A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Processos Psicológicos Básicos As bases genéticas e comportamentais da ansiedade PUC-Rio 2009.1.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Processos Psicológicos Básicos As bases genéticas e comportamentais da ansiedade PUC-Rio 2009.1."— Transcrição da apresentação:

1 Processos Psicológicos Básicos As bases genéticas e comportamentais da ansiedade PUC-Rio

2 Aonde estivemos? O que é uma emoção? Definições e Critérios... Aspectos Evolutivos do estudo científico das Emoções: Contribuições de Charles Darwin; Teorias das Emoções: James-Lange, Cannon- Baird e Schachter-Singer; Respostas Fisiológicas Imediatas ou Prolongadas das Emoções;

3 Pra onde vamos? O Circuito de Papez; A Síndrome de Kluver-Bucy; O Cérebro Triúnico de Paul MaClean... Contribuições para o entendimento dos circuitos neurais relacionados às expressões emocionais... São modelos definitivos??

4 O Circuito de Papez James Papez foi um anatomista da Universidade Cornell. Ele nunca fez pesquisas específicas sobre as emoções, mas em 1937 esboçou uma teoria que teve um profundo impacto no estudo das emoçoes; Ele foi muito influenciado pelo trabalho de C. Judson Herrick, anatomista especializado em evolução cerebral; Herrick já havia chamado a atenção para a diferença entre duas áreas do córtex, denominadas por ele como lateral e medial.

5 Imaginem o cérebro como um pãozinho de cachorro-quente: A parte mais tostada e escura do pão, que podemos ver por fora, é o córtex cerebral; É nesta parte que se encontram todas as funções motoras e sensoriais; considerada a sede de nossos pensamentos.

6 Agora imaginem o pãozinho sendo cortado pela metade: A parte branca e não tostada se assemelha à região medial do córtex; Segundo Herrick, esta parte é mais antiga do ponto de vista da evolução, sendo responsável por funções mais primitivas, em comparação com o córtex mais “novo”, que também é denominado de “NeoCórtex”.

7 O Lobo Límbico O grande anatomista francês Paul Broca já havia observado esta região medial do cérebro, denominando-a de le grand lobe limbique; É interessante observar que limbique é a palavra francesa para o latim limbus, que significa “aro”. Posteriormente, Herrick mudou a denominação de “lobo límbico” para “rinencéfalo”, pois aparentemente esta região estava muito envolvida com a percepção de odores e no controle de atitudes produzidas pelo olfato.

8 Olfato e Comportamento... Herrick observou que nos animais primitivos o odor representa um papel importante nos comportamentos de alimentação, defesa e sexo; De fato, ele propôs que as funções intelectuais superiores, mediadas pelo neocórtex lateral, surgiram à partir do olfato; Desta forma, segundo Herrick, as funções básicas passaram do córtex medial para o córtex lateral, permitindo uma maior elaboração das sensações em animais superiores.

9 O papel do hipotálamo Papez conjugou o conceito de distinção evolutiva de Herrick com recentes achados sobre a consequências de lesões no córtex medial de seres humanos, além de pesquisas sobre o papel do hipotálamo no comportamento emocional de animais; Desta forma, nasceu uma teoria que explica a experiência subjetiva da emoção como sendo um fluxo de informações, que obedecem a um ciclo de conexões anatômicas entre o HIPOTÁLAMO e o CÓRTEX MEDIAL, e deste de volta ao hipotálamo - Circuito de Papez.

10 O Circuito de Papez Papez definiu os corpos mamilares hipotalâmicos como local de recepção das informações sensoriais hipotalâmicas e retransmissão posterior das mensagens para o córtex; Esta área do córtex ele definiu como o córtex cingulado, região cortical que seria responsável pelas emoções (assim como, por exemplo, existe o córtex visual para informações visuais); Também considerou no circuito os núcleos talâmicos anteriores (que fazem a ligação dos corpos mamilares com o córtex cingulado); O Circuito ainda prossegue: o córtex cingulado envia suas mensagens ao hipocampo, que por sua vez, retransmite suas informações para o hipotálamo, fechando o circuito...

11 Hipotálamo Tal. Ant. Córtex Cingulado Hipocampo

12 Mas, e os sentimentos conscientes? Papez, dividiu as informações sensoriais que chegavam ao tálamo em duas categorias: o chamados fluxo de sentimentos e fluxo de pensamentos; O fluxo de pensamentos se iniciava no tálamo, e depois seguia para o córtex cerebral, se unindo posteriormente às informações do córtex cingulado; esta interação produziria os sentimentos conscientes; Já o fluxo de sentimentos também se iniciava no tálamo, mas depois fazia seu curso no Circuito de Papez, e seria responsável pela produção de reações fisiológicas e comportamentais;

13 Estímulo Emocional TálamoHipotálamo Córtex Cingulado Sentimento Hipocampo Tal. Ant. Córtex Cerebral Reação Física FLUXO DE PENSAMENTOS FLUXO DE SENTIMENTOS

14 Bom demais para ser verdade? Como vimos, o Circuito de Papez é um vigoroso exemplo de especulação anatômica; Ele se encaixa muito bem na teoria de Cannon-Baird, segundo a qual as reações emocionais conscientes ocorrem de forma paralela às reações fisiológicas, mas em circuitos independentes; Entretanto, em virtude da falta de conhecimento dos circuitos neurais da época, posteriormente descobriu- se muitas falhas na proposta de Papez; Tal circuito parece ter apenas uma baixa participação nas reações emocionais; por isso outras estruturas foram agregadas ao circuito...

15 Descobrindo outras estruturas cerebrais... No mesmo ano que Papez propôs sua interessante teoria (1937), resultados de outros dois pesquisadores também forneceram dados instigantes sobre o cérebro emocional; Heinrich Kluver e Paul Bucy estudavam regiões do cérebro mediadoras de alucinações visuais induzidas por drogas, e acabaram esbarrando num conjunto magnífico de observações sobre o efeito de lesões nos lobos temporais de macacos;

16

17 Cegueira Psíquica... “O animal não exibe as reações geralmente associadas à raiva e ao medo. Aproxima-se de seres humanos e animais, de objetos inanimados sem hesitação e, embora não apresente deficiências motoras, inclina-se a examiná-los com a boca, e não fazendo uso das mãos (...) Uma série de testes não revela qualquer redução na acuidade visual, nem na capacidade de localizar visualmente a posição de objetos no espaço. Contudo, o símio parece incapaz de reconhecer os objetos através do sentido da visão. Se o animal faminto for exposto a uma variedade de objetos, pegará indiscriminadamente, por exemplo, um pente, uma maçaneta, uma semente de girassol, um parafuso, uma vareta, uma maça, uma cobra viva, uma banana e um rato vivo. Cada objeto é levado até a boca, e depois rejeitado, se não for comestível.”

18 Síndrome de Kluver-Bucy Como vimos, os autores denominaram tais reações dos macacos como “cegueira psíquica”, pois eles mantiveram a acuidade visual, mas ficaram cegos à significação emocional dos estímulos; Muitas pesquisas da mesma natureza seguiram-se, sempre encontrando os mesmos resultados, ou seja, os animais se tornaram “dóceis” na presença de objetos anteriormente temidos; além disso levam praticamente tudo à boca, tornam- se hipersexuais, tentam copular com animais do mesmo sexo etc; Estas observações influenciaram o surgimento de uma outra teoria, cunhada pelo fisiologista americano Paul Maclean...

19 Mais uma vez, aspectos evolutivos... MaClean procurou desenvolver uma teoria mais abrangente para o cérebro visceral. Ele recorreu ao trabalho de Cannon e de Papez, observando a importância do Hipotálamo nas reações emocionais; Além disso, ele também integrou aspectos da Síndrome de Kluver-Bucy e da Psicologia Freudiana a sua nascente teoria. Ele primeiro cunhou o termo “Cérebro Visceral”, para renomear o já conhecido “Rinencéfalo” que, como vimos, está particularmente envolvido no sentido olfatório.

20 Córtex Visceral X Neocórtex Ele preconizou que o rinencéfalo estava envolvido com atividades vegetativas viscerais; estimulações elétricas nestas áreas produziam alterações na respiração, na pressão sanguínea, nos batimentos cardíacos e em outras funções viscerais) Segundo ele: “... Embora, nas ascensão às formas superiores, o rinencéfalo transfira cada vez mais o controle sobre os movimentos do animal ao neocórtex, suas conexões permanentes e intensas com os centros autônomos inferiores sugerem a continuidade da dominação na esfera da atividade visceral”; Sendo assim: “... enquanto o neocórtex detém o domínio sobre a musculatura visceral e estimula funções do intelecto, o cérebro visceral é a região responsável pela organização do comportamento afetivo dos animais em impulsos básicos como a obtenção e assimilação do alimento, a fuga do inimigo ou sua eliminação, a reprodução e assim por diante”.

21 O Cérebro Triúnico MaClean continuou aperfeiçoando suas idéias referentes a teoria do sistema límbico/cérebro visceral. Em 1970 ele apresentou sua teoria do Cérebro Triúnico; Segundo ele, o Prosencéfalo, passou por 3 estágios evolutivos: reptílico, mamífero e neomamífero; “Daí resulta a ligação extraordinária dos 3 tipos de cérebro, radicalmente diferentes em química e estrutura, cuja distância, no sentido evolutivo, avança pelos séculos. Existe aí, por assim dizer, uma hierarquia de três- cérebros-num-só, ou aquilo que eu abrevio como cérebro trino”; Ainda segundo o autor, cada um desses cérebros possui uma forma específica de inteligência, sua própria memória, e sua própria noção de tempo e espaço, além de suas próprias funções motoras; Desta forma, coexistem no crânio de todos os animais superiores três cérebros distintos. De fato, a proposta de Maclean colocou o sistema límbico num contexto evolutivo mais amplo, responsável pelos comportamentos e funções mentais de todos os níveis de complexidade.

22

23 Algumas críticas... Anatomistas mais recentes descobriram que na verdade animais mais primitivos também possuem neocórtex, mas numa posição um pouco diferente do que nos mamíferos; Observou-se também que o hipotálamo também mantém conexões com todo o sistema nervoso, e não somente com o sistema límbico; Algumas estruturas do sistema límbico não estão particularmente envolvidas com atividades viscerais (hipocampo);

24 Referências:


Carregar ppt "Processos Psicológicos Básicos As bases genéticas e comportamentais da ansiedade PUC-Rio 2009.1."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google