A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava- SP - Curso Básico CETADEB 01.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava- SP - Curso Básico CETADEB 01."— Transcrição da apresentação:

1 Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava- SP - Curso Básico CETADEB 01

2 Introdução Ao Estudo Dos Profetas Menores. I – As Profecias –Sua importância 0 A profecia representa uma forma de comunicação entre Deus e o seu povo. O antigo testamento revela que Deus utilizou esse meio diversas vezes para falar com o seu povo. O escritor aos Hebreus nos mostra esta verdade (Hb 1.1). Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB 3

3 Introdução Ao Estudo Dos Profetas Menores. I – As Profecias –Seu Propósito 0 A profecia além de representar um modo de Deus falar com o seu povo tratava-se também do anúncio prévio de acontecimentos futuros. 0 Os profetas de Deus recebiam a mensagem do Senhor, inspirada pelo Espírito Santo, e transmitiam-na ao povo (Jl 2.28 ; Mq 3.8 ; Zc 7.12). Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB 3

4 II.1 – Os profetas O oficio do profeta 0 O profeta desempenha o seu ministério falando acerca de acontecimentos presentes e passados. Instruía o povo a seguir os caminhos do Senhor. 0 Predizia o futuro, não em forma de adivinhações como fazem hoje os adivinhos e místicos, por meio das cartas do tarô, búzios, de numerologia, da astrologia etc., mas por meio da Palavra de Deus (Is ; ). Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB 4

5 II.2 – Os profetas Um porta- Voz de Deus 0 O profeta era uma pessoa escolhida por Deus para ser um porta-voz seu, recebendo e transmitindo mensagens divinas, na forma oral, visual ou escrita. Deus se revela aos profetas através de sonhos, visões, anjos, acontecimentos especiais ou mesmo através de uma voz que lhe fizesse audível. 0 O termo grego para profeta e ‘’prophetes’’ que significa aquele que fala em nome de um Deus, ou interpreta sua vontade ao homem. 5

6 Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB

7 III.1 –Os Livros Proféticos –Considerações Preliminares Os livros proféticos compõem um conjunto de 17 livros. Os cinco primeiros - Profetas Maiores Os Doze últimos - Profetas Menores. A expressão ‘’Profetas Menores’’ foi adotada no final do século IV d.C. por Agostinho. Na bíblia Hebraica os doze Profetas Menores são contados como um só livro. 7

8 III.1 –Os Livros Proféticos 0 Profetas Menores são assim chamados não porque os livros que levam seus nomes sejam menos importantes ou menos inspirados dos que os livros escritos pelos chamados Profetas Maiores. 0 Eles são assim chamados por suas mensagens terem sido mais sucintas do que as mensagens entregues pelos Profetas Maiores. 7

9 II.3 – Os profetas Homens sujeitos a Deus Os profetas tinham uma relação direta com Deus. Eram homens santos que haviam entregado suas vidas exclusivamente ao serviço de Deus. Homens de oração, que viviam em plena comunhão com o Senhor. Deus lhes confiava Seus propósitos (Gn ). A profecia não era produzia por vontade humana ou por necessidades particulares, mas pela vontade de Deus. 6

10 II.3 – Os profetas Homens sujeitos a Deus Os profetas não possuíam a faculdade de falar em nome de Deus. Mas, em momentos especiais, Deus se manifestava a eles. ‘’... veio a Palavra do Senhor...’’ (Dn 8.1; Ob 1); ‘’Ouvi agora o que diz o Senhor...’’ (Mq 6.1). Deus ainda hoje fala através da profecia, mas precisamos ter cuidado com pessoas que falam em nome de Deus, sem ter de fato recebido uma palavra Dele. 6

11 III.2 –Os Livros Proféticos 0 E importante entendermos as circunstancias históricas e culturais vividas pelos profetas quando de suas mensagens. 0. Observamos nos livros proféticos ao menos quatro pontos cronológicos: 1) Os dias do profeta 2) O período do cativeiro e do regresso 3) A primeira vinda de Cristo; e 4) O reino messiânico 8

12 III.3 –Os Livros Proféticos JonasAmosOseías 0 Os profetas Jonas, Amos e Oseías, desempenharam os seus ministérios no reino do norte (Israel). 0 ObadiasJoelMiquéiasNaumSofoniasHabacuque 0 Obadias, Joel, Miquéias, Naum, Sofonias e Habacuque no reino do sul (Judá). 0 AgeuZacariasMalaquias 0 Ageu, Zacarias e Malaquias foram profetas pós-exílicos. 0 Existem pelo menos quatro temas básicos que são comuns em todos eles: 1) A exposição Das Praticas Pecaminosas Do Povo; 2) O apelo ao Retorno a Lei Moral, Cívica e Cerimonial De Deus; 3) Advertência Quanto a Vinda do Juízo; 4) A vinda Do Messias e a Restauração Do Povo de Israel. 9

13 Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB

14

15

16 O Reino do Norte (Israel) durou cerca de 209 anos, em 722 a.C.; caiu sob o domínio da Assíria, para onde os israelitas foram arrastados cativos; O Reino do Sul (Judá) resistiu um pouco mais (345 anos), vindo finalmente a cair em 586 a.C., diante da superpotência, Babilônia, que cercou Jerusalém, saqueou o Templo destruiu a Cidade Santa e levou os judeus para o cativeiro, por cerca de setenta anos.

17 Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB

18 CATIVEIRO ASSÍRIO 256 anos após Salomão * OS ASSÍRIOS Capital: Nínive Habitantes: a Muros de Nínive: ~96 Km (Perímetro) ~ 32 m de altura ~1.500 torres Vala de 50 m de largura por 30 m de profundidade Cativeiro Assírio

19 CATIVEIRO ASSÍRIO * OS ASSÍRIOS PERFURAVAM OUVIDOS COM FERRO QUENTE CORTAVAM MÃOS, PÉS E LÍNGUAS TIRAVAM O COURO DAS PESSOAS ARRANCAVAM OS OLHOS DOS INIMIGOS ESFOLAVAM PESSOAS VIVAS ARRANCAVAM OS FILHOS DAS BARRIGAS DAS MÃES DESMEMBRAVAM OS CORPOS DOS INIMIGOS FAZIAM PIRÂMIDES DE CABEÇAS Cativeiro Assírio

20 IV.1 – Extraindo Lições Práticas – O cuidado de Deus 0 É importante compreendermos o quanto Deus é zeloso por sua palavra. Mesmo quando se trata de uma palavra dura de advertência, ou de anúncio de um castigo. 0 O conteúdo e a intenção da profecia apontam para o cuidado que Deus tem pelo seu povo. O escritor da carta aos Hebreus afirma que: ‘’O senhor corrige o que ama, e açoita a qualquer que recebe por Filho.’’ (Hb 12.6). No livro do Apocalipse Jesus ratifica isto ao falar a Igreja de Laodiceia: ‘’Eu repreendo e castigo a todos quanto amo; se, pois zeloso, e arrepende-te.’’(Ap 3.19) 10

21 IV.2 – Extraindo Lições Práticas – Deus é um justo juiz 0 Nos livros proféticos nos deparamos com muitas palavras de juízo e condenação. Descobrimos, porem, que, geralmente, após uma dura advertência existe um apelo ao arrependimento. Há sempre uma palavra vinda de Deus; palavra de consolação e restauração. 11

22 IV.2 – Extraindo Lições Práticas 0 Desta maneira, é imprescindível que percebamos que a mensagem profética não significa apenas condenação por causa do pecado, mas, sobretudo, consolação, e providência por causa da graça de Deus. Deus é um justo juiz. 0 ‘’ Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nos falou-nos nestes últimos dias pelos Filho,...’’(Hb 1.1). 11

23 HORA DO CHÁ COM BOLACHA Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB

24

25 Oséias ( A.C.) 0 Os acontecimentos históricos cobrem um período de 60 anos. Oséias era um profeta do reino do norte (Israel). 0 Foi contemporâneo de Amós, Isaias e Miquéias, em Judá. 0 Seu ministério foi o mais longo de todos os ministérios proféticos. Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB 12

26 Oséias ( A.C.) 0 I – Autor e data salvação 0 O nome Oseías significa ‘’salvação’’. O ministério de Oseías foi exercido durante o reinado de: 0 Uzias (767 – 739 a.C.), 0 Jotão (739 – 731 a.C.), 0 Acaz (731 – 715 a.C.), 0 Ezequias (715 – 639 a.C.), 0 Jeroboão II filho de Joás (790 – 750 a.C.) 12 Reino de Judá Reino de Israel (caiu em 722)

27 II.1 – A Infidelidade de Israel –A infidelidade representada 0 O livro de Oseías trata de uma historia de amor e fidelidade apenas unilateral. O profeta casa-se com uma mulher que se torna infiel correndo em busca de outros amores. A tragédia pessoal de Oseías se transforma numa ilustração da situação caótica de Israel. 0 O livro relata a experiência do profeta m seu matrimônio. Seu casamento com Gômer ilustra a relação entre Deus e Israel. ‘’ Os nomes dos três filhos são sinais proféticos a Israel: 0 Jezreel 0 Jezreel (‘’ Deus espalha’’), 0 Lo-Ruama 0 Lo-Ruama (‘’ Não compadecida’’) 0 Lo-Ami 0 Lo-Ami (‘’ Não meu povo’’).’’ 13

28 1 - A Mulher Infiel E O Marido Fiel-(cont) b)Existem pelo menos duas teorias que são levantadas em relação ao casamento de Oséias: Primeira: Deus ordenou ao profeta casar-se com uma mulher devassa, ou temos aqui apenas um símbolo? - Casamento verdadeiro, segundo alguns comentaristas. Segunda: dois casamentos verdadeiros. Segundo esta teoria, o capítulo 1 descreve o primeiro casamento de Oséias com Gômer ainda virgem, e o capítulo 3 narra o segundo com uma prostituta de identidade desconhecida. A melhor interpretação fica por conta do próprio texto: Oséias realmente se casou com uma prostituta chamada Gômer.

29 Muitas vezes o profeta precisava viver na carne a mensagem que Deus queria que ele falasse ao povo. O Profeta tinha que mostrar com seu estilo de vida a mensagem divina. Ex.: Ezequiel e Isaías (pg 23,24)

30 II – Esboço do livro 0 1. Fundo histórico – II Rs 14: O casamento de Oseías ilustra a infidelidade de Israel, e a rejeição e restauração da nação ( ). A. O nascimento dos três Filhos (1.3-9) A. O adultério de Israel (2.2-5) B. O juízo divino (2.6-13) C. Promessa de restauração de Israel( ) B. A redenção de Gômer (3.1-5) C. O pecado dos sacerdotes (4.4-11) A. Fundo histórico I Rs 12:31; 13:33 – II Cr 11:

31 2. A mensagem do Oseías descrevendo a infidelidade, rejeição e restauração de Israel ( ) a) O Arrependimento Insincero de Israel ( ) b) O Registro dos pecados de Isael ( ) a) Recusa em Confiar em Deus, Obedecê-lo ( ) b) Servir a falsos Deuses (8.1-6) c) A predição do juízo de Israel ( ) a) A prosperidade evapora (9.1-9) b) A nação será destruída ( ) d) O Amor persistente de Deus por Israel ( ) e) O cuidado passado de Deus e Sua Ira Presente ( ) a) A idolatria de Israel (13.1-3) Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB 15

32 3. Deus promete restaurar Israel (14.1-9) 0 O chamado ao arrependimento (14.1-3) 0 A promessa de bênçãos abundantes (14.4-9) Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB 16

33 Joel (835 A.c.) 0 O ministério profético de Joel se deu no momento em que Israel atravessava uma fase critica:  Pela iminência de uma invasão militar estrangeira  Uma terrível seca  Uma invasão de gafanhotos vorazes que devastaram a terra, destruindo toda a colheita e trazendo fome geral. 17

34 Joel (835 A.c.) converter ao Senhor  Joel utiliza-se desses fatos para advertir Judá sobre a sua necessidade de se converter ao Senhor, conclamando o povo a quebrantar o coração e se humilhar perante o Senhor, pois o juízo de Deus seria inevitável. Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB 17

35 I – Autor e Data ‘’ Jeová é Deus 0 O nome Joel significa ‘’ Jeová é Deus ’’. Acredita-se que, além de exercer o ministério profético, Joel tenha desempenhado o ministério sacerdotal porque, ele se refere diversas vezes a sacerdócio (Jl ;2.17). 0 Na Bíblia, o profeta Joel só é conhecido apenas em seu livro. Não há outros registros bíblicos acerca dele. No entanto, suas profecias são mencionados no Novo Testamento, diretamente, como por exemplo, quando do cumprimento da descida do Espírito Santo (At ). 0 Ou indiretamente,quando é feita referência ao dia do Senhor. At 2.19,20, Mt 24.29, Ap Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB 18

36 II – Esboço do livro 0 No livro de Joel não há referencia a nenhum rei, ou evento histórico, que possa determinar o período de seu ministério. Acredita-se que tenha sido exercido durante o reinado de Joás (835 – 795 a.C.). II Cr 24: A calamidade atual de Judá (1.2-20) 1. Uma praga devastadora de gafanhotos (1.2-12) 1. O chamado ao arrependimento ( ) 2. A situação desesperadora de Judá ( ) 19

37 II – Esboço do livro 2. A iminência de um Juízo anda maior (2.1-17) 1. Um exército ameaçador para Judá (2.1-11) Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB 19

38 II – Esboço do livro 3. O futuro dia do Senhor ( ) A. Promessa da restauração ( ) B. Promessa do derramamento do Espírito Santo ( ) C. Promessa do juízo e da salvação (3.1-21) referências: Zc 14:1-4; A. Para nações (3.1-15) referências: Zc 14:1-4; Ap 6:12-17; 14:14-20; 16:15-21; 19:11-20:6. Ap 6:12-17; 14:14-20; 16:15-21; 19:11-20:6. A. Para Sião ( ) referências: Zc 12:6-14 Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB 20

39 Próxima Aula “Amós e Obadias” 1)2)3)4)5)6) CCCECC Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB 21 FIM


Carregar ppt "Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava- SP - Curso Básico CETADEB 01."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google