A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capa Economia de Mercado MBA´s - Módulo em Comum Carlos Eduardo de Freitas Vian – ESALQ USP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capa Economia de Mercado MBA´s - Módulo em Comum Carlos Eduardo de Freitas Vian – ESALQ USP."— Transcrição da apresentação:

1

2 Capa Economia de Mercado MBA´s - Módulo em Comum Carlos Eduardo de Freitas Vian – ESALQ USP

3 Mini Currículo Carlos Eduardo de Freitas Vian

4 Atuação Profissional Atual Professor do curso de Ciências Econômicas da ESALQ USP Coordenador do Grupo de Extensão e Pesquisas em História da Agricultura e dos Complexos Agroindustriais – GEPHAC. Membro do Grupo de Estudos e Extensão em Desenvolvimento Econômico e Social – GEEDES ambos do LES ESALQ USP. Pesquisador nas áreas de História Econômica e de empresas, com ênfase nos assuntos dos Complexos Agroindustriais (Açúcar e álcool, alimentos orgânicos, segurança alimentar)

5 Formação Acadêmica Bacharel em Ciências Econômicas – UNICAMP Especialista em Controladoria e Finanças – ADIFEA/USP Doutor em Economia – Unicamp – 2002 Mestre em Engenharia de Produção – UFSCAR

6 Experiência Profissional Professor universitário desde Consultor em estratégia, formulação de Políticas Públicas e estudos setoriais. Gessy Lever. Autolatina Brasil. Mogiana Alimentos

7 Faculdades e Disciplinas ESALQ USP – FEB I E II, HPE E HGE e Desenvolvimento Instituto Superior de Ciências Aplicadas – Limeira; ESAMC – Campinas; Faculdades Prudente de Moraes – Itu; Instituto de Economia da Unicamp; OPEC Indaiatuba; FIAN – LEME;

8 Apresentação dos Alunos Formação; Empresa; Cargo; Por que está fazendo o curso? Lê sobre economia?

9 Objetivos da Disciplina Gerais – Entender o funcionamento das economias de mercado e as causas de suas flutuações. Específicos – Entender a dinâmica dos mercados; – Entender como se montam cenários de conjuntura; – Entender as diferenças entre os cenários macroeconômicos e os setoriais.

10 Como você decide? Como você toma decisões? Tem os mesmos critérios para decisões pessoais e profissionais? Você tem um método para tomar decisões? Atividade

11 A palavra Economia vem do grego OIKOS - aquele que administra o local onde vive. Uma pessoa se depara com muitas decisões no seu dia-a-dia. Exemplos: Onde investir? O que produzir? Quanto? O que fazer no final de semana? O que comprar para o dia das crianças? O que é Economia?

12 A Ciência Econômica tem como objetivo estudar a forma como os homens decidem empregar recursos produtivos escassos, que podem ter aplicações alternativas, para produzir diversas mercadorias, ao longo do tempo, distribuí-las para consumo, agora e no futuro, por pessoas e grupos da sociedade. (Paul Samuelson, 1972) Em síntese: a Economia é o estudo da forma pela qual a sociedade administra seus recursos escassos. Formas: planejador central; Mercado; Economia Mista O que é Economia?

13 OBJETO DE ANÁLISE DISPONIBILDADE E ALOCAÇÃO DE FATORES DE PRODUÇÃO: 1.Terra e demais recursos naturais 2.Força de Trabalho 3.Capital 4.Tecnologia 5.Capacidade empresarial

14 A Economia é uma Ciência social. - tem método próprio; - Tem um objeto de análise – pessoas e suas necessidades A Economia como Ciência

15 A Economia é estudada em vários níveis, dividindo-se em dois ramos principais: a Microeconomia e a Macroeconomia. A Microeconomia trata do comportamento dos trabalhadores, famílias, investidores, proprietários de terras, empresas e quaisquer indivíduos ou entidades que desempenhem um papel no funcionamento de nossa economia. A Microeconomia explica como e porque essas unidades econômicas tomam decisões, e de que maneira interagem em mercados específicos. Estudos setoriais; Estudos de individuais; Estudos de mercados. A Macroeconomia trata do comportamento da economia como um todo. Trata da produção total de bens e serviços, do crescimento do produto, das taxas de inflação e do desemprego, do balanço de pagamentos, das taxas de câmbio, do orçamento do governo e das taxas de juros. Em síntese, a Macroeconomia lida com as principais variáveis econômicas e com os problemas do dia-a-dia. Economia monetária; Estudos de tributação;

16 CARACTERÍSTICA GERAIS DAS ECONOMIAS Produção Circulação Reprodução Apropriação

17 MODELO DO FLUXO CIRCULAR SEM GOVERNO E SEM COMÉRCIO EXTERIOR Mercado de Bens e serviços Empresas vendem Famílias compram Famílias Consomem bens e serviços Possuem bens de produção e os vendem Fluxo de bens e serviços comprados Pagamento por bens e serviços Mercado de fatores de Produção Famílias vendem Empresas compram Terra, trabalho e capital Fluxo de Renda Empresas produzem e vendem bens e serviços Compram e utilizam fatores de produção Salários, aluguéis e lucros Insumos Pagamento por bens e serviços Bens e serviços vendidos

18 MODELO DO FLUXO CIRCULAR COM GOVERNO E COM COMÉRCIO EXTERIOR Mercado de Bens e serviços Empresas vendem Famílias compram Famílias Consomem bens e serviços Possuem bens de produção e os vendem Fluxo de bens e serviços comprados Pagamento por bens e serviços Mercado de fatores de Produção Famílias vendem Empresas compram Terra, trabalho e capital Fluxo de Renda Empresas produzem e vendem bens e serviços Compram e utilizam fatores de produção Salários, aluguéis e lucros Insumos Pagamento por bens e serviços Bens e serviços vendidos GOVERNO Fornece bens e serviços Cobra impostos Fluxo de bens e serviços Impostos Fluxo de bens e serviços Impostos Exterior Empresas e governos Fiscalização

19 MODELO DO FLUXO CIRCULAR SEM GOVERNO E SEM COMÉRCIO EXTERIOR E COM A NATUREZA Mercado de Bens e serviços Empresas vendem Famílias compram Famílias Consomem bens e serviços Possuem bens de produção e os vendem Fluxo de bens e serviços comprados Pagamento por bens e serviços Mercado de fatores de Produção Famílias vendem Empresas compram Terra, trabalho e capital Fluxo de Renda Empresas produzem e vendem bens e serviços Compram e utilizam fatores de produção Salários, aluguéis e lucros Insumos Pagamento por bens e serviços Bens e serviços vendidos Recursos Naturais – Terra, água, minérios, ar, etc. Esgoto, poluição Esgoto, Poluição Gastos privados com preservação

20 MODELO DO FLUXO CIRCULAR COM GOVERNO E COM COMÉRCIO EXTERIOR E COM MEIO-AMBIENTE Mercado de Bens e serviços Empresas vendem Famílias compram Famílias Consomem bens e serviços Possuem bens de produção e os vendem Fluxo de bens e serviços comprados Pagamento por bens e serviços Mercado de fatores de Produção Famílias vendem Empresas compram Terra, trabalho e capital Fluxo de Renda Empresas produzem e vendem bens e serviços Compram e utilizam fatores de produção Salários, aluguéis e lucros Insumos Pagamento por bens e serviços Bens e serviços vendidos GOVERNO Fornece bens e serviços Cobra impostos Fluxo de bens e serviços Impostos Fluxo de bens e serviços Impostos Exterior (Empresas e governos) Fiscalização Recursos Naturais – Terra, água, minérios, ar, etc. Esgoto e poluição Esgoto e Poluição Taxas ambientais

21 CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA: 1. Situação nascida de um encontro de circunstâncias, e que se considera como o ponto de partida de uma evolução, uma ação, um fato; coincidência ou concorrência de fatos ou circunstâncias. 2. Acontecimento, ocasião, ocorrência. 3. Dificuldade, situação embaraçosa. 4. Ensejo, oportunidade. (Aurélio) CONJUNTURA ECONÔMICA: Termo que define, de forma mais dinâmica do que situação econômica, o fluxo e o refluxo das atividades de uma economia, ou de maneira mais genérica, o estudo da totalidade das condições de mercado, da atuação do Estado e da estrutura política e social de um país ou região. O Conceito se originou da constatação de que as crises econômicas ocorrem de forma periódica, sendo seguidas por períodos de crescimento do nível de atividade. A freqüente instabilidade se reflete na variação do nível de emprego, dos preços, lucros, arrecadação tributária e padrão de vida da população.

22 CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES DE CONJUNTURA: São um grande número de variáveis econômicas: produção, estoques, número de pessoas empregadas, taxa de juros, receita e despesa do governo, dívida pública, taxa de formação de capital, renda nacional e índices de preços, entre outros. A análise conjunta desses indicadores e de seus movimentos fornece um quadro da situação econômica e social do país naquele momento, ou seja, em que ponto se encontra a economia dentro do ciclo econômico. Sua identificação e mensuração permitem delinear a evolução futura e fazer previsões que serão utilizadas na elaboração de políticas econômicas que revertam as crises e que promovam o crescimento econômico.

23 Atividade 1 - Quais indicadores e fatos econômicos são importantes para entender o seu setor de atividade? 2 – Sua empresa acompanha estes indicadores? Como? Quem?

24 Indicadores de Mercados e Cadeias Produtivas

25 MERCADO Um mercado é um grupo de compradores e vendedores que, por meio de suas reais ou potenciais interações, determina o preço de um produto ou de um conjunto de produtos. É assim que podemos pensar no mercado como um lugar onde os preços são determinados. Um mercado representa mais do que uma indústria. INDÚSTRIA Uma indústria é um conjunto de empresas que fabrica e vende o mesmo produto ou produtos correlatos. A indústria corresponde ao lado da oferta do mercado.

26

27 CR Agropecuária 59,70%52,03% Alimentos 23,23%30,04% Automobilístico 85,12%82,36% Autopeças 41,60%38,43% Avicultura 100,00% Bebidas e fumo 79,33%77,00% Comércio atacadista 37,46%51,25% Comércio varejista 48,58%38,70% Comunicações 57,99%61,67% Confecções 82,62 % 49,06% Construção civil 76,56%82,38% Construção pesada 39,48%50,78% Distrib. de revistas 100,00% Distribuição de petróleo 81,86%81,39% Distribuição de veículos 87,52%72,92% Eletroeletrônica 41,33%30,92% Farmacêutico 100,00% Fertilizantes 88,14% Higiene e limpeza 63,84%65,45% Informática 94,55% Madeira e móveis 100,00% Máquinas e equipamentos 43,05%49,63% Material de escritório 91,37%73,25% Material de transporte 39,04%64,78% Metalurgia 24,92%40,57% Mineração 79,32%66,15% Minerais não-metálicos 48,66%41,43% Papel e celulose 55,82%46,68% Plásticos e borracha 77,17%63,19% Química e petroquímica 17,57%24,52% Serviços de transporte 90,55% Serviços de Transportes 77,89% Serviços diversos 100,00% Siderurgia 56,35%55,40% Supermercados 46,29%57,73% Têxtil 55,27%50,57% Trading 53,05%

28 CR Atacado60,10%68,80% Autoindústria52,30%44,80% Bens de Capital89,90%74,40% Bens de Consumo31,40%34,70% Diversos74,60%76,10% Eletroeletrônico38,40%52,50% Energia63,10%54,90% Farmacêutico50,60%54,50% Indústria da Construção33,60%37,10% Indústria Digital47,90%69,60% Mineração69,60%83,70% Papel e Celulose47,10%76,80% Produção Agropecuária61,80%47,50% Química e Petroquímica26,70%42,10% Serviços41,70%33,70% Siderurgia e Metalurgia38,20%51,50% Telecomunicações62,30%53,70% Têxteis49,20%77,50% Transporte65,50%58,40% Varejo42,10%45,10%

29

30 Market Share DAIMLERCHRYSLER DO BRASIL LTDA 0,3% FIAT AUTOMÓVEIS S.A. 26,1%27,6%29,1%27,2%25,7%23,9% FORD MOTOR COMPANY BRASIL 8,7%8,1%7,5%8,5%9,6%9,2% GENERAL MOTORS DO BRASIL LTDA 24,5%25,2%23,2%21,3%21,0%22,1% HONDA AUTOMÓVEIS DO BRASIL LTDA 4,2%4,4%4,7%5,6%5,2%5,0% MERCEDES-BENZ DO BRASIL LTDA 0,0% NISSAN DO BRASIL AUTOMÓVEIS LTDA 0,0% 0,3%0,6% PEUGEOT CITROEN DO BRASIL S.A. 5,1%5,3% 4,7%5,6% RENAULT DO BRASIL S.A. 3,2%2,0%2,9%5,5%4,6%4,9% TOYOTA DO BRASIL LTDA 3,4%3,1%2,2%2,4%2,5%2,4% VOLKSWAGEN DO BRASIL LTDA 24,5%24,4%25,0%24,3%26,2%26,3%

31

32

33

34 Cadeia Produtiva: é uma seqüência de operações que conduzem à produção de bens. Sua articulação é amplamente influenciada pela fronteira de possibilidades ditadas pela tecnologia e é definida pelas estratégias dos agentes que buscam a maximização dos lucros. As relações entre os agentes são de interdependência ou complementaridade e são determinadas por forças hierárquicas. Em diferentes níveis de análise a cadeia é um sistema, mais ou menos capaz de assegurar sua própria transformação.

35

36

37 Ambiente Institucional Regras do Jogo: – Leis; – Regras Formais; – Regras informais; – Padrão de conduta; – Convenções;

38 CAMPO ORGANIZACIONAL: É uma nova unidade de análise, uma alternativa aos conceitos de mercado e indústria baseados em aspectos técnicos. Esta nova unidade é uma construção social e institucional e não visa apenas o entendimento das relações técnicas de produção e formação de preço. O Campo Organizacional é uma arena institucional em que podemos visualizar a interdependência entre os agentes de uma dada cadeia produtiva, envolvendo concorrentes, fornecedores, compradores, fabricantes de produtos substitutos efetivos e potenciais e o Estado. Assim, a unidade de análise não é mais a empresa individual ou as transações feitas por ela, passamos a visualizar todos os agentes relevantes para o estudo da dinâmica concorrencial e pela inércia ou mudança institucional. Tudo ao mesmo tempo.

39

40 Atividade -Descreva: -O segmento em que sua empresa atua; -A cadeia produtiva em que está inserida; -As principais questões institucionais que afetam este setor e esta cadeia; -Quais as fontes de informação acessiveis?

41 Macroeconomia

42 APARELHO PRODUTIVO Disponibilidade de fatores de Produção em dado país: – Capital (máquinas, equipamentos); – Força de Trabalho; – Terra e demais recursos naturais; – Capacidade empresarial; – Tecnologia. Divisão setorial da economia: Setor Primário: Agricultura, Extração Mineral. Setor Secundário: Industria de transformação e de Máquinas e equipamentos Setor Terciário: Serviços

43 PIB é o valor de mercado... O PIB soma vários tipos diferentes de de bens em uma única medida de valor da atividade econômica. Utiliza-se para isso de preços de mercado. Com isso pode-se, literalmente, somar maças com laranjas, por exemplo....de todos... O PIB é abrangente, pois ele inclui todos os itens produzidos na economia e vendidos legalmente nos mercados do país....os bens e serviços... O PIB inclui tanto bens tangíveis (comida, vestuário, automóveis, etc.) quanto intangíveis (cortes de cabelo, consultas médicas, faxinas, etc.). A determinação da Renda Nacional em dado período Fonte: MANKIW (2002). PIB é o valor de mercado de todos os bens e serviços finais produzidos em um país em um dado momento.

44 ...finais... No cálculo do PIB inclui-se apenas o valor dos bens e serviços finais, o que impede o erro de dupla contagem. Vale lembrar que os bens finais incorporam os bens intermediários, como matérias primas e componentes....produzidos... O PIB inclui bens e serviços produzidos no presente....em um país... O PIB mede o valor da produção dentro dos limites de um país....em um dado período. O PIB mede o valor da produção que tem lugar em um intervalo de tempo específico, geralmente de um ano ou de um trimestre. A determinação da Renda Nacional em dado período Fonte: MANKIW (2002). Reafirmando: PIB é o valor de mercado de todos os bens e serviços finais produzidos em um país em um dado momento.

45 A determinação da Renda Nacional Os Elementos do PIB Fonte: MANKIW (2002); MANKIW (1998); e DORNBUSCH & FISCHER (1991). Y = C + I + G + NX (identidade macroeconômica básica)

46 Análise de Dados

47

48

49

50

51

52 PIB REGIONAL

53

54

55

56

57

58 Causas das variações do PIB

59 A determinação da Renda Nacional Consumo (C): refere-se a todos os bens e serviços comprados pelas famílias e divide-se em três subcategorias: bens não-duráveis, bens duráveis e serviços. Bens não-duráveis são aqueles que duram apenas um curto período de tempo, tais como alimentos e roupas. Bens duráveis duram mais tempo como automóveis e televisores. Serviços incluem a compra de serviços pessoais como consultas médicas ou serviços de mecânicos de automóveis. O almoço da família no McDonalds é incluído no elemento Consumo (C), já a aquisição de nova moradia (imóvel) não. Os Elementos do PIB Y = C + I + G + NX (identidade macroeconômica básica) Fonte: MANKIW (2002); MANKIW (1998); e DORNBUSCH & FISCHER (1991).

60 A determinação da Renda Nacional Investimento (I): significa a aquisição de equipamentos de capital (máquinas), estoque, e construções e instalações, como uma nova fábrica da Ford. O Investimento também inclui despesas com moradias novas (a compra ou construção de uma nova casa por uma família é a única despesa desse grupo classificada como Investimento e não Consumo). De forma mais genérica, se considerarmos o Investimento como uma atividade corrente que aumenta a capacidade da economia de produzir no futuro, podemos também incluir o Investimento em capital humano. O capital humano é o conhecimento e a habilidade para produzir que é incorporado pela força de trabalho. Logo, a educação pode ser encarada como investimento em capital humano Os Elementos do PIB Y = C + I + G + NX (identidade macroeconômica básica) Fonte: MANKIW (2002); MANKIW (1998); e DORNBUSCH & FISCHER (1991).

61 A determinação da Renda Nacional Aquisições do Governo (G) : são os bens e serviços adquiridos pelo Governo federal, estadual ou municipal. Essa categoria inclui, por exemplo, gastos com defesa da nação, com a construção de estradas e com os salários dos funcionários públicos. A compra de novas armas pelo exército é uma despesa do Governo. Já o pagamento realizado pelo Governo aos idosos aposentados é considerado pagamentos de transferência, porque não são feitos em troca de um bem ou serviço produzidos correntemente. Os Elementos do PIB Y = C + I + G + NX (identidade macroeconômica básica) Fonte: MANKIW (2002); MANKIW (1998); e DORNBUSCH & FISCHER (1991).

62 A determinação da Renda Nacional Exportações Líquidas (NX) : leva em consideração o comércio com outros países. Exportações líquidas significam o valor de bens e serviços exportados menos o valor dos bens e serviços recebidos do exterior (importados). NX é o mesmo que (X – M), ou seja, Exportações (X) menos Importações (M). O termo líquido das Exportações Líquidas se refere ao fato de que as importações são deduzidas das exportações. Essa subtração se justifica pelo fato de que as importações de bens e serviços estão incluídas em outros componentes do PIB. Se um brasileiro compra um carro da marca BMW isso representará uma despesa (consumo) para esse cidadão. Essa despesa aumentará o Consumo, porém reduzirá as Exportações Líquidas porque é uma importação. Portanto, quando uma família, empresa ou governo compra um bem ou serviço no exterior, essa aquisição reduz as Exportações Líquidas (NX). No entanto, como também aumenta o Consumo (C), o Investimento (I) ou as Aquisições do Governo (G), não afeta o PIB. Os Elementos do PIB Y = C + I + G + NX (identidade macroeconômica básica) Fonte: MANKIW (2002); MANKIW (1998); e DORNBUSCH & FISCHER (1991).

63 A determinação da Renda Nacional Mas o PIB é o melhor indicador do bem-estar econômico de uma sociedade? Estamos certos de que um grande PIB nos ajuda, de fato, a ter uma vida mais próspera. Mas certamente ele não é capaz de medir a saúde de nossas crianças e a qualidade de nossa educação. Não considera também a quantidade de lazer de que nossos cidadãos gozam e não abrange a qualidade do nosso meio ambiente. Portanto, para conhecermos mais profundamente o grau de bem-estar sócio- econômico de uma nação, devemos também considerar outros indicadores. Por exemplo: Índice de Desenvolvimento Humano (IDH); Esperança de vida ao nascer; Taxa de analfabetismo; e Distribuição de Renda. PIB e bem-estar econômico

64 COMPARAÇÃO ENTRE PIB E PIBpc PIB AO REDOR DO MUNDO PAÍSPIB (Bilhões de Dólares) PIBpc África do Sul ,00 Argentina ,00 Brasil ,00 Chile ,00 China ,00 Cingapura ,00 Coréia ,00 Estados Unidos7.921, ,00 Etiópia6.1100,00 Gana7.2390,00 Índia ,00 Malásia ,00 México ,00 Paraguai ,00 Tailândia ,00 Uruguai ,00 Venezuela ,00

65 IDH NO MUNDO

66 DISTRIBUIÇÃO DE RENDA POR SEGMENTO DA POPULAÇÃO

67 Macroeconomia Política Fiscal e Tributária Instrumentos: Impostos diretos sobre renda e propriedade; Impostos Indiretos sobre a produção e a circulação de bens e serviços; Contribuições; taxas Agentes de Comando: Secretaria da Fazenda; Ministérios Agentes Cumpridores: Empresas e Famílias. Objetivos: 1.Contrabalançar os efeitos de curto prazo de queda do consumo, do investimento e das exportações. 2.Proteção e incentivo a setores chaves – Política Industrial e Agroindustrial 3.Política de Desenvolvimento Regional.

68 Macroeconomia Política Cambial Instrumentos: Taxa Cambial; Impostos de importação e exportação; Licenças prévias; Controles quantitativos (cotas); Controle para remessas de divisas; Controles sanitários; Agentes de Comando: Secretaria da Fazenda; Banco Central; Secretaria da Receita Federal; Administração de Portos e Aeroportos; Vigilância Sanitária; Ministério da Agricultura Agentes Cumpridores: Empresas e Famílias, agentes financeiros. Objetivos: 1.Incentivar as exportações e controlar importações. 2.Proteção e incentivo a setores chaves – Política Industrial e Agroindustrial.

69

70

71

72 Política Econômica Como é implementada uma política econômica?

73 Processo de Implementação de Políticas Públicas e Econômicas

74

75 Cenários CENÁRIOS ECONÔMICOS E PREVISÕES: Elaboração e análise dos desdobramentos da conjuntura econômica social e política atual. Geralmente são construídas versões otimistas, pessimistas e neutras. Estes documentos são importantes para que os investidores tomem decisões com maior perspectiva de acerto. A teoria econômica é eficiente para explicar o passado e ineficiente para explicar o futuro. Assim, as previsões são sujeitas a erros.

76

77

78

79

80 CONJUNTURA ECONÔMICA CICLOS ECONÔMICOS: Flutuação periódica e alternada de expansão e contração de toda atividade econômica (industrial, agrícola e comercial) de um país ou de um conjunto de países. Um ciclo típico consiste num período de expansão, seguido de uma recessão, de um período de depressão e um noco movimento ascendente ou de recuperação econômica. RECESSÃO: Conjuntura de declínio da atividade econômica, caracterizado por queda da produção, aumento do desemprego, diminuição da taxa de lucros e crescimento dos índices de falências e concordatas. DEPRESSÃO: Conjuntura de declínio ACENTUADO da atividade econômica, caracterizado por queda da produção, aumento do desemprego, diminuição da taxa de lucros e crescimento dos índices de falências e concordatas.

81

82

83

84

85 Atividade Criação de cenários – Panorama atual interno e externo; – Interno e Externo; – Perspectivas

86 ATIVIDADE Busca de base de dados na internet; – Setoriais – Macroeconômicos – Conjunturais

87 Atividade Criação de cenários – Interno – Externo

88 Panorama Atual interno

89 Panorama Externo

90 Perspectivas

91 Referências Bibliográficas Economia: Fundamentos e Práticas Aplicados à Realidade Brasileira - Organizadores Carlos Eduardo de Freitas Vian, Anderson César Gomes Teixeira e Cláudio Cesar de Paiva Economia: Fundamentos e Práticas Aplicados à Realidade Brasileira Introdução à Economia Carlos Eduardo de Freitas Vian (org.) Introdução à Economia

92


Carregar ppt "Capa Economia de Mercado MBA´s - Módulo em Comum Carlos Eduardo de Freitas Vian – ESALQ USP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google