A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tratamentos primários de efluentes líquidos EQUALIZAÇÃO Equalization tank – EQ.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tratamentos primários de efluentes líquidos EQUALIZAÇÃO Equalization tank – EQ."— Transcrição da apresentação:

1 Tratamentos primários de efluentes líquidos EQUALIZAÇÃO Equalization tank – EQ

2 OBJETIVOS DA EQUALIZAÇÃO Resolver questões relacionadas com variabilidade das características físico-químicas da maioria dos efluentes líquidos; Minimizar as variações de caudais de efluentes específicos, de tal modo que o caudal final se torne constante ou quase constante para o tratamento posterior; Neutralizar diferentes efluentes – p.ex.; pH; Minimizar/Uniformizar as concentrações de CBO, (carência bioquímica de oxigênio) – termo europeu – BR – é DBO

3 BENEFÍCIOS DA EQUALIZAÇÃO: 1.O tratamento biológico é facilitado porque são evitados, ou minimizados, os choques de carga orgânica, substâncias inibidoras podem ser diluídas e o pH pode ser estabilizado; 1.A quantidade de efluente e a eficiência do segundo decantador são melhoradas pela carga constante de sólidos; 2.No tratamento químico, há melhor controle de alimentação de produtos químicos;

4

5 Gradeamento Caixa de areaia Homgenizador Tratamento Primário TRATAMENTO Secundário EQUALIZAÇÃO Gradeamento Caixa de areaia Homgenizador Tratamento Primário TRATAMENTO Secundário EQUALIZAÇÃO Efluente final Efluente Bruto EQUALIZAÇÃO EM SÉRIE EQUALIZAÇÃO EM PARALELO

6 M – Midnight – meia-noite / N – Noon – meio-dia Diagramas esquemáticos para a determinação do volume de equalização necessário para os dois padrões típicos de vazão.

7 Interpretação dos diagramas: Na curva padrão A, no ponto de tangência mais baixo a bacia de equalização está vazia. Acima deste ponto a bacia começa a encher até estar completamente cheia à meia-noite. Na curva padrão B a bacia estará completamente cheia no ponto de tangência mais alto - volume maior em 10 a 20% do valor teórico, porque: A operação contínua de equipamentos de aeração e mistura não permitem o completo esvaziamento da bacia, apesar de estruturas especiais poderem ser construídas. O volume deve ser tal que possa acomodar os volumes de recirculação esperados no sistema. Poderá haver variações de vazão imprevistas.

8 Determine o volume necessário ao tanque de equalização:

9 SOLUÇÃO DE TRÊS PASSOS: O primeiro passo é fazer a curva de vazão acumulada expressa em m3. Isto se faz convertendo a vazão de ft3/s em m3/s e depois, verificar a vazão em m3/h, da seguinte maneira: 1 m3 = 35,31467 ft3; 1 1h = 3600 s Calculando-se desta forma para todos os pontos e somando a vazão horária calculada à vazão acumulada subsequente obtém-se a curva de vazão acumulada

10 O segundo passo - GRÁFICO DOS VOLUMES ACUMULADAOS V=4250 m3 TEMPO (HORAS) Volume acumulado (m3)

11 Determine o efeito da bacia de equalização na taxa de carga de DBO. O meio mais fácil é calcular, começando com o período em que a bacia está vazia (entre 8 e 9 h da manhã). Neste período de tempo é que se começam a fazer os cálculos. O primeiro passo é calcular o volume líquido no tanque de equalização no final de cada período de tempo. Isto é feito pela subtração da vazão equalizada (média) da vazão de entrada. Usando este valor, o volume acumulado no tnque é calculado por: Veq = Vpa + Ve - Vs Veq = volume no tanque de equalização ao final do período atual; Vpa = volume no tanque de equalização ao final do período anterior; Ve = volume entrando no tanque de equalização; Vs = volume à saída do tanque de equalização. Assim, usando os valores da tabela original, o volume na bacia de equalização no período entre 8 e 9 h é calculado como se segue:

12

13 Usando os dados da coluna 2 tabela acima, a concentração é calculada como se segue: Para o período entre 8 e 9h: Para o período entre 9 e 10h: Na coluna 5 estão registrados todos os valores de concentração calculados da mesma maneira. O terceiro passo é calcular a carga de DBO usando a seguinte expressão: = vazão média horária = 1105,6 m 3 /h Na coluna 6 estão anotadsos todos os valores de carga de DBO calculados da mesma maneira.

14 EFEITODA EQUALIZAÇÃO NO CAUDAL E CBO

15

16 2º Exemplo – Avaliação do pH Num Tanque de equalização de 24 m3 para pH Volume (m3) pH[H+] [H+]*Volume 520,015,00E E-105,00E E-111,40E-10 pH Médio 2,08E-032,7

17 equipamentos para limpeza de sólidos ou gorduras que tendem a acumular nas paredes da bacia; uma sistema de emergência para extravasar o caudal no caso de falha no sistema de bombas; um sistema para remover espuma e material sobrenadante; spray de água para prevenir o acúmulo de espuma nos lados da bacia caso espuma venha a ser um problema. os sólidos removidos dos tanques de equalização devem retornar ao início do sistema para processamento. Acessórios Operacionais de tanques de equalização

18 Para efluentes com sólidos suspensos de aproximadamente 220 mg/L é necessário um misturador na faixa de 0,004 a 0,008 kW/m3 de estocagem. Para manter uma condição aeróbica na bacia deve haver um suprimento de ar de 0,01 a 0,015 m3/m3.min. Em tanques de equalização com tempo de detenção menor que 2 horas não é necessária aeração. Uma forma de prover boa mistura e aeração é usar aeradores mecânicos. Chicanas são necessárias para garantir uma mistura completa

19


Carregar ppt "Tratamentos primários de efluentes líquidos EQUALIZAÇÃO Equalization tank – EQ."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google