A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Marcelo Assumpção & Afonso E. V. Lopes Mecanismo Focal e as Polaridades das Ondas de Corpo (Parte 1) Agosto de 2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Marcelo Assumpção & Afonso E. V. Lopes Mecanismo Focal e as Polaridades das Ondas de Corpo (Parte 1) Agosto de 2010."— Transcrição da apresentação:

1 Marcelo Assumpção & Afonso E. V. Lopes Mecanismo Focal e as Polaridades das Ondas de Corpo (Parte 1) Agosto de 2010

2 Mecanismos Focais no Nordeste do Brasil João Câmara

3 Mecanismo Focal -Determinação da orientação da falha (strike, dip) e do deslocamento (“slip” ou “rake”), e da tensão que causou o sismo. - Área de ruptura do sismo na falha (A); - Alivio de tensão (“stress drop”) - Deslocamento da falha (“slip”), d - Momento sísmico Mo =  d A (  = módulo de rigidez) Falha de Samambaia, João Câmara, RN, ativa desde ~35 km de comprimento e magnitude máxima de 5,1 m b.

4 Mecanismo Focal e Tensões Tectônicas Objetivo: determinar a “tensão tectônica”. O Mecanismo focal pode ser determinado com as ondas P, S e de superfície.

5 Polaridade da Onda P F A

6 Eixos P (pressão) e T (tração) P T F + - Onda P: para frente ou p/ trás (“compressional” ou “dilatacional”) P e T a 45 º dos planos F e A : tensões liberadas pelo sismo

7 Mecanismo focal com ondas P Determinação dos 2 planos (Falha e Auxiliar) que dividem o espaço em 4 quadrantes com polaridades P distintas: empurrão (+) e puxão (-). Polaridades plotadas em um hemisfério inferior imaginário (suficientemente grande p/ a ruptura ser um “foco”, mas suficientemente pequena para que os raios sejam retilíneos.

8 Eixos P e T independem da identificação dos planos F e A P T F A P T A F Falha sinistral Falha dextral

9 u P ~ M o (4   r) -1 sen(2  u P ~ M o (4   r) -1 sen(2  cos  Radiação das ondas P Plano de falha : X 1, X 2 (X 3 é normal a falha) Direção de deslocamento d : direção X 1 d uPuP F e A são planos nodais (amplitude 0 para onda P) d

10 Radiação das ondas S d X1X1 Polarização da S perpendicular aos planos F e A, sentido do eixo P para o eixo T. Não há planos nodais, apenas no eixo X 2 a S é zero. u  ~ M o (4   r) -1 (-cos(  sin  u  ~ M o (4   r) -1 cos(2  cos 

11 Radiação Ondas P e S X 1 = slip X 2 = B X 3 = Eixo normal Pujol. GRL-74-2 (2003)

12 Mecanismos Focais na Margem Continental 1990, RS magnitude 5,0 1988, Uruguai magnitude 4,8

13 Mecanismos Focais na Margem Continental Sismogramas com a identificação das polaridades das ondas P e pP. Note que todas as polaridades se encontram próximas ao centro da projeção, gerando grande incerteza nos parâmetros (direção e mergulho) da falha inversa. A razão de amplitudes P/Pp pode ajudar a melhorar o mecanismo focal!

14 Representação de Mecanismo Focal com “Bolas de Praia” Assunto da próxima aula!


Carregar ppt "Marcelo Assumpção & Afonso E. V. Lopes Mecanismo Focal e as Polaridades das Ondas de Corpo (Parte 1) Agosto de 2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google