A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/10 -1 Revisão do último encontro Boa tarde a todos Revisão do último encontro –Sustentabilidade.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/10 -1 Revisão do último encontro Boa tarde a todos Revisão do último encontro –Sustentabilidade."— Transcrição da apresentação:

1 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/10 -1 Revisão do último encontro Boa tarde a todos Revisão do último encontro –Sustentabilidade Nicholas Georgescu-Roegen –2ª lei da termodinâmica: A Entropia do universo tende a um máximo. Fluxos e fundos. Recursos naturais e recursos criados pelo homem –A 4ª lei da Termodinâmica: A degradação da matéria tende a um máximo –Indicadores de Desempenho Ambiental Environmental Sustainability Index (ESI) Environmental Performance Index (EPI) –http://epi.yale.edu/Home

2 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Atividades Humanas => Resíduos Set/10 -2

3 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Os restos na história Set/10 -3 Excrementos, corpos em decomposição, restos de comida PESTES preocupação

4 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Capacidade de recuperação de rios Set/10 -4

5 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Resíduo ou lixo? o termo lixo demonstra uma relação negativa. Examinando diferentes contribuições na literatura sobre esse termo, podemos encontrar algumas expressões relacionadas ao mesmo e que podem ser citadas: coisas inúteis, velhas e sem valor e coisas indesejáveis. a expressão resíduo sólido, tecnicamente empregada, é definida como um produto descartado diariamente, resultante da atividade do homem na sociedade. O importante é que todas as contribuições merecem ser analisadas e esclarecidas, no sentido de evitar equívocos no momento de tomadas de decisão. Set/10 -5

6 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Atividade: 3 ou 4 grupos para discutir : –Lixo é resíduo? Todo? Algum? Exemplos: –Resíduo é lixo? Todo? Algum? Exemplos: –Os resíduos líquidos são lixo? Todo? Algum? Exemplos? –Quem é responsável pelo lixo (coleta, transporte e destinação)? Set/10 -6

7 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB O lixo é de responsabilidade da prefeitura municipal de acordo com a lei orgânica do município, art. 125, I, 04/04/1990 (anteriormente lei 10315, 30/04/87): –Coleta e transporte para o local adequado dos resíduos sólidos domiciliares, bem como os provenientes dos estabelecimentos públicos, comerciais e industriais até o volume máximo de 100 litros por estabelecimento (Fogão e geladeira na rua não são de responsabilidade da prefeitura!) Set/10 -7

8 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Resíduo sólido vidro É maior nas residências de poder aquisitivo maior. –Quem tem a possibilidade e o hábito de comprar vinhos, uísques, licores, sucos, champanhes, cerejas, azeitonas...? A quantidade de embalagens de vidro na composição dos resíduos sólidos revela o poder aquisitivo das pessoas que a gerou. Set/10 -8

9 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Panos, trapo, couro e borracha Resultantes de vestuário: maior quantidade nas residências de menor poder aquisitivo (bairros carentes e favelados). Há uma transferência dos mesmos de residências de condições financeiras maiores para as menores. A população que recebe esses donativos, após seu uso, descarta-nos junto com demais componentes gerados diariamente em suas casas. A composição dos resíduos sólidos revela uma relação de poder sempre na mesma direção: do centro para a periferia. Set/10 -9

10 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Nossa responsabilidade Como geradores compulsivos de resíduos, basta analisarmos diariamente o saco de lixo que se encontra em nossa lavanderia, garagem ou cozinha para percebermos o quanto somos responsáveis pela sua geração e pela manutenção das relações de poder delas decorrentes. Set/10 -10

11 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Lixo na Europa: problemas e soluções Set/10 -11

12 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Classificação dos tipos de resíduos I - quanto à origem: –a) resíduos sólidos urbanos: residências, domicílios, estabelecimentos comerciais,etc. –b) resíduos sólidos industriais: processos produtivos e instalações industriais, etc. –c) resíduos sólidos de serviços de saúde: oriundos dos serviços de saúde –d) resíduos sólidos rurais: oriundos de atividades agropecuárias, etc. –e) resíduos sólidos especiais ou diferenciados: grau de periculosidade, de degradabilidade etc. Set/10 -12

13 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Classificação dos tipos de resíduos II - quanto à finalidade: –a) resíduos sólidos reversos: resíduos sólidos restituíveis visando reaproveitamento. –b) rejeitos: não apresentem outra possibilidade que não a disposição (LEI Nº , DE 2 DE AGOSTO DE 2010: Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998 e dá outras providências) Set/10 -13

14 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Classificação da ABNT NBR Classe 1 - Resíduos perigosos: Riscos à saúde pública e ao meio ambiente. (inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade e patogenicidade). Classe 2 - Resíduos não-inertes: Não apresentam periculosidade, porém não são inertes (combustibilidade, biodegradabilidade ou solubilidade em água. Ex. lixo doméstico). Classe 3 - Resíduos inertes: A água permanecerá potável quando em contato com o resíduo. Ex. entulhos de demolição, pedras e areias retirados de escavações. Set/10 -14

15 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Programa Nacional de Resíduos Sólidos Projeto de lei de 11/09/07 apresentado por, na época Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva.Projeto de lei Foi aprovado na forma de lei em 2/8/2010.lei Set/10 -15

16 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Aterros e outras disposições Intuição e discussão: –Aterros –Lixões –Incineração –Compostagem Set/10 -16

17 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Aterros e outras disposições Aterros –Sanitário Origem controlada, terreno impermeabilizado, líquidos drenados, protegido contra enchentes, gases controlados. –Controlado Origem controlada. Outros controles são inferiores ao do aterro sanitário. Lixão Simples descarga de lixo a céu aberto. Incineração Reduz 90% do volume e 75% do peso. Set/10 -17

18 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Aterros e outras disposições Compostagem Decomposição (10~15 dias, 65ºC), Semimaturação (2~4 meses, 30~45ºC), Maturação (25~30ºC) Pesquisa Nacional de Saneamento Básico - PNSB – 1989, IBGE 1991 (municípios brasileiros) 76% em lixões; 13% em aterros controlados; 10% em aterros sanitários; 1% passam por tratamento (compostagem, reciclagem e incineração). Obs ton./dia de resíduos do serviço de saúde dos municípios brasileiros => só 14% é tratado adequadamente. Set/10 -18

19 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Os Bilhões perdidos no lixo Set/ O Secretário de Serviços e obras... vem a público para... justificar a... extinção da coleta seletiva de lixo – que vinha abrangendo 80mil domicílios,... CALDERONI, Os bilhões perdidos no lixo FEA/ ^C146b Será que custa tanto assim? Outra fonte com resultados semelhantes: IPT, 1995 Custo/ ton. = U$240 Receita/ ton. =U$30

20 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Os Bilhões perdidos no lixo Custos superestimados Receita subestimada Custos evitados não considerados Ganhos intangíveis não considerados As tabelas a seguir focam: –o município de São Paulo (embora muitas se refiram ao Brasil); –resíduos domiciliares, estabelecimentos públicos, serviços, comercio e indústria até 100lt/dia Set/10 -20

21 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Todos resíduos acabam no Aterro Set/ Com exceção da reciclagem

22 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/ O gasto é com aterros em operação

23 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/ A vida dos aterros é curta

24 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/ Custos operacionais crescentes (despesas técnicas, controle ambiental): R$13,45 ago/96 contra R$7,21 em mar/95 (87% com IGPM = 20,26%) Crescem os custos operacionais por tonelada Crescem os volumes Crescem custos e volumes

25 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Aterros em São Paulo Aterro São João –Estrada de Sapopemba km 33, em São Mateus –volume diário 1 mil tonelada (o restante vai para o Aterro Pedreira) –Iniciado em Aterro Bandeirantes –Rodovia dos Bandeirantes km 26, em Perus –desativado desde março de –A partir desta data, os resíduos vão para o Aterro Caieiras. Set/ (Link para prefeitura)

26 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Incineradores e Aterros Set/ Começa a funcionar o incinerador de Pinheiros Começa a funcionar o incinerador de Ponte Pequena Criação do Departamento de Limpeza Pública, atual LIMPURB; Inauguração do incinerador Vergueiro Primeira usina de compostagem (São Matheus); 1974~1979 Começa a funcionar a usina de compostagem de Vila Leopoldina Início de operação dos aterros de Lausanne Paulista, Bandeirantes, Sapopemba e Jacuí; Inauguração da estação de transbordo Ponte Pequena; 1997 Início do Programa Recicla São Paulo; Desativação do incinerador Ponte Pequena Desativação do incinerador Vergueiro Esgotamento da capacidade dos aterros sanitários Bandeirantes e São João.

27 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/ (Link para prefeitura)

28 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Ganho e custo de oportunidade com alumínio Set/10 -28

29 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Ganho e custo de oportunidade com vidro Set/10 -29

30 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Ganho e custo de oportunidade com papel Set/10 -30

31 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Ganho e custo de oportunidade com plástico Set/10 -31

32 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Ganho e custo de oportunidade com lata aço Set/10 -32

33 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Quem fica com os bilhões? Uma parte fica com os envolvidos no mercado de reciclagem Uma parte com o governo e sociedade através dos ganhos com a reciclagem Uma parte é definitivamente perdida devido à não reciclagem. De R$5,8 bilhões possíveis de serem obtidos: –R$1,2 bilhão é economizado –R$4,6 bilhões são perdidos Os maiores ganhos são de matéria prima e energia elétrica. Set/10 -33

34 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Quem fica com os bilhões? Set/10 -34

35 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gerenciamento de resíduos Gerenciar=>Prevenção É melhor prevenir evitando a geração, do que remediar. A técnica de prevenção é de especial interesse para a indústria, pois permite eliminar ou reduzir a geração, reciclar e evitar tratamentos e disposições caríssimas que muitas vezes envolvem riscos. Set/10 -35

36 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Gerenciamento de resíduos Set/10 -36

37 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB ESTRATÉGIA: MINIMIZAÇÃO REDUÇÃO NA FONTE –alteração de matérias-primas –alteração de tecnologias –mudanças de procedimentos e práticas operacionais RECICLAGEM –recuperação de matérias-primas –aproveitamento de subproduto –recuperação energética –recuperação de embalagem A REDUÇÃO DE GERAÇÃO DE RESÍDUOS ATÉ O LIMITE VIÁVEL REQUER PLANEJAMENTO, CRIATIVIDADE, INVESTIMENTOS E O DESEJO DE ENFRENTAR E RESOLVER O PROBLEMA. Set/10 -37

38 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB ESTRATÉGIA: MINIMIZAÇÃO eliminação do uso de matérias-primas e de insumos que contenham elementos perigosos; otimização das reações químicas (minimização do uso de matérias-primas e redução da geração de resíduos); segregação, na origem, dos resíduos; eliminação de vazamento e perdas no processo; promoção e estímulo ao reprocessamento e à reciclagem interna; integração do processo produtivo em um ciclo que também inclua as alternativas para destruição dos resíduos e a maximização futura do reaproveitamento. Set/10 -38

39 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/10 -39

40 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/10 -40

41 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/10 -41

42 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/10 -42

43 Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/ Para o próximo encontro Leitura de interesse geral


Carregar ppt "Avaliação Econômica Ambiental FSA – Gestão Ambiental - JCB Set/10 -1 Revisão do último encontro Boa tarde a todos Revisão do último encontro –Sustentabilidade."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google