A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Métodos Extrajudiciais de Solução de Controvérsias Comitiva Argélia Brasília, 03 de dezembro de 2007.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Métodos Extrajudiciais de Solução de Controvérsias Comitiva Argélia Brasília, 03 de dezembro de 2007."— Transcrição da apresentação:

1 Métodos Extrajudiciais de Solução de Controvérsias Comitiva Argélia Brasília, 03 de dezembro de 2007

2 A CRISE NO PODER JUDICIÁRIO O Poder Judiciário brasileiro é: LENTO: 546 dias é o tempo médio para se recuperar um bem não pago; PARCIAL: 61% do juízes consideram ser mais importantes atender as necessidades sociais e somente 7% conferem prioridade às regras contratuais; CARO: R$ ,00 é o custo médio para se recuperar um crédito não pago de R$ ,00. FONTE: Consultoria McKinsey FONTE: Consultoria McKinsey

3 Alternativa à tutela do Estado Métodos Extrajudiciais de Solução de Controvérsias (MESCs) Negociação Mediação Conciliação Arbitragem

4 MESCs: Características Economiza tempo Maior especialização dos julgadores Estabelece uma nova cultura não- beligerante Preserva as relações continuadas Reduz custos

5 O que pode ser resolvido pela Arbitragem? Conforme o art. 1º, da Lei 9.307/96, são passíveis de serem solucionados pela arbitragem, as controvérsias existentes entre pessoas capazes e que versem sobre direitos patrimoniais disponíveis.

6 Vantagens da Arbitragem Autonomia das Partes - As partes escolhem a legislação aplicável, o idioma, a quantidade de audiências e tempo de decurso do procedimento. Árbitros são escolhidos entre as partes: Confiança das partes; Reconhecimento público; Conhecimento do assunto em discussão. Sigilo. Custo final é menor. Celeridade - Decisão em 180 dias no máximo, caso não seja definido pelas partes o tempo de duração da demanda. Procedimento regulado pela lei 9.307/96. A sentença arbitral produz entre as partes os mesmos efeitos da sentença judicial e, sendo condenatória, constitui título executivo

7 O que fazer para usar a arbitragem? Inclusão da cláusula compromissória nos contratos Cláusula de Arbitragem- As partes acordam que toda e qualquer controvérsia originada ou em conexão com o presente contrato, será resolvida de forma definitiva, por Arbitragem, a ser instaurada de acordo com o Regulamento de Arbitragem da CBMAE – Câmara Brasileira de Mediação e Arbitragem Empresarial, por um Tribunal Arbitral de (x árbitros), a ser constituído na forma do referido Regulamento. A Arbitragem terá sede na cidade de ( a ser definida pelos contratantes), estará sujeita às Leis do Brasil (ou legislação estrangeira e/ou específica, de escolha dos contratantes, se for o caso), e será conduzida no idioma (a ser definido pelos contratantes). Compromisso arbitral

8 Aplicabilidade da Arbitragem 1. Litígios ainda não instalados Novos contratos – inclusão da cláusula compromissória no contrato Contratos antigos – assinatura de aditamento incluindo a cláusula compromissória 2. Litígios já instalados Com previsão de cláusula compromissória em contrato: basta acionar a outra parte Com previsão de cláusula compromissória em contrato: basta acionar a outra parte Sem previsão de cláusula compromissória e as partes concordarem com a utilização da arbitragem: assinatura de compromisso arbitral ATENÇÃO – EM CONTRATOS DE ADESÃO, A CLÁUSULA COMPROMISSÓRIA DEVE SER ESCRITA EM DOCUMENTO ANEXO E ASSINADO OU EM NEGRITO, COM A ASSINATURA OU VISTO ESPECIALMENTE PARA ESSA CLÁUSULA.

9 LEI GERAL – POSIÇÃO Lei Complementar 123/2006 Art. 75. As microempresas e empresas de pequeno porte deverão ser estimuladas a utilizar os institutos de conciliação prévia, mediação e arbitragem para solução dos seus conflitos. § 1o Serão reconhecidos de pleno direito os acordos celebrados no âmbito das comissões de conciliação prévia. § 2o O estímulo a que se refere o caput deste artigo compreenderá campanhas de divulgação, serviços de esclarecimento e tratamento diferenciado, simplificado e favorecido no tocante aos custos administrativos e honorários cobrados.

10 PORQUE CRIAR UMA CÂMARA? Atende os interesses dos pequenos e micro empresários, no que diz respeito a solução de controvérsias, com mais eficácia, seja no tocante a resultado, seja no tocante a tempo, seja no tocante a custo; Gera novas filiações; Gera receita; Dá visibilidade à Associação; Oferece um novo serviço ao associado.

11 RECEITAS PARA ASSOCIAÇÃO A título de exemplificação, segue abaixo valores referentes a demanda e taxas cobradas de uma arbitragem: Demanda: R$ 7.423,88 Taxa de registro: R$ 100,00 Taxa de administração: R$ 371,19 Honorários do árbitro: R$ 742,39 Total das receitas: R$ 1.213,58 Total das receitas para a Câmara: R$ 471,19 Da receita disponível à Câmara, são retiradas as despesas com papel, postagem, cartuchos de impressora, etc., ficando o saldo com crédito à Câmara. FONTE: Câmara da ACDF

12 - - Presença nacional – câmaras regionais - Atuação sistêmica e harmônica - Regulamentos / Procedimentos padronizados - -Administração de Procedimentos nacionais e internacionais - - Quadro de Especialistas de alta qualificação Rede CBMAE

13 Revista Resultado

14 Portal CBMAE EM MODERNIZAÇÃO


Carregar ppt "Métodos Extrajudiciais de Solução de Controvérsias Comitiva Argélia Brasília, 03 de dezembro de 2007."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google