a forma mais barata de limpar as terras para a plantação de dendezeiros. Indonésia

34 É por isso tudo que as monoculturas de árvores foram definidas pelos povos de diferentes países como:

35 - florestas mortas que matam tudo - câncer verde - desertos verdes - milicos plantados - árvores egoistas

36 E além disso, agora surgem novas ameaças:

37 - agrocombustíveis - sumidouros de carbono - etanol celulósico - árvores transgênicas

38 Portanto, no Dia Internacional contra as Monoculturas de Árvores, exigimos:

39


Carregar ppt "Dia Internacional contra as Monoculturas de Árvores 21 de setembro de 2008."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google