A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Adolfo Sérgio Furtado da SilvaERGONOMIA 1. 2 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva Os comportamentos do ser humano no trabalho podem ser estudados.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Adolfo Sérgio Furtado da SilvaERGONOMIA 1. 2 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva Os comportamentos do ser humano no trabalho podem ser estudados."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da SilvaERGONOMIA 1

2 2 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva Os comportamentos do ser humano no trabalho podem ser estudados sob dois ângulos: 3Sistema de transformação de energia: atividades motoras (ou musculares) de trabalho, que permitem a transformação da energia físico-muscular em energia mecânica de aplicação de forças, de deslocamentos, de movimentos, de manutenção de posturas,... 2.1 - CONSIDERAÇÕES GERAIS 3Sistema de recepção e tratamento de informação: atividades cognitivas de trabalho, que permitem a detecção, a percepção e o tratamento das informações recebidas do meio ambiente de trabalho.

3 ERGONOMIA 3 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular 3Os músculos do corpo humano classificam-se em três tipos: estriados ou esqueléticos; lisos e do coração; 3Os músculos estriados estão sob controle consciente do homem, e é através deles que o organismo realiza trabalhos externos, portanto apenas o estudo destes é de interesse para a ergonomia; 340% dos músculos do corpo são estriados, somente 75 pares desses estão envolvidos na postura e movimentos globais do corpo;

4 4 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

5 ERGONOMIA 5 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva 3O tecido muscular é um tecido adaptado à contração. Distingue-se: Ê A contração estática ou isométrica; Ë A contração dinâmica ou anisométrica. 3A tensão desenvolvida ao nível da extremidade dos tendões depende dos seguintes aspectos: Ê número de fibras musculares excitadas; Ë ângulo de articulação; Ì estado do músculo; 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

6 ERGONOMIA 6 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva Atividade Muscular: 3Cada fibra muscular se contrai com uma determinada força e a força total do músculo é a soma das forças das fibras envolvidas na contração; 3A força absoluta do músculo está na faixa de 30 à 40 N/cm 2 da seção transversal de músculo. Isto significa que um músculo com 1cm 2 de seção transversal pode suportar de 3 à 4 Kg no sentido vertical; 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

7 7 Aspectos físico-químicos da atividade muscular : Toda atividade muscular implica em um gasto de energia. Esta energia necessária à contração muscular é de origem química: 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular 3O organismo produz trabalho a partir da energia química. A alimentação aporta os nutrientes que, uma vez metabolizados no organismo, servirão para cobrir as necessidades básicas e energéticas do conjunto das células. É principalmente a partir dos glicídeos e dos lipídeos que as necessidades energéticas serão cobertas;

8 ERGONOMIA 8 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva Ao nível dos músculos esta cobertura se fará: 3 diretamente, a partir da glicose ou do metabolismo dos ácidos graxos, segundo o tipo de músculo; 3 Os músculos estriados utilizam em geral os ácidos graxos como principal combustível. São músculos posturais ricamente vascularizados. 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

9 ERGONOMIA 9 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva O corpo humano como um sistema de alavancas: 3Os músculos, ossos e juntas formam diversas alavancas no corpo, semelhantes as alavancas mecânicas. Para cada movimento, há pelo menos dois músculos que trabalham antagonicamente: quando um se contrai, o outro se distende. Por exemplo, ao dobrar o braço sobre o cotovelo, há uma contração do bíceps e uma distensão do tríceps. 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

10 ERGONOMIA 10 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva 3Alavanca interfixa ou de 1º Grau: o apoio situa-se entre a força e a resistência. Um exemplo típico é o tríceps. Este tipo de alavanca é o mais adequado para transmitir velocidade e pouca força; 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

11 ERGONOMIA 11 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva 3Alavanca inter-resistente ou de 2º Grau: a resistência situa-se entre o ponto de apoio e a força. É o caso dos músculos da face posterior da perna (panturrilha), que se ligam ao calcanhar e permitem suspender o corpo na ponta dos pés. Este tipo de alavanca sacrifica a velocidade para ganhar força. 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

12 ERGONOMIA 12 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva 3Alavanca interpotente ou de 3º Grau: a força é aplicada entre o ponto de apoio e a resistência. É caso do bíceps. Este tipo de alavanca é um dos mais comuns no corpo humano. Os músculos se inserem próximos à articulação e facilitam a realização de movimentos rápidos e amplos. 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

13 ERGONOMIA 13 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

14 ERGONOMIA 14 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

15 ERGONOMIA 15 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva COLUNA VERTEBRAL A coluna vertebral é constituída de 33 vértebras, classificadas em cinco grupos: 3Vértebras cervicais (7); 3Vértebras torácicas ou dorsais (12); 3Vértebras lombares (5); 3Vértebras sacrococcigenas (9): (5) estão fundidas e formam o sacro e as (4) da extremidade inferior são pouco desenvolvidas e formam o cóccix. 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

16 ERGONOMIA 16 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva 3Das 33 vértebras, apenas 24 são flexíveis e, destas, as que têm mais mobilidade são as cervicais e as lombares; 3As vértebras dorsais estão unidas a 12 pares de costelas, formando a caixa torácica, que limitam os movimentos; 3Entre uma vértebra e outra existe um disco intervertebral cartilaginoso. As vértebras também se conectam entre si por ligamentos; 3Os movimentos da coluna são possíveis pela compressão e deformação dos discos e pelo deslizamento dos ligamentos. 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

17 ERGONOMIA 17 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

18 ERGONOMIA 18 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular Fc = Força de Compressão Fs = Força de Cisalhamento Fr = Força Resultante (peso)

19 ERGONOMIA 19 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

20 ERGONOMIA 20 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva As principais deformações da coluna são: 3Escoliose: é um desvio lateral da coluna; 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

21 ERGONOMIA 21 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva As principais deformações da coluna são: 3Cifose: é o aumento da convexidade, acentuando-se a curva para a frente na região torácica, correspondendo ao corcunda; 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

22 ERGONOMIA 22 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva As principais deformações da coluna são: 3Lordose: é um aumento da concavidade posterior da curvatura na região cervical ou lombar, acompanhado por uma inclinação dos quadris para a frente. 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

23 ERGONOMIA 23 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva Noção de trabalho muscular: Ê A força muscular: é uma ação com uma direção, um sentido e uma intensidade. Ela varia em função: 3dos músculos solicitados; 3das atitudes (alongamento, obliqüidade e gravidade); 3dos sujeitos (sexo, idade, lateralidade, treinamento). Ë Noção de trabalho estático: é um trabalho sem deslocamento aparente. Ele corresponde à contrações musculares isométricas. Este trabalho permite a manutenção dos segmentos ósseos numa determinada atitude (postura, segurar um objeto,...) 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

24 ERGONOMIA 24 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva Ì Noção de trabalho dinâmico: é um trabalho que permite contrações anisométricas sucessivas com alternância de relaxamentos dos músculos, como nas tarefas de martelar, serrar, girar um volante ou caminhar. A atividade dinâmica resulta da ação: 3dos músculos sinérgicos envolvidos no início do movimento; 3dos músculos de controle que regulam o movimento em curso da ação, permitindo assim a precisão do gesto. 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

25 ERGONOMIA 25 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular

26 ERGONOMIA 26 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva TRABALHO ESTÁTICO e QUEIXAS do CORPO: 2.2 - Fisiologia do Trabalho Muscular


Carregar ppt "Prof. Adolfo Sérgio Furtado da SilvaERGONOMIA 1. 2 Prof. Adolfo Sérgio Furtado da Silva Os comportamentos do ser humano no trabalho podem ser estudados."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google