A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ASPECTOS VITALISTAS DO NASCER E MORRER João Luiz de Magalhães XX Jornada Docente do Serviço Phýsis de Homeopatia Novembro - 2009.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ASPECTOS VITALISTAS DO NASCER E MORRER João Luiz de Magalhães XX Jornada Docente do Serviço Phýsis de Homeopatia Novembro - 2009."— Transcrição da apresentação:

1 ASPECTOS VITALISTAS DO NASCER E MORRER João Luiz de Magalhães XX Jornada Docente do Serviço Phýsis de Homeopatia Novembro

2 Nascer Passar a ter a vida exterior no mundo; começar a crescer, a brotar; ter surgimento, passar a existir, gerar-se; começar a dar sinal de sua presença.

3 Morrer Perder a vida, a existência; perder a força, o vigor; chegar ao fim de uma trajetória, de um percurso; acabar, finalizar; desaparecer, sucumbir.

4 Hesíodo (720 a.C.)

5 “No começo era o Caos”

6 Géia ( Terra) Tártaro ( Abismo insondável) Eros (Amor) Érebo ( Morada das sombras) Nix ( Noite) Éter (Céu superior) Hêmera (Dias) Úrano( Céu estrelado)

7 Tânatos Filho de Nix (Noite) Irmão gêmeo de Hipno (Sono)

8 Personifica a Morte. Possui o poder de regeneração. Pode ser a condição de ultrapassagem de um nível para outro superior.

9 Libertadora de sofrimentos e preocupações, a Morte não é um fim em si. Pode abrir as portas para o reino do espírito, para a vida verdadeira.

10 Homero (séc. VIII a.C.)

11 Phýsis Verbo phýein: Crescer, brotar, nascer. Adjetivo phýsizoos: Fértil, fecundo.

12 Hermes dando a Ulisses a planta móly que o protegeria dos feitiços de Circe.

13 Galanthus elwesii: identificada como a planta móly. Phýsis: Pétalas brancas, raízes negras e difícil para um mortal arrancar.

14 Orfismo Movimento religioso mistérico fundado pelo mítico poeta da Trácia, Orfeu.

15 Com o Orfismo surge a primeira concepção dualista de alma (daímon) e corpo (lugar de expiação da alma).

16 Heráclito ( a.C.)

17 O devir ao qual tudo está destinado caracteriza-se por uma contínua passagem de um contrário ao outro.

18 O frio esquenta, o quente esfria; O úmido seca, o seco umedece; O jovem envelhece, o vivo morre, mas daquilo que está morto renasce outra vida.

19 Empédocles ( a.C.)

20 O nascer e o perecer, entendidos como um vir do nada e um ir ao nada são impossíveis, porque o ser é e o não-ser não é.

21 Assim, não existem nascimento e morte, e o que os homens chamam com esses nomes são o misturar-se e o dissolver-se de algumas substâncias que permanecem eternamente iguais e indestrutíveis.

22 Anaxágoras ( a.C.)

23 Coisa alguma nasce e morre, mas sim, a partir das coisas que existem, se produz um processo de composição e divisão, então nascer é compor-se e morrer dividir- se.

24 Demócrito ( a.C.)

25 Reafirma a impossibilidade do não-ser, sustentando que o nascer nada mais é do que um agregar-se de coisas que já existem e o morrer um desagregar-se dessas coisas.

26 Hipócrates ( a.C.)

27 O princípio de tudo é um e o fim de tudo é um, e é o mesmo o fim e o princípio. ( Sobre o Alimento )

28 O primeiro princípio chega à última parte; desde a última parte ao primeiro princípio chega o alimento; é uma só natureza ser e não-ser. ( Sobre o Alimento )

29 É minha opinião que não há nada no corpo que seja seu princípio, senão que tudo é por igual princípio e fim; tal como quando se traça um círculo não se descobre um princípio. ( Lugares no Homem )

30 Nascer e perecer é o mesmo; mesclar-se e desagregar-se, o mesmo, aumentar e diminuir, o mesmo; nascer e mesclar-se, o mesmo, cada ser frente a todos, todos frente a cada um, o mesmo, e nada de tudo isso é o mesmo. A convenção é contrária à natureza de tudo isso. ( Sobre a Dieta)


Carregar ppt "ASPECTOS VITALISTAS DO NASCER E MORRER João Luiz de Magalhães XX Jornada Docente do Serviço Phýsis de Homeopatia Novembro - 2009."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google