A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FONÉTIC A E FONOLOGIA Estudando os sons da fala humana...

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FONÉTIC A E FONOLOGIA Estudando os sons da fala humana..."— Transcrição da apresentação:

1 FONÉTIC A E FONOLOGIA Estudando os sons da fala humana...

2 Aparelho Fonador O ser humano não possui nenhum aparelho destinado exclusivamente à produção do som. Segundo PERELÒ(1975), a laringe aparece na escala animal quando é necessário proteger o aparelho respiratório contra a entrada de sólidos ou líquidos que pudessem causar asfixia.

3 Aparelho Respiratório

4

5 A produção do som envolve vários orgãos que conjuntamente fazem, como resultado, soar nossa voz. São eles: aparelho respiratório, a laringe, as cavidades de ressonância e os articuladores.

6 Pregas vocais (cordas vocais)

7

8 Nódulos

9 Pólipo

10 Edema

11 Laringe

12 Produção do som O ar inspirado passa pelas cordas vocais em posição aberta, enchendo os pulmões. Na expiração é que ocorre a fonação. O ar aspirado pelos pulmões passa pelas cordas vocais em posição fechada.

13 As cavidades de ressonância têm um papel fundamental na produção do som, pois nelas é que ocorrem as modificações do som fundamental produzido na laringe. Comparando a um instrumento, poderíamos dizer que as cavidades de ressonância da voz funcionam como a caixa de um violão. Nada adiantaria vibrar-mos as cordas de um instrumento isoladamente, pois produziria um som "pobre".

14 Fonologia e Fonética Fonologia é a parte da gramática que estuda as palavras sob o aspecto sonoro. É o estudo dos fonemas da língua padrão.gramática dialeto idioleto. Fonética é o estudo linguístico dos fonemas de determinado dialeto linguístico ou de determinado idioleto.

15 Fonemas São as unidades fônicas distintivas da palavra. /k/ /a/ /z/ /a/

16 O número de fonemas é limitado dentro de um sistema lingüístico. Com poucos fonemas, podemos formar uma grande quantidade de signos, simplesmente comutando um por outro. Assim: lata, mata, pata,data, etc. Trocados os fonemas, altera-se logicamente o significado das palavras.

17 Letras São os sinais gráficos que representam os fonemas. Uma letra pode representar fonemas diferentes. É o caso de fonema /z/, por exemplo, que pode ser representado pelas seguintes letras: s = mesa x = exato z = azarado

18 Não confunda!!! Nunca podemos confundir fonema (unidade sonora mínima) com letra (representação gráfica do fonema). Uma palavra, portanto, pode ter ou não o mesmo número de letras e fonemas.

19 Exemplos: mata 4 letras e 4 fonemas; malha 5 letras e 4 fonemas; anta 4 letras e 3 fonemas = /ãta/ fixo 4 letras e 5 fonemas = /fiksu/

20 Classificação dos fonemas Vogais – são fonemas que fazem vibrar as cordas vocais, em cuja produção a corrente de ar vinda dos pulmões não encontra obstáculos. São SETE, e não cinco como muitos imaginam. São silábicos, isto é, constituem a base da sílaba. Juntando- se o fato de que podem ser orais e nasais, temos DOZE vogais ao todo. / a / / ã / / é / / ê / / / / i / / / / ó / / ô / / õ / / u / /

21 Semivogais São os fonemas /y/ e /w/ quando formam sílabas com uma vogal. can-tai a = vogal i = semivogal Má-goa a= vogal o= semivogal

22 le-vou o = vogal u = semivogal per-doe o=vogal e=semivogal

23 Consoantes Consoantes são fonemas resultantes de obstáculos encontrados pela corrente de ar vinda dos pulmões. São assilábicos porque não podem formar sílaba sem auxílio de uma vogal. bo-ca, ca-sa, da-do, fa-ca

24 Classificação dos fonemas Há quatro critérios de classificação para as vogais: zona de articulação média ou central: a anteriores ou palatais: é, ê, i posteriores ou velares: ó, ô, u intensidade tônicas: mais intensidade átonas: intensidade fraca a vogal átona pode ser: pretônica, postônica ou subtônica / facilmente = a (subton.), i (preton.), último e (poston.)

25 timbre abertas - a, é, ó (em sílaba tônica ou subtônica) fechadas - ê, ô, i, u (em sílabas tônicas, subtônicas ou átonas) reduzidas - vogais átonas finais, proferidas fracamente

26 papel das cavidades bucal e nasal orais - a, é, ê, i, ó, ô, u - ressonância apenas da boca nasais - todas as vogais nasalisadas - ressonância em parte da cavidade nasal. Índices de nasalidade: ~ e m ou n em fim de sílaba. Observação as vogais nasais são sempre fechadas.

27 Classificação das consoantes modo de articulação oclusivas - corrente de ar encontra na boca obstáculo total - p, b, t, d, c(=k) e q, g (=guê); constritivas - corrente de ar encontra obstáculo parcial na boca - f, v, s, z, x, j, l, lh, r, rr. Elas subdividem-se em: fricativas - f, v, s, z, x, j / laterais - l, lh / vibrantes - r, rr.

28 PONTO DE ARTICULAÇÃO PONTO DE ARTICULAÇÃO Este critério toma por base o ponto da cavidade bucal em que se localiza o obstáculo à corrente de ar. Conforme o ponto de articulação, as consoantes são :

29 Bilabiais – Quando ocorre contato dos lábios superior e inferior. 1. /b/ = bata, belo. 2. /m/ = mama, mamão. Labiodentais – Quando o lábio inferior toca os dentes incisivos superiores. 1. /f/ = fato, favo, fenda. 2. /v/ = voto, veto, vento.

30 Linguodentais – Quando a língua toca a face interna dos dentes incisivos superiores. 1. /d/ = dedo, dado, data. 2. /t/ = tato, tédio,todo. 3. /n/ = nada, neto, nódoa. Alveolares – Quando a língua toca os alvéolos (cavidades onde se implantam os dentes) dos dentes incisivos superiores. 1. /s/ = sala, passar, cela, calça. 2. /z = asa, êxito, fazer, azar. 3. /l/ = tela, vela, ela. 4. /r/ = aro, caro, faro.

31 Palatais – Quando o dorso da língua toca o palato duro (céu da boca). 1. /ƒ/ = chapa, caixa, pichar. 2. /3/ = jacaré, gelo, jeito, gengibre. 3. / ג / = telha, velha, orelha. 4. /h/ = ganho, venho, linha. Velares – Quando há contato do dorso da língua com o palato mole (véu palatino). 1. /k/ = cabra, quebra, quatorze, quociente. 2. /g/ = galho, guincho, distinguir. 3. /R/ = rota, burro, bizarro.

32 SONORIDADE Este critério verifica se ocorre ou não vibração das cordas vocais. Quanto à sonoridade, as consoantes podem ser :

33 Sonoras – Consoantes que fazem vibrar as cordas vocais. 1. /b/ = bodega, bode, bola. 2. /d/ = data, dedo, dela. 3. /g/ = gato, galo, gago. 4. /v/ = vida, veto, virgem. 5. /z/ = raso, zelo, exânime, exarar. 6. /3/ = gelo, jeca, jaca, jeito, ojeriza.

34 Surdas – Consoantes que não fazem vibrar as cordas vocais. 1. /p/ = pulo, pólo, pólos, pêlo, pêlos. 2. /t/ = taco, toco, teto. 3. /k/ = calo, quilo, quota, quotidiano. 4. /f/ = fealdade, faz-tudo, fecha. 5. /s/ = sala, caça, missa, exceção, sintaxe, cresça. 6. /ƒ/ = chá, xale, chalé, chaleira.

35 Papel das cavidades nasais - m, n, nh orais - todas as outras


Carregar ppt "FONÉTIC A E FONOLOGIA Estudando os sons da fala humana..."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google