A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Corporate Governance e Auditoria Interna IPAI 23 de Novembro 2005 Rui Neves Soares Instituto Português de Corporate Governance.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Corporate Governance e Auditoria Interna IPAI 23 de Novembro 2005 Rui Neves Soares Instituto Português de Corporate Governance."— Transcrição da apresentação:

1 Corporate Governance e Auditoria Interna IPAI 23 de Novembro 2005 Rui Neves Soares Instituto Português de Corporate Governance

2 IPAI I 2005 Nov 23 I 2 Corporate Governance e Auditoria Interna √ Corporate Governance: Outlook √ A relação com a Auditoria Interna

3 IPAI I 2005 Nov 23 I 3 √ Corporate Governance: Actual e Global Códigos publicados Corporate Governance e Auditoria Interna Anterior a 1997 Austr á lia (2002) Canad á (2004) Fran ç a (2002) Irlanda (1999) Nova Zelândia (2000) Á frica do Sul (2002) Espanha (2003) Su é cia (2001) Reino Unido (2003) EUA (2003) 1997 Finlândia (2003) Japão (2001) Holanda (2003) Sri Lanka Tailândia 1998 B é lgica (2004) Gr é cia (2001) Alemanha (2003) Í ndia (2003) 2000 Dinamarca (2001) Indon é sia (2001) Filipinas (2002) Rom é nia (2002) Singapura (2001) 2002 Á ustria Chile Colômbia Paquistão Pol ó nia R ú ssia Eslov á quia Su íç a 2003/2004 Bangladesh Chipre Islândia Lituânia Maur í cias Omã Eslov é nia Turquia Ucrânia (data) – Última actualização Fonte: Simon Wong, “Corporate Governance for Emerging Markets”, Mckinsey July Argentina China Rep. Checa Malta Peru (2002) 1999 Brasil (2004) Hong Kong (2004) It á lia (2002) Qu é nia (2000) Mal á sia M é xico Portugal (2003) Coreia do Sul

4 IPAI I 2005 Nov 23 I 4 √ Corporate Governance: Actual e Global Códigos publicados Corporate Governance e Auditoria Interna Anterior a 1997 Austr á lia (2002) Canad á (2004) Fran ç a (2004) Irlanda (1999) Nova Zelândia (2004) Á frica do Sul (2002) Espanha (2004) Su é cia (2004) Reino Unido (2005) EUA (2004) 1997 Finlândia (2003) Japão (2004) Holanda (2003) Sri Lanka Tailândia 1998 B é lgica (2005) Gr é cia (2001) Alemanha (2005) Í ndia (2003) 1999 Brasil (2004) Hong Kong (2004) It á lia (2002) Qu é nia (2000) Mal á sia M é xico Portugal (2003) Coreia do Sul 2000 Dinamarca (2005) Indon é sia (2001) Filipinas (2002) Rom é nia (2002) Singapura (2005) 2001 Argentina China Rep. Checa (2004) Malta Peru (2002) 2002 Á ustria Chile Colômbia Paquistão Pol ó nia (2004) R ú ssia Eslov á quia Su íç a 2003/2004 Bangladesh Chipre Islândia Lituânia Maur í cias Omã Eslov é nia Turquia Ucrânia (data) – Última actualização Fonte: Simon Wong, “Corporate Governance for Emerging Markets”, Mckinsey July 2004 e ECGI 2005 Jamaica Noruega

5 IPAI I 2005 Nov 23 I 5 √ Corporate Governance: Global e Actual Diferentes códigos Diferentes países Corporate Governance e Auditoria Interna Administradores / Directores Independentes? Separação de funções CEO e Chairman? RU Cadbury code (1992) Combined code(2003) Maioria não-executivos Maioria independentes Recomendada Clara preferência pela separação França Boston report (2002) Pelo menos metadeNada é dito EUA Conference board (2003) Maioria IndependentesSeparação é uma alternativa aceite Brasil Código CVM (2002) O maior nº possívelClara preferência pela separação Singapura CG Committee (2001) Pelo menos 1/3Recomendada Fonte: Paul Coombes & Simon Chiu-Yin Wong, “Why codes of governance work”, The Mckinsey Quarterly, 2004, No. 2

6 IPAI I 2005 Nov 23 I 6 √ Corporate Governance: Global e Actual Diferentes códigos Diferentes países Corporate Governance e Auditoria Interna Rotação dos Auditores Externos Frequência do reporte financeiro Conformar-se ou justificar-se? RU Cadbury code (1992) Combined code(2003) Periodicamente Lead Audit Partner) Semestral Sim França Boston report (2002) Nada é dito Não é nec.rio EUA Conference board (2003) Recomendada para a empresa de auditoria Trimestral (lei)Não é nec.rio Brasil Código CVM (2002) Não abrangido pelo códigoTrimestralNão é nec.rio Singapura CG Committee (2001) Não abrangido pelo códigoTrimestralSim Fonte: Paul Coombes & Simon Chiu-Yin Wong, “Why codes of governance work”, The Mckinsey Quarterly, 2004, No. 2

7 IPAI I 2005 Nov 23 I 7 Corporate Governance e Auditoria Interna √ Modelo óptimo de Corporate Governance Não há um modelo único e óptimo de Corporate Governance !

8 IPAI I 2005 Nov 23 I 8 Corporate Governance e Auditoria Interna √ Modelo óptimo de Corporate Governance Dependência de factores Composição accionista da empresa Sofisticação e maturidade dos mercados Maturidade e especificidades do sistema judicial Cultura ética da empresa e da sociedade Enquadramento legislativo Best Practices Model

9 IPAI I 2005 Nov 23 I 9 Corporate Governance e Auditoria Interna √ Corporate Governance Frequentes dimensões Ética e códigos deontológicos Multiplicidade de cargos Divulgação de Informação Responsabilização, fiscalização e controlo Cumprimentos das normas Direitos dos accionistas e estatutos das empresas Responsabilidade social e sustentabilidade Corporate Governance Estrutura do órgão de gestão: Executivos vs. Não-Executivos Tratamento equitativo dos accionistas Proporção de Admin. Independentes Mecanismos de remuneração e nomeação

10 IPAI I 2005 Nov 23 I 10 Corporate Governance e Auditoria Interna √ Corporate Governance Influência nas decisões de investimento "Our investment group would never approve an investment in a company with bad governance” US Investment Manager, $2 billion Private Equity Fund "Good governance is a qualitative cut-off criterion“ Analyst, $62 billon European Asset Manager "I simply would not buy a company with poor corporate governance" CFO, $3 billon European Private Bank Fonte: Simon Wong, “Corporate Governance for Emerging Markets”, Mckinsey July 2004

11 IPAI I 2005 Nov 23 I 11 Corporate Governance e Auditoria Interna √ Corporate Governance Importância para os Credores “O Research sobre o impacto das práticas de Governo das Sociedades no risco de crédito é limitado. A Moodys irá levar a cabo algum research para clarificar estes temas. O objectivo principal de proceder à avaliação do Governo das Sociedades é melhorar a qualidade de rating e ajudar os investidores a avaliar o risco de crédito dos emitentes.” “A combinação de uma cultura de gestão agressiva com uma fraca visão por parte da administração tem o potencial de afectar a qualidade de crédito. Pelo contrário, a evidência de um forte Governo das Sociedades poderá mitigar o risco percebido na cultura da gestão, contribuindo para a estabilidade dos ratings.” Fonte: Simon Wong, “Corporate Governance for Emerging Markets”, Mckinsey July 2004

12 IPAI I 2005 Nov 23 I 12 Corporate Governance e Auditoria Interna √ Corporate Governance Importância para as Empresas * Ratings do Business Week, October 2002 Fonte: Datastream, Business Week, October 2002 Empresas com melhor Governo* Empresas com pior Governo* % CAGR das rentabilidades totais ( ) As empresas com melhor práticas de governo exibem maiores rentabilidades para os accionistas e menor volatilidade Desempenho da Carteira Rentab. Total Anual Risco (  ) Rentabilidade do S&P Medtronic Pfizer Intel Texas Instr. J&J Colgate-Palmol. 3M GE Home Depot Apria Healthcare Gap Conseco Apple Tyson Foods Xerox Dillard's Qwest Rentab. Total Anual Risco (  )

13 IPAI I 2005 Nov 23 I 13 Corporate Governance e Auditoria Interna √ O que é Corporate Governance? 1.Mecanismos que respeitam à determinação da vontade da empresa e à sua concretização › Definição do tipo de actividades económicas a desenvolver › Organização operacional dessas actividades › Tomada de decisões de financiamento dos respectivos investimentos › Devolução dos recursos investidos aos seus proprietários ou à sua remuneração sob a forma de dividendos

14 IPAI I 2005 Nov 23 I 14 Corporate Governance e Auditoria Interna √ O que é Corporate Governance? 2.Mecanismos que controlam e fiscalizam esse exercício e que visam garantir que a empresa é gerida de modo eficaz, eficiente e consentâneo com os seus interesses

15 IPAI I 2005 Nov 23 I 15 Corporate Governance e Auditoria Interna √ Quem são os actores de um bom sistema de Corporate Governance? Todos os empregados e dirigentes da empresa › “Tone at the Top” Responsabilidade especial no topo da hierarquia › Obrigação das chefias. Conhecer e fazer conhecer as regras definidas. Cumprir e fazer cumprir as regras e normas › Obrigação de todos os participantes. Conhecer as regras. Cumprir a regras. Informar sobre o não cumprimento das regras

16 IPAI I 2005 Nov 23 I 16 Corporate Governance e Auditoria Interna √ Corporate Governance: Outlook √ A relação com a Auditoria Interna

17 IPAI I 2005 Nov 23 I 17 Corporate Governance e Auditoria Interna √ O Contributo da Auditoria Interna Posicionamento A sociedade deve criar um sistema interno de controlo, para a detecção eficaz de riscos ligados à actividade da empresa, em salvaguarda do seu património e em benefício da transparência do seu governo societário. CMVM Recomendação nº 3 sobre o Governo de Sociedades Cotadas

18 IPAI I 2005 Nov 23 I 18 Corporate Governance e Auditoria Interna √ O Contributo da Auditoria Interna Os níveis de Controlo Interno Ambiente de Controle Avaliação de Risco Actividades de Controle Reporte e Comunicação Supervisão

19 IPAI I 2005 Nov 23 I 19 Corporate Governance e Auditoria Interna √ O Contributo da Auditoria Interna A Responsabilidade O CA tem a obrigação de criar e de manter em funcionamento, com eficácia e eficiência, mecanismos que visem a detecção e a gestão de riscos, tanto no que respeita às actuais actividades da empresa, como no que respeita a novas actividades

20 IPAI I 2005 Nov 23 I 20 Corporate Governance e Auditoria Interna √ O Contributo da Auditoria Interna A Actualidade em Portugal Com vista a assegurar o cumprimento da recomendação nº3 da CMVM, as sociedades, ainda que através de modelos distintos, criaram estruturas próprias para o efeito (através da instituição de órgãos colegiais) ou afectaram departamentos (integrados na organização interna da sociedade) sem lhes conferir a autonomia referida

21 IPAI I 2005 Nov 23 I 21 Corporate Governance e Auditoria Interna √ A figura da Comissão de Auditoria Papel a desempenhar › Zelar pela integridade da informação financeira › Avaliar os sistemas internos de controlo e gestão de riscos e a eficácia da auditoria interna › Intervir na escolha, avaliação e defesa da independência dos auditores externos e › Controlar a natureza dos serviços por aqueles prestados Comissão Europeia Planos de Acção da Comissão Europeia

22 Corporate Governance e Auditoria Interna IPAI 23 de Novembro 2005 Manuel Alves Monteiro Instituto Português de Corporate Governance


Carregar ppt "Corporate Governance e Auditoria Interna IPAI 23 de Novembro 2005 Rui Neves Soares Instituto Português de Corporate Governance."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google