A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Nematódeos parasitas do ser humano Prof.: Chico Pires.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Nematódeos parasitas do ser humano Prof.: Chico Pires."— Transcrição da apresentação:

1 Nematódeos parasitas do ser humano Prof.: Chico Pires

2 Ascaris lumbricoides

3 Ascaris lumbricoides (lombriga) Modo de transmissão: Ingestão de alimentos e de água contaminados por ovos de lombriga. Doença: Ascaridíase

4 Ciclo de vida

5 Sintomas Síndrome de loeffler Síndrome de loeffler Cólicas abdominais Cólicas abdominais Diarreias Diarreias Náusea Náusea Manchas brancas no rostos Manchas brancas no rostos Edemas nos alvéolos pulmonares Tosse Febre Bronquite pneumonia

6 Medidas profiláticas Adotar ações de saneamento básico Adotar ações de saneamento básico Tratar com cloro ou ferver a água não tratada Tratar com cloro ou ferver a água não tratada Lavar bem os alimentos consumidos crus, principalmente frutas e as verduras. Lavar bem os alimentos consumidos crus, principalmente frutas e as verduras. Lavar as mãos antes das refeições. Lavar as mãos antes das refeições. Tratamento dos doentes Tratamento dos doentes

7 Ascaris lumbricoides Morfologia: ovos Morfologia: ovos

8

9 ESPÍCULA PENIAL

10

11

12 Ascaris lumbricoides

13

14

15

16 Modo de Transmissão:penetração ativa na pele humana de larvas Modo de Transmissão:penetração ativa na pele humana de larvas Ancylostoma duodenale e Necator americanus Doença: Ancilostomose, necatoríase, opilação ou amarelão Doença: Ancilostomose, necatoríase, opilação ou amarelão

17 Ciclo de vida

18 Sintomas: Cansaço, desânimo e moleza Cansaço, desânimo e moleza

19 Sintomas Anemia ferropriva Anemia ferropriva Lesão cutânea Lesão cutânea Lesão pulmonar Lesão pulmonar Lesão da mucosa intestinal Lesão da mucosa intestinal Aspecto amarelado Aspecto amarelado Geofagia Geofagia Hemorragias Hemorragias Sangramento nas fezes Sangramento nas fezes

20 Medidas profiláticas Adotar ações de saneamento básico Adotar ações de saneamento básico Evitar contato da pele com solos contaminados por larvas desses parasitas Evitar contato da pele com solos contaminados por larvas desses parasitas Usar calçados Usar calçados Tratamento dos doentes Tratamento dos doentes

21 Ancylostoma duodenale

22

23

24

25

26

27 Doença: Dermatite do bicho-geográfico Ancylostoma braziliensis Sintomas: irritação e coceira na pele, com manchas que lembram mapas Modo de transmissão: Penetração das larvas através da pele.. larvas transmitidas pelas fezes de cães ou gatos portadores do verme

28 Ciclo de vida Os adultos do verme vivem no intestino do cão ou do gato e medem cerca de 15 mm de comprimento. Após a fecundação, os ovos são liberados pelas fêmeas e misturam-se com as fezes do hospedeiro. O cão ou gato ao defecarem, eliminam esses ovos. Deles eclodem larvas que ficam no solo. Os adultos do verme vivem no intestino do cão ou do gato e medem cerca de 15 mm de comprimento. Após a fecundação, os ovos são liberados pelas fêmeas e misturam-se com as fezes do hospedeiro. O cão ou gato ao defecarem, eliminam esses ovos. Deles eclodem larvas que ficam no solo.

29 Medidas profiláticas(profilaxia) Evitar contato da pele com solo ou areia contaminados por larvas do parasita. Evitar contato da pele com solo ou areia contaminados por larvas do parasita. Não levar cães e gatos para praias ou tanques de areia. Não levar cães e gatos para praias ou tanques de areia.

30 Ancylostoma brasiliensis

31

32

33

34

35

36

37

38 Wuchereria bancrofti Doença: Filariose, que pode levar à elefantíase, Modo de transmissão: picadas de mosquitos do gênero culex, que transmitem as larvas desse parasita para o ser humano. Morfologia: Microfilárias

39 Sintomas: Inchaços causados pela obstrução dos vasos linfáticos com extravasamento de linfa para os tecidos

40 Wuchereria bancrofti Vetor: Fêmea do Culex Vetor: Fêmea do Culex

41 Wuchereria bancrofti Ocorrência: Ocorrência:

42 Wuchereria bancrofti Patogenia: Elefantíase Patogenia: Elefantíase As formas mais frequentes de elefantíase são: - Elefantíase das pernas. - Elefantíase do saco escrotal e do pênis. - Elefantíase de braços, mamas ou vulva.

43 Elefantíase Sintomas: Sintomas:

44 Ciclo de vida:

45 Medidas profiláticas Controle populacional do vetor Controle populacional do vetor Uso de repelentes Uso de repelentes Proteger as camas com cortinados Proteger as camas com cortinados Uso de telas em portas e janelas para evitar a entrada do mosquito Uso de telas em portas e janelas para evitar a entrada do mosquito Tratamento dos doentes Tratamento dos doentes

46 Wuchereria bancrofti

47

48

49

50

51

52

53

54

55

56

57 Doença: enterobiose ou oxiurose Enterobius vermicularis ou Oxiurus vermicularis PROVOCADA PELA DESCIDA DOS VERMES PELA ABERTURA ANAL 1. AUTO INFESTAÇÃO Modo de transmissão: ingestão de ovos 2. Indireta: ingestão de alimentos contaminados por ovos desse parasita

58 Sintomas: Náusea Náusea Vômitos Vômitos Dores abdominais Dores abdominais Intenso prurido anal Intenso prurido anal

59 Medidas profiláticas Higiene das mãos Higiene das mãos Lavar a região anal ao levantar-se. Lavar a região anal ao levantar-se. Trocar a roupa intima e os lençóis diariamente, fervendo-os e lavando-os separadamente das demais roupas da casa, para evitar a reinfestação. Trocar a roupa intima e os lençóis diariamente, fervendo-os e lavando-os separadamente das demais roupas da casa, para evitar a reinfestação. Tratamento dos doentes. Tratamento dos doentes.

60

61

62


Carregar ppt "Nematódeos parasitas do ser humano Prof.: Chico Pires."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google