A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RESPIRAÇÃO CELULAR E FERMENTAÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RESPIRAÇÃO CELULAR E FERMENTAÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 RESPIRAÇÃO CELULAR E FERMENTAÇÃO

2

3

4

5

6

7

8

9

10 Inibidores: substâncias que paralisam o fluxo de elétrons na cadeia respiratória, são irreversíveis podendo levar a mitocôndria à morte. Ex: CO, cianureto. Aceptores: substâncias que desviam o fluxo de elétrons na cadeia respiratória, mas não paralisam a cadeia, diminuindo somente a velocidade. Ex: azul de metileno. Desacopladores: substâncias que vão bloquear ou inibir a síntese de ATP, sem paralisar o fluxo de elétrons. Ex: tiroxina (T4).

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30 Sistema do fosfato Uma célula muscular tem determinada quantidade de ATP que pode ser usada imediatamente, mas isto é suficiente para durar apenas cerca de três segundos. Para reconstituir rapidamente os níveis de ATP, as células musculares contêm um composto de fosfato altamente energético, chamado fosfocreatina. O fosfato é extraído da fosfocreatina por uma enzima, e é transferido para o ADP para produzir ATP. A célula transforma ATP em ADP e, rapidamente, o fosfato transforma o ADP de novo em ATP. Conforme o músculo continua a trabalhar, os níveis de fosfocreatina começam a diminuir. Juntos, os níveis de ATP e de fosfocreatina são chamados de sistema do fosfato. O sistema do fosfato pode suprir as necessidades energéticas dos músculos em atividade, mas apenas por 8 ou 10 segundos.

31 Sistema de ácido láctico-glicólise Os músculos também têm grandes reservas de glicogênio. A célula quebra o glicogênio em glicose e depois usa o metabolismo anaeróbico (anaeróbico significa "sem oxigênio") para produzir ATP e um subproduto chamado ácido láctico a partir da glicose. O sistema ainda pode agir rapidamente e produzir ATP suficiente para durar cerca de 90 segundos. Este sistema não precisa de oxigênio, o que é bem prático, já que o coração e os pulmões levam algum tempo para coordenar suas ações. Desta maneira, os músculos, contraídos rapidamente, comprimem seus próprios vasos sangüíneos, privando-se de sangue. Há um limite definido para a respiração anaeróbica por causa do ácido láctico (ácido que faz os seus músculos doerem). O ácido láctico se acumula no tecido muscular e causa a fadiga e a dor que você sente nos músculos que se exercitam em excesso.

32 Com cerca de dois minutos de exercício, o corpo já responde para suprir oxigênio aos músculos que se exercitam. Quando há oxigênio, a glicose pode ser completamente decomposta pela respiração aeróbica. A glicose pode ter três diferentes origens : as reservas de glicogênio restantes nos músculos; a quebra do glicogênio do fígado em glicose, que chega ao músculo ativo através da corrente sangüínea; a absorção da glicose dos alimentos no intestino, que chega ao músculo ativo através da corrente sangüínea. A respiração aeróbica produz ATP em ritmo mais lento, mas pode continuar o fornecimento por muitas horas, contanto que o suprimento de combustível dure.


Carregar ppt "RESPIRAÇÃO CELULAR E FERMENTAÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google