A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Mercado futuro como instrumento de minimização de risco de preço Ivan Wedekin Diretor de Commodities FAEG – Perspectivas para o agronegócio 2009 – SENAR.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Mercado futuro como instrumento de minimização de risco de preço Ivan Wedekin Diretor de Commodities FAEG – Perspectivas para o agronegócio 2009 – SENAR."— Transcrição da apresentação:

1 Mercado futuro como instrumento de minimização de risco de preço Ivan Wedekin Diretor de Commodities FAEG – Perspectivas para o agronegócio 2009 – SENAR

2 Riscos na agricultura e no agronegócio1 Riscos de preço e os mecanismos de mercado 2 A BM&FBOVESPA e o agronegócio 3 Agenda

3 Gerenciamento de riscos no agronegócio Riscos do agronegócio Risco de crédito Risco dos contratos Risco de preço Risco de produção Zoneamento Seguro Tecnologia Agricultura de precisão

4 Distribuição da produção de soja Safra milhões de t Fonte: CONAB

5 2009 a 2012: Previsão Fonte: Departamento de Gestão de Risco Rural – SPA-MAPA Zoneamento agrícola de risco climático Calendários de períodos decendiais de plantio por município e cultura, com indicação de cultivares adaptadas à região, considerando os tipos de solos e os ciclos das cultivares.

6 Fonte: SPA/MAPA *estimativa Criando um mercado de seguro rural

7 Conduta e riscos dos contratos Riscos do agronegócio Risco de crédito Risco dos contratos Risco de preço Risco de produção Marco legal, arbitragem, fator V

8 Solução mais rápida que o Judiciário Maior qualidade da decisão (especialização do juiz) Ênfase na solução consensual dos conflitos Todas negociações e registros na BM&FBOVESPA e na Bolsa Brasileira de Mercadorias têm cláusula de arbitragem Vantagens da arbitragem nos contratos A arbitragem reduz os custos de transação

9 Risco de crédito Riscos do agronegócio Risco de crédito Risco dos contratos Risco de preço Risco de produção Cadastro, garantias, seguro, novos títulos Certificação positiva, Negócio à vista

10 Fonte: Banco Central – dados até maio-09 Empréstimos ao setor rural (%) R$ bilhões % dos empréstimos com risco normal Empréstimos e risco do crédito rural

11 Os novos títulos do agronegócio Fonte: BM&F BOVESPA e CETIP 2009* - até 31 de maio

12 Risco de preços Contratos futuros, a termo, de opções. CDA-WA, CPR, troca Apoio do governo Riscos do agronegócio Risco de crédito Risco dos contratos Risco de preço Risco de produção

13 Apoio à comercialização agrícola Fontes: Siafi-ConabElaboração: SPA/MAPA. Orçamento da PGPM Produção de Grãos R$ milhões Milhões de t 22 M t apoiadas em 2006 e 5,6 M t em 2008

14 Riscos na agricultura e no agronegócio 1 Riscos de preço e os mecanismos de mercados 2 AgendaAgenda

15 Volatilidade da soja na CBOT em % ao ano * Atualizado em junho-09 Fonte: Bloomberg

16 Volatilidade do milho na BM&F em % ao ano * Atualizado em junho-09 Fonte: BM&FBOVESPA

17 Descasamento entre oferta e demanda Sazonalidade da produção Taxa de câmbio (e outras variáveis macro) Movimento de capitais (ação dos fundos de hedge) Volatilidade dos preços agrícolas

18 EUA: choque de demanda no milho Fonte: USDA Milhões de toneladas *Estimativa ** Projeção

19 Fonte: USDA Milho: estoque/uso e preços * Atualizado em junho-09 Relação estoque/uso US$¢/bushel

20 Fonte: CFTC n° de contratos US$¢/bushel Milho, Chicago: posição líquida dos fundos e traders

21 Soja: estoque/uso e preços Fonte: USDA * Atualizado em junho-09 US$¢/bushel Relação estoque/uso

22 Fonte: CFTC Soja, Chicago: posição líquida dos fundos e traders n° de contratos US$¢/bushel

23 Mercado onde se negociam contratos padronizados para vencimento em uma data futura; Liquidação dos contratos: financeira ou por entrega física; Vendedor tem a obrigação de entregar a mercadoria dentro dos padrões do contrato (no caso de liquidação por entrega física); Comprador tem a obrigação de pagar o valor negociado; A Bolsa garante a execução e liquidação dos contratos. O que é o mercado futuro?

24 Para fixar um preço futuro, fazendo um seguro de preço (hedge), transferindo para terceiros o risco das oscilações do preço. –O comprador fixa o preço de sua matéria-prima (fixando o custo de produção) –O vendedor fixa o preço de venda de sua mercadoria (fixando a receita para cobrir o custo de produção e gerar uma margem de lucro). Quem é o especulador? É aquele que não usa a bolsa para fazer um seguro de preço. Assume o risco de preço e dá liquidez ao mercado. Para que serve o mercado futuro?

25 Características do mercado de opções Conceito similar ao de seguro, com pagamento de prêmio para garantir um determinado preço. Tipos de opções: –Opção de venda (PUT) –opções de compra (CALL) Data de vencimento e preço de exercício pré-definidos. Não tem ajuste diário Apenas o vendedor deposita margem de garantia.

26 Derivativos no mundo, jan-fev 2009 Fonte: Future Industry Association – FIA 2009* – período Jan-Fev

27 Riscos na agricultura e no agronegócio 1 Riscos de preços e os mecanismos de mercados 2 A BM&FBOVESPA e o agronegócio3 Agenda

28 Restrições aos mercados futuros Menos de 15 anos de estabilidade econômica Liberalização dos mercados, mas a regulação ainda persiste Babel tributária Falta de cultura sobre gerenciamento de risco de preço

29 Contratos agropecuários negociados 2009* - últimos 12 meses (Jul/08 a Jun/09) Fonte: BM&FBOVESPA em milhões de contratos

30 Valor dos contratos agropecuários 2009* - últimos 12 meses (Jun/08 a Jul/09) Fonte: BM&FBOVESPA em bilhões de dólares

31 Brasil: produção hedgeada na Bolsa, 2008 Fonte: BM&FBOVESPA

32 Mercado de boi gordo Fonte: BM&FBOVESPA milhões de contratos (330 arrobas) 2009* - últimos 12 meses (Jun/08 a Jul/09)

33 Mercado de café arábica Fonte: BM&FBOVESPA milhares de contratos (100 sacas de 60kg) 2009* - últimos 12 meses (Jun/08 a Jul/09)

34 Mercado de soja milhares de contratos (450 sacas de 60kg) Fonte: BM&FBOVESPA 2009* - últimos 12 meses (Jun/08 a Jul/09)

35 Mercado de milho (entrega física) milhares de contratos (450 sacas de 60kg) Fonte: BM&FBOVESPA 2009* - últimos 12 meses (Jun/08 a Jul/09)

36 Novo modelo de negócio de milho na Bolsa Futuro Campinas financeiro Bases regionais com entrega física

37 Mercado de milho (financeiro) posições em aberto 0,6 2,3 5,1 6,7 9,1 10,5 13,5 28,0 1,5 3, set/08 out/08 nov/08 dez/08 jan/09 fev/09 mar/09 abr/09 mai/09 jun/ contratos negociados (em milhares)

38 Mercado de milho (financeiro) milhares de contratos (450 sacas de 60kg) Fonte: BM&FBOVESPA

39 Mercado de milho (Financeiro) Número de meses para alcançar contratos em aberto Fonte: BM&FBOVESPA

40 Distribuição conjunta com o CME Group PLATAFORMA BM&FBOVESPA GTS – Global Trading System PLATAFORMA CME GLOBEX Mais de 80 países terminais de negociação Roteamento Norte-Sul: 30/09/2008 Roteamento Sul-Norte: 9/02/2009

41 Ampliação da base de clientes Rapidez na execução de ordens Facilidade de acesso aos mercados Acesso Direto ao Mercado – DMA Co-Location Roteamento de ordens

42 Facilidade de acesso aos mercados Fonte: BM&FBOVESPA

43 Novos produtos e serviços da Bolsa 1.Expansão do mercado de opções 2.Mercado de balcão: contrato de opção flexível de soja e contrato a termo de boi 3.Contrato de etanol hidratado, em Reais, com liquidação financeira 4.Expansão do SRCA – Sistema de Registro de Custódia de Títulos do Agronegócio 1.Expansão do mercado de opções 2.Mercado de balcão: contrato de opção flexível de soja e contrato a termo de boi 3.Contrato de etanol hidratado, em Reais, com liquidação financeira 4.Expansão do SRCA – Sistema de Registro de Custódia de Títulos do Agronegócio

44 Objetivos: Objetivos: Oferecer ao produtor uma alternativa de seguro de preço mais simples Permitir a integração desse modelo de opção à política agrícola Desenvolver o mercado de balcão de commodities agropecuárias Aumentar o volume negociado no mercado futuro Atrair novos participantes para o mercado de opções Contrato de op ç ão flex í vel de soja

45 Características: Data pré-definida para o exercício da opção pelo produtor (opção tipo européia) Liquidação financeira com base no preço futuro de Paranaguá Se exercer a opção, o produtor não ganhará uma posição no mercado futuro (sem risco de entrega e ajuste diário) Tamanho do contrato: livremente pactuado entre as partes Garantias: com ou sem garantias Contrato de op ç ão flex í vel de soja

46 1.Mais tecnologia, integração e adensamento produtivo no agronegócio brasileiro – gigante e global 2.Novos mercados, processos e sistemas: maior interdependência e complexidade gerencial 3.Pecuária cada vez mais um ramo da agricultura 4.Agropecuária é atividade de risco – novas ferramentas para gestão global do negócio 5.Oportunidades: casamento por puro interesse entre o agronegócio e o mercado financeiro e de capitais Assim caminha a humanidade

47 (11) Ivan Wedekin Diretor de Commodities BM&FBOVESPA – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros

48 Gastos com subvenção por produto Fonte: SPA-MAPA Subvenção total: R$ 157,5 milhões em 60,1 mil operações Soja – R$ 70,1 M Outros – R$ 34,6 M Milho – R$ 28,1 M Uva R$ 7,5 M Arroz R$ 6,3 M Trigo R$ 10,9 M 45% 7% 4% 5% 18% 22% 2008


Carregar ppt "Mercado futuro como instrumento de minimização de risco de preço Ivan Wedekin Diretor de Commodities FAEG – Perspectivas para o agronegócio 2009 – SENAR."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google