A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

2011. Processo essencial à vida em sociedade. Esse pressuposto implica em determinadas considerações sobre um dos segmentos da população que tem sido.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "2011. Processo essencial à vida em sociedade. Esse pressuposto implica em determinadas considerações sobre um dos segmentos da população que tem sido."— Transcrição da apresentação:

1 2011

2 Processo essencial à vida em sociedade. Esse pressuposto implica em determinadas considerações sobre um dos segmentos da população que tem sido alvo de mecanismos e procedimentos de segregação e até mesmo de exclusão da escola. Inclusão

3 ...é entendida como valor, na medida em que resgata o respeito à vida humana. Abrange circunstâncias sociais, éticas, educacionais e psíquicas presentes em todo o relacionamento humano. Calegari, 2003, p.35 Humanização

4 Compreendendo o Aluno SAREH O aluno entra no Sistema no momento em que chega a informação: A escola deve preencher a Planilha Informativa e Situacional, e Encaminhar uma via para o NRE (via setor) e a outra deve permanecer na Pasta Individual do aluno.

5

6 De posse da Planilha Informativa e Situacional, o responsável pelo SAREH, no NRE,poderá entrar em contato com a equipe pedagógica da escola reforçando os os procedimentos: Solicitação, junto aos familiares, do atestado médico e de laudo (quando for o caso), cujo teor deverá estabelecer os limites da ação pedagógica; Reunião entre pedagogo(a), professores do aluno e direção, com registro em ata, para elaborar um Plano de Ação ao Atendimento Pedagógico e/ou Domiciliar; Agendamento de reunião com o responsável pelo aluno, com registro em ata, onde deverá ser definido quem da família será o responsável pela busca e entrega, na escola das atividades do aluno; A elaboração das atividades propostas, os resultados atribuídos pela sua conclusão no que diz respeito à promoção ou não deste aluno são de autonomia da escola.

7 Atribuições

8 Direção da Escola Acompanhar todo o processo e se fazer representar em todas as reuniões, de preferência participar pessoalmente. Assegurar as condições da execução da proposta. Assumir a responsabilidade compartilhada pela decisão final do processo de atendimento pedagógico. Ser o mediador, dentro dos limites da sua autonomia e autoridade para os casos em que houver divergências nas ações e que possa causar algum prejuízo ou transtorno no processo de aprendizagem do aluno. Responder em última instância pelas convocações do NRE para esclarecimentos sobre situações que envolvam alunos atendidos. Assegurar que todas as informações, sobre a situação de saúde e pedagógica do aluno, sejam utilizadas somente para nortear o processo ensino-aprendizagem, e jamais permitir que possibilite constrangimento e/ou humilhação ao educando, à sua família, bem como a todos os envolvidos no processo.

9 Equipe Pedagógica Coordenar e orientar os professores quanto a forma da elaboração do material didático a ser disponibilizado para o aluno. Analisar a qualidade deste material no aspecto ensino e aprendizagem. Acompanhar o processo e sua avaliação, assegurando ao aluno o respeito de seus direitos e ao professor sua autonomia quanto a decisão do resultado obtido. Disponibilizar ao professor todos os meios e recursos para que ele (professor) elabore o material didático para este aluno. Ser porta-voz da equipe pedagógica nos contatos com os familiares do aluno, com a equipe pedagógica dos hospitais conveniados (quando houver), ou com o coordenador responsável pelo SAREH no Núcleo Regional da Educação, do município da sua escola.

10 Manter responsável pelo SAREH, no Núcleo Regional da Educação, de seu município, informado sobre as ações da equipe pedagógica e solicitar orientações em casos que extrapolam a autonomia da escola. Orientar os professores quanto a forma de lançamento e registros das ações em seus livros de chamada. Acompanhar, junto à secretaria da escola, toda a movimentação da pasta do aluno e seus anexos, auxiliando a secretaria na orientação aos professores quanto a prazos e formas de lançamentos dos dados. Acompanhar o retorno do aluno a escola e viabilizar a sua socialização e reintegração às atividades escolar. Manter um acompanhamento quanto a sua evolução na aprendizagem após o retorno, comunicando ao coordenador responsável pelo SAREH, no NRE, pelo Relatório Final o resultado da avaliação ao fim de cada período letivo (semestre).

11 Professores Elaborar material didático diferenciado, respeitando as condições de saúde do aluno, de forma que este não perca a qualidade em conteúdo e que lhe permita melhor aproveitamento na aprendizagem. Submeter-se ao acompanhamento da pedagoga da escola - jamais o professor deverá enviar diretamente o material ao aluno. Manter informados a equipe pedagógica e direção sobre sua proposta de ação. Avaliar todas as atividades propostas e devidamente cumpridas pelo aluno, considerando sempre a condição diferenciada do processo, isto é, o aluno está ausente da sala de aula e enfermo. Adequar a quantidade de envio do material didático ao aluno. Retornar todas as avaliações, devidamente corrigidas e orientar sobre quais os procedimentos que deverão ser tomados nas questões em que o aluno não alcançou êxito. Sempre com o conhecimento da pedagoga responsável.

12 Como Registrar na Escola 1. Livro-ata Quando a família informa Quando a Unidade informa Quando o aluno está ausente e a escola descobre o motivo 1.Livro de Registro de Classe Instrução 07/10 – CDE/SEED Estabelece as normas para preenchimento do livro de Registro de Classe na Rede Estadual de Ensino Item 10. Orientar os Estabelecimentos de Ensino quanto ao Registro de Classe na ocorrência da falta de alunos:

13 b) quando motivada por Atestado Médico, registrar: no campo Freqüência: f ou F (falta); no campo Observações: Falta justificada por atestado médico e data; na coluna Faltas (do canhoto/picote) as faltas devem ser computadas e lançadas normalmente (na EJA – Presencial registrar na coluna Carga Horária Freqüentada o percentual freqüentado pelo aluno); Estes casos, normalmente, são de consultas médicas.

14 c) quando legalmente amparadas: em razão de doença infecto-contagiosa ou impeditiva de freqüência às aulas (Lei Federal nº 1044/69); em razão de licença-gestação (Lei Federal nº 6202/75); em razão de serviço militar (Dec.-Lei Federal nº 715/69); Nas três situações deve-se registrar: no campo Freqüência: f ou F(falta); no campo Observações: número do aluno, falta abonada, data, amparo legal; ao final do período não registrar estas faltas no canhoto; Estes casos, normalmente, são ausências maiores.

15 Exemplo

16 Exemplo

17 Exemplo

18 Exemplo

19 Possibilidades e algumas sugestões Para os alunos que necessitam permanecer em casa devido a tratamento de saúde conforme determinação médica, um responsável, preferencialmente familiar, deve comparecer à escola e solicitar / buscar / entregar, à equipe pedagógica, as atividades semanais de cada disciplina para que sejam encaminhadas ao aluno e desenvolvidas em sua residência pelo próprio aluno. A equipe pedagógica poderá eleger um dia da semana para que o familiar traga as atividades desenvolvidas e receba outras para levar ao aluno, procedendo desta forma até que este esteja totalmente recuperado e possa voltar a freqüentar a escola. Tarefa Domiciliar

20 Controle Registrar em ata – para validação e amparo legal Cada professor deverá receber um comunicado sobre o aluno hospitalizado juntamente com a solicitação de preparo das atividades e assinar a ata ou livro-aviso. A Equipe Pedagógica deverá acompanhar e organizar o trabalho da tarefa domiciliar, que deverá conter: -A Ficha de Acompanhamento de Tarefa Domiciliar para controle da equipe pedagógica -A Ficha de Acompanhamento de Tarefa Domiciliar para controle do aluno/familiar Tarefa Domiciliar Todas as atividades/tarefas domiciliares deverão ser arquivadas na pasta individual do aluno.

21 Relatório Final No início do ano letivo subsequente, deverá ser preenchida a planilha do Relatório Final, onde constarão os nomes e a finalização do processo de todos os alunos atendidos pelo SAREH, tanto em alguma Unidade Conveniada como em atendimento domiciliar ou mesmo aquele que não ficou hospitalizado mas que demandou algum tipo de atendimento diferenciado durante o ano letivo anterior, que será enviada ao NRE para acompanhamento e controle.

22 Responsáveis e Contatos

23 SEED / DPPE SEED / DPPE – Claudinéia Mª V. Avanzini, Thais Gama da Silva e Sonia Maria Romaniuk Machado – ou

24 Ninguém sabe tudo. Ninguém ignora tudo. Todos nós ignoramos alguma coisa. Todos nós sabemos alguma coisa Por isso aprendemos sempre. (Paulo Freire) Para pensar


Carregar ppt "2011. Processo essencial à vida em sociedade. Esse pressuposto implica em determinadas considerações sobre um dos segmentos da população que tem sido."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google