A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Aula 3 : Tipos de linhas, Caligrafia e Escala Universidade Federal da Bahia – UFBA INSTITUTO DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL IAD176.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Aula 3 : Tipos de linhas, Caligrafia e Escala Universidade Federal da Bahia – UFBA INSTITUTO DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL IAD176."— Transcrição da apresentação:

1 Aula 3 : Tipos de linhas, Caligrafia e Escala Universidade Federal da Bahia – UFBA INSTITUTO DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL IAD176 - Desenho Técnico Prof. Dennis Coelho Cruz Atualizado em: 27/09/11

2 1 – Normas 2 – Formatos 3 – Tipos de linhas 4 – Caligrafia técnica 5 – Legenda 6 – Escalas 7 – Exercícios Índice:

3 Formas de Elaboração e Apresentação do Desenho Técnico Os desenhos definitivos são completos, elaborados de acordo com a normalização envolvida, e contêm todas as informações necessárias à execução do projeto. No Brasil as normas são aprovadas e editadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, fundada em Criaram em 1947 a Organização Internacional de Normalização (International Organization for Standardization – ISO) As normas técnicas que regulam o desenho técnico são normas editadas pela ABNT, registradas pelo INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) como normas brasileiras -NBR e estão em consonância com as normas internacionais aprovadas pela ISO. Norma e seus paises Exemplos: EUA – ISO ALEMANHA – DIN BRASIL – ABNT JAPÃO – JIS

4 Normas Brasileiras - NBR – Desenho Técnico – Norma Geral - NBR – Folha de Desenho Lay-out e suas Dimensões - NBR – Desenho Técnico – Dobramento de Cópias - NBR 8402 – Execução de Caracteres para escrita em desenhos técnicos - NBR 8403 – Aplicação de linhas em desenhos – Largura das linhas - NBR – Princípios Gerais de Representação em Desenho Técnico - NBR – Representação de área de corte com o uso de hachuras em Desenho Técnico - NBR – Cotagem em Desenho Técnico

5 NBR – DESENHO TÉCNICO – NORMA GERAL NBR – FOLHA DE DESENHO LAY-OUT E DIMENSÕES, As folhas podem ser utilizadas tanto na posição vertical como na posição horizontal, conforme mostra a Figura 1.2. Os tamanhos das folhas seguem os Formatos da série A, e o desenho deve ser executado no menor formato possível, desde que não comprometa a sua interpretação. Tabela 1: Os formatos da série A seguem as seguintes dimensões em milímetros (NBR 10068, 1998): FORMATO DIMENSÕES MARGEM ESQUERDA OUTRAS A4 A3 A2 A1 A0 210 X X X X X ou 7 7 ou 10 10

6 Tipos de linhas: NBR 8403 (ABNT, 1984) fixa os tipos e o escalonamento de larguras de linhas para uso em desenhos técnicos

7

8 Espessura de linhas: NBR 8403 (ABNT, 1984) estabelece espessuras de linhas passíveis de serem utilizadas em desenhos técnicos: 0,13 mm, 0,18 mm, 0,25 mm, 0,35 mm, 0,50 mm, 0,70 mm, 1,00 mm, 1,40 mm 2,00 mm.

9 Nesses casos, a representação fica condicionada à verificação das seguintes regras de precedência: 1°) arestas e contornos visíveis (tipo de linha A); 2°) arestas e contornos não visíveis (tipo de linha E ou F); 3°) planos de cortes e seções (tipo de linha H); 4°) linhas de centro (tipo de linha G); 5°) linhas de centro de gravidade (tipo de linha K); 6°) linhas de cota e auxiliares (tipo de linha B). Precedência de linhas: Quando existe sobreposição de linhas num desenho, apenas uma delas pode ser representada

10 Os principais objetivos da adoção de uma escrita normatizada em desenhos técnicos são: Execução de Caracteres: NBR 8402 (ABNT, 1994b). uniformidade legibilidade possibilidade de reprodução sem perda de qualidade. Caracteres devem ser executados da forma mais simples possível, sem rebuscamentos ou serifas. Espaços entre os caracteres para evitar aglomeração e a densidade dos traços componentes não deve sofrer variação. Alturas normatizadas tem os valores recomendados na NBR 8402 são: 2,5, 3,5, 5, 7, 10, 14 e 20 mm

11 Execução de Caracteres: NBR 8402 (ABNT, 1994b).

12 Figura Escrita vertical. Fonte: (ABNT, 1994b). Figura Escrita inclinada. Fonte: (ABNT, 1994b). Execução de Caracteres: NBR 8402 (ABNT, 1994b).

13 Legenda UFBA: Formato A4

14 Legenda UFBA: Formato A3

15 Legenda UFBA: Formato A2, A1 e A0

16 Escala: A relação de proporcionalidade existente entre um objeto e a sua representação gráfica Os objetos sejam representados de forma clara, precisa e rigorosa, Utilizando-se um formato de papel adequado, As dimensões do desenho devem ser reduzidas ou ampliadas obedecendo-se a uma determinada relação de proporcionalidade com as dimensões reais do objeto Norma NBR 8196 (ABNT, 1999a), a designação completa de uma escala deve consistir na palavra ESCALA seguida da indicação da relação de proporcionalidade utilizada: a) ESCALA 1:1, para escala natural; b) ESCALA X:1, para escala de ampliação (X > 1); c) ESCALA 1:X, para escala de redução (X > 1). ESCALA = d D ESCALA = d D em que: d = dimensão no desenho; D = dimensão real do objeto. 1. Escala numérica

17 Exemplo:

18 Exercício

19 2. Escala gráfica Composto por tantas frações quantas forem necessárias, e um talão, desenhado à esquerda do corpo da escala e correspondente a uma fração do corpo subdividida em dez partes iguais. Ex.: Escala 1:50

20 Precisão gráfica É a menor distância real capaz de ser representada no desenho em uma determinada escala. Aplicando-se a relação acima em uma escala 1:100, por exemplo, obtém-se P = 0,02 m (2 cm). Ou seja, a menor distância real capaz de ser representada num desenho na escala 1:100 é de 0,02 m. Na prática, considera-se que o menor comprimento gráfico que pode ser visualizado em um desenho é de 0,0002 m (0,2 mm).

21 Quadro 1.4. Escalas utilizadas em desenho técnico. Fonte: ABNT (1999a). ReduçãoNaturalAmpliação 1:21:12:1 1:55:1 1:1010:1 Escalímetro no. 1

22 1:100 1 em 1 unid 1:125 1 em 1 unid 1:20 2 em 2 unid 1:25 2 em 2 unid 1:50 5 em 5 unid 1:75 5 em 5 unid Escalímetro no. 1

23

24 REGRAS PARA UTILIZAÇÃO DE ESCALAS 1 : Qualquer que seja a escala usada, ela deve ser anotada de modo evidente no desenho 2 : Quando o desenho for feito com mais de uma escala, todas devem constar de modo a não deixar dúvidas. 3 : Os valores indicados nas cotas, qualquer que seja a escala, devem ser aqueles que representem a medida real do objeto. O que deve mudar são as dimensões do desenho e não as do objeto. 4 : Não mudam para desenho em escala os valores de ângulos.

25 Exercícios Questão 01 : Qual das escalas é maior, 1 : ou 1 : 1000 ? Questão 02 : Qual das escalas é menor, 1 : 10 ou 1 : 1000 ? Questão 03 : Qual é a escala utilizada para representar uma rodovia de 10 km, desenhada em uma planta com 10 cm ? Questão 04 : Qual deve ser a escala utilizada para representar um parafuso de 20 mm em um desenho com 80 mm ? Questão 05 : Qual é a escala utilizada para representar uma rodovia de 10 km, desenhada em uma planta com 10 cm ? Questão 06 :Determinar o comprimento de um rio que foi representado por uma linha com 17,5 cm de comprimento onde a escala do desenho é de 1 : Questão 07 : Determinar qual a escala de uma carta em que as distâncias homólogas na carta e no terreno são, respectivamente, de 225 mm e 4,5 km. Questão 08 : Se a avaliação de uma área resultou em cm2 para uma escala de 1 :500, a quantos metros quadrados corresponderá a área no terreno ?


Carregar ppt "Aula 3 : Tipos de linhas, Caligrafia e Escala Universidade Federal da Bahia – UFBA INSTITUTO DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL IAD176."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google