A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 1 Introdução nSom definição características nMúsica conceitos fundamentais comparação com características do som.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 1 Introdução nSom definição características nMúsica conceitos fundamentais comparação com características do som."— Transcrição da apresentação:

1

2 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 1 Introdução nSom definição características nMúsica conceitos fundamentais comparação com características do som

3 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 2 Som nSom forma de energia mecânica que se propaga causando compressão e rarefação das moléculas de um meio elástico e inercial (sólido. Líquido, gasoso) decai radialmente com o quadrado da distância da fonte emissora nQuatro elementos fonte excitadora (ex. dedos + cordas) superfície vibratória (ex. caixa do violão) meio de propagação (ex. ar) receptor (ex. ouvido)

4 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 3 rarefaçãocompressão Onda sonora nCaracterísticas principais amplitude, freqüência, comprimento, velocidade, fase, potência, etc.

5 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 4 Amplitude Nível zero Pico + Pico - (ou vale) nAmplitude a Distância de um ponto da curva ao nível zero Medida instantânea de energia Quanto maior, mais forte o som

6 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 5 Período e Freqüência nPeríodo T Tempo (em segundos) de duração de um ciclo nFreqüência f Número de ciclos por segundo: Hertz (hz) Inverso do período (f = 1/T) Quanto maior a freqüência, mais agudo o som Ouve-se de 20 a Hz 1 ciclo1 ciclo1ciclo

7 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 6 nComprimento de onda Semelhante ao período, só que mede a distância física (milimetros) de um ciclo = c/f –onde c é a velocidade do som e f a freqüência inversamente proporcional à freqüência –som agudo => pequeno comprimento –som grave => grande comprimento nObservações graves são dificilmente localizáveis Comprimento e Velocidade

8 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 7 Velocidade nVelocidade de propagação: c = f diretamente proporcional `a freqüência e ao comprimento de onda depende do meio e da temperatura –344 m/s no ar –1500 m/s na água –5000 m/s no aço nEfeito Doppler mudança de velocidade causando mudança de freqüência –ex.ambulância passando nObservações importante nos efeitos de eco, reverberação, etc.

9 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 8 nFase depende do instante em que a onda começou medida em graus, sendo 360 º o ciclo completo nimportância cancelamento:microfones, alto-falantes efeitos: chorus, flaging, etc. 0º90 º 180 º 270 º 360 º 0º0º 90 º 180 º 270 º Fase

10 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 9 nSimples (senoidal): Não existe na natureza! x(t) = A sen (ft + ) A = amplitude f = freqüência = fase inicial nComplexa (composta de senoidais): Serie de Fourier f(t) = a k + a 0 senf 0 t 0 + a 1 senf 1 t a n senf n t n f0 é chamada de freqüência fundamental as outras são chamadas de parciais harmônico = parcial múltiplo de f0 Formas de onda

11 Fundamental 2° harmônico 3° harmônico resultado Onda complexa: exemplo nO conteúdo harmônico é um dos responsáveis pelo timbre de um instrumento é chamado Resposta em Freqüência ou Espectro nSíntese aditiva: Toda onda pode, teoricamente, ser obtida a partir de senoidais Instrumentos percussivos tem parciais não harmônicas

12 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 11 Representação temporal e espectral tempo Frequencia Onda senoidal Onda dente de serra

13 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 12 Envoltória nEnvoltória: Indica como a energia do som se distribui no tempo Segundo elemento marcante na definição do timbre. Cada instrumento tem o seu Existe uma envoltória para cada parcial tempo amplitude ataque decaimento sustentação relaxamento

14 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 13 Ruído nRuído Sinal não desejado com espectro de freqüência pouco harmônico. nTipos Inerente aos equipamentos de áudio Externo nFaixas de freqüência Ruído rosa: predominante na faixa musical (baixas) Ruído Branco: igual em todas faixas

15 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 14 Ruído: tempo e freqüência Sinal musical Ruído

16 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 15 Potência de uma onda sonora nVolume (nível de audio): decibel (dB) 1 dB = menor mudança de volume perceptível É uma medida relativa entre tensões, correntes, potências ou pressões acústicas dB = 10 log 10 (nível/nível de referência) nExistem vários níveis de referência dBm: 1 miliwatt dBu ou dBv: volt dBV: 1 volt dB SPL: watt/cm 2 (limiar da audição)

17 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 16 Sound Pressure Level (dB-SPL) Turbina de avião, caixa da bateria a 10cm Cantor de rock gritando no microfone Chimbal a 15 cm (limiar da dor) Pico de um piano 94 dB SPL, teste de sensibilidade de microfones Violão dedilhado a 30cm 74 dB SPL, teste de sensibilidade de microfones Bate papo normal Cochicho Nível de gravação de um estúdio Limiar da audição para jovens watt/cm 2

18 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 17 Dinâmica nDinâmica variação de volume nEm uma gravação é muito importante capturar a dinâmica mais larga possível – orquestra: 60 a 110 dB respeitando os limites do meio (fita) para evitar distorções (medida a 80 dB, 1 KHz) pensando em não deixar o som ser mascarado pelo ruído nRelação sinal-ruído (NSR) deve ser a maior possível –Fita cassete NSR = 50 dB –CD NSR = 90 dB

19 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 18 Música nQual é a relação entre os parâmetros físicos do som e da música? nA nota tem 4 parâmetros básicos: altura (dó, re´,...) = freqüência (Hz) intensidade (ff, p,...)= potência (dB) duração (semínima,...) = duração (seg) timbre (violão, flauta,...)= espectro, envoltória...

20 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 19 Altura nCorrespondência toda altura corresponde a uma freqüência (a fundamental) exemplo: Lá 4 = 440 Hz nEm música: Altura nome (Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si) acidente (#, b, bb, duplo sustenido e bequadro) oitava (0,1,2,...,9) Em MIDI: alturas são codificadas de 1 a 127 teclas

21 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE Hz Freqüência 89 Hz 132 Hz 198 Hz 264 Hz Oitava nSe n em toda freqüência corresponde a uma nota, como explicar o mapeamento freq-nota? nOitava dobro da freqüência sensação de repetição Dividiram a oitavas em um número fixo de alturas (notas)

22 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 21 Dó1 Ré1 Mi1 Fá1 Sol1 Lá1 Si1 Oitavas: Circularidade Freqüência Dó2 Ré2 Mi2 vvvvvvvvvvvvvvv do re mi fasollasi ª oitava ª oitava ª oitava dó#ré#fá#sol#la#sustenidos rébmibsolblábsibbemóis Freqüência

23 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 22 Porque estas notas e esta divisão? nIntervalo: distância entre duas notas ou razão de freqüências intervalo(dó, ré) = tom intervalo(mi, fá) = semi-tom intervalo(mi, fa#) = tom intervalo (dó,mi) = 2 tons vvvvvvvvvvvvvvv do re mi fasollasi

24 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 23 Escalas nEscala musical: conjunto de notas que se separam por certos intervalos Ex. Escala maior – tom, tom, semi-tom, tom, tom, tom, semi-tom –dó =(tom)=> ré =>(tom)=> mi =(semi-tom)=> fá... –ré =(tom)=> mi =>(tom)=> fá# =(semi-tom)=> sol... nDe onde vem esta convenção? Série harmônica: fundamental + parciais geradas ao se vibrar uma corda Freqüência

25 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 24 Escala justa nEscala justa: Respeita as relações encontradas na série harmônica problema: para cada tonalidade seria preciso construir um teclado (intervalo do-sol ré-la)

26 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 25 Escala temperada e outros nEscala temperada solução da engenharia musical a divisão igual por doze: semitom 2 1/12 o ouvido faz a correção naturalmente nConceitos correlatos Tonalidade – Centro de atração. Escala à qual pertencem a maioria das notas Acorde – Tres ou mais notas, pertencentes a uma escala, soando juntas

27 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 26 Tessitura (extensão) nTessitura: Faixa entre a mínima e máxima altura (freqüência fundamental) Clarinete: Mib3 (~160Hz) a Sol6(1568Hz) violão 80 a 760 Hz violino 200 a 3000 Hz piccolo 500 a 3800 Hz piano 220 a 4000 orgão de tubo 180 a 8000 Hz voz soprano 240 a 1000 Hz voz contralto 200 a 750 Hz voz tenor 160 a 500 Hz voz barítono 120 a 380 Hz

28 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 27 Resposta em freqüência de alguns instrumentos Obs: inclui todos as parciais!

29 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 28 Intensidade nEm música ppp, p, mf, f, ff... Energia empregada ao tocar nEm acústica: potência/volume dB (Faixa dB) nEm MIDI velocity (1-127)

30 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 29 Faixas de freqüência e intensidade O que os seres humanos escutam

31 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 30 Duração nDuração: tempo em que o som permanece audível nEm música: figura (mínima, semínima, etc.): unidade de tempo relativa andamento: numero de unidades de tempo por minuto –ex. 120 (120 seminimas por minuto) nEm acústica milisegundos nDepende da forma da envoltória

32 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 31 Envoltória dos instrumentos nInstrumentos percussivos têm rápido ataque e decaimento, e não tem sustentação nA duração (forma da envoltória) pode também se alterar segundo a maneira de tocar (ex. pizzicato)

33 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 32 Exemplos de duração/envoltória

34 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 33 Timbre nO timbre (tone quality) é o que diferencia um instrumento de outro. nCaracteriza-se por: resposta em freqüência envoltória dos harmônicos (e inarmônicos) faixa de intensidade nPode variar segundo outros fatores modo de excitação (maneira de tocar) acústica (ambiance da sala) tipo do instrumento

35 Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 34 Tipos de instrumentos nCordas dedilhadas (ex. harpa) tocadas com arco (ex. violino) percutidas (ex. piano) nSopro Embocadura livre (ex. flauta) Palheta simples (ex. clarineta) Palheta dupla (ex. oboé) Bocal (ex. Trompete) nPercussão Altura definida Altura indefinida nElétricos, eletrônicos e sintetizados por software


Carregar ppt "Geber Ramalho & Osman Gioia - UFPE 1 Introdução nSom definição características nMúsica conceitos fundamentais comparação com características do som."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google