A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DOENÇAS NÃO INFECCIOSAS. EXPRESSÕES COMUNS NOS ADULTOS PARA DOENÇAS NÃO INFECCIOSAS : Todos nós somos doentes crônicos Todos nós somos doentes crônicos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DOENÇAS NÃO INFECCIOSAS. EXPRESSÕES COMUNS NOS ADULTOS PARA DOENÇAS NÃO INFECCIOSAS : Todos nós somos doentes crônicos Todos nós somos doentes crônicos."— Transcrição da apresentação:

1 DOENÇAS NÃO INFECCIOSAS

2 EXPRESSÕES COMUNS NOS ADULTOS PARA DOENÇAS NÃO INFECCIOSAS : Todos nós somos doentes crônicos Todos nós somos doentes crônicos Sadio é o que não sabe que é doente Sadio é o que não sabe que é doente Sadio é o que não foi suficientemente examinado Sadio é o que não foi suficientemente examinado

3 A passagem do tempo faz com que as pessoas adquiram afecções que de uma maneira ou de outra são controlados, embora sem se livrar totalmente delas. A passagem do tempo faz com que as pessoas adquiram afecções que de uma maneira ou de outra são controlados, embora sem se livrar totalmente delas. Ex: deficiência auditiva e visual, hipertensão arterial, glaucoma, diabetes, cirrose hepática, rinite alergica, bronquite, asma, artrose, dermatoses, osteoporose, ulceras, hemorróidas e cálculo renal Ex: deficiência auditiva e visual, hipertensão arterial, glaucoma, diabetes, cirrose hepática, rinite alergica, bronquite, asma, artrose, dermatoses, osteoporose, ulceras, hemorróidas e cálculo renal

4 TERMINOLOGIAS As designações não-infecciosas, não- transmissível, crônica não-transmissível, crônica-degenerativa ou simplesmente crônica são muitas vezes impregadas como sinônimos, embora pode ser feitas restrições a este procedimento. As designações não-infecciosas, não- transmissível, crônica não-transmissível, crônica-degenerativa ou simplesmente crônica são muitas vezes impregadas como sinônimos, embora pode ser feitas restrições a este procedimento.

5 DOENÇAS INFECCIOSAS E CRÔNICAS: DOENÇAS INFECCIOSAS E CRÔNICAS: Ex: hanseníase, tuberculose, doença de chagas, parasitoses intestinais… Ex: hanseníase, tuberculose, doença de chagas, parasitoses intestinais… DOENÇAS CRÔNICO-DEGENERATIVA DOENÇAS CRÔNICO-DEGENERATIVA é um tipo de acometimento encontrado em afecções incluídas na categoria : arteriosclerose, diabetes. Em algumas patologias infecciosas também pode ocorrer processo degenerativo. é um tipo de acometimento encontrado em afecções incluídas na categoria : arteriosclerose, diabetes. Em algumas patologias infecciosas também pode ocorrer processo degenerativo.

6 DOENÇA NÃO-TRANSMISSÍVEL: DOENÇA NÃO-TRANSMISSÍVEL: Enfermidade que não é transmitida de uma pessoa para outra. No entanto, há algumas doenças não infecciosas que são transmissíveis, como as afecções genéticas. Enfermidade que não é transmitida de uma pessoa para outra. No entanto, há algumas doenças não infecciosas que são transmissíveis, como as afecções genéticas. DOENÇAS CRÔNICAS: DOENÇAS CRÔNICAS: Um aspecto associado ao grupo de afecções é o fato de apresentar evolução de longa duração. Um aspecto associado ao grupo de afecções é o fato de apresentar evolução de longa duração.

7 ETIOLOGIA FATORES CAUSAIS: FATORES CAUSAIS: As doenças crônicas resultam de um processo multifatorial, em geral gradativo e cumulativo, que é explicado por uma interrelação complexa entre fatores hereditários e não hereditários. As doenças crônicas resultam de um processo multifatorial, em geral gradativo e cumulativo, que é explicado por uma interrelação complexa entre fatores hereditários e não hereditários.

8 AGENTES : Para algumas doenças não infecciosas existe agente etiológico conhecido. Ex: mercúrio e chumbo outros exemplos são o fumo, alcool, pesticidas, radiações porém a maioria das doenças não tem agente etiológico. AGENTES : Para algumas doenças não infecciosas existe agente etiológico conhecido. Ex: mercúrio e chumbo outros exemplos são o fumo, alcool, pesticidas, radiações porém a maioria das doenças não tem agente etiológico. EXPOSIÇÃO A FATORES DE RISCO: a ausência de um agente conhecido, no complexo causal de um agravo a saúde dificulta a pesquiza, neste caso analisa-se o fator de risco associado a determinada doença. Envolvendo a intensidade da exposição a estes fatores. EXPOSIÇÃO A FATORES DE RISCO: a ausência de um agente conhecido, no complexo causal de um agravo a saúde dificulta a pesquiza, neste caso analisa-se o fator de risco associado a determinada doença. Envolvendo a intensidade da exposição a estes fatores.

9 PREDISPOSIÇÃO DO ORGANISMO: a hereditáriedade tem importante papel na explicação de frequência de danos a saúde. PREDISPOSIÇÃO DO ORGANISMO: a hereditáriedade tem importante papel na explicação de frequência de danos a saúde. EXPOSIÇÃO X PREDISPOSIÇÃO: As pessoas se expõem de maneira desigual aos riscos e respondem também de maneira não-uniforme as agressões. Um misto de exposição ambiental e predisposição do organismo, em complexa interação é o provavel aparecimento da doença. EXPOSIÇÃO X PREDISPOSIÇÃO: As pessoas se expõem de maneira desigual aos riscos e respondem também de maneira não-uniforme as agressões. Um misto de exposição ambiental e predisposição do organismo, em complexa interação é o provavel aparecimento da doença.

10 CADEIA DE EVENTOS DA HISTÓRIA NATURAL DA DOENÇA CRÔNICO - DEGENERATIVA FATORES DE RISCO ALTERAÇÕES SUBCLÍNICAS MANIFESTAÇÕES CLINICAS ÓBITO

11 CURSO DA DOENÇA PERÍODO DE LATÊNCIA: PERÍODO DE LATÊNCIA: É semelhante a doenças infecciosas, onde há um período de incubação – limitado entre o período de exposição e o período de manifestações. É semelhante a doenças infecciosas, onde há um período de incubação – limitado entre o período de exposição e o período de manifestações. Ex: a radiação e o câncer para os moradores de Hiroshima e Nagasaki ; Ex: a radiação e o câncer para os moradores de Hiroshima e Nagasaki ;

12 FATORES PROGNÓSTICOS: FATORES PROGNÓSTICOS: O curso da doença pode ser previsto a partir de um melhor prognóstico da doença. Ex: o coma é previsto como um ruim prognóstico para o AVC, ao passo que a manutenção da consciência indica melhores possibilidades de recuperação. Ex: o coma é previsto como um ruim prognóstico para o AVC, ao passo que a manutenção da consciência indica melhores possibilidades de recuperação.

13 MEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLE PREVENÇÃO PRIMÁRIA Mudança no estilo de vida. Mudança no estilo de vida. Educação para á saúde. Educação para á saúde. Saúde ocupacional. Saúde ocupacional.

14 MEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLE PREVENÇÃO SECUNDÁRIA Diagnóstico precoce. Auto-observação. Rastreamento em massa. Exame periódico de saúde. Recuperação da saúde.

15 MEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLE PREVENÇÃO TERCIÁRIA Reabilitação motora.

16 CLASSIFICAÇÃO DE FATORES DE RISCO; Não modificaveís : Não modificaveís : ___ sexo e idade. ___ sexo e idade. Modificaveís: Modificaveís: pela ação direta dos serviços de saúde : estado imunitário,atenção pré-natal e nivel de colesterol sérico. por ação em outros setores: pântanos, analfabetismo e pobreza.

17 FIM …


Carregar ppt "DOENÇAS NÃO INFECCIOSAS. EXPRESSÕES COMUNS NOS ADULTOS PARA DOENÇAS NÃO INFECCIOSAS : Todos nós somos doentes crônicos Todos nós somos doentes crônicos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google