A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CAPÍTULO 4- A DESCOBERTA DA CÉLULA VIVA. As células podem ser categorizadas por tamanho: –Microscópicas (< 0,1 mm). –Macroscópicas (> 0,1 mm): podem ser.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CAPÍTULO 4- A DESCOBERTA DA CÉLULA VIVA. As células podem ser categorizadas por tamanho: –Microscópicas (< 0,1 mm). –Macroscópicas (> 0,1 mm): podem ser."— Transcrição da apresentação:

1 CAPÍTULO 4- A DESCOBERTA DA CÉLULA VIVA

2 As células podem ser categorizadas por tamanho: –Microscópicas (< 0,1 mm). –Macroscópicas (> 0,1 mm): podem ser vistas a olho nú.

3 A TEORIA CELULAR Proposta por Mathias Schleiden e Theodor Schwann. Dizia que: Todos os seres vivos são formados por células; As células são as unidades fisiológicas de vida; Toda célula se origina de outra preexistente.

4 -Hans e Zacharias Janssen (sec XVI): invenção do microscópio. A história da citologia, na realidade, acompanhou a história do microscópio Zacharias Janssen

5 A história da Citologia Hans e Zaccharias Janssen- No ano de 1590 inventaram um pequeno aparelho de duas lentes que chamaram de microscópio. Leeuwenhoek – Robert Hooke ( )- Em 1665 observou os espaços vazios de uma cortiça, os quais chamou de célula (pequena cela)

6 Funcionamento do Microscópio Óptico Poder de Resolução: refere-se à capacidade que as lentes têm de discriminar entre objetos próximos. Limite de Resolução: É a menor distância entre dois pontos para quais a objetiva fornece imagens nítidas.

7 Técnicas para Observação ao Microscópio Óptico Observação Vital: muito utilizado para observar células vegetais vivas. O material é colocado em uma lâmina e coberto com uma lamínula.

8 Parte Óptica –Condensador, concentra os raios luminosos  objeto possui um diafragma de diâmetro modificável, proporciona uma maior ou menor intensidade luminosa –Lentes objetivas, próximas do objeto, projetam a imagem ampliada do objeto em direção a ocular –Lente ocular, funciona como uma lupa, amplia a imagem fornecida pela objetiva

9 Fixação e coloração das Células: muito utilizado para quando se quer observar estruturas minúsculas das células. Para isso, deve-se matar a célula e mergulhá-la em corantes específicos.

10 TÉCNICAS DE PREPARAÇÃO CITOLÓGICA Esfregaço: técnica utilizada para tecidos em que as células são fracamente unidas ou espalhadas. Ex.: tecido conjuntivo.

11 Esmagamento: coloca-se o material sobre uma lâmina e cobre com uma lamínula pressionando com o dedo. Ex.: partes moles de animais e vegetais.

12 Inclusão e corte com micrótomo: consiste em mergulhar o material em parafina para enrijece-lo e, depois cortar o material com o aparelho micrótomo. Ex.:

13 MICROSCÓPIO ELETRÔNICO De Varredura: utilizado para detalhar objetos sólidos. Poder de resolução: até x.

14 Microscópio eletrônico de transmissão: É um método que já foi muito utilizado no estudo de biópsias renais e de tumores. Poder de resolução: x.

15 Célula Procarionte

16 Célula Eucarionte

17 Células Eucariontes DNA contido em um compartimento separado, o núcleo, delimitado por uma membrana de dupla camada. DNA contido em um compartimento separado, o núcleo, delimitado por uma membrana de dupla camada. Compartimentalização morfofisiológica do citoplasma, representada pelas organelas celulares. Compartimentalização morfofisiológica do citoplasma, representada pelas organelas celulares. – Mitocôndrias – Retículo endoplasmático – Aparelho de Golgi – Citoesqueleto – Núcleo – Outros

18 Células eucarióticas e célula procariótica

19 OUTROS MÉTODOS DE ESTUDO DA CÉLULA Fracionamento celular: É um conjunto de procedimentos que levam à separação das organelas celulares, para estudos específicos, como por ex. determinar uma proteína de uma organela específica.

20 USO DE SUBSTÂNCIAS RADIOATIVAS EM CITOLOGIA Radioautografia: Ë o estudo de processos biológicos em cortes de tecido por meio de radioatividade, pois permite a localização de substâncias radiativas nesses tecidos pelo efeito de sua radiação em emulsões fotográficas.

21 CAPÍTULO 5- Fronteiras da Célula

22 A Membrana Plasmática É uma “capa” dupla que envolve e protege todo o interior da célula. Permeabilidade Seletiva: capacidade de selecionar as substâncias que entram e saem da célula.

23 Membrana Plasmática : Propriedades As membranas celulares são elásticas e resistentes graças às fortes interações hidrofóbicas entre os grupos apolares dos fosfolipídios. Elasticidade: capacidade de distender-se e retrair

24 TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA SOLUÇÕES SOLUÇÕES ISOTÔNICAS: Quando duas soluções contêm a mesma quantidade de partículas por unidade de volume, mesmo que não sejam partículas do mesmo tipo. Quando se comparam soluções com diferentes quantidades de partículas por unidades de volume, a de maior concentração de partículas é HIPERTÔNICA, e exerce maior pressão osmótica. A solução de menor concentração de partículas é HIPOTÔNICA, e a sua pressão osmótica é menor. Separadas por uma membrana semipermeável, há passagem de água da solução hipotônica em direção à solução hipertônica.

25 Membrana Plasmática Plasmodesmos: Através de perfurações na parede celular, passam "pontes" que colocam em contato direto o citoplasma de duas células vegetais vizinhas, permitindo o livre trânsito de substâncias entre elas. As células dos vasos condutores de seiva elaborada (ou orgânica) possuem numerosos plasmodesmos, pelos quais a seiva flui. Os orifícios da parede celular, pelos quais passam essas pontes citoplasmáticas, são as pontuações.

26 TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA Passivo: Nesse tipo de transporte o deslocamento de substâncias das regiões de maior concentração em direção àquelas de menor concentração, portanto, obedecendo uma tendência natural, não há gasto de energia. Em função desse tio de transporte há uma tendência entre os dois meios de entrarem em isotonia, ou seja: de suas concentrações se igualarem. Ex.: Difusão simples, osmose e difusão facilitada.

27 Processos Ativo  Características:  Ha gasto de energia - ATP  Ocorre contra o gradiente de concentração Elab.: Prof. Gilmar

28 TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA Difusão simples: Deslocamento direto e natural de solutos em direção às regiões de baixa concentração. É por esse mecanismo que ocorrem os deslocamentos de sais e gases.

29 TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA Osmose: Caso particular de difusão em que os solventes, em particular a água, deslocam-se do meio menos concentrado em soluto (hipotônico), através de uma membrana semi-permeável (m.s.p. ), em direção ao meio de maior concentração de soluto (hipertônico). Quando uma solução é hipertônica em relação a outra, dizemos que a sua pressão osmótica (P.O) também o é.

30 OSMOSE EM CÉLULAS ANIMAIS Por não possuir uma parede celular, as células animais não suportam meios hipotônicos. Assim quando hemácias são mergulhadas nessas soluções, por exemplo em água destilada, o ganho de água por osmose é tão intenso que a célula se rompe. Dizemos que a célula sofreu hemólise.

31 TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA Difusão facilitada Algumas substâncias entram nas células a favor do gradiente de concentração e sem gasto de energia, mas com uma velocidade muito maior do que a que seria esperada se a entrada ocorresse por difusão simples. Nas células, isso acontece, por exemplo, com a glicose, com os aminoácidos e com algumas vitaminas. As substâncias "facilitadoras", presentes nas membranas celulares, são as permeases, e têm natureza protéica.

32 Parede celulósica-Vegetal É constituída pela celulose. Reduz a perda de água e promove a rigidez das células.

33 Célula vegetal Estruturas típicas das células vegetais são também os plastos. Que são organelas que podem armazenar substâncias ou conter pigmentos. dentre eles, destacam-se os cloroplastos, que possuem pigmento verde (clorofila) e são responsáveis pela fotossíntese. Vacúolos: armazenam água, açúcar e outras substâncias.

34 Citoplasma O espaço interno da célula entre a membrana plasmática e o núcleo. Preenchido por um material gelatinoso, onde as organelas estão mergulhadas. Organelas: mitocôndria, lisossomos, ribossomos. No geral, citoplasma é tudo o que compreende a célula menos o núcleo.

35 Organelas Citoplasmáticas Complexo de Golgi: É formado por pequenas bolsas. Serve para armazenar e descartar substâncias. Mitocôndria: Responsável pela respiração celular e produção de energia. Células que utilizam bastante energia tem muitas mitocôndrias, por exemplo, as células musculares.

36 Lisossomos: São estruturas responsáveis pela digestão da célula. Retículo Endoplasmático: É responsável pelo transporte, distribuição e armazenamento de substâncias. Forma uma rede de canais que ocupam grande parte do Citoplasma.

37 Centríolos: Participam do processo de formação de cílios e flagelos e da divisão celular (multiplicação das células). Cloroplastos: São responsáveis pela fotossíntese. É nestas estruturas que encontramos a CLOROFILA (pigmento verde). São encontrados apenas nas células vegetais!

38 Endocitose Endocitose : Transporte de moléculas em grande quantidade. Existem dois tipos de mecanismos para esse transporte: a) Fagocitose:– Englobamento de partículas sólidas por meio da emissão de pseudópodes pela membrana plasmática. Os glóbulos brancos destroem as bactérias por esse processo. b) Pinocitose : Englobamento de gotículas líquidas por meio de invaginações da membrana plasmática.

39

40  Envoltórios externos a membrana plasmática:  Glicocálix  Parede celular Presente em células bacterianas, fungos, certos protozoários, algas e plantas Elab.: Prof. Gilmar

41 Núcleo O Núcleo atua na reprodução celular. Também é portador das características hereditárias e coordena as atividades celulares.

42 Carioteca: membrana dupla e porosa que envolve o Núcleo, permitindo a comunicação com o Citoplasma; Nucleoplasma: massa fluída limitada pela Carioteca que ocupa o interior do núcleo; Cromatina: material constituído por DNA (material genético). Responsável pelas CARACTERÍSTICAS HEREDITÁRIAS. Nucléolo: estrutura que produz proteínas.

43 EEEFMJBS BIOLOGIA-PROF.° : JOSÉ PEREIRA- 3° ano D –Tarde Equipe: Amanda Alderson Jeilza Jackson Edson Eliziana Walber Igo


Carregar ppt "CAPÍTULO 4- A DESCOBERTA DA CÉLULA VIVA. As células podem ser categorizadas por tamanho: –Microscópicas (< 0,1 mm). –Macroscópicas (> 0,1 mm): podem ser."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google