A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A SEMANA DE ARTE MODERNA O sapo-tanoeiro/Parnasiano aguado/Diz: - Meu cancioneiro/ É bem martelado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A SEMANA DE ARTE MODERNA O sapo-tanoeiro/Parnasiano aguado/Diz: - Meu cancioneiro/ É bem martelado."— Transcrição da apresentação:

1 A SEMANA DE ARTE MODERNA O sapo-tanoeiro/Parnasiano aguado/Diz: - Meu cancioneiro/ É bem martelado.

2 ANTECEDENTES DA SAM 1912 = Oswald de Andrade chega da Europa e divulga idéias futuristas; 1917 = Exposição expressionista - cubista de Anita Malfatti = recebe crítica de Monteiro Lobato = artigo = Paranóia ou mistificação = visão conservadora = provoca indignação entre os jovens modernistas = estopim para a SAM.

3 ANTECEDENTES DA SAM 1917 = publicações: Há uma gota de sangue em cada poema, de Mário de Andrade + A cinza das horas, de Manuel Bandeira + Juca Mulato, de Menotti del Picchia + Nós, de Guilherme de Almeida = herança parnasiana + simbolista + romântica + inovações modernistas

4 ANTECEDENTES DA SAM 1920 = A obra de BRECHERET (escultor) = Monumento às Bandeiras = recusado (ainda na maquete) e muitos anos depois erigido, tornando- se símbolo de São Paulo = Oswald de Andrade lê os originais de Paulicéia desvairada, de Mário de Andrade e Di Cavalcanti expõe Fantoches da meia-noite

5 A SAM Período: Noites dos dias 13, 15 e 17 de fevereiro de 1922, no Teatro Municipal de SAMPA. OBJETIVO: A destruição das velhas formas artísticas na literatura, na música e nas artes plásticas. Paralelamente, os modernistas procuravam afirmar os princípios da chamada ARTE MODERNA.

6 A SAM SÍNTESE DO CLIMA DO MOMENTO: Não sabemos o que queremos. Mas sabemos o que não queremos. - OSWALD DE ANDRADE -

7 Momentos importantes da SAM: entre aplausos e vaias Conferência (em linguagem tradicional e acadêmica) em apoio à arte moderna de GRAÇA ARANHA = A emoção estética na Arte Moderna. Leitura de trechos vanguardistas por Mário de Andrade, Oswald de Andrade e Menotti del Picchia. Leitura de Os sapos, de Manuel Bandeira, por Ronald de Carvalho.

8 OS SAPOS = IRONIA CORROSIVA AOS PARNASIANOS O sapo-tanoeiro/ Parnasiano aguado/ Diz: - Meu cancioneiro/É bem martelado.

9 PRINCIPAIS PARTICIPANTES DA SAM LITERATURA: Mário de Andrade + Oswald de Andrade + Ronald de Carvalho + Menotti del Picchia + Guilherme Almeida + Sérgio Milliet MÚSICA & ARTES PLÁSTICAS: Anita Malfatti + Di Cavalcanti + Santa Rosa + Villa-Lobos + Guiomar Novaes

10 A IMPORTÂNCIA DA SAM Destruição do imobilismo cultural; A desintegração do passado artístico; A atualização intelectual com as vanguardas européias (o império do experimentalismo); O direito permanente de pesquisa e criação estética; A estabilização de uma consciência criadora nacional, preocupada em expressar o país (o Brasil).

11 MODERNISMO 1ª FASE OS ANOS 20 O PROJETO MODERNISTA: Desintegração da linguagem tradicional = uso da paródia, da piada e do sarcasmo = Serafim Ponte Grande + Memórias sentimentais de João Miramar, de Oswald de Andrade = fusão de prosa e poesia = capítulos relâmpagos = descontínuos = montagem cinematográfica, etc.

12 MODERNISMO 1ª FASE Adoção das conquistas das vanguardas = liberdade de expressão + crítica do cotidiano + linguagem coloquial + inovações vanguardistas. Busca da expressão nacional = a luta por um abrasileiramento temático + delimitação de uma cultura brasileira, de uma alma verde-amarela = perspectiva crítica + tom anárquico = primitivismo.

13 MODERNISMO 1ª FASE O PRIMITIVISMO: Erro = considerar o Brasil uma unidade e não uma diversidade social + Apropriaram-se da mitologia do povo (tradição dos índios) mas sem mostrar como essas realidades culturais haviam se gerado e sobrevivido = Resultado = criações literárias sem base histórica que geraram uma espécie de mitologia para a nacionalização da arte e não verdades e experiências populares.

14 MODERNISMO 1ª FASE OS MOVIMENTOS PRIMITIVISTAS PAU-BRASIL: (Oswald de Andrade) Junção do moderno e do arcaico brasileiros + A ironia contra o bacharelismo (a cultura acadêmica) + A luta por uma nova linguagem (sem erudição) + A descoberta popular + valorização das riquezas e contrastes da realidade e da cultura brasileiras.

15 ANTROPOFAGIA

16 MOVIMENTOS PRIMITIVISTAS ANTROPOFAGIA: Inspiração = Abaporu (comedor de gente ou antropófago em tupi) = quadro de Tarsila do Amaral = deglutinãção da cultura estrangeira, modificada em sua substância, tornando-se brasileira Insistência radical no caráter indígena das raízes brasileiras = Tupy or not tupy, that is the question O humor como forma crítica e traço distintivo do caráter brasileiro

17 MOVIMENTOS PRIMITIVISTAS VERDE-AMARELO & ANTA: Reação ao nacionalismo defendido por Oswald = Nacionalismo ufanista = inclinação para o nazi-fascismo = conservador + visão direitista no plano social = Participantes: Menotti del Picchia - Cassiano Ricardo - Plínio Salgado entre outros.

18 OSWALD DE ANDRADE

19 OSWALD DE ANDRADE ( ) O grande agitador das idéias modernistas = Narrativas = Memórias sentimentais de João Miramar + Serafim Ponte Grande = Panfletos satíricos + Paródias à linguagem convencional + Desestruturação intencional - Fragmentação - Elipses, etc. + Poesia = Pau-Brasil = primitivismo + Teatro = O rei da vela

20 MÁRIO DE ANDRADE

21 MÁRIO DE ANDRADE ( ) Principal líder teórico do Modernismo Narrativas: MACUNAÍMA = rapsódia (episódio épico = motivos populares) primitivista do herói sem nenhum caráter = sátira à linguagem usual = obra composta por uma seqüência de lendas variadas e justapostas, mescladas com ações ora realistas, ora fantásticas, tudo de forma mais ou menos caótica.

22 MACUNAÍMA Origem narrativa = lenda dos índios amazônicos (Kock Grümberg) reelaborada, alterada, com uso de lendas sertanejas e caboclas, aspectos mágicos da cultura negra = um repertório quase inesgotável de mitos e fábulas + Colcha de retalhos da cultura brasileira + Tom satírico

23 MÁRIO DE ANDRADE Amar, verbo intransitivo = romance psicológico sobre a educação sexual de um adolescente (Carlos), realizada por uma governanta alemã (Elza). Poesia = Paulicéia desvairada = primeira obra com elementos modernizadores = inovações técnicas = valorização da realidade de SAMPA

24 RAUL BOPP ( ) Poesia = Cobra Norato = vinculação à Antropofagia = poema baseado em uma lenda amazônica = o mitológico se mescla com a realidade concreta da selva + Linguagem = termos locais & inovações vanguardistas + Caráter infantil da linguagem pela presença contínua de diminutivos.

25 MODERNISMO 2ª FASE A POESIA MODERNA

26 O GRUPO DA TRADIÇÃO LÍRICA Resulta da síntese entre as inovações modernistas e o melhor da tradição lírica ocidental, fundindo a linguagem renovadora em temas clássicos e universais. Predomina a subjetividade, e reafirma-se o velho poder da inspiração, nos moldes românticos. Maior expoente = MANUEL BANDEIRA = outros = Cecília Meireles + Vinícius de Morais, Mário Quintana, e outros...

27 GRUPO DA MODERNIDADE RADICAL Oposição ao confessionalismo e ao subjetivismo da lírica tradicional. O mundo torna-se mais importante do que o eu-lírico. Há uma grande desconfiança quanto às possibilidades comunicativas da linguagem e rejeita-se a inspiração, privilegiando-se a técnica e a carpintaria poética = Maior expoente = CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE + Murilo Mendes - João Cabral de Melo Neto - os Concretistas e outros

28 MANUEL BANDEIRA ( ) Fusão entre a confissão pessoal e a vida cotidiana + Clima de desejo insatisfeito e amargurado + A poesia para ele representou toda a vida que podia ter sido e que não foi + Tema dominante = a preparação para a morte + Poeta do cotidiano = descobre o lirismo em tudo o que é irrisório e banal = simplicidade.

29 CECÍLIA MEIRELES ( ) Forte herança simbolista + Predomina os sentimentos de perda amorosa e solidão + Temática da passagem do tempo + Romanceiro da Inconfidência = visão dramática e lírica da sociedade mineira do século XVIII, de suas principais figuras humanas e da Inconfidência.

30 MARIO QUINTANA ( ) Herança simbolista + Independência poética + Linguagem simples + Ironia e Humor + Poeta = Trivial + Realista + Sentimental + Metafórico + Irreverente + Surrealista + Seus poemas são quintanares = vida passada a limpo através da imaginação + Poemas em prosa

31 JORGE DE LIMA ( ) Sua carreira poética inicia-se sob o signo parnasiano + Apresenta uma fase nordestina, caracterizada pelo registro poético da realidade existencial, cultural e histórica da região + Valorização da religiosidade de substrato católico - Teve ainda uma fase de celebração da cultura negra, de seus ritmos e costumes.

32 MURILO MENDES ( ) Lírica de inspiração modernista, em que predomina o humor + Dimensão religiosa, requintada e quase hermética + Linguagem próxima do surrealismo, definida por alucinações e uso de símbolos e alegorias.

33 VINÍCIUS DE MORAIS ( ) I - Fase neo-simbolista = conotações místicas + II Fase moderna = aproximações do cotidiano + Características principais = Tendência ao verbalismo, contida pelo uso freqüente do soneto + Tema dominante = O AMOR + Lírica comprometida com o cotidiano.

34 CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE ( ) Temas básicos = a poesia social + a reflexão existencial (o eu e o mundo) + a poesia sobre a própria poesia + poesia do passado + do amor + do cotidiano + da celebração dos amigos + A presença do gauche + O humor sutil, quase sempre corrosivo + A solidão + A incomunicabilidade + A lógica misteriosa da existência + O fluir do tempo + Perdas e ganhos na vida do homem + Luta contra morte...

35 JOÃO CABRAL DE MELO NETO ( ) Reflexão sobre o fazer poético + Poesia entendida como esforço em busca de síntese, do despojamento total - Cão sem plumas = perfeição da linguagem mesclada a uma temática social = o rio Capibaribe e a população miserável que lhe habita as margens - Morte e vida severina = trajetória de um sertanejo que abandona o agreste, rumo ao litoral...


Carregar ppt "A SEMANA DE ARTE MODERNA O sapo-tanoeiro/Parnasiano aguado/Diz: - Meu cancioneiro/ É bem martelado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google