A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Febre Aftosa Brasília, 8 de novembro de 2005. Panorama Nacional.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Febre Aftosa Brasília, 8 de novembro de 2005. Panorama Nacional."— Transcrição da apresentação:

1 Febre Aftosa Brasília, 8 de novembro de 2005

2 Panorama Nacional

3 Em 2004 o agronegócio foi responsável por: PIB EMPREGOS EXPORTAÇÕES Fontes: CEPEA-USP / CNA, MAPA e IPEA 30,0% 40,4% 37,0%

4 Balança Comercial do Agronegócio Fonte: MAPA EXPORTAÇÕES IMPORTAÇÕES SALDO 14,8 20,3 25,8 34,1 37,1 19,1 (US$ bilhões) Nov / 2004 a Out / 2005

5 Ranking 2004: sem a concessão de subsídios Fontes: USDA * F. O. Licht´S Obs.: UE não foi considerada.

6 US$ 2,4 bilhões de carne bovina (6,2% do total) US$ 744 milhões de carne suína (1,9% do total) US$ 2,6 bilhões de carne de frango (6,7% do total) CARNES = 14,7% do valor total das exportações Em 2004 as exportações totais do agronegócio brasileiro somaram US$ 39 bilhões.

7 Produção de Carnes no Brasil Fontes: CNA, ABEF e ABIECS 68% 162% 106%

8 O Brasil no Mercado Mundial de Carne Bovina Rebanho*: 197 milhões (16% mundo) Abate**: 39 milhões (17% mundo) Produção**: 7,68 milhões tons (15,3% mundo) Consumo interno per capita**: 36,7 kg Exportação**: 1,9 milhões ton (20% mundo) Parque industrial**: unidades Alimento seguro da fazenda a mesa do consumidor ** Fonte: ABIEC dados de 2004 * Fonte: Órgãos Estaduais de Defesa Agropecuária, dados de 2004

9 Gado Brasileiro: distribuição (%) 4% 5% 7% 10% 5% 7% 13% 12% 10% 5% 45,9% 14,0% 27,5% Fonte: ÓRGÃOS ESTADUAIS DE DEFESA AGROPECUÁRIA / %

10 Custos de Produção da Carne Bovina PAÍS BRASIL NOVA ZELÂNDIA ARGENTINA AUSTRÁLIA EUA IRLANDA 0,90 – 1,00 1,23 1,30 1,80 1,90 3,00 US$/Kg O Brasil é o país de menor custo de produção entre os principais exportadores.

11 Evolução das Exportações Brasileiras de Carne Bovina Fonte: MAPA

12 Fonte: MAPA/MDIC 2004: crescimento de 62,8% em relação à 2003 Brasil: Exportações de Carne Bovina In natura Processada Total

13 Fonte: MAPA/MDIC Crescimento: 27,4% em valor 25,6% em volume CARNES Jan a Out/05Jan a Out/04 VARIAÇÃO RELATIVA VALORQUANT.VALORQUANT.(05/04) US$ Milt*US$ Milt*VALORQUANT. Bovina "In Natura" ,6025,20 Bovina Industrializada ,4027,25 TOTAL GERAL ,3825,60 Brasil: Exportações de Carne Bovina 2005 x 2004

14 Exportação Brasileira de Carne Bovina (in natura e industrializada) Fonte: ABIEC e AliceWeb US$ 2,4 bilhões

15 Panorama Mundial

16 Crescimento da população mundial e consumo de carne

17 Principais Exportadores de Carne Bovina Fonte: USDA

18 Preservar e ampliar o valor do patrimônio agropecuário nacional. Defesa Agropecuária

19 SDA: Principais Programas – Área Vegetal Erradicação do Cancro Cítrico Prevenção e Controle da Sigatoka Negra Inspeção de Bebidas Sistema Laboratorial de Apoio Vegetal Controle de Contaminantes e Resíduos Fiscalização de OGMs Padronização e Classificação de Produtos Vegetais Segurança e Inocuidade dos Produtos de Origem Vegetal Fiscalização do Trânsito Internacional dos Vegetais Controle de Pragas da Cacauicultura Controle de Pragas em Oleaginosas e Plantas Fibrosas Fiscalização de Fertilizantes Fiscalização de Sementes e Mudas Fiscalização de Agrotóxicos Controle de Pragas da Cana-de-Açúcar

20 SDA: Principais Programas – Área Animal Qualidade e Inocuidade dos Produtos de Origem Animal Sistema Loboratorial de Apoio Animal Inspeção Industrial Fiscalização do Trânsito Internacional Controle e Erradicação das Doenças da Suideocultura (Peste Suína Clássica e Doença de Aujeszky) Controle e Erradicação das Doenças da Avicultura (Newcastle, Influenza Aviária, Salmonelas e Micoplasmas) Programa de Sanidade de Animais Aquáticos Fiscalização de Material Genético Animal Fiscalização de Insumos Destinados à Alimentação Animal Fiscalização de Produtos de Uso Veterinário Controle e Erradicação das Doenças da Equideocultura (Anemia Infecciosa Equina e Mormo Equino) e da Ovinocaprinocultura (Artrite / Encefalite Caprina, Scrapie e Maedi-Visna) Eradicação da Tuberculose e da Brucelose Raiva dos Herbívoros e Encefalopatia Espongiforme Bovina (Doença da Vaca Louca) Erradicação da Febre Aftosa

21 TOTAL (valores corrigidos): R$ 1,085 bilhão Fonte: SIAFI Valores reais (deflacionados pelo IGP-DI para julho/2005) SDA / MAPA: Orçamento empenhado / executado

22 SDA / MAPA: Orçamento de 2005 Fonte: MAPA

23 Recursos para Defesa Sanitária Animal ( ) Em 2004 o setor privado financiou quase 71% do total gasto em defesa sanitária no País.

24 Febre Aftosa

25 Exemplos da reintrodução da Febre Aftosa, 2000 a 2003

26 REINO UNIDO (2001) Nº de focos: Nº de animais sacrificados: Gasto com indenização: 1,1 bilhão de libras HOLANDA (2001) Nº de focos: 27 Nº de animais sacrificados: FRANÇA (2001) Nº de focos: 2 Nº de animais sacrificados: 380 PARAGUAI (2002) Nº de focos: 1 Nº de animais sacrificados: 719 PARAGUAI (2003) Nº de focos: 1 Nº de animais sacrificados: 329

27 Fonte: MAPA BRASIL: Ocorrência de Febre Aftosa 1970 a 2004

28 BRASIL: Exportações de Carne Bovina Fonte: ABIEC

29 BRASIL: Exportações de Carne Suína Fonte: ABIEC

30 Fonte: MAPA Evolução da Vacinação contra a Febre Aftosa

31 Caracterização do Brasil quanto à febre aftosa (até setembro/2005) área livre de febre aftosa com vacinação (OIE): 16 estados. Santa Catarina é zona livre sem vacinação reconhecida pelo MAPA área de risco zona tampão área livre de febre aftosa reconhecida pelo MAPA Fonte: OIE/MAPA (2005)

32 Eventos de 2005

33 Ocorrência de febre aftosa no Mato Grosso do Sul

34 Suspeitas sob investigação no Paraná

35 Paraná

36 Países Contactados Canadá Estados Unidos Chile Bolívia Uruguai Paraguai Argentina Rússia União Européia MISSÃO ESPECIAL À OIE

37 Ações do MAPA no Mato Grosso do Sul Identificação e eliminação de focos (sacrifício sanitário) 22 focos; Implantação do raio de segurança (25 km); Rápida comunicação aos organismos internacionais e aos países com intercâmbio comercial; Interdição de propriedades e implantação de postos fixos de fiscalização; Vigilância e inspeção em todas as propriedades com animais susceptíveis (área de segurança e relacionada com trânsito); Notificação, a todos os Estados, de trânsito de animais susceptíveis oriundo dos municípios interditados, ocorrido 60 dias anteriores ao provável início dos focos; Criação do Grupo de Emergência do MAPA.

38 810 propriedades interditadas; Animais sob vigilância: bovinos, caprinos e ovinos e suínos; Equipes em operação na região (cada equipe com 1 veículo, 1 veterinário e 1 auxiliar): 52 equipes; Nº de barreiras: 25 (cada uma com 2 auxiliares e um policial militar) / 24 horas por dia; Nº de veículos desinfetados: 38 mil Nº de animais sacrificados: animais (3.680 bovinos, 190 ovinos e 62 suínos); Medidas Adotadas no Mato Grosso do Sul

39 Notificação, a todos os Estados, do trânsito de animais susceptíveis oriundos do Estado do Mato Grosso do Sul nos últimos 60 dias anteriores ao início das investigações; 30 reuniões envolvendo representantes de comunidades locais. Medidas Adotadas no Mato Grosso do Sul - Continuação

40 Investigação no Estado do Paraná Suspeitas em quatro municípios diferentes (Maringá, Grandes Rios, Loanda e Amaporã). Animais provenientes de leilão realizado em Londrina (04/10). Ligação epidemiológica com propriedades do município de Eldorado/MS.

41 Medidas Adotadas no Paraná Investigação de contatos; Colheita de amostras; Propriedades interditadas: 485; animais estão sob vigilância; 33 veículos envolvidos nas ações; 21 médicos veterinários e 33 auxiliares; 29 postos móveis de fiscalização; Notificação, a todos os Estados, do trânsito de animais susceptíveis oriundos do Estado do Paraná nos últimos 60 dias anteriores ao início das investigações.

42 Origem do Vírus MS: em investigação Suspeitas no PR: relação epidemiológica com MS

43 Possibilidades para a manifestação da doença: Bovinos não imunizados (não protegidos) Possíveis causas: não realização da vacinação; vacinação inadequada (aplicação / conservação); resposta individual frente à vacina; qualidade da vacina (potência inadequada ou baixa cobertura para o vírus de campo), pontos a considerar: a vacina sofre intenso processo de fiscalização pelo MAPA, sendo submetida a diferentes testes de qualidade; caso houvesse problemas com a vacina, a ocorrência da doença tenderia a ter maior difusão; nova cepa de vírus possibilidade descartada pelos testes realizados no PANAFTOSA trata-se de cepa comum à região (vacinas disponíveis no mercado protegem adequadamente).

44 As áreas afetadas, que foram retiradas da zona livre, poderão ser reintroduzidas, sendo novamente reconhecidas internacionalmente como área livre com vacinação. com sacrifício e destruição: 6 meses sem destruição de animais: 18 meses Tempo de Retorno

45 Prejuízos

46 De acordo com estudo publicado pelo ICONE (agosto/2005), um novo foco de febre aftosa na área livre poderia trazer prejuízos significativos junto a importantes mercados que compram carne do Brasil: - carne bovina: US$ milhões - carne suína: US$ 617 milhões

47 Preocupação do Governo

48 Proposta de Suplementação Orçamentária para erradicação da Febre Aftosa (Medida Provisória)

49 Criação de Grupo de Trabalho Interministerial Decreto de 25 de outubro de Finalidade: coordenar e articular as ações do Governo Federal a serem adotadas para conter a expansão de focos de febre aftosa no País. Meta: negociar a derrubada de restrições impostas pelos mercados importadores e assistir, em caráter emergencial, a população prejudicada pelos efeitos socioeconômicos decorrentes dos focos. Integrantes do Grupo: Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que coordenará os trabalhos, Casa Civil, Gabinete de Segurança Institucional, e Ministérios da Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão, Desenvolvimento Agrário, Defesa, Integração Nacional, Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Desenvolvimento, Comércio e Indústria Exterior e Justiça.

50


Carregar ppt "Febre Aftosa Brasília, 8 de novembro de 2005. Panorama Nacional."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google