A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ESPAÇOS CONFINADOS Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ESPAÇOS CONFINADOS Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados."— Transcrição da apresentação:

1 ESPAÇOS CONFINADOS Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados

2 ESPAÇO CONFINADO É QUALQUER ÁREA OU AMBIENTE NÃO PROJETADO PARA OCUPAÇÃO HUMANA CONTÍNUA; POSSUI MEIOS LIMITADOS DE ENTRADA E SAÍDA; A VENTILAÇÃO EXISTENTE É INSUFICIENTE PARA REMOVER CONTAMINANTES OU ONDE POSSA EXISTIR A DEFICIÊNCIA OU ENRIQUECIMENTO DE OXIGÊNIO O QUE É ESPAÇO CONFINADO? 01

3 ONDE É ENCONTRADO O ESPAÇO CONFINADO? INDÚSTRIA DE PAPEL E CELULOSE. INDÚSTRIA GRÁFICA. INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA. INDÚSTRIA DA BORRACHA, DO COURO E TÊXTIL. INDÚSTRIA NAVAL E OPERAÇÕES MARÍTIMAS. INDÚSTRIAS QUÍMICAS E PETROQUÍMICAS. Tanques de armazenamento Tubulações Fonte: Petit & Linn,

4 ONDE É ENCONTRADO O ESPAÇO CONFINADO? SERVIÇOS DE GÁS. SERVIÇOS DE ÁGUAS E ESGOTO. SERVIÇOS DE ELETRICIDADE. SERVIÇOS DE TELEFONIA. CONSTRUÇÃO CIVIL. BENEFICIAMENTO DE MINÉRIOS. SIDERÚRGICAS E METALÚRGICAS. AGRICULTURA. AGRO-INDÚSTRIA. Galerias Silos Biodigestor Fonte: Petit & Linn,

5 OBRAS DA CONSTRUÇÃO CIVIL. TIPOS DE TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS: MANUTENÇÃO, REPAROS, LIMPEZA OU INSPEÇÃO DE EQUIPAMENTOS OU RESERVATÓRIOS. OPERAÇÕES DE SALVAMENTO E RESGATE. 04

6 RISCOS QUANDO SE TRABALHA EM ESPAÇOS CONFINADOS: FALTA OU EXCESSO DE OXIGÊNIO. INCÊNDIO OU EXPLOSÃO, PELA PRESENÇA DE VAPORES E GASES INFLAMÁVEIS. INTOXICAÇÕES POR SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS. INFECÇÕES POR AGENTES BIOLÓGICOS. AFOGAMENTOS. SOTERRAMENTOS. QUEDAS. CHOQUES ELÉTRICOS. TODOS ESTES RISCOS PODEM LEVAR A MORTES OU DOENÇAS. 05

7 COMO EVITAR ACIDENTES EM ESPAÇOS CONFINADOS? CERTIFICANDO-SE QUE A SUA EMPRESA: SEGUE A NBR – ESPAÇOS CONFINADOS – PREVENÇÃO DE ACIDENTES, PROCEDIMENTOS E MEDIDAS DE PROTEÇÃO. E ATENDE A NORMA REGULAMENTADORA n.º 33 SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR – NORMA BRASILEIRA MTE – MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NR – NORMA REGULAMENTADORA 06

8 QUANDO VOCÊ PODE ENTRAR EM UM ESPAÇO CONFINADO? SOMENTE QUANDO SUA EMPRESA FORNECER A AUTORIZAÇÃO NA PERMISSÃO DE ENTRADA E TRABALHO - PET, ESSA PERMISSÃO DE ENTRADA E TRABALHO - PET É EXIGIDA POR LEI E É EXECUTADA PELO SUPERVISOR DE ENTRADA. O SERVIÇO A SER EXECUTADO DEVE SEMPRE SER ACOMPANHADO POR UM VIGIA. 07

9 PERMISSÃO TRABALHOS ESPECIAIS Nº DE CONTROLE:_________________ Válida somente quando assinada por profissional credenciado. Esta permissão deve ser emitida antes do início do trabalho especificado. Deve ser encerrada imediatamente após conclusão do trabalho. Arquivar as permissões encerradas em ordem cronológica em um arquivo central da unidade, e guardar um exemplar da atual PTE concluída. Emitido por: ____________________________________________________________ _____________________ Nome Função Data ___________________________________________________________________________________________________________________________ Unidade área / setor Início às: ________________hTermino às:________________h Descrição do trabalho a ser feito:______________________________________________________________________________________________ Esta permissão certifica que EU pessoalmente completei uma inspeção e revisão de segurança da área onde este trabalho está para ser feito, como também as áreas adjancentes, com especial atenção aos riscos associados com os 5 agentes que Matam: FOGO/EXPLOSÃO, COLISÃO DE OBJETO, QUEDA, ASFIXIA E CHOQUE ELETRICO. EU revisei as precauções mínimas e os equipamentos recomendados nos procedimentos de segurança, saúde e meio ambiente e indiquei no verso desta permissão todas as precauções tomadas, necessárias para proteger de acidentes e lesões todo pessoal comprometido com este trabalho. EU certifiquei–me que o pessoal designado, conhece as exigências de segurança aplicáveis, e foram adequadamente treinados para saber o que fazer numa EMERGENCIA. ________________________________________ __________________________________________ Ass. Do Profissional Credenciado liberando a PTEAss. Do Profissional Credenciado encerrando a PTE Reunião para discussão prévia do trabalho e emissão ________________________ ____________ da PTE. Executante Função _______________________________________________________ ________________________ ____________ Resp. pela Área (nome legível) Rubrica Executante Função _______________________________________________________ ____________________________________ Resp. pelo Trabalho (nome legível) Rubrica Executante Função Prolongamento da PTE ao turno seguinte ______________________________________________ Responsável pela área (nome legível) Rubrica ______________________________________________ Responsável pelo Trabalho (nome legível) Rubrica SEGUINTES TIPOS DE TRABALHOS ESTÃO COBERTOS POR ESTA PERMISSÃO DE TRABALHO ESPECIAL: precauções para cada tipo de trabalho especial verificada, estão anotado no verso do formulário. (Assegura que estão incluídas todas as precauções para cada risco do trabalho) 01- Exposição à ou trabalhar dentro de um ambiente enriquecido/deficiente de oxigênio, ou outras atmosferas perigosas incluindo: Entrada de vasos ou espaços confinados, limpeza de locais confinados utilizando- se de solventes e, a remoção de tampas de acesso a aberturas, boca de lobo, e portas de inspeção, ainda que a entrada não seja planejada; 02- Trabalho elevado a dois metros ou mais acima do nível do piso, onde instalado plataforma ou andaime sem a guarda de proteção segura; 03-Introdução de fontes de ignição onde vapores inflamáveis podem estar presentes, ou área onde existam riscos de incêndio ou explosão; 04- Reparo em sistemas elétricos e trabalho a quente; 05- Trabalho realizado quando equipamento de segurança ou dispositivo de proteção estão fora do lugar ou foi temporariamente removido, alterado, tomado sem efeito (tais como: guardas de proteção, cadeados, dispositivo de travamento, barreiras, passagens elevadas, alarmes, sistema de chuveiros automáticos – inclusive DELUGE); 06- Trabalho em proximidades (quatro metros horizontalmente ou verticalmente) a linhas/condutores de energia elétrica, com guindastes e similar; 07- Escavação manual excedendo a 1,20m de profundidade e todos os trabalhos de escavações mecanizadas, exceto trabalho de raspagem na superfície (após ser verificado que não existe nenhum risco à tubulações enterradas ou utilidades); 08- O corte ou furo em linhas ou equipamentos o qual pode ser esperado conter riscos por enriquecimento/deficiência de oxigênio, produto tóxico, corrosivo, substâncias inflamáveis, temperatura alta/baixa e pressões extremas; 09- Reposição, remoção ou manipulação de catalisadores e materiais isolantes; 10- Abertura de equipamentos ou linha contendo (ou que pode ser esperado conter) materiais ou condições perigosas (como: pressão, temperatura, produtos tóxicos, corrosivos, inflamáveis, etc...); 11- Raspagem de cilindros, containers e/ou vasos; 12- Teste de pressão de tubulação e equipamento; 13- Uso de adaptadores em mangueiras de transferência de gás comprimido/líquido criogênico, tubulação ou reguladores; e 14- Uso de guindaste móvel 15- Manutenção de pontes rolantes e similares 16- Outros____________________________________________________________________________________

10 ORDEM DE SERVIÇO PARA TRABALHOS EM ALTURA E ESPAÇOS CONFINADOS 1 OBJETIVO: estabelecer procedimento médico para verificar aptidão do(s) colaboradores para desenvolvimento de trabalhos em altura superior a dois metros e/ou trabalhos em espaços confinados. 2 ETAPAS 2.1 TREINAMENTO : todos os envolvidos deverão ter conhecimento dos riscos, dos procedimentos para o trabalho, dos equipamentos de proteção individual/coletivo a serem utilizados bem como saber agir em caso de emergência (primeiros socorros) 2.2 APTIDÃO FÍSICA : a supervisão deverá designar para a execução do trabalho pessoas consideradas aptas fisicamente através de exame médico antes do início das tarefas O exame clinico constará de : avaliação das condições psicológicas verificação do pulso (freqüência cardíaca) verificação de pressão arterial verificação de freqüência respiratória e ruídos adventícios (roncos, sibilos) verificação de temperatura axilar Após esta avaliação clinica sumária será emitido uma autorização(permissão para o trabalho) autorizando ou não o colaborador a exercer suas atividades em altura e/ou espaços confinados naquele dia. Sugerimos ainda fixar horário pré definido para atendimento desse casos bem como emissão de ordem de serviço de segurança do trabalho com especificação dos EPIs a serem utilizados bem como treinamentos para estas atividades

11 A EMPRESA DEVE PROVIDENCIAR: TREINAMENTO A TODOS OS TRABALHADORES. INSPEÇÃO PRÉVIA NO LOCAL ELABORAÇÃO DA APR – ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO. 08

12 A EMPRESA DEVE PROVIDENCIAR: EXAMES MÉDICOS. PERMISSÃO DE ENTRADA E TRABALHO - PET. 09

13 A EMPRESA DEVE PROVIDENCIAR: SUPERVISOR DE ENTRADA E VIGIA. SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO DA ÁREA. 10

14 A EMPRESA DEVE PROVIDENCIAR: EQUIPAMENTOS DE VENTILAÇÃO. EQUIPAMENTOS MEDIDORES DE OXIGÊNIO, GASES E VAPORES TÓXICOS E INFLAMÁVEIS. 11

15 A EMPRESA DEVE PROVIDENCIAR: EQUIPAMENTOS DE COMUNICAÇÃO, ILUMINAÇÃO. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. EQUIPAMENTOS DE RESGATE. 12

16 13 DIREITOS DO TRABALHADOR – ENTRADA SEGURA ENTRAR EM ESPAÇO CONFINADO SOMENTE APÓS O SUPERVISOR DE ENTRADA REALIZAR TODOS OS TESTES E ADOTAR AS MEDIDAS DE CONTROLE NECESSÁRIAS. Supervisor de entrada é a pessoa com capacitação e responsabilidade pela determinação se as condições de entrada são aceitáveis e estão presentes numa Permissão de Entrada. Supervisor de entrada é a pessoa com capacitação e responsabilidade pela determinação se as condições de entrada são aceitáveis e estão presentes numa Permissão de Entrada.

17 DIREITOS DO TRABALHADOR – ENTRADA SEGURA O empregador deve garantir que os trabalhadores possam interromper suas atividades e abandonar o local de trabalho, sempre que suspeitarem da existência de risco grave e iminente para sua segurança e saúde ou a de terceiros. 14 Trabalhador autorizado: é o profissional com capacitação que recebe autorização para entrar em um espaço confinado. Trabalhador autorizado: é o profissional com capacitação que recebe autorização para entrar em um espaço confinado.

18 DIREITOS DO TRABALHADOR - TREINAMENTO CONHECER OS PROCEDIMENTOS E EQUIPAMENTOS DE RESGATE E PRIMEIROS SOCORROS. RECEBER TODOS OS EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA NECESSÁRIOS PARA EXECUÇÃO DOS TRABALHOS. CONHECER O TRABALHO A SER EXECUTADO. CONHECER OS PROCEDIMENTOS E EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA PARA EXECUTAR O TRABALHO CONHECER OS RISCOS DO TRABALHO A SER EXECUTADO. 15

19 DEVERES DO TRABALHADOR: PARTICIPAR DOS TREINAMENTOS E SEGUIR AS INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA. USAR OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO FORNECIDOS. COMUNICAR RISCOS. EXAMES MÉDICOS. 16

20 MEDIDAS DE SEGURANÇA – FOLHA DE PERMISSÃO DE ENTRADA A PERMISSÃO DE ENTRADA E TRABALHO - PET CONTÉM PROCEDIMENTOS ESCRITOS DE SEGURANÇA E EMERGÊNCIA. VERIFICAR SE AS MEDIDAS DE SEGURANÇA FORAM IMPLANTADAS E SE A PERMISSÃO DE ENTRADA E TRABALHO – PET ESTÁ ASSINADA PELO SUPERVISOR DE ENTRADA. O TRABALHADOR DEVE ENTRAR NO ESPAÇO CONFINADO COM UMA CÓPIA DA PERMISSÃO DE ENTRADA E TRABALHO. 17

21 MEDIDAS DE SEGURANÇA – SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO DA ÁREA Medidas administrativas: Manter sinalização permanente junto à entrada do espaço confinado, A SINALIZAÇÃO É IMPORTANTE PARA INFORMAÇÃO E ALERTA QUANTO AOS RISCOS EM ESPAÇOS CONFINADOS. O ISOLAMENTO É NECESSÁRIO PARA EVITAR QUE PESSOAS NÃO AUTORIZADAS SE APROXIMEM DO ESPAÇO CONFINADO. 18

22 MEDIDAS DE SEGURANÇA – SUPERVISOR DE ENTRADA O SUPERVISOR DE ENTRADA DEVE: a) emitir a Permissão de Entrada e Trabalho - PET antes do início das atividades; b) executar os testes, conferir os equipamentos e os procedimentos contidos na Permissão de Entrada e Trabalho - PET; c) assegurar que os serviços de emergência e salvamento estejam disponíveis e que os meios para acioná-los estejam operantes; d) cancelar os procedimentos de entrada e trabalho quando necessário; e e) encerrar a Permissão de Entrada e Trabalho PET - após o término dos serviços. 19

23 MEDIDAS DE SEGURANÇA – DESLIGAMENTO DE ENERGIA, TRAVA E SINALIZAÇÃO O SUPERVISOR DE ENTRADA DEVE: DESLIGAR A ENERGIA ELÉTRICA, TRANCAR COM CHAVE OU CADEADO E SINALIZAR QUADROS ELÉTRICOS PARA EVITAR MOVIMENTAÇÃO ACIDENTAL DE MÁQUINAS OU CHOQUES ELÉTRICOS QUANDO O TRABALHADOR AUTORIZADO ESTIVER NO INTERIOR DO ESPAÇO CONFINADO. 20

24 MEDIDAS DE SEGURANÇA – VIGIA O VIGIA DEVE: a) manter continuamente a contagem precisa do número de trabalhadores autorizados no espaço confinado e assegurar que todos saiam ao término da atividade; b) permanecer fora do espaço confinado, junto à entrada, em contato permanente com os trabalhadores autorizados; c) adotar os procedimentos de emergência, acionando a equipe de salvamento, pública ou privada, quando necessário; d) operar os movimentadores de pessoas; e e) ordenar o abandono do espaço confinado sempre que reconhecer algum sinal de alarme, perigo, sintoma, queixa, condição proibida, acidente, situação não prevista ou quando não puder desempenhar efetivamente suas tarefas, nem ser substituído por outro Vigia. 21

25 MEDIDAS DE SEGURANÇA – TESTES DO AR OS TESTES DO AR INTERNO SÃO MEDIÇÕES PARA VERIFICAÇÃO DOS NÍVEIS DE OXIGÊNIO, GASES E VAPORES TÓXICOS E INFLAMÁVEIS. ANTES QUE O TRABALHADOR ENTRE EM UM ESPAÇO CONFINADO, O SUPERVISOR DE ENTRADA DEVE REALIZAR TESTES INICIAIS DO AR INTERNO. DURANTE AS MEDIÇÕES, O SUPERVISOR DE ENTRADA DEVE ESTAR FORA DO ESPAÇO CONFINADO. 22

26 Atmosfera de risco: Concentração de oxigênio atmosférico abaixo de 19,5 % ou acima de 23 %; A concentração atmosférica de qualquer substância cujo Limite de Tolerância seja publicado na NR-15 ou em norma mais restritiva (ACGIH) e que possa resultar na exposição do trabalhador acima desse Limite de Tolerância; (Comparar LTs da NR-15 e ACGIH e adotar o mais restritivo) Qualquer outra condição atmosférica Imediatamente Perigosa à Vida ou à Saúde - IPVS ou IDLH – Immediately Dangerous to Health and Life);

27 MEDIDAS DE SEGURANÇA – TESTES DO AR AS MEDIÇÕES SÃO NECESSÁRIAS PARA QUE NÃO OCORRAM ACIDENTES POR ASFIXIA, INTOXICAÇÃO, INCÊNDIO OU EXPLOSÃO. 23

28 MEDIDAS DE SEGURANÇA – VENTILAÇÃO O USO DE OXIGÊNIO PARA VENTILAÇÃO DE LOCAL CONFINADO AUMENTA O RISCO DE INCÊNDIO E EXPLOSÃO. NÃO VENTILAR ESPAÇOS CONFINADOS COM OXIGÊNIO 24

29 MEDIDAS DE SEGURANÇA – VENTILAÇÃO DURANTE TODO O TRABALHO NO ESPAÇO CONFINADO DEVE SER UTILIZADA VENTILAÇÃO ADEQUADA PARA GARANTIR A RENOVAÇÃO CONTÍNUA DO AR. 25 Métodos de ventilação: Existem alguns tipos de ventilação mecânica, que são: InsuflaçãoExaustãoCombinado

30 O TRABALHADOR DEVE SER TREINADO QUANTO AO USO ADEQUADO DO EPI. MEDIDAS DE SEGURANÇA - EPI OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL – EPIs DEVEM SER FORNECIDOS GRATUITAMENTE e CONTROLADOS PELA EMPRESA DEVEM SER UTILIZADOS EPIs ADEQUADOS PARA CADA SITUAÇÃO DE RISCO EXISTENTE. 26

31 MEDIDAS DE SEGURANÇA - EQUIPAMENTOS ESPECIAIS DEVEM SER FORNECIDOS EQUIPAMENTOS ESPECIAIS PARA TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS COMO: LANTERNAS. RÁDIOS DE COMUNICAÇÃO. DETECTORES DE GASES, À PROVA DE EXPLOSÃO. 28

32 MEDIDAS DE SEGURANÇA - OBJETOS PROIBIDOS CIGARROS NUNCA FUME NO ESPAÇO CONFINADO! TELEFONE CELULAR NÃO DEVE SER UTILIZADO COMO APARELHO DE COMUNICAÇÃO EM ESPAÇO CONFINADO. VELAS – FÓSFOROS - ISQUEIROS NÃO DEVEM SER UTILIZADOS. OBJETOS NECESSÁRIOS À EXECUÇÃO DO TRABALHO QUE PRODUZAM CALOR, CHAMAS OU FAÍSCAS, DEVEM SER PREVISTOS NA PERMISSÃO DE ENTRADA E TRABALHO Adotar medidas para eliminar ou controlar os riscos de incêndio ou explosão em trabalhos a quente, tais como solda, aquecimento, esmerilhamento, corte ou outros que liberem chama aberta, faíscas ou calor.

33 MEDIDAS DE EMERGÊNCIA E RESGATE O EMPREGADOR DEVE ELABORAR E IMPLANTAR PROCEDIMENTOS DE EMERGÊNCIA E RESGATE ADEQUADOS AO ESPAÇO CONFINADO. O EMPREGADOR DEVE FORNECER EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS QUE POSSIBILITEM MEIOS SEGUROS DE RESGATE. OS TRABALHADORES DEVEM SER TREINADOS PARA SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIA E RESGATE. 29 SITUAÇÃO DE TREINAMENTO COM SIMULAÇÃO DE OPERAÇÃO DE SALVAMENTO E RESGATE.

34 EFEITO DOMINÓ EUA: 200 ANUAIS EM ESPAÇOS CONFINADOS 85 % PODERIAM SER EVITADAS 60 % DAS MORTES RESGATISTAS

35 ESTATISTICAS: 1980 A 1983: 72 % MAIS DE UMA VÍTIMA 152 INDÚSTRIA 128 AGRICULTURA 90 CONSTRUÇÃO CIVIL 63 MINERAÇÃO,PETRÓLEO E GÁS

36 PERFIL DOS ACIDENTES 45 % ASFIXIA 41 % ENVENENAMENTO 14 % AFOGAMENTO 100 % DOS CASOS NÃO HOUVE AVALIAÇÃO PRÉVIA DAS CONDIÇÕES ATMOSFÉRICAS DO ESPAÇO CONFINADO.

37 TREINAMENTO EM ESPAÇOS CONFINADOS

38

39

40


Carregar ppt "ESPAÇOS CONFINADOS Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google