A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Cânone Literário Disciplina: Seminários (Educação Ambiental) Marcus Sampaio.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Cânone Literário Disciplina: Seminários (Educação Ambiental) Marcus Sampaio."— Transcrição da apresentação:

1 Cânone Literário Disciplina: Seminários (Educação Ambiental) Marcus Sampaio

2 Plano da Apresentação Questões Preliminares Questões Preliminares Etimologia Etimologia Clássico Clássico Cânone Cânone O Papel da Literatura O Papel da Literatura Definições de Livro Canônico Definições de Livro Canônico O Cânone dos Escritores-Críticos O Cânone dos Escritores-Críticos Sobre as Próximas Apresentações Sobre as Próximas Apresentações

3 Questões Preliminares Etimologia Etimologia Clássico Clássico O epíteto aparece pela primeira vez em Roma, no século II, na obra de Aulo Gélio, Noctes Atticae. Trata-se aí de uma classificação dos cidadãos conforme sua fortuna. Os da primeira classe são os clássicos O epíteto aparece pela primeira vez em Roma, no século II, na obra de Aulo Gélio, Noctes Atticae. Trata-se aí de uma classificação dos cidadãos conforme sua fortuna. Os da primeira classe são os clássicos Na literatura, os escritores de primeira classe Na literatura, os escritores de primeira classe Por quais critérios? Veremos alguns Por quais critérios? Veremos alguns

4 Cânone Cânone A palavra vem do grego kanón, através do latim canon, e significa regra A palavra vem do grego kanón, através do latim canon, e significa regra Com o passar do tempo a palavra adquiriu o sentido específico de conjunto de textos autorizados, exatos, modelares Com o passar do tempo a palavra adquiriu o sentido específico de conjunto de textos autorizados, exatos, modelares No contexto da literatura, os autores reconhecidos como os maiores No contexto da literatura, os autores reconhecidos como os maiores

5 Clássico e Canônico Clássico e Canônico Para nós, são epítetos sinônimos Para nós, são epítetos sinônimos

6 O Papel da Literatura O Papel da Literatura A literatura tem a alta utilidade de esclarecer, alargar e valorizar nossa experiência do mundo A literatura tem a alta utilidade de esclarecer, alargar e valorizar nossa experiência do mundo Quem lê tem de escolher, pois não há, literalmente, tempo suficiente para ler tudo, mesmo que não se faça mais nada além disso Quem lê tem de escolher, pois não há, literalmente, tempo suficiente para ler tudo, mesmo que não se faça mais nada além disso É preciso ler relativamente pouco, e bem É preciso ler relativamente pouco, e bem

7 Definições de Livro Clássico Italo Calvino Italo Calvino Os clássicos são aqueles livros dos quais, em geral, se ouve dizer: Estou relendo … e nunca Estou lendo … Leitura da maturidade, e não da juventude Toda releitura de um clássico é uma leitura de descoberta, como a primeira Um clássico é um livro que nunca terminou o que tinha para dizer

8 O seu clássico é aquele que não pode ser-lhe indiferente e que serve para definir a você próprio em relação e talvez em contraste com ele É clássico aquilo que persiste como rumor mesmo onde predomina a atualidade mais incompatível Os clássicos servem para entender quem somos e aonde chegamos

9 E se alguém objetar que não vale a pena tanto esforço, citarei Cioran: Enquanto era preparada a cicuta, Sócrates estava aprendendo uma ária com a flauta. Para que lhe servirá?´, perguntaram-lhe: Para aprender esta ária antes de morrer´

10 Harold Bloom Harold Bloom Os livros clássicos são aqueles canônicos: poucos e exemplares Quando se lê pela primeira vez uma obra canônica, encontra-se mais uma surpresa misteriosa do que uma realização de expectativas Ler os escritores canônicos não vai nos tornar melhores cidadãos, mas certamente vai propiciar nosso auto-conhecimento

11 Leyla Perrone-Moisés Leyla Perrone-Moisés Citando Emmanuel Kant: Os autores chamados clássicos´ constituem uma nobreza cujos exemplos são leis para o povo, e uma fonte a posteriori do gosto Citando Emmanuel Kant: Os autores chamados clássicos´ constituem uma nobreza cujos exemplos são leis para o povo, e uma fonte a posteriori do gosto

12 O Cânone dos Escritores-Críticos Crítica implica julgamento, positivo ou negativo Crítica implica julgamento, positivo ou negativo Um escritor-crítico critica as obras literárias de seus predecessores e contemporâneos, buscando esclarecer usa própria atividade e orientar os rumos da literatura subseqüente Um escritor-crítico critica as obras literárias de seus predecessores e contemporâneos, buscando esclarecer usa própria atividade e orientar os rumos da literatura subseqüente

13 Leyla Perrone-Moisés relaciona, em seu livro Altas Literaturas (ver bibliografia), os seguintes escritores-críticos e suas escolhas literárias Leyla Perrone-Moisés relaciona, em seu livro Altas Literaturas (ver bibliografia), os seguintes escritores-críticos e suas escolhas literárias Erza Pound Erza Pound T. S. Eliot T. S. Eliot Jorge Luis Borges Jorge Luis Borges Octávio Paz Octávio Paz Italo Calvino Italo Calvino

14 Michel Butor Michel Butor Haroldo de Campos Haroldo de Campos Philippe Sollers Philippe Sollers

15 Como foi estabelecido o quadro Escritores X Obras Preferidas Como foi estabelecido o quadro Escritores X Obras Preferidas Existência de ensaio (livro ou artigo) dedicado exclusivamente a um autor Existência de ensaio (livro ou artigo) dedicado exclusivamente a um autor Referências recorrentes e elogiosas a um autor Referências recorrentes e elogiosas a um autor Repercussão da obra de um autor na obra poética ou ficcional do escritor-crítico Repercussão da obra de um autor na obra poética ou ficcional do escritor-crítico

16 Traduções de um autor feitas pelo escritor- crítico Traduções de um autor feitas pelo escritor- crítico

17 Os mais votados pelos 8 escritores-críticos Os mais votados pelos 8 escritores-críticos Homero: 7/8 Homero: 7/8 Dante Alighieri: 7/8 Dante Alighieri: 7/8 James Joyce: 6/8 James Joyce: 6/8 Virgílio: 5/8 Virgílio: 5/8 John Domme: 5/8 John Domme: 5/8 Voltaire: 5/8 Voltaire: 5/8 Mallarmé: 5/8 Mallarmé: 5/8 Erza Pound: 5/8 Erza Pound: 5/8

18 Gustave Flaubert: 5/8 Gustave Flaubert: 5/8 Shakespeare: 4/8 Shakespeare: 4/8 Goethe: 4/8 Goethe: 4/8 Dostoiévski: 4/8 Dostoiévski: 4/8 Henry James: 4/8 Henry James: 4/8 Franz Kafka: 4/8 Franz Kafka: 4/8

19 Sobre as Próximas Apresentações Do livro de Italo Calvino, Por Que Ler os Clássicos, vocês discorrerão sobre Do livro de Italo Calvino, Por Que Ler os Clássicos, vocês discorrerão sobre Homero Homero Voltaire Voltaire Gustave Flaubert Gustave Flaubert Henry James Henry James Jorge Luis Borges (escritor-crítico), Shakespeare, Cervantes Jorge Luis Borges (escritor-crítico), Shakespeare, Cervantes

20 E sobre muitos outros clássicos E sobre muitos outros clássicos Xenofonte Xenofonte Ovídio Ovídio Stendhal Stendhal Balzac Balzac Dickens Dickens Tolstoi Tolstoi …

21 Bibliografia Por Que Ler os Clássicos? Por Que Ler os Clássicos? Autor: Italo Calvino Editora: Companhia das Letras Ano: 1994 Altas Literaturas Altas Literaturas Autor: Leyla Perrone-Moisés Editora: Companhia das Letras Ano: 1998

22 O Cânone Ocidental, 2ª. Edição O Cânone Ocidental, 2ª. Edição Autor: Harold Bloom Editora: Objetiva Ano: 1995


Carregar ppt "Cânone Literário Disciplina: Seminários (Educação Ambiental) Marcus Sampaio."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google