A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIJUI – Universidade Regional do Noroeste do Rio Grade do Sul Ciência Política e Teoria do Estado Professor: Dejalma Cremonese Aluno: Leonardo Hermes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIJUI – Universidade Regional do Noroeste do Rio Grade do Sul Ciência Política e Teoria do Estado Professor: Dejalma Cremonese Aluno: Leonardo Hermes."— Transcrição da apresentação:

1 UNIJUI – Universidade Regional do Noroeste do Rio Grade do Sul Ciência Política e Teoria do Estado Professor: Dejalma Cremonese Aluno: Leonardo Hermes Bueno CORPORATIVISMO Ijuí, 10 de setembro de 2007

2 CORPORATIVISMO Historiadores dizem ter surgido o corporativismo na Idade Média, quando as profissões eram organizadas como corporações fechadas, ou seja, o conhecimento era passado de pai para filho, ou mestre para aprendiz. Historiadores dizem ter surgido o corporativismo na Idade Média, quando as profissões eram organizadas como corporações fechadas, ou seja, o conhecimento era passado de pai para filho, ou mestre para aprendiz.

3 As antigas corporações artesanais deram lugar, aos poucos, aos sindicatos, e as corporações de natureza mais intelectual se transformaram nas modernas profissões liberais. As antigas corporações artesanais deram lugar, aos poucos, aos sindicatos, e as corporações de natureza mais intelectual se transformaram nas modernas profissões liberais.

4 Nos dias atuais corporação tem o significado de uma grande empresa, que integra verticalmente capitalistas, executivos, operários e técnicos sob a mesma estrutura administrativa. Nos dias atuais corporação tem o significado de uma grande empresa, que integra verticalmente capitalistas, executivos, operários e técnicos sob a mesma estrutura administrativa.

5 A idéia romantizada de corporativismo medieval, renasce com os conflitos sociais trazidos pelo capitalismo como uma forma quase perfeita de organização social. A idéia romantizada de corporativismo medieval, renasce com os conflitos sociais trazidos pelo capitalismo como uma forma quase perfeita de organização social.

6 O corporativismo, como alternativa para o capitalismo e a luta de classes, fez parte da ideologia de todos os fascismos dos anos 20 e 30, e chegou até nós pela legislação trabalhista e educacional do Estado Novo. O corporativismo, como alternativa para o capitalismo e a luta de classes, fez parte da ideologia de todos os fascismos dos anos 20 e 30, e chegou até nós pela legislação trabalhista e educacional do Estado Novo.

7 No Brasil, o corporativismo nasce com as reformas políticas e institucionais da década de 30. Partindo de um diagnóstico de falência das instituições liberais e representativas No Brasil, o corporativismo nasce com as reformas políticas e institucionais da década de 30. Partindo de um diagnóstico de falência das instituições liberais e representativas

8 Corporativismo clássico, era uma forma de organização e defesa da sociedade ante os poderes dos reis e da nobreza. Corporativismo clássico, era uma forma de organização e defesa da sociedade ante os poderes dos reis e da nobreza.

9 Corporativismo autoritário foi um mecanismo para a subordinação e o controle da sociedade pelo Estado. Corporativismo autoritário foi um mecanismo para a subordinação e o controle da sociedade pelo Estado.

10 O corporativismo fascista nunca passou de uma ideologia, ou seja, não foi nada mais que uma forma brutal de controle político e de opressão. O corporativismo fascista nunca passou de uma ideologia, ou seja, não foi nada mais que uma forma brutal de controle político e de opressão.

11 Nos dias atuais fala-se em dois tipos de corporativismo: Nos dias atuais fala-se em dois tipos de corporativismo:

12 O primeiro tipo é uma seqüela tardia do corporativismo fascista O primeiro tipo é uma seqüela tardia do corporativismo fascista

13 O Estado não consegue regular e controlar as atividades de cada grupo e categoria profissional. O Estado não consegue regular e controlar as atividades de cada grupo e categoria profissional.

14 Ou seja, são estas categorias que exigem, do Estado, suas regras, seus privilégios e direitos exclusivos, seus monopólios. Ou seja, são estas categorias que exigem, do Estado, suas regras, seus privilégios e direitos exclusivos, seus monopólios.

15 Uma das ideologias desse tipo de corporativismo é, que as novas/velhas corporações buscam maximizar sua presença na arena política, onde há a ilusão de que os ganhos podem ser fáceis e podem ser conquistados no grito. Uma das ideologias desse tipo de corporativismo é, que as novas/velhas corporações buscam maximizar sua presença na arena política, onde há a ilusão de que os ganhos podem ser fáceis e podem ser conquistados no grito.

16 Sendo assim, cada grupo e setor procura garantir seus direitos e privilégios, e tudo estaria bem se houvesse um Estado rico e benfeitor, ou uma providência divina. Sendo assim, cada grupo e setor procura garantir seus direitos e privilégios, e tudo estaria bem se houvesse um Estado rico e benfeitor, ou uma providência divina.

17 O Segundo tipo de corporativismo é o que ocorre na Europa atual, que corresponde a um estágio mais avançado do sindicalismo. O Segundo tipo de corporativismo é o que ocorre na Europa atual, que corresponde a um estágio mais avançado do sindicalismo.

18 Nesse sentido o corporativismo é tão forte e independente, organizado e competente, que pode, quando quer, se impor e paralisar a economia e impor a sua vontade. Nesse sentido o corporativismo é tão forte e independente, organizado e competente, que pode, quando quer, se impor e paralisar a economia e impor a sua vontade.

19 O resultado que visa com esse tipo de corporativismo é um resultado onde atinja o bem comum a todos, a nação inteira. O resultado que visa com esse tipo de corporativismo é um resultado onde atinja o bem comum a todos, a nação inteira.

20 FONTES Enciclopédia Wikipédia. Disponível em: pt.wikipedia.org. Acesso em: 03, Setembro Enciclopédia Wikipédia. Disponível em: pt.wikipedia.org. Acesso em: 03, Setembro Marcus Cláudio Acquaviva. Dicionário Jurídico Brasileiro Acquaviva. Marcus Cláudio Acquaviva. Dicionário Jurídico Brasileiro Acquaviva. Simon Schwartzman. SENTIDOS DO CORPORATIVISMO. Disponível em:http://www.schwartzman.org.br. Acesso em: 04 Setembro Simon Schwartzman. SENTIDOS DO CORPORATIVISMO. Disponível em:http://www.schwartzman.org.br. Acesso em: 04 Setembro


Carregar ppt "UNIJUI – Universidade Regional do Noroeste do Rio Grade do Sul Ciência Política e Teoria do Estado Professor: Dejalma Cremonese Aluno: Leonardo Hermes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google