A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Agentes Inteligentes Introdução. Um agente genérico.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Agentes Inteligentes Introdução. Um agente genérico."— Transcrição da apresentação:

1 Agentes Inteligentes Introdução

2 Um agente genérico

3 Agente Racional n o que faz algo corretamente u ação certa é aquela que torna o agente um sucesso u como e quando avaliar o sucesso de um agente? F Medidas de performance para o como F Quando ?

4 Racionalidade e Onisciência n onisciência = qualidade do consciente n onisciente = que sabe de tudo n racional = que usa da razão; que raciocina n agente onisciente - conhece o resultado de suas ações e age de acordo com isso u onisciência é impossível na realidade - existe o inesperado n racionalidade - sucesso esperado dado o que é percebido

5 O que é racional ? n Em um dado momento ser racional depende de 4 coisas: u a performance medida que define o grau de sucesso u história perceptual completa F tudo que o agente percebeu F sequência perceptual u o que o agente conhece sobre o ambiente u as ações que o agente pode realizar

6 Agente ideal Para cada sequência percetual possível, um agente racional ideal deverá executar uma ação que espera maximizar sua medida de performance, com base nas evidências providas pela sequência perceptual e por qualquer outro conhecimento que o agente possui

7 Descrição de um agente n mapeamento entre sequências perceptuais e ações u mapeamento ideal descreve o agente ideal u lista infinita para a muitos agentes F definir a especificação de um mapeamento e não fazer uma enumeração exaustiva

8 Agente - Raíz Quadrada

9 Autonomia n agente não autônomo = agente que age em função apenas de seu conhecimento interno u não leva em conta sua percepção u inteligência no projetista e não no agente n um sistema é autônomo quando seu comportamento é determinado pela sua própria experiência u prática de engenharia u agente verdadeiramente autônomo opera com sucesso em qualquer ambiente

10 Estrutura de Agentes Inteligentes n agent program u implementa o mapeamento entre sequências perceptuais e ações n arquitetura = onde roda o programa u computador, cameras, equipamento de aúdio, etc. n agente = arquitetura + programa u trabalho inicial - descrever o agente

11

12 Agents Programs

13 Exemplo : Um Agente Taxista

14 Como implementar o Agente Taxista n Simple Reflex Agents n Agents that keep track of the world n Goal-based agents n Utility-based agents

15 Simple Reflex Agents

16 Implementação - Simple Reflex Agents

17 Agents that keep track of the world

18 Implementação

19 Goal-based agents

20 Utility-based agents

21 Ambientes n Propriedades u acessível X inacessível F aparato sensório u determinístico X não determinístico F do ponto de vista do agente u episódico X não episódico F episódio subsequente não depennde das ações ocorridas no atual F agente não precisa pensar adiante

22 n estático X dinâmico u ambiente pode mudar enquanto o agente delibera n discretoX contínuo u se há um número limitado de diferentes percepções e ações o ambiente é discreto F jogo de xadrez é discreto número fixo de possiveis movimentos a cada jogadanúmero fixo de possiveis movimentos a cada jogada F taxista é contínuo velocidade e localização de outros veículos varia continuamentevelocidade e localização de outros veículos varia continuamente

23 Exemplos

24 Implementação

25

26 Resumo n agente é algo que percebe e age em um ambiente n agente = agent program + arquitetura n agente ideal é aquele que sempre efetua a ação que maximiza sua medida de performance

27 n um agente é autônomo na medida em que suas ações dependem de sua própria experiência, ao invés do conhecimento do ambiente previamente construído pelo projetista n agent program faz o mapeamento de sequências perceptuais em ações, ao mesmo tempo que atualiza seu estado interno

28 n existe uma variedade de designs para agentes básicos, dependentes da espécie de informação explicitada e usada no processo de decisão u o design apropriado depende das percepções, ações, objetivos e ambiente n reflex agents respondem imediatamente as percepções

29 n goal-based agents agem no sentido de atingir seus objetivos n utility-based agents tentam maximizar sua utilidade ( happiness) n alguns ambientes são mais exigentes que outros u ambientes inacessíveis, não determinísticos, não episódicos, dinâmicos e contínuos são os mais desafiadores.

30 n o processo de tomada de decisão através do raciocínio e com conhecimento é central em IA e no design de um agente de sucesso. Isso significa que meios de representar conhecimento são importantes


Carregar ppt "Agentes Inteligentes Introdução. Um agente genérico."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google