A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Primeiros Socorros Pedro Luiz Dragone Médico do Trabalho CIAO - 2004.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Primeiros Socorros Pedro Luiz Dragone Médico do Trabalho CIAO - 2004."— Transcrição da apresentação:

1 Primeiros Socorros Pedro Luiz Dragone Médico do Trabalho CIAO

2 Conceitos Primeiros Socorros: Primeiros Socorros: cuidados imediatos dispensados à pessoa vítima de acidente ou mal súbito.cuidados imediatos dispensados à pessoa vítima de acidente ou mal súbito. Socorrista: Socorrista: toda pessoa que presta socorro a alguém.toda pessoa que presta socorro a alguém.

3 Situações que exigem Primeiros Socorros Perdas da consciência Perdas da consciência Envenenamentos Envenenamentos Acidentes por Animais Peçonhentos Acidentes por Animais Peçonhentos Traumatismos Traumatismos Ferimentos Ferimentos Contusões Contusões Corpos estranhos Corpos estranhos

4 Situações que exigem Primeiros Socorros Hemorragias Hemorragias Queimaduras Queimaduras Choque elétrico Choque elétrico Estado de Choque Estado de Choque Parada cárdio-respiratória Parada cárdio-respiratória

5 Como Proceder ? Ter calma Ter calma Informar vítima quando possível, o que está ocorrendo Informar vítima quando possível, o que está ocorrendo Acalmar a vítima Acalmar a vítima Serenidade para aplicar todo o seu conhecimento Serenidade para aplicar todo o seu conhecimento

6 Objetivo e Regras Lembrar que o objetivo do primeiro socorro não é tratar a pessoa, mas sim evitar danos maiores à vítima Lembrar que o objetivo do primeiro socorro não é tratar a pessoa, mas sim evitar danos maiores à vítima Regras Básicas: Regras Básicas: questionar a vítima, verificar seu estadoquestionar a vítima, verificar seu estado pedir ajudapedir ajuda proceder primeiros socorrosproceder primeiros socorros

7 Perdas da Consciência Motivos: Motivos: pouca alimentaçãopouca alimentação queda da pressãoqueda da pressão calorcalor falta de líquidofalta de líquido forte emoçãoforte emoção

8 Como avaliar a vítima com Perda da Consciência Situações de perda da consciência: Situações de perda da consciência: sonosono desmaiodesmaio mortemorte

9 Como avaliar a vítima com Perda da Consciência Dados vitais Dados vitais respiração:respiração: ar pelo nariz ar pelo nariz movimentos respiratórios movimentos respiratórios tórax na mulhertórax na mulher abdômen no homemabdômen no homem batimentos cardíacos:batimentos cardíacos: escutando batimentos no peito escutando batimentos no peito sentindo os pulsos sentindo os pulsos

10 Perda da Consciência Lipotímia: Lipotímia: “tontura”, aviso de falta de oxigênio ou glicose no cérebro“tontura”, aviso de falta de oxigênio ou glicose no cérebro Procedimentos: Procedimentos: acalmar a pessoaacalmar a pessoa deitar a vítima e erguer as pernasdeitar a vítima e erguer as pernas afrouxar roupasafrouxar roupas

11 Perda da Consciência Desmaios: Desmaios: perda da consciência temporária e repentinaperda da consciência temporária e repentina Procedimentos: Procedimentos: manter deitadomanter deitado afrouxar roupasafrouxar roupas manter ambiente arejadomanter ambiente arejado cuidados na posição sentadacuidados na posição sentada cuidados pós desmaioscuidados pós desmaios cuidados em caso de vômitoscuidados em caso de vômitos

12 Perda da Consciência Epilepsia e convulsões: Epilepsia e convulsões: perda da consciência acompanhada de contrações bruscas e involuntáriasperda da consciência acompanhada de contrações bruscas e involuntárias Procedimentos: Procedimentos: cuidados com a cabeçacuidados com a cabeça acomodar a vítimaacomodar a vítima retirar dentaduras e pontesretirar dentaduras e pontes afrouxar roupasafrouxar roupas

13 Envenenamentos Vias de intoxicação: Vias de intoxicação: oral (falta de higiene)oral (falta de higiene) respiratória:respiratória: uso de EPI uso de EPI conhecer produtos químicos da Empresa conhecer produtos químicos da Empresa pele: roupas contaminadaspele: roupas contaminadas injetadosinjetados

14 Envenenamentos - o que fazer ? Via oral: Via oral: retirar do local contaminadoretirar do local contaminado água em pequenas quantidades, somente se for ácidoágua em pequenas quantidades, somente se for ácido inconsciente:inconsciente: limpeza oral limpeza oral cuidar da respiraçãocuidar da respiração

15 Envenenamentos - o que fazer ? Via respiratória: Via respiratória: retirar do localretirar do local levar para área arejadalevar para área arejada verificar respiraçãoverificar respiração manobras de ressuscitação:manobras de ressuscitação: caso parada cárdio-respiratória caso parada cárdio-respiratória

16 Envenenamentos - o que fazer ? Via pele: Via pele: retirar do localretirar do local levar para local fresco e arejadolevar para local fresco e arejado retirar toda roupa do acidentadoretirar toda roupa do acidentado lavar o corpo todo com bastante águalavar o corpo todo com bastante água

17 Envenenamentos O que não fazer ? Não provocar vômitos: Não provocar vômitos: nos inconscientesnos inconscientes em convulsivosem convulsivos em casos de ingestão de corrosivosem casos de ingestão de corrosivos não dar substâncias oleosas para ingerir não dar substâncias oleosas para ingerir não dar bebidas alcoólicas não dar bebidas alcoólicas

18 Envenenamentos O que não fazer ? não fazer caminhar ou excita-la não fazer caminhar ou excita-la não perder tempo não perder tempo Importante: Importante: tentar identificar o melhor possível, a fonte de envenenamentotentar identificar o melhor possível, a fonte de envenenamento

19 Animais Peçonhentos Peçonha - definição: Peçonha - definição: secreção venenosa de alguns animaissecreção venenosa de alguns animais Tipos de animais peçonhentos: Tipos de animais peçonhentos: serpenteserpente escorpiõesescorpiões aranhasaranhas

20 Animais Peçonhentos O que fazer ? Serpentes (cobras): Serpentes (cobras): primeiros 30 minutos:primeiros 30 minutos: deitar a vítima, deixando-a imóvel deitar a vítima, deixando-a imóvel compressa fria ou gelo no local compressa fria ou gelo no local levar para atendimento médico levar para atendimento médico após 30 minutos:após 30 minutos: levar imediatamente para hospital levar imediatamente para hospital

21 Animais Peçonhentos O que fazer ? Aranha e escorpiões: Aranha e escorpiões: pessoas mais sensíveis:pessoas mais sensíveis: crianças crianças idosos idosos alérgicos alérgicos aplicar gelo no localaplicar gelo no local levar para atendimento médicolevar para atendimento médico

22 Traumatismos Definição: Definição: lesão de extensão, intensidade e gravidade variáveis, que pode ser produzida por agentes diversos (físicos, químicos, etc.), de forma acidentallesão de extensão, intensidade e gravidade variáveis, que pode ser produzida por agentes diversos (físicos, químicos, etc.), de forma acidental Tipos: Tipos: entorseentorse luxaçãoluxação fraturasfraturas

23 Traumatismos - o que fazer ? Entorse: Entorse: gelo na horagelo na hora nas primeiras 24 horas:nas primeiras 24 horas: alternar frio e calor alternar frio e calor calor após 24 horascalor após 24 horas imobilizarimobilizar encaminhar para atendimento médicoencaminhar para atendimento médico

24 Traumatismos - o que fazer ? Fratura: Fratura: posição confortávelposição confortável imobilizarimobilizar estancar possível hemorragiaestancar possível hemorragia cuidados especiais:cuidados especiais: fraturas expostas fraturas expostas encaminhar para atendimento médicoencaminhar para atendimento médico

25 Traumatismos - o que fazer ? Luxações: Luxações: imobilizar o melhor possívelimobilizar o melhor possível transportar imediatamente para o hospitaltransportar imediatamente para o hospital nunca tentar colocar no lugarnunca tentar colocar no lugar

26 Traumatismos - o que fazer ? Imobilizações: Imobilizações: FinalidadeFinalidade TécnicasTécnicas MaterialMaterial Como fazer ?Como fazer ?

27 Ferimentos Definição: Definição: ato ou efeito de ferir:ato ou efeito de ferir: dar golpe que produz chaga, fratura ou contusão dar golpe que produz chaga, fratura ou contusão Tipos: Tipos: lesão na pele (feridas)lesão na pele (feridas) contusão: lesão superficial, sem laceração, produzida por impactocontusão: lesão superficial, sem laceração, produzida por impacto corpos estranhoscorpos estranhos

28 Ferimentos - Lesões na pele Tipos: Tipos: escoriaçãoescoriação esfolar, ferir superficialmente esfolar, ferir superficialmente cortecorte ato ou efeito de cortar ato ou efeito de cortar perfuraçãoperfuração ato ou efeito de perfurar (fazer furo, penetrar, furar) ato ou efeito de perfurar (fazer furo, penetrar, furar)

29 Ferimentos - Lesões na pele O que fazer ? O que fazer ? Lavar as mãos com água e sabãoLavar as mãos com água e sabão lavar o ferimento, removendo sujeiraslavar o ferimento, removendo sujeiras não passar pastas, óleos ou pósnão passar pastas, óleos ou pós cobrir o local com gaze esterilizadacobrir o local com gaze esterilizada encaminhar para atendimento médicoencaminhar para atendimento médico

30 Ferimentos - Contusões O que fazer ? O que fazer ? Repousar a vítimaRepousar a vítima aplicar no local, frio intenso (24 horas)aplicar no local, frio intenso (24 horas) encaminhar para atendimento médicoencaminhar para atendimento médico

31 Ferimentos - Corpos Estranhos Locais mais comuns: Locais mais comuns: olho:olho: fechar o olho, não esfregar fechar o olho, não esfregar lavar com água corrente lavar com água corrente levar ao médico levar ao médico ouvido:ouvido: levar imediatamente ao médico levar imediatamente ao médico

32 Ferimentos - Corpos Estranhos Locais mais comuns: Locais mais comuns: nariz:nariz: fechar narina livre e forçar saída fechar narina livre e forçar saída levar ao médico se não expelir levar ao médico se não expelir garganta:garganta: baixar a cabeça e tórax baixar a cabeça e tórax bater levemente nas costas bater levemente nas costas levar ao médico levar ao médico

33 Hemorragias Tipos: Tipos: em membrosem membros nasalnasal por tossepor tosse digestivadigestiva internainterna

34 Hemorragias - o que fazer ? Em membros: Em membros: elevar o local acima do nível do coraçãoelevar o local acima do nível do coração comprimir local com gaze esterilizadacomprimir local com gaze esterilizada aplicar torniquete se necessárioaplicar torniquete se necessário Nasal: Nasal: sentar a vítima e acalma-lasentar a vítima e acalma-la comprimir narina sangrantecomprimir narina sangrante tampar narina com algodãotampar narina com algodão compressas de gelo no narizcompressas de gelo no nariz

35 Hemorragias - o que fazer ? Por tosse: Por tosse: sentar vítima e acalma-lasentar vítima e acalma-la não falar ou bebernão falar ou beber encaminhar para assistência médicaencaminhar para assistência médica

36 Hemorragias - o que fazer ? Digestiva: Digestiva: deitar imediatamente a pessoadeitar imediatamente a pessoa afrouxar as roupas, acalmando-aafrouxar as roupas, acalmando-a colocar bolsa de gelo na região do estômagocolocar bolsa de gelo na região do estômago dar goladas de água geladadar goladas de água gelada deixar vomitar a vontadedeixar vomitar a vontade encaminhar imediatamente para assistência médicaencaminhar imediatamente para assistência médica

37 Hemorragias - o que fazer ? Hemorragia Interna: Hemorragia Interna: atenção aos sinais vitais:atenção aos sinais vitais: pulsação pulsação cor e temperatura da pele cor e temperatura da pele extremidades extremidades observar para evitar parada cárdio- respiratóriaobservar para evitar parada cárdio- respiratória deitar com cabeça mais baixa e imóveldeitar com cabeça mais baixa e imóvel compressas frias no local do traumacompressas frias no local do trauma transferir imediatamentetransferir imediatamente

38 Queimaduras Causas: Causas: agentes químicos, agentes térmicos e agentes elétricosagentes químicos, agentes térmicos e agentes elétricos Classificação: Classificação: quanto à profundidadequanto à profundidade 1º grau - vermelhidão 1º grau - vermelhidão 2º grau - bolhas e restos de pele queimada 2º grau - bolhas e restos de pele queimada 3º grau - além de bolhas, atinge músculos e camadas internas do corpo 3º grau - além de bolhas, atinge músculos e camadas internas do corpo

39 Queimaduras Classificação (contin.): Classificação (contin.): quanto à extensão:quanto à extensão: é o fator mais importante é o fator mais importante O que fazer ? O que fazer ? retirar roupa do acidentadoretirar roupa do acidentado lavar área queimadalavar área queimada com água fria ou soro fisiológico, com água fria ou soro fisiológico, do centro para fora e, do centro para fora e, não furar bolhas. não furar bolhas.

40 Queimaduras O que fazer ? (cont.) O que fazer ? (cont.) dar água se tiver conscientedar água se tiver consciente cobrir região com gaze esterilizada ou pano limpocobrir região com gaze esterilizada ou pano limpo encaminhar para assistência médicaencaminhar para assistência médica

41 Choque Elétrico Pode causar: Pode causar: queimadurasqueimaduras contusões e ferimentoscontusões e ferimentos parada cárdio-respiratóriaparada cárdio-respiratória mortemorte

42 Choque Elétrico O que fazer: O que fazer: cortar corrente elétricacortar corrente elétrica usar luvas de borracha ou amontoado de roupas ou jornais secos para isolar a vítimausar luvas de borracha ou amontoado de roupas ou jornais secos para isolar a vítima ressuscitar em caso de paradaressuscitar em caso de parada cuidar da queimaduracuidar da queimadura transportartransportar

43 Estado de Choque Definição: Definição: Deficiência na oxigenação dos tecidos, pela falta de sangue arterial:Deficiência na oxigenação dos tecidos, pela falta de sangue arterial: pela diminuição significativa do volume sangüíneo ou, pela diminuição significativa do volume sangüíneo ou, distúrbio de funcionamento cardíaco e/ou vascular distúrbio de funcionamento cardíaco e/ou vascular

44 Estado de Choque - Sintomas palidez palidez arroxeamento dos lábios arroxeamento dos lábios suor intenso suor intenso respiração rápida, curta e irregular respiração rápida, curta e irregular batimentos do coração mais freqüentes batimentos do coração mais freqüentes agitação agitação pele fria pele fria tremores às vezes tremores às vezes pulso fraco e rápido pulso fraco e rápido

45 Estado de Choque - o que fazer ? deixar a vítima com cabeça mais baixa que os pés deixar a vítima com cabeça mais baixa que os pés afrouxar roupas afrouxar roupas agasalhar agasalhar estancar hemorragia, se houver estancar hemorragia, se houver observar batimentos cardíacos e respiração observar batimentos cardíacos e respiração providenciar transporte providenciar transporte

46 Parada Cárdio Respiratória Evidências: Evidências: Parada RespiratóriaParada Respiratória ausência de movimentos das asas nasais ausência de movimentos das asas nasais ausência de movimentos respiratórios ausência de movimentos respiratórios Parada CardíacaParada Cardíaca pulsos imperceptíveis ou ausentes pulsos imperceptíveis ou ausentes não se escuta os batimentos do coração não se escuta os batimentos do coração

47 Parada Cárdio Respiratória O que fazer ? Parada Respiratória Parada Respiratória dobrar cabeça para trásdobrar cabeça para trás respiração boca a bocarespiração boca a boca deitar vítima em superfície dura deitar vítima em superfície dura retirar dentadura, pontes ou outros retirar dentadura, pontes ou outros levantar nuca e inclinar a cabeça levantar nuca e inclinar a cabeça tapar a narina com polegar e indicador tapar a narina com polegar e indicador encher os pulmões de ar e soprar na boca da vítima até o tórax se elevar encher os pulmões de ar e soprar na boca da vítima até o tórax se elevar afastar sua boca e destapar as narinas afastar sua boca e destapar as narinas repetir operação 12 vezes por minuto repetir operação 12 vezes por minuto encaminhar para serviço médico de emergência encaminhar para serviço médico de emergência

48 Parada Cárdio Respiratória O que fazer ? Parada Cardíaca Parada Cardíaca vítima deitada em superfície duravítima deitada em superfície dura de joelhos ao lado da vítima e com uma das mãos apoiada sobre o tóraxde joelhos ao lado da vítima e com uma das mãos apoiada sobre o tórax outra mão apoiada sobre a primeiraoutra mão apoiada sobre a primeira movimentos de flexão do tronco, soltando seu peso sobre o tórax da vítima, sem dobrar os cotovelosmovimentos de flexão do tronco, soltando seu peso sobre o tórax da vítima, sem dobrar os cotovelos comprimir tórax 60 vezes por minutocomprimir tórax 60 vezes por minuto respiração artificial simultaneamenterespiração artificial simultaneamente ritmo de 5x1 em dois socorristasritmo de 5x1 em dois socorristas ritmo de 15x2 para socorrista únicoritmo de 15x2 para socorrista único

49 FIM

50 Medicina do Trabalho CIAO / OMTEK Iracemápolis – fevereiro/2004


Carregar ppt "Primeiros Socorros Pedro Luiz Dragone Médico do Trabalho CIAO - 2004."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google