A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

BRASIL: POPULAÇÃO E TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA cap: 34 e 35 Geografia 2ª Série.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "BRASIL: POPULAÇÃO E TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA cap: 34 e 35 Geografia 2ª Série."— Transcrição da apresentação:

1 BRASIL: POPULAÇÃO E TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA cap: 34 e 35 Geografia 2ª Série

2 A cor dos brasileiros Pardos Cafuzos (negros + indígenas) Caboclos (brancos + indígenas) Mulatos (negros + brancos) 1 Composição étnica brasileira

3 A herança da escravidão Os negros começaram a chegar à colônia portuguesa na América no início do século XVI. Cana-de-açúcar na Zona da Mata nordestina Século XVII: a expansão da cultura algodoeira estendeu a economia escravocrata até o Maranhão. Século XVIII: a descoberta de metais preciosos na região de Minas Gerais e a introdução do cultivo do café no vale do Paraíba impulsionaram o mercado escravista.

4 Desde os primeiros tempos da colonização, os escravizados protagonizaram inúmeros episódios de rebelião. A maior parte dos negros rebelados era recapturada, mas muitos conseguiram escapar e refugiar-se nos quilombos. Quilombo dos Palmares Constituição de 1988: reconheceu aos remanescentes das comunidades dos quilombos o direito à propriedade definitiva das terras que ocupavam. Em 2008 existiam comunidades quilombolas identificadas no Brasil. 1 Composição étnica brasileira

5 Localização dos quilombolas Áreas quilombolas identificadas no Brasil

6 Os imigrantes e a substituição da mão de obra escrava Em 1850, a Lei Eusébio de Queiroz decretou o fim do tráfico negreiro. Início de novo fluxo imigratório Substituir a mão de obra escrava. As fazendas de café foram o primeiro destino de mais de 70% dos milhões de imigrantes. 1 Composição étnica brasileira

7 Fórmulas Densidade Demográfica ou População Relativa D.D. = POP. ABS = = 22,4 hab/km² ÁREA Taxa de Natalidade T.N. = nascidos (ano) X = 21%o pop. absoluta A cada grupo de pessoas nasceram 21 crianças Crescimento Vegetativo é a diferença entre a taxa de natalidade e taxa de mortalidade. C.V. = T.N. – T.M. Taxa de Mortalidade T.M. = óbitos (ano) X = 23,3%o pop. absoluta É contabilizada crianças que morrem até 1 ano de idade no grupo de População Absoluta – total de habitantes de um país (2010, IBGE) Área:

8 Transição demográfica brasileira Nas décadas de 1950 e 1960, a maior parte dos países subdesenvolvidos registrou taxas elevadas de incremento populacional. Desde a década de 1970 a população brasileira cresce em ritmo cada vez mais lento. Essa diminuição do crescimento vegetativo é resultado direto da queda da taxa de fecundidade. TAXA DE FECUNDIDADE Nos anos 1960, cada brasileira teve, em média, seis filhos; em 1984, o número médio de filhos por mulher recuou para 3,4; em 2006, cada brasileira teve, em média, dois filhos. Em 2010, 1,9 filho. 3 Transição demográfica brasileira

9 Crescimento populacional NatalidadeMortalidadeCrescimento ALTA BAIXO ALTABAIXAELEVADO BAIXA LENTO OU ESTAGNADO

10 A demografia e a saúde De 1891 a 1900, a taxa de natalidade girou em torno de 46% e a de mortalidade chegou a mais de 27%. As doenças infecciosas e parasitárias eram as principais responsáveis pela elevada mortalidade da população brasileira. Proclamada a República, o saneamento dos principais centros urbanos tornou-se uma das prioridades nacionais. Cortiços e habitações populares passaram a ser sistematicamente fiscalizados pelos agentes sanitários. 3 Transição demográfica brasileira No censo de 2010, a taxa de natalidade girou em torno de 21%o e taxa de mortalidade de 23,3%o. A expectativa de vida em torno de 72 anos de idade e a taxa de analfabetismo de 9,6%.

11 Declínio da mortalidade O padrão de elevada mortalidade só começou a ser rompido na década de DedetizaçãoIntrodução de antibióticos Difusão de novos hábitos Campanhas públicas de educação em saúde Campanhas nacionais de combate às doenças endêmicas Desde 1973, programa de vacinação nacional 3 Transição demográfica brasileira

12 Declínio da natalidade 3 Transição demográfica brasileira Brasil: pirâmides etárias

13 A estrutura etária Brasil: mudanças na estrutura etária da população 3 Transição demográfica brasileira

14 A política demográfica Historicamente, o governo federal estimulou o crescimento demográfico. O governo considerava que o elevado crescimento vegetativo seria fator de progresso. Mão de obra abundante e barata Ocupação dos espaços demográficos do interior 3 Transição demográfica brasileira

15 ESTRUTURA ETÁRIA

16 Direito reprodutivo A Constituição de 1988, em vigor, refere-se ao planejamento familiar como uma livre decisão do próprio casal e estabelece que compete ao Estado propiciar recursos educacionais e científicos para o exercício desse direito de livre decisão sobre o planejamento familiar. Campanha de planejamento do Ministério da Saúde MINISTÉRIO DA SAÚDE 3 Transição demográfica brasileira


Carregar ppt "BRASIL: POPULAÇÃO E TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA cap: 34 e 35 Geografia 2ª Série."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google